10 Dicas para não errar na hora de comprar as roupinhas do bebê | Macetes de Mãe

10 Dicas para não errar na hora de comprar as roupinhas do bebê


12 de Março de 2013

Quando a gente é mãe de primeira viagem, compramos um sem fim de roupas pelas quais nos apaixonamos, mas é só na hora do “vamovê” que a gente descobre o que é mesmo funcional e o que vamos usar de verdade nos nossos pequenos.

Nessa de comprar porque é bonitinho, sem pensar no lado prático e até confortável (quem nunca???? hein? kkk), a gente faz um monte de compras erradas, e acabamos ficando com uma penca de roupinhas sem uso e encalhadas.

Eu tenho percebido isso CLARAMENTE aqui em casa e para evitar que isso aconteça com as futuras mamães, vou trazer aqui algumas diquinhas básicas. Como disse, coisa simples, mas que muitas vezes passa despercebido quando não temos muita experiência no assunto.

1. Dê prioridade para peças de malha, cotton, etc… (ou seja, maleáveis) e fuja dos tecidos sintéticos e que não “esticam”. Passar na cabeça e vestir os bracinhos do bebê numa peça que não “cede” é um desafio e tanto! O pobrezinho reclama, a gente fica irritada, nossa…. é um Deus nos acuda.

2. Se for comprar roupinhas que tenham detalhes como bordados, botões, presilhas, fitinhas, etc… cheque o lado de dentro da peça para ver se o acabamento foi bem feito ou se há algum tecido revestindo este acabamento. Muitas vezes, quando se tem um bordado ou algum detalhe preso, do lado de dentro fica meio durinho, áspero, etc… e isso, em contato com a pele sensível do bebê, poderá irritá-la. Já vi várias peças bordadinhas que tem um tecidinho tapando a parte bordada do lado de dentro.

3. Quando comprar macacõezinhos, sejam eles de manga longa ou não, dê prioridade para os que abrem na frente. Há alguns macacões de verão, sem perninhas e de manga curta, que só abrem embaixo e em cima (com botõezinhos) e tem que vestir passando pela cabeça. Dá para vestir, com certeza, ainda mais se forem de malha, mas eles são bem menos práticos os que abrem na frente.

Macacãozinho com abertura frontal. Muito mais fácil de vestir.

4. Ao comprar bodies, prefira os que tem um “acabamento” que se transpassa em cima, em vez dos que fecham com botões. Esses que se transpassam (é o modelo da Carters) acabam tendo uma abertura muito maior e facilitam a passagem pela cabeça. PS: aqui uma dica que eu aprendi na maternidade: vestir todas as roupinhas que puder de baixo para cima, sem passar pela cabeça (faço isso sempre com os bodies que tem essa abertura que acabei de citar). Muitos bebês acabam se irritando quando algo passa pelas suas cabecinhas e aí vestindo por baixo torna-se bem mais tranquilo. Sem contar que, além de tranquilo, também acho mais fácil e rápido.

Acabamentinho transpassado no body da Carters

5. Evite, a todo custo, roupinhas que fechem na parte de trás. O Léo tinha algumas camisinhas e também um macacãozinho que fechava atrás (essa loucura eu não fiz, isso foi presente). Eu simplesmente não conseguia vestir isso nele, porque ficava imaginando aqueles botõezinhos incomodando o meu pequeno. Sem contar que, na hora de vestir e despir essas peças são um saco. Abertura? Sempre na frente! Para o nosso bem e dos filhotes também!

Blusinha de menina com abertura de botões atrás. No way!

6. Quando for escolher as peças que irá comprar, se possível, compre opções cujas cores combinem entre sim. Se não, depois vai ser um desafio fazer as combinações.

7. Evite tecidos muito grossos para roupas de calor. Ou então tecidos que não permitam uma fácil transpiração, como já citei. O Léo ganhou uma jardineira linda, de verão, só que ela era de veludo. Oi? Sem cabimento, né? Roupinha curta = tecido leve. Quando muito um jeans, se for para uma bermudinha ou jardineira (quando muuuuito! Ok?).

8. Em se tratando das peças que serão usadas no inverno, dê prioridade para aquelas que tem pezinhos ou um acabamento no punho que permite dobrar por cima da mãozinha e servir como luva (veja aqui um post que eu já fiz sobre essa peça). O Léo tinha vários macacõezinhos assim (sei que a Carters tem) e eles são excelentes! Esse modelo de punho que vira mãozinha não é fácil de encontrar no Brasil, mas calças e macacões com pezinhos é super comum. Invista neles sem medo. Essa história de que é melhor sem porque vai perder rápido é bobagem. Afinal, quando não servir mais na perna também não vai servir mais no braço, então não vai adiantar comprar sem pé para usar mais tempo. Minha opinião. Se eu estiver enganada, por favor, alguém me corrija.

9. Bodies são as peças que os bebês mais usam, pois são confortáveis e práticas. Assim, invista em uma quantidade bacana delas para cada idade do bebê (oito por idade acho que está bacana) e sempre leve em conta a estação que estará fazendo em cada uma das idades. Mas não esqueça! Não adianta nada você só ter bodies de manga curta para os meses de calor. Sempre vai fazer um friozinho e você irá precisar de um. Assim, minha sugestão é: 5 bodies da estação e 3 bodies da estação oposta para cada idade (exemplo: no verão, 5 bodies de manga curta e 3 de manga comprida). Se quiser aumentar ou diminuir esse número, tente manter a proporção.

10. Como já citei aqui em outro post, invista menos nas peças diferenciadas para bebês e mais, muuuuuuuito mais, em peças básicas, que são: bodies, macacões, calças, bermudinhas e  casaquinhos confortáveis. No caso de meninas, em vez de vestidinhos, invista em vestidinhos-bodies, aqueles que são um body, mas tem um babadinho por cima. Os bodies são tudo porque não ficam subindo quando a gente pega o bebê ou quando ele se arrasta por aí.

11. A dica 11 acabou de ser deixada por uma leitora nos comentários abaixo. Mas como ela está certíssima, não posso deixar de incluir aqui. Vamos lá…
Evite roupinhas com gola polo, gola alta e babadinhos na gola para bebês. O pescocinho deles ainda é muito pequeno e isso acaba incomodando-os. Golinha redonda ou canoa é sempre melhor. Muito melhor.
* Dica da leitora Carol Salles.

Leia outros posts com assuntos similares:

Os 10 itens menos usados do enxoval do Léo
As 10 peças de roupas que os bebês mais usam
10 coisas que não podem ficar de fora do enxoval do bebê