15 dicas para evitar o sequestro ou rapto de crianças

15 dicas para evitar o sequestro ou rapto de crianças


26 de outubro de 2016

Ontem, recebi de uma amiga o link de uma notícia que me chocou: Pai filma o momento que homem tenta levar criança na avenida Paulista.

Na verdade, a família – pai, mãe e filho, de 5 anos – estavam assistindo a um show na Avenida Paulista, em São Paulo, quando o filho se afastou da mãe para avisar o pai que iriam a uma banca próxima. Nesse instante, em que a criança estava a poucos metros dos pais, um desconhecido passou e a levou  pela mão.

Photo Credit: Eltanin_ Flickr via Compfight cc

Na hora, o pai viu e reagiu, indo atrás do estranho e pegando seu filho de volta (abaixo vídeo feito pelo pai. Na matéria publicada no site da Veja São Paulo tem mais detalhes) e assim, por sorte, terminou tudo bem. Entretanto, depois que li a notícia não pude deixar de pensar no quanto nossos filhos podem estar em perigo em situações que a gente nem imagina.

E por esse motivo, resolvi fazer o post de hoje, com algumas dicas bem simples (e até obvias) de coisas que devemos fazer, observar e cuidar a fim de evitarmos o rapto ou sequestro de crianças.

12 dicas para evitar o sequestro ou rapto de crianças:

  1. Para começar, vale lembrar aquela orientação básica de explicar para as crianças que elas não devem aceitar, nunca, nada de estranhos (balas, chicletes, presentes, etc…). Elas também não devem aceitar convites para irem ver algo, nem dar a mão a estranhos e muito menos pedir informações para pessoas desconhecidas. Quanto menos contato, neste caso, mais seguras as crianças estarão. Muitas vezes, os sequestradores se valem de argumentos que facilmente convencem as crianças para tirá-las de perto dos pais ou cuidadores (Ex: “Sou amiga da sua mãe e ela pediu para eu te levar até tal lugar”, “Tenho um cachorrinho lindo aqui. Você gosta de cachorrinhos, né? Quer ver?” etc.);
  2. Ensinar a criança que, se um estranho se aproximar dentro de um carro pedindo por informações, ela deve ficar bem longe ou correr para junto de um conhecido. Jamais deve se aproximar do carro para dar a informação pedida.
  3. Como mães e pais devemos evitar andar com as crianças em ruas, praças ou calçadas com a iluminação fraca, especialmente em lugares que não conhecemos;
  4. Se estiver num lugar bastante movimentado, com um grande tráfego de pessoas (como um show, uma grande festa, um shopping lotado, um parque muito movimentado), jamais soltar a mão da criança. Em um segundo alguém pode passar e levá-la, já que, na inocência, muitas acompanham estranhos (que foi exatamente o que aconteceu no caso que comentei no início desse post). E aqui, me arrisco a defender o uso de um acessório que é normalmente visto com péssimos olhos: a tal da coleira de criança, que na verdade não é uma coleira, mas uma mochilinha que se coloca na criança e que tem uma cordinha que fica presa ao braço dos pais (ou segurada por eles). A maioria das pessoas olha torto para esse acessório, mas, na minha opinião, em locais com grande circulação, que facilmente uma criança pode se perder ou ser roubada, essa seria uma opção bem segura.
  5. Para as famílias que têm babás, a dica é que elas não usem uniformes para que não sejam facilmente identificadas. Também evite deixar o nome do seu filho muito visível em casacos ou mochilas, pois o sequestrador pode ler e chamá-lo pelo nome;
  6. Ao chegar em casa ou a algum lugar que você costuma ir com frequência, dê uma olhada se pessoas desconhecidas estão paradas na rua (elas podem estar tanto a pé quanto em carros) antes de parar. Se notar algo estranho, prefira dar mais uma volta no quarteirão ou chame a polícia;
  7. Ah, a atenção deve ser redobrada na hora de entrar ou sair do veículo. Sabe aqueles minutos que usamos para colocar ou tirar o cinto de segurança nas crianças ou ligar o carro? É nessa hora que os bandidos podem chegar;
  8. Portas sempre travadas. O mesmo vale para os vidros do veículo que devem estar preferencialmente fechados.
  9. Está em uma rua que tem farol? Se você avistou o sinal vermelho de longe, reduza a velocidade em vez de ficar parada no semáforo. Mas caso não dê para diminuir a marcha, escolha esperar na faixa central que é a mais segura para evitar assaltos e sequestros (mais difícil de acessar o carro, pois está mais longe da calçada e há outros carros em volta)
  10. Hum, vai estacionar? Nunca encoste demais no carro da frente, pois se precisar sair com pressa vai ser difícil manobrar;
  11. Evite comentar sobre a rotina da família, seja entre conhecidos e muito menos com estranhos (principalmente, preste atenção no que você posta nas redes sociais. Essas são uma das maiores fontes de informação para sequestradores. >>> Confira aqui as fotos dos seus filhos que você não deve postar nas redes sociais para garantir a segurança deles);
  12. Fique de olho toda a vez que seu filho acessar a internet. Veja que sites ele acessa, com que ele se comunica. Muitos sequestradores se aproximam das crianças através de redes sociais.
  13. Outro detalhe importante é jamais reagir. Claro que é difícil ver nossos filhos em perigoso e não fazermos nada. Mas o que os assaltantes ou sequestradores querem são bens materiais, então tente manter a calma nessa hora;
  14. E sabe por que devemos focar, principalmente, na proteção das crianças? Porque dificilmente os sequestradores vão ficar com o responsável pela família, pois essa é a pessoa que tem acesso ao dinheiro, então neste caso, os filhos acabam sendo o alvo.
  15. Por fim, em caso de desaparecimento, os pais devem fazer imediatamente um Boletim de Ocorrência. Ele é o instrumento que formaliza o início do processo de investigação da polícia.

Você tem outras dicas de segurança para dividir? Por favor, compartilhe nos comentários como ensina seus filhos a ficarem mais seguros.

*Com a contribuição de Niv Steiman, do GRUPO GR.

VÍDEO CANAL MACETES DE MÃE: Confira dicas para evitar o sequestro e roubo de crianças