Como aumentar a produção de leite

14 Dicas para aumentar a produção de leite


30 de julho de 2013

Uma amiga minha acabou de ter bebê e está às voltas tentando aumentar a sua produção de leite. Alguém já viu esse filme aí? Com certeza sim! E várias vezes.

Eu, inclusive, fui uma das que estrelei um filme com esse roteiro. Quando saí da maternidade, meu leite não havia descido ainda. Ele levou quase cinco dias para descer (quase fiquei louca por causa disso e essa minha tensão acabou piorando ainda mais as coisas) e quando veio, como costuma acontecer com quase todas as mães, ele não jorrava, mas dava um pingadinha aqui e outra ali.

Na época, tentei várias coisas para auxiliar no aumento da produção e depois de ter passado essa fase fiquei sabendo de várias outras que, na época, eu desconhecia totalmente.

Pois bem, hoje, venho compartilhar algumas dicas que podem ajudá-las nesse período inicial mais complicadinho. E quem tiver outras dicas para dar é só deixar nos comentários abaixo.

  • Fique calma:  primeira, mais importante e talvez mais difícil de todas as dicas é essa. Manter-se calma. Eu sei como é complicado. A gente quer amamentar, logo, urgentemente, o quanto antes, e aí ver que o leite não desce ou que vem pouco nos desespera. Mas não tem jeito, a calma vai fazer diferença nessa hora e você tem que tentar se tranquilizar. Pense que muitas mães passam por isso e que você não é única e nem que há algo errado com você. Tudo está certo, tudo é assim mesmo, o início é complicado e a calma e tranquilidade vão ajudá-la a superar.
  • Use compressas quentes para ajudar o leite descer: o que ajuda na processo da primeira descida do leite (a famosa apojadura) é o uso de bolsas ou compressas quentes sobre os seios. Faça isso algumas vezes ao dia e complemente com massagem (movimentos circulares com a ponta dos dedos das laterais do seio para o centro). IMPORTANTE: cuidado com as compressas quentes. Se o seu leite já tiver descido, ou seja, você já tiver tudo a apojadura, o uso dessas estratégias podem fazer com que ele empedre. Só faça isso se tiver certeza de que seu leite ainda não desceu. Ainda, você deixar a água quente do banho escorrer sobre seu seio para ajudar no processo de descida, também cuidando para não fazer isso depois que o leite já tiver descido pois corre-se o risco dele empedrar.
  • Amamente em livre demanda: quanto mais o bebê sugar, mesmo que saindo pouco leite, mais o peito irá produzir leite para saciar aquela demanda. Coloque o bebê para mamar sempre que ele pedir (ou seja, sempre que parecer que ele está chorando por fome) e deixe o mamar pelo tempo que quiser. Com o tempo, você vai produzir mais leite, ele vai pegar prática na técnica de sugar, vai ingerir mais leite e aí vai fazer intervalos maiores entre as mamadas.
  • Tome muita água: você precisa se hidratar para produzir leite. Assim, tome muita água antes, durante e depois de amamentar.
  • Alimente-se bem: você também tem que ingerir calorias suficiente para conseguir produzir leite na quantidade que seu filho precisa.
  • Durma sempre que puder: o descanso também ajuda na produção do leite. Sabemos que isso é difícil no início da maternidade, mas deve se tentar.
  • Use bombinha de sucção entre uma mamada e outra: quanto mais leite sair do seu peito, mais seu organismo irá produzir para atender a demanda. Por isso, alguns minutos após dar de mamar, tire leite usando a bombinha. É importante que não deixe passar muito tempo da última mamada para não atrapalhar a próxima. E o leite que foi tirado você pode guardar, para dar na mamadeira, caso necessário em algum momento, ou doar para algum banco de leite. Só informe-se direitinho sobre o processo de armazenamento do leite para não ter problemas.
  • Cuide para que a pega esteja correta: muitas vezes o bebê não consegue mamar direito não porque você não tenha leite, mas porque ele está com a pega errada. Ainda, essa pega errada pode acabar causando machucados no bico do peito e atrapalhar ainda mais a amamentação. Por isso, o ideal é você buscar informações sobre a pega correta junto ao seu pediatra, a amigas que já amamentaram, na internet, em bancos de leite (algumas cidades tem bancos maravilhosos e cujo atendimento é gratuito) ou até com consultoras de amamentação (algumas cidades também contam com esse serviço, só que é pago)
Imagem retirada do site Amamentar é Tudo de Bom
  • Cuide do seu seio: de nada adianta você produzir muito leite se o seu peito estiver machucado e você não conseguir amamentar. Aí a produção volta a cair. Aqui, a dica é tomar todo o cuidado com a pega correta mas, se por algum acaso alguns machucados e rachaduras vierem a acontecer, o ideal é usar sobre o bico do peito pomadas à base de Lanolina (eu usei a Lansinoh e ela é ótima). Você deve colocar a pomada no dedo e esfregá-la um pouco para amolecer. Depois, aplicá-la sobre o seio. Faça isso logo após cada mamada e em seguida já coloque a concha de amamentação. A conchá irá permitir que a pomada fique sobre o bico (e não saia na roupa) e também permitirá que o bico “respire” e se recupere mais rápido. Aqui outra dica: em vez de usar absorventes para seio no caso de excesso de leite, use essas conchas. Elas são muito mais indicadas, pois não abafam o peito como os absorventes.
Conchas de amamentação.
  • Procure um banco de leite ou o serviço de uma consultora de amamentação: não só por causa da pega correta, mas para todo um suporte e apoio para a hora de amamentar. Nos bancos, além de ensinar a pega correta, os profissionais dão dicas de como aumentar a produção de leite e, principalmente, ajudam a mãe a se sentir confiante para executar essa tarefa nem sempre tão fácil.
  • Converse com seu médico sobre remédio para esse fim: há medicamentos cujos efeitos colaterais levam ao aumento da produção de leite, pois estimulam o aumento da prolactina, hormônio responsável por isso. Esses medicamentos podem ser bem úteis no início, mas não devem ser tomados por conta própria jamais. Se você tem curiosidade e gostaria de experimentar essa alternativa, converse com o seu Obstetra ou com o Pediatra do seu filho que eles poderão ajudá-la passando a prescrição com a dose correta.
  • Converse com seu médico sobre o uso de hormônios: a ocitocina é um hormônio natural do organismo que é produzida no pós parto. Ela serve para estimular a contração das células musculares, o que empurra o leite para dentro dos ductos e o expulsa para fora dos alvéolos. Discuta com seu médico a possibilidade de você utilizar esse hormônio para ajudá-la no início da amamentação (esse hormônio é vendido em forma de spray e deve ser aplicado nas narinas em torno de cinco minutos antes da amamentar).
  • Use uma sonda para estimular a produção do leite: durante quase um mês eu usei a sondinha Mamamtutti para aumentar a minha produção de leite. No meu caso, as coisas funcionaram da seguinte forma: eu tinha pouco leite, o Léo vinha para o peito, fazia muita força para sugar, não vinha quase nada, aí ele caia no sono (o peito virava uma chupeta). Para que ele se mantivesse acordado mamando teria que sair mais leite e aí, saindo mais leite, ele sugaria mais e isso ajudaria a produzir mais leite ainda. A solução foi eu tirar o meu leite com a bombinha entre uma mamada e outra (o que também ajudava a produzir mais), colocar esse leite num tubinho e depois colocar nesse tubinho um caninho bem fininho que era encaixado na boquinha do bebê na hora que ele começasse a sugar o peito. Dessa forma, ele puxava o leite do peito e o leite que estava na sondinha, percebia que vinha um volume bom e aí continuava sugando. E esse processo todo acabou fazendo com que a minha produção de leite aumentasse. Eu já fiz um post sobre isso aqui no blog e se quiserem saber mais a respeito é só acessá-lo. Ainda, quem quiser procurar mais informações na internet, sugiro pesquisar pelo assunto “translactação” que irá aparecer bastante conteúdo.
Sondinha Mamatutti
  • Experimente o uso de chás: dois chás que são conhecidos por aumentar a produção de leite são o de funcho e o de erva-doce. Como são ervas que não fazem mal para o bebê (lembre-se, tudo que você ingere passa para o bebê através do leite), não custa tentar. Há ainda chás preparados, com várias tipos de ervas, que são comercializados para esse fim. Mas, nesse caso, o indicado é conversar antes com um médico para ver se ele indica o seu uso.

Importante: muitas vezes, algumas mães acham que não estão com uma produção adequada de leite quando, na verdade, estão sim. Isso ocorre porque muitas não vêem seu peito ficar cheio entre as mamadas, ainda estão inseguras com todo o processo e cobram-se um desempenho acima do esperado. Nesses casos, é importante saber que a mama não precisa necessariamente fichar inchada e com leite pingando para estar cheia, pois ela produz mesmo o leite que é consumido pelo bebê na hora da amamentação. Quanto à insegurança e a auto cobrança elas também são normais no início e por isso que a calma, a tranquilidade e o apoio da família e, principalmente, do marido são tão importantes.

Outra coisa que não pode deixar de ser dita: muitas vezes, por mais que a gente faça e tente, por “N” motivos que não conseguimos explicar muito bem, as coisas não saem como o planejado e aí recebemos a orientação do pediatra de dar complemento para o nosso bebê. Se isso acontecer, não se culpe nem se martirize. Inúmeras mulheres passam por isso (eu passei e comentei sobre isso aqui) e isso não fará de você menos mãe nem fará com que exista menos vínculo entre você e seu filho. O vínculo se cria de várias outras formas, principalmente amentando através de mamadeira, desde que se faça disso um momento gostoso e de troca de carinhos.

Assim, gostaria de concluir esse post dizendo que vale a pena tentar de tudo sim para amamentar seu bebê, devido a todos os benefícios da amamentação que todos nós já conhecemos, mas isso tem que ir até o limite de estar sendo positivo e benéfico tanto para o bebê quanto para a mãe. Quando esse ato passa a se tornar um peso, uma obrigação e um sofrimento (de tanto tentar, sem ver um retorno positivo isso pode sim virar um problema) é melhor a mãe buscar outras alternativas, já que ela precisa estar bem consigo mesma para cuidar bem do seu bebê.

Leia mais sobre esse tema:

Leia aqui no blog o depoimento de uma leitora, médica, que estudou para orientar outras mães no processo da amamentação e viveu ela mesma inúmeras dificuldades nessa tarefa. Veja o que ela tem a dizer as dicas que tem para nos dar.

Leia, nesse link, informações gerais sobre amamentação, resultado de um projeto desenvolvido pela ECA – USP.

Conheça o site SOS Amamentação.