Dicas para evitar acidentes domésticos | Macetes de Mãe

Dicas para evitar acidentes domésticos


21 de Março de 2013

Não tem jeito, basta o bebê adquirir um pouco de mobilidade para que a gente tenha que dobrar, triplicar ou quadruplicar a atenção dispensada a eles. Não precisa nem eles estarem andando ou engatinhando, é só estarem rolando que esses bichinhos já começam a se colocar em situações de perigo.

Essa semana tivemos dois pequenos incidentes aqui em casa. Terça o Léo caiu do sofá e ontem comeu um pedaço de uma caixa. Culpa de quem? Da mamãe aqui que olhou para o lado por um segundo.

Por sorte, não foi nada grave em nenhum dos dois casos. No primeiro, o da queda, quem mais se assustou foi ele, no segundo, fui eu, vendo ele quase se engasgar com o tal pedaço de papelão que despreendeu da caixa.

Bom, mas eu, que nunca havia passado por nenhuma situação de risco com o Léo, depois desses dois ocorridos, um atrás do outro, decidi duas coisas: redobrar os cuidados com o pequeno, que já não é mais tão inofensivo pois está começando a se locomover muito bem (esse bichinhos vão crescendo e tudo a nossa volta vai ficando mais perigoso, é aquela velha história das fases do videogame) e fazer esse post, falando sobre alguns cuidados básicos que devemos ter para garantir a segurança dessas figurinhas dentro das nossas casas.

Para montar essa listinha de alertas, recorri ao meu bom senso e a pesquisa em vários sites. Espero ter reunido uma relação bem completinha de coisas ajudam a evitar os temerosos acidentes domésticos com bebês.

1. Não deixe o bebê sozinho em cima de sofás, camas, trocadores, cadeiras, etc…. Ou seja, em cima de qualquer superfície mais elevada. Precisa dar uma espiadinha para o lado, para pegar o controle? Mão em volta da cria ou a coloque no chão. O Léo “pulou” do sofá porque eu me estiquei para o lado para pegar o controle da TV a cabo. Um segundo e ele fez “pof”.

2. Se você quiser dar uma de mamãe criativa e super sustentável, e criar brinquedinhos basiquinhos para o seu bebê usando caixas e embalagens vazias, tome o cuidado de escolher opções de materiais rígidos, que não podem ser roídos, mordidos ou mastigados pelos pequenos. O Léo papou a tampa de uma caixinha de cápsulas Nespresso. Quando ele não tinha dentinhos, já era perigoso. Agora virou caso de vida ou morte!

3. Instale grades de proteção nas janelas, sacadas, mezaninos e onde mais você julgar necessário. Elas são uma garantia a mais.

4. Não deixe móveis baixos próximos de janelas ou de móveis mais altos, como armários, guarda roupas, etc… Os bebês podem utilizá-los para escalar e aí o tombo é garantido. E vai ser feio.

5. Se tiver escada na sua casa o apartamento, instale um portão de segurança na parte de cima e na de baixo.

6. Evite tapetes escorregadios e cuide para que o chão não fique liso (molhado ou encerado demais, por exemplo).

7. Use protetores de tomadas em todas as tomadas. E desde muito, muito, muito cedo ensine seu filho a não tocar nelas.

8. Evite deixar fios elétricos soltos no chão e ao alcance de bebês e crianças. Tendo acesso a eles a criança corre o risco de tomar um choque, tropeçar, se enfortar, etc… Dramático, mas verdadeiro! Esse cuidado, na verdade, vale para todos os tipos de fios, não só os elétricos.

9. Cabos das panelas sempre virados para dentro do fogão. Um segundo que você está com o bebê no colo, ali pelas bandas do fogão, e ele pode passar a sua fofa mãozinha no que está em cima do fogão e aí o barraco está armado.

10. Armários baixo que contenham objetos perigosos dentro devem ser fechados com uma trava de segurança. OU melhor: sempre guarde objetos perigosos em locais altos, de impossível acesso.

11. Se na sua casa ou apartamento há algum objeto alto ou grande que pode vir a tombar com facilidade (tábua de passar, bancos altos, champanheiras  e vasos são alguns exemplos), é melhor tirá-los de circulação por um tempo.

12. Para um bebê se afogar basta 2,5cm de água. Isso significa que você não tem que ser cuidadosa apenas com a banheira, na hora do banho, mas com boldes, vasos sanitários, tangues, bacias, piscinas, tudo!

13. Cuidado com as altas temperaturas! Antes de oferecer um alimento ou de dar banho, teste se a temperatura da comida e da água estão adequadas. Ainda, cuidado quando você mesma for tomar um café, chá ou qualquer outra bebida quente próxima do bebê. E cuidado se for tirar algum alimento do forno ou do fogão. Evite passar com esse alimento próximo do bebê. PS: eu sempre tomo o maior cuidado quando tiro o esterilizador de mamadeiras do microondas. Vira e mexe o Léo está na cozinha, prefiro tirá-lo de perto e só depois mexer nisso.

14. Medicamentos sempre bem longe dos bebês (eles acham fofo, resolvem por na boca, engolem, e aí já viu!). Também nunca associe medicamentos a balas, doces ou algo gostoso de se comer (vai atiçar ainda mais a curiosidade pra quê?). Produtos de limpeza também devem SEMPRE ficar em locais altos e, de preferência, em um cômodo trancado, ao qual o bebê não tenha acesso. E dentro da embalagem original.

15, Cuidado com objetos pequenos deixados a fácil alcance. Se um bebê colocar algo como uma moeda, tampinha, bala ou até grão de algum alimento na boca (como feijão) pode se engasgar. Atenção redobrada às quinquilharias que são deixadas no chão.

16. Cuidado com a altura das tolhas de mesa. Se elas estiverem a uma altura que o bebê pode puxar, de pé, sentadinho ou de quatro, o que tiver sobre elas vem junto e aí o estrago está feio. Ou, se você optar por manter a toalha, nunca deixe em cima da mesa objetos pesados ou perigosos.

17. Se o berço do seu bebê é daqueles cuja grade sobe e desce, lembre-se de mantê-la levantada sempre que ele estiver dentro, mesmo que dormindo feito uma pedra.

18. Não deixe objetos soltos dentro do berço. Evite cobertores, edredons e qualquer coisa com a qual o bebê possa se sufocar (principalmente quando ele é mais novinho e ainda não se move com facilidade).

19. Não deixe ao alcance do bebê objetos que foram limpos com produtos tóxicos. Eles levam tudo à boca e esses objetos são um perigo nesse caso.

20. De novo, pois é tão importante que deve ser falado duas vezes: nunca deixe o bebê sozinho se ele estiver num ambiente não seguro, ou seja, em cima de alguma superfície da qual poderá cair, em um cômodo cheio de fios e tomadas não protegidos, próximo a objetos que podem tombar sobre ele, etc… depois que o bebê adquire a habilidade de se locomover, seja andando, engatinhando ou simplesmente rastejando, ele vira um perigo ambulante.

Para mais informações, acesse:

www.criancasegura.org.br
www.casamaissegura.com.br