Um mês do Léo na escolinha

Está fazendo um mês que o Léo está na escolinha, e como prometido, voltei para contar como as coisas estão andando nesse período de pós adaptação.

Como já comentei em outro post, a adaptação do Léo durou duas semanas (na verdade, seis dias, pois começou numa terça a na semana seguinte teve carnaval) e foi bem tranquila. Ele ficou super bem, não estranhou nada, e eu também encarei com naturalidade essa primeira experiência de separação.

Entretanto, a dúvida era como seria quando a adaptação acabasse, ou seja, quando ele deixasse de ficar lá só duas horas e passasse a ficar cinco. Pois ele já está nesse novo “regime” há duas semanas e segue correndo tudo bem, para ambas as partes (eu e ele, no caso!).

Findado o período da adaptação eu não fiquei mais na escolinha, ou seja, só o deixava lá e já estava liberada para vir para casa. Nos primeiros dias, mantive o celular a postos, pois qualquer problema que houvesse elas me acionariam. Mas, para minha alegria, até hoje, só me ligaram para dizer que eu havia esquecido de levar fraldas e que elas usariam  as fraldas que a escola tinha à disposição para esse tipo de emergência.

Todas as vezes que eu o deixei lá ele sempre foi com a maior alegria para o colo da professora (teve dias que até tchauzinho me deu) e sempre que eu cheguei para pegá-lo ele estava brincando todo faceirinho. Nunca deixei ou peguei o Léo chorando e em todas as anotações deixadas no caderninho dele constava que se alimentou bem, brincou e passou bem o dia.

O bicho só pegou num ponto, o qual o Léo sempre foi super sensível: a soneca diurna, e, nesse caso específico, a da tarde. Lá na escolinha, ele estava tendo dificuldades para dormir, estava dormindo pouco e, inclusive em alguns dias, nem pegando no sono estava.

Claro que essa situação fez com que euzinha aqui também perdesse o sono e que buscasse, junto com a escola, uma solução para o problema. O que fiz foi conversar com a coordenadora do grupo do Léo e unir forças com ela para lutar contra o probleminha do sono do meu pequeno.

Comentei com ela que o Léo sempre deu trabalho para dormir de dia e que se não for seguida uma rotina super rigorosa e certinha ele não pega no sono. Além disso, comentei que meu pequeno é curioso e empolgado, ou seja, se ele for deixado em contato com estímulos diversos próximo à hora de dormir, ele não irá pegar no sono mesmo. Também compartilhei com a coordenadora os macetezinhos que uso para ajudar o Léo a dormir em casa (dar uma fraldinha, fazer carinho nas costas, etc…) e informei o melhor horário para colocá-lo a dormir (o ponto ideal do sono dele).

Com base nisso, montamos uma estratégia e combinamos que ela seria colocada em prática a partir daquele dia e seria repetida religiosamente daquele momento em diante. O que definimos foi: o Léo tomaria a mamadeira, seria ninado por alguns minutos e colocado acordado no berço. A cuidadora daria a sua fraldinha e ficaria com ele até ele pegar no sono. Se necessário, faria carinho nas suas costinhas ou cabeça para ele ir relaxando. Se ele chorasse, ela o tiraria do berço e o acalmaria (essa de deixar o bebê chorando até dormir comigo não rola!) Diferente do que costumamos fazer em todas as refeições, após essa mamada não seria trocada a fralda do Léo, justamente para ele não despertar. Ele também não iria brincar ou passear por qualquer outro lugar da escola. Da sala de amamentação ele iria direto para o quarto do soninho.

Bom, com base nisso, foram feitas algumas tentativas e elas foram relativamente bem sucedidas. A partir desse dia o Léo começou a dormir na escolinha e, aos poucos, está dormindo mais rápido e por mais tempo. Do não dormir ele já passou para sonecas de 45 minutos e, considerando que estamos nessa prática há apenas uma semana, estou achando ótimo.

Mas a escola também foi responsável por incluir algumas adaptações nessa estratégia que eu sugeri. Eles mudaram o horário do sono do Léo (passaram para um pouquinho mais tarde) e incluiram um banho no ritual, o que achei ótimo, pois a água sempre relaxa o Léo. Agora, ele toma um bainho no meio da tarde, toma a mamadeira e depois é colocado para dormir. Pelo que me relataram, ele está pegando no sono rapidinho e agora só falta mesmo fazer com que esse soninho de 45 minutos torne-se um pouquinho mais longo. Mas acho que isso, com o tempo, acaba acontecendo. O que provavelmente ocorre hoje é que o Léo dá uma “micro” acordada, coisa super comum em bebês, estranha um pouco o ambiente, e aí desperta. Mas com o tempo ele já vai se sentir “em casa” no novo quartinho do descanso e irá embalar no sono novamente sem grandes despertares.

Bom, até agora só falei como andam as coisas lá, mas por aqui também tivemos mudanças. Vamos a elas…

Desde que entrou na escolinha o Léo ficou mais apegado a mim. Não sei se é coincidência ou não, mas no tempo que ele passa comigo passou a querer mais colo, mais atenção, mais carinho. Claro que eu tenho suprido essa “carência” dele e brincado bastante, levado ele passear, dado colo e por aí afora. Além disso, a gente voltou a ter umas noites mais “animadas” aqui em casa. No início achei que fosse 100% por conta da escolinha, dele estar estranhando um pouco a minha ausência em parte do dia e aí estar acordando à noite para ter a minha companhia, mas não posso garantir que seja isso mesmo, já que nesse final de semana que passou vimos que apontou o primeiro dentinho então essa alteração na rotina noturna também pode ser por conta disso.

Ah, e claro, como não poderia deixar de ser, o Léo já pegou o seu primeiro resfriado. kkkk! Nada grave e nada sério, mas ele está com o nariz escorrendo e com um pouco de tosse (resultado da coriza do nariz que acaba descendo ou subindo, sei lá…. mas que o faz tossir). Claro que também não posso afirmar que foi na escolinha que ele pegou, mas é algo que dá para supor, pois ele está em contato com mais crianças e, como todos sabem, elas são um depositinho de vírus e bactérias.

Bom, mas no geral, posso dizer que o resultado do balanço geral está super positivo. Percebo que o Léo está adorando a escolinha e que está super adaptado e, coincidência ou não, ele também começou a desenvolver novas habilidades, num ritmo bem mais acelerado que ele costumava ter. No último mês ele passou a se sentar sozinho a partir de diferentes posições, passou a rastejar, a ensaiar movimentos de engatinhar, a dar tchauzinho e a bater palminhas. Deve ter mais coisa, mas agora não me recordo.

Quanto a ele estar mais carente e com o sono mais agitado, não acho que isso vá durar para sempre. Acho sim que ele ainda está se adaptando à nova realidade e que, logo, logo, as coisas entram nos eixos.

O que importa mesmo é o bem estar e a satisfação geral dele e isso eu garanto que estamos alcaçando. O resto, aos poucos a gente acerta.

Leia mais sobre esse tema: 

O primeiro dia do Léo na escolinha
O que levar em conta na hora de escolher uma escolinha

5 comentários

  1. Adriana Franco

    Arthur sempre alterou seu sono com mudanças de rotina. Quando voltei a trabalhar, ele passou a acordar à noite. Durou 15 dias. Depois quando desmamou também voltou a acordar. Durou 15 dias mais ou menos. Depois quando foi para a escola também ficou um grude (e é até hoje, seis meses depois de ir para a escola e quase aos 2 anos de idade) e passou a não dormir bem por umas duas semanas. Hoje, estamos bem. Dificilmente acorda. Mas é normal sim. Eles também sentem saudades de nós e estranham a rotina, mas em pouco tempo passa tudo a voltar como era antes. Boa sorte!

    1. Adriana, é isso mesmo! Também acredito que com o tempo eles acostumam à nova rotina e tudo volta ao normal.
      Beijos e obrigada por deixar seu comentário aqui.
      Shi

  2. Olá… adorei o seu blog… e esse assunto tem sempre o que falar, tenho dois filhos (um de 9 e outro de 1 ano) o mais velho foi direto para o 1º ano, sem dificuldades de entrosamento… ja o mais novo, que é bem mais ativo, estamos pensando em pô-lo na escolinha… ele ja pede pra ir, sempre que vê o irmão indo para a escola, mas uma coisa é ele pedir, outra é ele realmente ir…
    Super beijo e se puder, visite o meu blog http://maede2meninos.blogspot.com.br/… ta rolando um sorteio do bem, de uma bolsa.
    Bina

    1. Sabrina, acabei de conhecer seu blog. Muito delicado! Parabéns! E deve ser uma loucura a vida de mãe de dois meninos, não é? Mas também deve ser uma delícia. Encheu meus olhos de água quando eu li a mensagem fofa que seu pequeno deixou no espelho. Lindo!
      Mande um beijinho para os dois. Beijos para vc também.
      Shi

  3. Cleide

    Bom dia….estamos passando por essa fase aqui em casa: também não sei o que é, mas está bem difícil. Minha pequena Tábata iniciou na creche dia 18 de maio….teve sua primeira gripe e começou a batalha:seu sonho se foi. Não dorme mais. Na creche, período integral dorme no máximo 1 hora. A noite, conosco chega a acordar pelo menos umas 7 vezes aos berros e toda vez quer mamar. Estou muito preocupada pois é no sono que eles se desenvolvem. Ela está com 6 meses. O que faço?

Deixe seu comentário