Doenças respiratórias mais comuns nesta época do ano e como evitá-las

bebe resfriado 1

Imagem: www.bebes.net

Mal e mal o friozinho começou a aparecer e o Léo já ficou resfriado. E esse resfriado evoluiu para uma bronquiolite e, quase, para uma pneumonia (e olha que sou uma mãe super zelosa!). Bom, em apenas uma frase eu acabo de citar três problemas: resfriado, bronquiolite e pneumonia, coisas bem comuns nessa época do ano, para desespero dos pais, já que os mais afetados são os bebês e as crianças.

Tendo passado por essa experiência (com direito a duas visitinhas ao pronto socorro mais infindáveis ligações para o pediatra do Léo), resolvi reunir no post de hoje algumas informações básicas que poderão ajudar papais e mamães a evitarem esses problemas, amenizarem seus efeitos e permitirem que toda a família passe com mais tranquilidade por essa fase complicadinha (quem viveu sabe bem do que estou falando. Ufa! Dá arrepiu só de lembrar).

Doenças respiratórias mais comuns em bebês e crianças:

Por que elas são mais comuns nessa época do ano?

Primeiramente, como já era de se esperar, devido às baixas temperaturas, depois, por causa da diminuição da umidade do ar e, por fim, por conta do aumento da poluição nos grandes centros. As baixas temperaturas também fazem com que as pessoas fiquem em ambientes mais fechados e com pouca ventilação e isso também ajuda na transmissão de vírus e bactérias, responsáveis por boa parte dessas doenças.

Quais são os principais sintomas?

Peito chiando, falta de ar, fadiga, tosse seca ou com secreção e dificuldade para mamar. Em alguns casos, febre e falta de apetite (Léo teve todos. Olha só que beleza!).

Quais as doenças mais comuns?

Gripe:

A gripe é causada pelo vírus da influenza. Caracteriza-se por um quadro de infecção mais intenso. Pode apresentar febre alta, dores no corpo, dor de cabeça e calafrios. Febre, diarréia, vômitos e dor abdominal também são comuns em crianças menores. Uma gripe mal curada pode resultar em sinusite ou pneumonia. Para evitá-la, o ideal é fazer a vacina contra gripe assim que ela estiver disponível nas clínicas particulares ou quando iniciar a campanha de vacinação do governo. Nesse ano, a campanha vacinou gratuitamente crianças de seis meses a dois anos de idade e foi realizada de 15 a 26 de abril. Agora, as vacinas estão disponíveis somente nas clínicas particulares. Se você ainda tiver alguma dúvida sobre a vacina contra a gripe, pode saná-la em outro post já publicado aqui no blog.

Resfriado:

O resfriado é uma infecção das vias respiratórias superiores, causada por vários tipos de vírus. Os bebês tendem a pegar vários resfriados porque o sistema imunológico deles trabalha com apenas cerca de 60 por cento da capacidade de um adulto, em especial entre os 6 meses (quando diminui a proteção do leite materno) e os 2 ou 3 anos. Alguns dos sintomas apresentados são febre, tosse, olhos vermelhos, nariz escorrendo e dor de garganta. A criança costuma ficar irritada e sem apetite. Quando têm menos de 6 meses, os bebês têm dificuldade de mamar se estiverem com o nariz entupido. A melhora costuma acontecer entre três e dez dias, mas em bebês muito pequenos pode levar até duas semanas. Saiba mais sobre esse problema clicando aqui. Para saber como amenizar os sintomas apresentados, acesse este outro post já publicado aqui no blog.

Bronquiolite:

A bronquiolite é, na verdade, uma inflamação nos bronquíolos causada pelo vírus sincicial respiratório (VSR). Ela costuma ocorrer mais frequentemente em crianças menores de dois anos e torna-se mais perigosa quanto mais jovem for a criança infectada. Dependendo da gravidade, o tratamento poderá necessitar de internação hospitalar. Os principais sintomas do problema são a respiração rápida e difícil, além de dificuldade para mamar. Saiba mais clicando aqui.
Imagem: Editoria de Arte/Folha Imagem

Pneumonia:

A pneumonia infantil é uma infecção ou inflamação aguda nos pulmões causada principalmente por vírus ou bactérias. O início da pneumonia viral caracteriza-se pelo acúmulo de catarro nas vias superiores e febre. Posteriormente, o problema chega às vias inferiores causando dificuldade respiratória e aumento na sua frequência. A respiração torna-se rápida ou difícil e a criança pode ter febre, dor no peito, perda de apetite e muita tosse. Já a pneumonia bacteriana caracteriza-se por um início repentino com febre, dificuldade respiratória e dor no peito.Nos dois casos, a respiração torna-se rápida ou difícil e a criança pode ter febre, dor no peito, perda de apetite e muita tosse, com ou sem muco. Saiba mais clicando aqui.

Formas de evitar essas doenças:

  1. Lavar as mãos frequentemente.
  2. Evitar que pessoas infectadas fiquem próximas do bebê ou da criança.
  3. No caso de familiares infectados que vivem na mesma casa, estes deverão usar máscaras de proteção (essas simples, que vendem em qualquer farmácia).
  4. Não levar bebês e crianças resfriados para escola ou creche. Além do repouso necessário para a recuperação, é importante evitar que a doença passa para outras crianças.
  5. Evitar sair de casa com bebês com menos de quatro meses de idade para lugares com aglomerações de pessoas.
  6. Vacinar o bebê acima de seis meses contra o vírus da gripe e manter as demais vacinas em dia.
  7. Fazer o aleitamento materno.
  8. Manter a casa e principalmente o quarto das crianças arejado e limpo.
  9. Não fumar e não permitir que se fumem dentro da sua casa.
  10. Umidificar os ambientes nos quais os bebês e crianças passam mais tempo.
  11. Fazer a limpeza frequente do nairzinho do bebê ou criança e mantê-lo sempre hidratado através do uso de soro fisiológico (o uso do soro antes mesmo da criança apresentar secreção ajuda a evitar a contaminação por vírus ou bactérias).
  12. Consultar sempre um pediatra e procurar evitar a ida ao Pronto Socorro sem necessidade (lá o bebê ou criança pode se infectar com outras doenças).

Fontes:

Veja outros posts similares:

5 comentários

  1. Tatiana Cali

    Mais uma vez vc se superou com as orientacoes … Uma pena que algumas familias nao compreendam a importancia de afastar os pequenos doentes das creches e escolas! Importante para a crianca que esta doente e tambem para as outras criancas nao adoecerem. Eles nao compreendem que esta atitude faz com que o virus fique circulando indefinidamente naquele ambiente e que voltarao a atingir seus pequenos! Cheguei a presenciar um casal tentando deixar seu filho que acabara de sair do Hospital com diagnostico de Bronquiolite, que pode evoluir de maneira muito grave! Pais, concientizem-se !!! Ja fui descontada no trabalho por faltar pois nao tinha com quem deixar minha filha ! E’ injusto, mas a vida e a saude dos meus pequenos sempre vem em primeiro lugar. E assim deveria ser com todos! Shirley, PARABENS !!! Bjs, Tatiana.

    1. Shirley Hilgert

      Olá Tati, obrigada pelos elogios! Vindo de você, que é uma profissional da área da saúde, eles são ainda mais valiosos.
      Pois é, esse negócio de escolinha é realmente polêico nessa época do ano. Apesar de eu amar a escolinha que o Léo estava, depois dessa bronquiolite feia dele optei por tirá-lo de lá e ficar com ele em casa até passar o inverno. Acho que foi uma boa decisão.
      Bjs

    2. Tatiana Cali

      Shirley, este problema esta em todos os locais em que ha aglomeracao e TODAS as creches e escolinhas possuem isso. Mas o que acho mais grave e’ a falta de consciencia dos pais … Nao ha creche que nao circule virus … IMPOSSIVEL ! Mas se houvesse mais consciencia, de que o problema pode voltar e mais grave PARA OS PROPRIOS FILHOS, talvez isso nao fosse tao grave! Beijinhos, Tatiana.

  2. Simplesmente Mãe

    Olá, pensei que o problema estava só aqui em casa com meus filhos, mas vejo que não. Obrigada pelas informações.

  3. Mônica

    Meu filhote ta gripado e isso ta sendo um tormento aqui em casa,porque nao tem quem faça o Breno tomar os medicamentos,conseguir fazer ele tomar é a mesma coisa de ganhar na loteria,ele tem só 8 meses ,ta complicado d+,tem alguma sugestao de como conseguir da remedios sem guerra no clrar?

Deixe seu comentário