O primeiro banho do bebê: um relato bem humorado

Antes do Léo nascer, uma das coisas que eu mais tinha medo era de dar banho nele. Fiz até curso de gestantes para aprender a arte de banhar um bebê. Depois, na maternidade, fui de pernas bambas dar o primeiro banho no meu pequeno, e ainda por cima com plateia.

Bom, mas para meu alívio, a experiência foi um sucesso. O Léo ficou quietinho, eu não errei a ordem das coisa e nem derrubei o pequeno dentro da banheira, e ainda fizemos imagens lindas desse momento sublime (apesar da cara de acabada que eu estava) .Claro que depois do sucesso dessa primeira empreitada, vim para casa toda pimpola, cheia de certeza de que eu sabia banhar um bebê e de que faria isso com o pé nas costas para todo o sempre (Como somos ingênuas no nosso início de maternidade. É só isso que eu tenho a dizer!).

Pois bem, não foi bem assim que as coisas aconteceram. Passado aquele momento de “tudo é simples, tudo é fácil”, que vivemos na maternidade, chegou a hora de encarar a vida real e entender um pouquinho melhor como funciona a luta diária de banhar um bebê.

Quem ainda não é pai nem mãe deve estar pensando a essa hora: “Nossa, como ela exagera!”. Mas quer ver como não é exagero não? Acompanhe comigo o relato abaixo:

Primeiro dia em casa. Hora de banhar o bebê. Você pega a criaturinha nos braços e segue em frente cheia de certeza de que já sabe fazer tudo certinho e de que nada pode dar errado. Afinal, lá na maternidade você já fez isso, tudo correu às mil maravilhas, a enfermeira até te elogiou, então… não tem como desandar a maionese. (PS: ahahahahaha! Jura!).

Bom, você vai para o banheiro e começa a organizar as coisas. Hum… pensando bem…. por onde começar? Ah! Sim, colocar a água na banheira. Ops, mas como? Do chuveiro ou tenho que esquentar no fogão ou no micro. E a água? Será que pode ser mesmo a da torneira? Afinal, o coto (vulgo umbigo) ainda nem caiu! Bom, vai de chuveiro mesmo. E “vamoquevamo”.

Aí você começa a colocar a água dentro da banheira. O chuveiro jorra, jorra, jorra, a banheira enche, mas quando você olha, o pato que está boiando dentro dela não sinaliza que a água está na temperatura certa (Uma observação: porque tudo relativo à banheira tem que ter cara de pato? Até o termômetro!). Seguindo… Você se pergunta: Oi? Como assim? A água está fria? Mas eu coloquei no máximo do quente! Sim, querida, você fez tudo certinho (até aqui) só que seu chuveiro resolveu dar pau justamente hoje e a água não esquenta. Ok. Você pede ajuda aos universitários e alguém corre para colocar a chaleira no fogão e trazer um pouco de água fervente para esquentar a banheira que parece que foi preparada para colocar um pé torcido e inchado a fim de desinchá-lo de tão fria que está a água.

Só que nesse meio tempo, seu marido, querendo se mostrar super pró-ativo, já resolveu tirar a roupa do bebê e o coitado começa a berrar de frio (claro, nesse dia, para sua sorte, faz 10 graus na cidade de São Paulo).

Nisso, te dá um ataque histérico e você começa a gritar com o pobre coitado perguntando porque cargas d`’agua ele resolveu despir o bebê. Aí ele, meio sem entender, responde: Porque você ia dar um banho nele. E você: Ah, sim, mas você não viu que a água não estava quente? Ele: Não, eu não vi, pois era você que estava cuidando disso.

Bom, enfim, deixa para lá. Foco na água. A água quente chega, você joga dentro da banheira, reza para agora se chegar numa temperatura aceitável, pois o bebê já está quase roxo, de chorar e de frio, e enfim consegue dar início ao processo.

Quando você pega o bebê nos braços para banhá-lo você já não lembra mais que mão coloca onde para manter o bebê firme, qual é a ordem de lavagem das partes do corpo, se começa colocando ele de barriga para cima ou para baixo, se deve usar alguma esponja, pano ou só a mão para lavar a criaturinha, isso só para enumerar alguns exemplos. Na verdade, você não lembra nada. Você nem lembrou de pegar o sabonete e, mais uma vez, grita e pede ajuda aos universitários (ainda bem que está toda a família em casa, pois assim, cada hora é um que corre para um canto da casa para catar alguma coisa que foi esquecida).

Assim que você aplica o sabonete na sua mão para lavar o bebezuco, o que já parecia difícil torna-se impossível. Segurar um bebê todo molenga e ainda escorregadio, tendo o agravante de que ele berra-sem-parar-por-nenhum-instante-e-isso-já-está-te-deixando louca, é para causar depressão pós-parto em qualquer uma.

Você tem vontade de acompanhar aquele pranto e chorar junto, mas engole o que tiver que ser engolido e segue o baile. Terminha o banho (nunca imaginou na vida dar um banho tão de gato num filho que você jurou cuidar com tanto carinho e zelo) e tira o bebê da banheira correndo (segurando como quem segura uma monte de roupa molhada para torcer, tamanha o seu jeito para a coisa). Só que aí tira o bebê da banheira para o quê exatamente? Para secá-lo, é claro! Só que cadê a toalha? Junto com o sabonete a toalha também foi esquecida. Nessa hora é a hora de algum primo distante correr para o quarto e trazer a toalha como se estivesse entregando o bastão para o próximo corredor da equipe.

O marido segura a toalha, você não sabe se dá o bebê para ele ou se pede para ele jogar a toalha sobre o bebê e, a essa altura do campeonato, a pobre criaturinha já está batendo um papo mental com Deus e questionando por que, Santo Deus, ele teve que cair justamente nessa casa de desajustados. Pobre anjinho.

Nisso já deve ter se passado quase uma hora desde que vocês entraram no banheiro. Apesar do frio, vocês estão suados até o dedão do pé (tamanho estress e trabalho) e o que não molhou pelo suor foi encharcado pela água que teimava em espirrar a cada braçada descontrolada que você dava dentro da banheira.

Vocês seguem com o bebê nos braços até o quarto e lá começam a vesti-lo. Levam, mais ou menos, mais uma meia hora para colocar tudo porque tem certeza que se fizerem qualquer coisa errada o bracinho irá se deslocar e a perna se desprender e vocês não querem correr o risco de passar a noite no pronto socorro e a vida toda se culpando por essa tragédia.

Bom, depois de tudo isso feito, o bebê vai para a cama e vocês respiram aliviados pensando que foi tudo um caos simplesmente porque se tratava do primeiro banho e que depois dessa forte experiência vocês estarão prontos para o que der e vier no quesito higiene íntima de recém nascidos.

Ah! Santa ilusão. No dia seguinte, o carnaval recomeça: vocês esquecem de mandar consertar o chuveiro e volta a novela da água no fogão, em vez do sabonete e da toalha, dessa vez, o que é esquecido é a fralda e a pomada para assaduras e você, com tanto medo de derrubar aquele bebezuco dentro da banheira,  quase atora o braço dele fora tamanha força que faz com o polegar e o dedo indicador em volta dele (para segurá-lo firme, mais firme que você o seguraria se estivesse prestes a cair de um precipício).

E aí você pensa que esse caos é só no começo, que com o tempo você decora tudo que tem que deixar preparado antes do banho começar (não é pouca coisa!) e que logo logo ele também estará firmesinho e sentadinho e que aí tudo será mais fácil.

Ahahahahahaha! Leeeeeedo engano! Lembram da história das fases do vídeo game? Aqui na questão banho ela se repete. Quanto mais o tempo passa, maior se torna o desafio. Pois é só você ter um bebê firmesinho e que já senta (ufa!) para também ter um bebezinho que bate as mãozinhas na água e respinga litros e litros desse líquido para todos os lados, para tentar puxá-la para dentro da banheira (coitado, ainda não entende a lei da física, de que dois corpos não cabem no mesmo lugar), para se agarrar no chuveirinho e fazer manobras como se fosse o Tarzan e por aí afora.

Mas isso, esse negócio de como as coisas vão ficando mais complicadas no banho de um bebê conforme ele vai crescendo, é um assunto que terá que ficar para outra ocasião, se não, isso aqui deixará de ser um post e virará um verdadeiro tratado.

Acho que deu para ter uma idéia do desafio, certo? Se alguém quiser testar na prática antes do pequeno chegar a fim de evitar transtornos de última hora, sugiro pegar um polvo vivo, ensaboá-lo e tentar banhá-lo, e depois vesti-lo. É mais ou menos assim.

PS: isso é uma obra de ficção, apenas baseada em alguns fatos reais. É claro que há um exagero cômico proposital aqui, então não achem que eu sou louca por fazer de um simples banho o fim do mundo. Ok? (é sempre bom explicar, né! Vai que….)

Veja outros posts similares:

Siga o Macetes de Mãe no Instagram e acompanhe diversas dicas e inspirações: www.instagram.com/macetesdemae

 

37 comentários

  1. Gisa

    Hahahaha, estamos na fase do Tarzan!! O Murillo não quer mais ficar sentado na banheira, então ele se apóia na tampa do trocador, levanta e puxa o porta “coisas” do box…daí o negócio, que já não está muito firme, vai pro chão com tudo dentro, inclusive o sabonete líquido do bebê, que beleza!! E qdo vc não consegue abrir a tampa do sabonete (molhado) com uma mão só?? Até já escrevi para a Johnson’s sobre isso, que por sua vez agradeceu pela manifestão, que ótima resposta!!

    A idéia do polvo ensaboado foi perfeita, esse é o bebê que tenho no momento, rs!!

    1. Shirley Hilgert

      Nossa! Detesto as embalagens de sabonete líquido. Tanto que só uso sabonete em barra. Bem mais prático. Beijos! Adorei seu comentário. Shi

  2. Adorei seu post! Estou de 39 semanas e me diverti com seu humor a respeito do primeiro banho! Em breve serei eu a dar banho no meu pequeno polvo…rs…ou melhor polva! Bjs

    1. Shirley Hilgert

      Boa sorte com a polvinha. No fim, a gente dá boas risadas e se diverte. Garanto. Bjs

  3. Gisele

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ri demais!!! No meio do “exagero comico” tem grandes verdades!!! kkkkk

    1. Shirley Hilgert

      Ah! Com certeza! Esse post foi super inspirado em história real. :-) Bjs

  4. Vanessa Sayão

    Hahahahaha… É exatamente assim. Eu no 1º banho em casa levantei cheia de disposição, o maridão ainda esta dormindo e fui eu achando que ia ser molezinha. Engano meu! Fiquei toda enrolada, tive que acorda-lo pra me ajudar, e depois disso só dei banho nela aos 20 dias de tanto trauma que tive… Sorte minha ter um pai super presente e solicito que deu os banhos nela. Depois que ela fez 2 meses (hoje ela esta com 6), me mostraram o banho de chuveiro que agora é o que reina lá em casa, rsrs… A banheira esta sendo usada só como trocador!!!

    1. Shirley Hilgert

      Nós costumamos dar banho de chuveiro quando viajamos. É uma delícia. Mas aí quem dá é o pai, que é mais experiente na técnica. Bjs!

  5. Lucinha

    kkkkkkkkkk ri demais e lembrei do 1 banho da marilia, em casa. Fez coco, eu e meu marido entramos em panico, frio caos, ele deixou a agua quente demais, ela berrando já sem roupa.

    gritei p meu marido: pega uma agua temperatura ambiente, mas tem de ser filtrada (TODO MUNDO ME DIZIA Q ATÉ CAI UMBIGO A TAL AGUA TINHA DE SER FILTRADA MEGA MASTER PLUS LIMPA)…e ele: tem de ser filtrada??? (EM CHOQUE)
    temmmmm respondi eu aos berros pq ela berrava tanto q a voz tinha de ser bem alta…

    no panico o q ele fez: PEGOU UM GARRAFA DE 1,5 LITRO DE AGUA MINERAL…cara, DAQUELAS BEM CARAS MESMO…KKKKKKKKKK

    HJ esse episodio é motivo de piada na familia, q ela é tão chique q até banho com agua mineral ela tomou…rs rs

    1. Shirley Hilgert

      Ahahahahah! Adorei a história. Certeza que todas as casas tem relatos hilários sobre esse momento meio apavorante. Bjs!

  6. Denise

    A minha história foi assim, quando sai do hospital minha irmã deu o primero banho,achei legal ele chorou um pouquinho.
    Quando cheguei na minha casa eu e meu marido fomos dar o primeiro banho, arrumamos tudo direitinho só que na hora do banho eu segurei o bebê e ele também ai caimos na risada e surgiu a seguinte frase do meu marido:
    Dá o sabonete pro nenÊ e ele se lava, rsrsrs, depois foi muito tranquilo mais a primeira vez é muito engraçada

    1. Shirley Hilgert

      Amei a frase! Vou ver se tento com o Léo amanha. kkkk! bjs

  7. Vanessa

    Eu não consigo nem saber que tipo de banheira comprar, imagine quando for dar o primeiro banho… Hahaha! Muito bom o post.

    Fiz um sobre o meu dilema com a escolha da banheira no http://casacozinhaefraldatrocada.wordpress.com.

    Beijos. Adorei o humor!

    1. Shirley Hilgert

      Sabe que eu decidi rapidinho a banheira? Acho que foi porque eu nem sabia que tinha esse monte de modelos que vc fala no post. kkkk! Bjs

  8. nanicoloneze

    Caramba, morri de rir aqui!
    Eu aqui em casa uso uma redinha que prende na banheira. Ajuda muuuuuuito!

    1. Shirley Hilgert

      Já ouvi falar da redinha, mas nunca experimentei. Quem sabe no próximo eu não tente?! Bjs

  9. Mari e Léo

    hehehe, adorei o relato, bem uma aventura!
    rsrs
    =)
    bjos

    1. Shirley Hilgert

      Não contei no post, mas depois de dois banhos trágicos em casa chamamos a sogra para dar os próximos dois. kkk!

  10. Fer

    Tu é o máximo…ri muito, com minha bebe aqui no meu colo, lembrando dos primeiros banhos…
    Ela chorava como se estivessemos matando a criatura…hahaha
    Ate nem foi tão desastroso, estava tudo sempre à mão..temperatura controlada..mas o nervoso do meu marido com o choro dela era demais…ele suava em bicas…durante um mes, mais ou menos, ele ficava de pernas bambas depois de cada banho..kkkkk…

    Bjssss

    1. Shirley Hilgert

      Jura que ele ficava nervoso? Ahahaha! Tadinho. Bjs

  11. Ju Solak

    hahaha, Shi, vc consegue relatar o que todas nós passamos (pelo menos a maioria).. Ri muito!!!!
    Agora meu pequeno Polvo, nao quer de forma alguma sentar na banheirinha, e lá vai a mãe se “adaptar” a mais uma forma de banho… rsrsr…

    Adorooo…

    1. Shirley Hilgert

      O meu também faz manobras radicais dentro da banheira. Afff! Haja forças para domar a fera! kkk!

  12. Será que sou o único pai que comenta por aqui??? rs
    Adorei o post. Muito engraçado e muita coisa real.
    Bom, o primeiro banho da Agatha que nós demos foi em casa, no hospital era só no berçário, já vinha limpinha e cheirosinha!!!
    Uma coisa sempre me incomodou, toda minha familia (tias, avós, primas etc) não cansavam de se gabar: “O primeiro banho do fulano fui eu quem deu”. Desde jovem, já pensava comigo: “Meu bebê, primeiro banho é a mãe quem vai dar, se ele não quiser, SOU EU!!!”

    E assim foi, o primeiro banho minha esposa deu, até foi tranquilo. É dificil por ser uma primeira vez, mas deixamos TUDO arrumadinho antes de tirar a roupa dela. O segundo banho, já foi o papai aqui!!! rs

    E realmente, conforme cresce, parece que fica mais difícil, a bebê fica mais pesada, se mexe mais, mas é uma sensação gostosa demais.

    Daquele dia em diante, hoje a Agatha está com 4 meses, se eu estou em casa, quem dá banho sou eu. Não perco uma oportunidade de fazer alguma coisa com ela.

    Novamente, parabéns pelo blog e pelo post que foi muito engraçado!!!

    1. Shirley Hilgert

      Fábio, tudo bem? Adoro comentários de pais! Pena que eles são tão raros. Para ser sincera, nem meu marido comenta nada aqui. kkkk!
      Mas para você não achar que ele é um desnaturado (risos), afirmo que é ele também que dá o banho no Léo sempre que pode (quando chega mais cedo, quando viajamos…).
      Ele e o Léo adoram. Acho super importante essa participação dos papais. Parabéns por ser um pai tão presente. A Agatha é uma sortuda. :-) (Por sinal, lindo nome!)

    2. Que bom Shirley!!! Estarei sempre comentando por aqui, você vai ver!!! rs
      Eu vejo que os pais raramente se pronunciam em algo em relação aos filhos. É sempre a mãe. Gosto de escrever sobre isso. Sobre como está sendo essa minha vida com minha pequena!!!
      kkkk … que bom que ele participa, acho importantíssimo.
      Obrigado e parabéns ao seu marido por fazer isso tbm, já que é ainda mais raro do quer ver os pais comentando algo.
      Obrigado … nome que eu escolhi a muitos anos atrás, em homenagem a uma grande escritora AGATHA CHRISTIE!!!

  13. Viviane Cervati

    Minha mãe queria dar o primeiro banho do bebê e eu fiquei chateada, afinal eu queria dar o primeiro banho… agora estou em dúvida, HUAHUAHAUHAUH XD

  14. huahuahua!!! Adorei o post… Na maternidade que o Davi nasceu, o primeiro banho quem deu foi o papai (aquele 2 hs depois do nascimento), com a ajuda da enfermagem, no hospital também fui super bem no banho. No dia que chegamos do hospital, quando a minha família terminou a sua visita, isso já era umas 22hs, o papai foi dar o banho, e não é que o moleque teve o seu primeiro mergulho? O papai errou a mão na hora de virar o Davi de barriga pra baixo, e eu terminei e ensinei como fazer. Agora damos risadas, mas na hora foi um sustão!
    Ah, o termômetro aqui é um peixe!

  15. Andre

    Adorei a sua estória…minha filha tomou o primeiro banho em casa ontem…foi uma aventura com muito pânico…minha esposa foi molhar o cabelinho da nossa filha depois de passar o sabonete infantil e sem querer exagerou e acabou caindo água com sabão no rostinho e nossa filha acabou engolindo um pouquinho dessa mistura…apesar dela ter engolido só um pouquinho, engasgou e no final do banho ela tava fazendo bolhinha de sabão pela boquinha…acho que não deve ter tido problema pra saúde nela, né…abraços!!!

    1. Shirley Hilgert

      Andre, tudo bem? Eu não saberia responder. Teria que checar com o pediatra. Bjs

  16. luciana

    gente adorei morri de rir.eu nao tive problemas com o meu filho(tinha 18 anos) e estou gravida do 2,mas teve muitas amg que eu tive q socorrer(pq elas pediram ajuda claro!) mas cada mae tem suas dificuldades e suas facilidades.eu por exemplo guase desmaei guando meu filho foi fazer o teste do pezinho e eu chorava(ta bom choro ainda)guando ele vai tomar vacina.eu sei sou louca kkkkk

  17. Adrielle

    Ai meu Deus kkkkkkk, morri de rir com todos os comentários e ainda mais com o seu relato Shirley, relato esse que me fez lembrar de uma amiga me contando uma vez q estava dando banho no seu filho, ele tinha um mês ou dois, não lembro, ela lá toda feliz dando banho no menino e ele sempre dava um showzinho nessas horas, nesse dia ela tava la dando banho ele dando um show e do nada ele parou de chorar e fico quietinho, e ela dando graças a Deus por isso, tá lá ela lavando o bumbum do menino qdo percebe pq ele parou de chorar….tava com a cara dentro da água!!!!!!! Ela entro em desespero na hora mas ele tava super bem, afinal foi só por uns segundos q isso aconteceu, mas hoje ela lembra e ri e diz q nunca mais deu banho com ele estando de bruço kkkkkkkkkkkkk eu morri de rir quando ela contou, mas morro de medo na hora de eu ter dar banho no meu bebê que esta a caminho, comentei desse medo com meu marido e ele todo solicito disse q não era pra me preocupar q ele faria isso sem problemas :D só espero pra ver como ele se sai pq ele não tem jeito nem pra pegar uma criança no colo, quem dirá dar banho rsrsrsrsrs

    Obs.: Adoro seu blog Shirley :D

  18. Leila

    Hahahaha
    Adorei! Hj o Davi esta com 1 ano e 7 meses… E os banhos são uma aventura! Água para todo lado e o chuveirinho em vez de só ajudar, acaba virando uma “arma” rsrsr
    Adoro o shampoo da Johnson, mas no meio da bagunça, ele realmente fica impossível de abrir… Ainda mais quando precisamos fazer tudo com apenas uma das mãos!
    Com o frio, os banhos tendem a ser mais rápidos. Mas no verão, aproveito esse momento para brincar ainda mais com meu pequeno! Uma toalha no chão (ou ate mesmo os tapetes de EVA) para eles não escorregarem e alguns brinquedos e fazemos a festa!
    Beijos

  19. Talita

    ¨trazer a toalha como se estivesse entregando o bastão para o próximo corredor da equipe.¨kkkkkkkkkkkkkkkkkk imaginando a cena!!! adorei e é bem por aí mesmo =)

  20. karen slompo

    Eu morro de rir com seus relatos!! Confesso que me vejo em muitas situações que você descreve…
    O primeiro banho da Milena em casa até foi tranquilo, e até hoje é. Ela ama tomar banho e fica toda relaxada…
    Mas o mais engraçado, que eu sempre penso que devia ter alguem lá prá tirar uma foto, é quando ela tá peladinha, eu levanto ela prá colocar na banheira e ela faz AQUELE cocô em mim! Eu fico sem reação…. não sei se seguro, se solto, se ponho no trocador que a essa hora tá forrado com a toalha limpinha, se vai pra banheira….
    Mas eu “prefiro” que faça nessa hota do que quando já está na banheira!
    Porque será que isso só acontece quando a gente está sozinha e tem que se virar em vinte pra segurar o bebê, pegar toalha, lavar a banheira e encher de novo???

  21. Renata

    Ótimo… Amo o blog. Me identifico demais pois, vejo que não é só comigo que acontecem essas aventuras> Antônio está com 1e4 e não quer mais sentar na banheira, não posso tirar o chuveirinho dele nem tirar debaixo do chuveiro. Pra colocar roupa então? Aff. E como você falou, quando terminamos de vesti-los já estamos todos molhados, de suor, é claro. Bjos

  22. Dayane

    RI MUITOOO kkkkkk imagino como vai ser comigo daqui alguns dias kkkk

  23. Jaqueline

    Ri litros… meu bebê já tem 13 meses e durante um bom tempo quem dava o banho dele era minha mãe pois eu fiquei com trauma, quando na maternidade quase arranco o bracinho dele de tão forte que segurava e ele começou a chorar, não sabia a ordem das coisas e a auxiliar ficava atrás indicando tudo que tinha que fazer… mas claro… ela já deu banho em mais de 1000 bebês e eu estava na minha primeira experiência… ao término do banho o bebê já roxinho de frio, enrolado na toalha 1, passa pra toalha 2 e começa a vestir… gente… desisti e só quando ele já estava com quase 2 meses criei coragem e até hoje amo dar banho no meu pequeno… mesmo ele puxando mangueirinha, derrubando água pra todo lado… É uma experiência maravilhosa.

Deixe seu comentário