Resoluções de ano novo (ou como estou tentando colocar a vida em ordem novamente)

Nossa! Coisa estranha esse post em pleno mês de junho! Certeza que deu pau no sistema, que a blogueira se confundiu, que o blog foi invadido por hackers.

Não, nada disso aconteceu. E sim, esse é o título certo.Hoje vou falar de resoluções de ano novo. Das MINHAS resoluções do MEU ano novo. Sim, por que quem é que foi que disse que o ano tem que começar no dia 01/01? O ano, fase, momento ou período começa quando a gente bem entender. Basta a gente querer marcar uma mudança, uma passagem, uma transformação.

E é isso que eu vou fazer hoje. Vou encarar o dia de hoje como o início de um novo ano. E pode ser um ano mesmo. Até me comprometo a daqui 12 meses, no dia 19 de junho, abrir esse post e ver o que eu fiz de diferente e produtivo nesse período.

Mas porque resolvi fazer isso hoje? Assim, do além, da minha cabeça de mãe louca? Não. Resolvi porque ontem terminou uma fase de doideira, correria e de certa bagunça na minha vida (na verdade, muita). Ontem entreguei o TCC da minha pós-graduação e ele foi a última coisa que faltava eu concluir antes de tentar reaver parte da minha antiga vida de volta. Era isso que eu havia me prometido.

Vou explicar melhor…

Há quase um ano e um mês atrás o Léo nasceu. E desde que ele veio ao mundo minha vida virou de pernas para o ar (nenhuma novidade até aí). Primeiro foram os fatídicos três meses (aquela coisa pouco sono, muito choro), depois os perrengues da APLV e na sequência os inconvenientes da escolinha (resfriados, viroses, inúmeras visitas ao pronto socorro,…). Seguindo, veio a troca da escolinha pela babá, o treinamento da babá e a adaptação do Léo a ela. Completando o pacote, a organização do niver de um aninho dele e, assim que passou a festinha, um mergulho de cabeça nas águas turvas e geladas do TCC da minha pós-graduação. Ah, claro, já ia me esquecendo! No meio de tudo isso, um blog, uma página no Facebook, dois grupos nessa mesma rede social (Grupo de Discussão e Feirinha), um perfil no Instagram e dezenas de emails e mensagens diárias para responder. E como sou humana, claro, não fujo à regra e ainda tinha uma casa para tocar, um marido para agradar e um novo negócio para começar.

E foi isso mesmo. Basicamente, nesse um ano e um mês desde o nascimento do Léo eu só corri. Raras foram as vezes que parei, respirei e tirei tempo para fazer coisas que antes da sua chegada eu não me imaginar sem: correr, ir ao cinema, ler um livro, só para citar alguns exemplos.

Só que agora, é um novo momento. A babá já está treinada, o Léo adaptado a ela, a festinha de um aninho passou (e até as fotos já foram entregues) e, completando o que faltava, o TCC foi entregue e devidamente apresentado. #prontoacabou!

Agora, eu não tenho mais desculpas para tudo aquilo que ficava sonhando fazer só que não colocava em prática por falta de tempo. Agora, eu preciso é me organizar e começar, pouco a pouco, a ter uma vida “normal” novo, de mãe que trabalha, se diverte, se cuida, namora e é feliz em todas as áreas da sua vida, e não só naquela super, hiper, ultra, mega importante que chamamos de maternidade.

Assim, neste ano novo, prometo que eu vou voltar a correr, voltar a ler, me alimentar melhor, ir mais aos lugares que gosto (cinema!!!! eeee!), ser mais vaidosa (tô precisando), ser mais organizada, aproveitar mais momentos a dois, encontrar mais com amigos e me dedicar mais ao Macetes de Mãe (sim, isso também está nos meus objetivos. Para noooooooosa alegria!).

Pois é, achei que não fosse necessário fazer uma listinha de resoluções para se ter uma vida normal (ou vocês acham que eu coloquei coisas super diferentes aí em cima?), mas depois da chegada de um baby, as coisas mudam um pouco.

Para algumas, essa retomada da vida que se tinha antes (não completamente, porque isso não existe, mas parte dela), é mais fácil, mais tranquila e acontece mais rápido (esses dias encontrei minha vizinha que teve filho há seis semanas, indo linda e maravilhosa ao cabeleireiro e quase morri de inveja). Mas comigo não foi bem assim. Demorei para me acostumar à minha nova vida, essa é que é a verdade. Levei tempo para não sofrer horrores a cada novo probleminha que o Léo tinha, a não achar um bicho de sete cabeças fazer programas comuns levando ele junto, a conseguir incluir ele na minha rotina e não o contrário.

Mas hoje, que as coisas com ele estão mais sob controle, que eu conto com a ajuda de uma pessoa nos cuidados com ele e que eu já estou mais “curtida” nessa experiência tenho a obrigação de voltar a olhar para mim de novo.

Bom, espero que mais esse desabafo público sirva para colocar algumas pulguinhas atrás da sua orelha, para mexer um pouquinho naquilo que há algum tempo já devia ter sido mexido e para, quem sabe, levá-la a iniciar um novo ano.

E desejo a todas que se lançarem nessa aventura (sim, porque voltar ao “normal” nem sempre é tão simples quanto parece), um feliz ano novo! :-)

PS:
Tenho certeza absoluta que terá um penca de mamães lendo esse post e dizendo: “Peloamordedeus né! A criatura teve  filho há um ano atrás e ainda não conseguiu organizar a vida? A, por favor, deve ser lesa!”. Mas não é bem assim, como disse lá no começo, cada mamãe tem sua história de vida, sua personalidade e sua experiência com a maternidade. Algumas tiram tudo de letra (ó a minha vizinha aqui), já outras levam um pouquinho mais de tempo para se adaptarem a essas mudanças tão extremas e significativas.

Se você gostou desse post, experimente esses:

O nascimento e os sentimentos desperados
Em 2013 eu quero ser menos mãe
O lado B da maternidade: por que se fala tão pouco sobre ele?
Maternidade: ajeita de um lado, desanda do outro

17 comentários

  1. Loanda Tavares

    Excelente o seu post! Não acho vc lesa não, rs.
    O foco é tão grande nessa nova vida, que acabamos esquecendo, que nós, mães, tbm temos uma vida paralela…. precisamos comer, tomar banho… e tudo isso fica em segundo plano. Algumas ficam assim a vida toda, e outras, como vc, como eu, e outras tantas, “acordam” a tempo de “viver”… e isso não significa que amamos menos nossos pequenos…

    1. cassia afroditte

      Gostei…boa definição.
      Acho que a vida de mãe é uma vida paralela, mesmo!

  2. Cacah Barreto

    Meu nome é Carolina e sou novíssima aqui. Nem preciso dizer o qto me identifiquei, com a diferença de q minha pqna tem 2 anos e 8 meses… Devido q depois das minhas férias eu voltaria a me,dar prioridade. Mas estou com calma, um dia d cada vez. Espero conseguir!

  3. Karol Pace

    Pode deixar que eu não vou criticar vc por ainda não ter “voltado ao normal” com sua vida. Este processo p mim, como p vc, foi bem difícil. Meu bebê tb tem APLV. Meu Deus como foi difícil. A primeira vez q fui ao cabeleireiro depois do parto o André já estava com quase 2 anos e meio. Foi neste momento que fiz a adaptação na escolinha, cortei meu cabelo, fiz as unhas com uma professional (não um quebra-galho comigo mesma), me matriculei na academia, etc. Amo ser mãe, amo meu bebê, mas esses dois anos não foram fáceis!

  4. cassia afroditte

    Oie,
    Chorei agora,
    Vi que vc não é lesada, e também acho que não sou.
    Devemos mesmo voltar a ter as redeadas das nossas vidas e cada mãe tem um tempo. Acredito nisso como cada criança tem o seu tempo para tudo.
    Eu tenho um Leo e já fazem 04 anos e ainda não estou voltando ao normal.
    Em 04 anos tive dois emprego, um marido, duas casas, um filho, uma avó e avô, mtas toalhas, muitas obrigações, uma pós, uma operação do Léo e nenhum tempo para a Cassia…mas na verdade faria e acredito que todas as mães fariam tudo de novo.
    Mas tenho que esse dia chegará pra mim e pra todas e estarei muito felizes por tudo que passamos.

  5. Maiara S. Quintino

    Ameii, me identifiquei mto, minha filha vai fazer 1 aninho esse mes, e ainda naum consegui ter uma rotina certa. Tbem com o tempo passei a deixar de lado todo o cuidado que tinha comigo, mais em momento algum me arrependo de ter tido ela, mais esse ano tbem vou voltar a fazer o que sempre fiz. Vou voltar a academia, mudar o visual.
    Estava me sentindo mto mal, pensando assim,talvez com medo de voltar a viver, deixar um pouco as coisas de lado, mais depois que li o texto que vc escreveu me senti bem melhor.Obgadoo. Bjoss!

  6. Katherine

    hahaha eu tive o meu a 4 anos e ainda não voltei ao ritmo kkkkkkkkkkkk
    tentei trabalhar fora de novo…não deu certo…não tinha com quem deixar o Sam e o salário nao dava pra pagar babá/escolinha integral…aí desisti….me formei na faculdade esse ano…tinha trancado quando fiquei grávida (tava sem grana também…) eu consigo fazer QUASE tudo o que eu fazia antes,mas confesso que muitas coisas que eu fazia antes não tenho mais vontade de fazer agora….
    Nunca fui vaidosa então nesse quesito nao mudei nada haha continuo indo de pijama e pantufa no mercadinho da esquina…continuo nao usando maquiagem e nao fazendo as unhas no salão….Mas digo que esses 4 anos (ate agora…hehe) que estou em casa com meu pintinho estão sendo ótimos…trabalho em casa…e ele vai pra escola a tarde ..consigo ajeitar a casa,ler e fazer as coisas que eu preciso sem stress…=D

  7. Carolina Ornellas

    Idem, idem, idem para tudo!! Somos duas “lesas”, então…rsrs!

  8. Vanessa sayao

    M RAVILHOSO Shi… Tambem estou tentando organizar minha vida! Ao fim dos 5 meses retornei ao trabalho colocando minha bebe na escola. A escola para mim e para ela foi perfeita mas tambem passei pela fase dos virus pegos na escolinha e agora depois de 3 meses de escola isso passou, ou eu estou mais relaxada, rs! Resolvi sair do trabalho, coisa que eu nao abria mao, mas depois que somos maes repensamos tudo e nada e mais pau a pau, e agora estou retomando minha vida. Minha filha continua na escola me dando mais liberdade de realizar minhas atividades, retomei a faculdade, a academia e a habilitacao que esta mais do que na hora de eu providenciar! Estou me dedicando mais a casa, ao marido, em fim estou retomando a minha vida, aos poucos mas chego la!

  9. Erica

    Nossa q bom, achei q era só eu q largou mao de td pelo fiho!! Tb estou acabada c meu TCC e um espantalho de tanta falta de cuidado!!! =/ Mas assim q apresentar o trabalho, vou tirar férias c marido e filho na casa da mamãe, aproveitar e descansar um pouco, já que lá tem bem mais gente p me ajudar. Qto a sua vizinha, ela deve ter mta ajuda, só pode rsss, a gente q se vira sozinh é dificil mesmo, eu não me culpo mais. bjss amo o seu blog :)

  10. Gisa

    Essa volta às origens é absurdamente difícil, porém não impossível. Aos poucos tb estou retomando minhas atividades, comecei segunda-feira passada voltando a frequentar o centro espírita que me faz tão bem. Equilíbrio é essencial e atualmente está um pouco em falta na minha vida. O próximo passo será voltar a praticar alguma atividade física, afinal meu marido (que não é bobo nem nada) já está se exercitando na nova academia do clube e eu estou morrendo de invejaaaaaaaa, rsrsrs!!

    O que a gente precisa é criar coragem, aprender a delegar funções e confiar em nossos maridos/babás ou quem quer que seja que nos auxilie. Coragem, colegas!!

  11. Mãe da Loly

    Lesada?? Minha filha tem 2 anos e eu não consegui voltar a vida “normal” ainda… rs
    Mas assim como na sua vida, e na de tantas outras, as mudanças foram muuuuitas por aqui!!! Hoje ainda não dá pra começar “meu ano novo” mas pretendo começar em breve!!! ;)
    Beijos,
    Dani
    maedaloly.blogspot.com.br

  12. ANA PAULA Pillmann

    Nossa… Chorei agora!!
    Entendo perfeitamente tudo o que vc disse… Não te acho lesada, assim como todas as outras mães. O meu bebê tem quase a mesma idade do Léo, completou 1 ano e 1 mês ontem.
    Na verdade, a chegada do Arthur na minha vida mudou totalmente minha rotina!!
    Logo no retorno de minha licença maternidade, como ainda acontece com muitas mulheres, fui demitida do meu trabalho… Além disso, em função de alguns problemas de saúde durante a gravidez, tranquei a faculdade faltando apenas 5 disciplinas para eu me formar, agora, sem emprego fica impossível retornar aos estudos.
    Como pode ver, foram muitas mudanças, incluindo no pacote todas as outras que vem junto com a chegada dos nossos pequenos.
    Sempre procuro pensar que Deus sabe o que faz e que tudo vai voltar ao normal no seu momento certo! Acho que meu ano novo não começa hoje, mas quem sabe muito em breve!

    Abraço!!

  13. barbara miura

    pelamordedeus ne, entao lesa sou eu q ha 16 meses nao escrevo um blog, nao fiz uma pos, nao alimentei pagina em face nem em instagram, raramente vou ao cabeleireiro (so para o corte extremamente necessario), unha entao… nem se fala.
    tentei voltar a caminhar mas nao rolou com o pequeno.
    como parei de trabalhar e nao consegui voltar ainda, por enqto nao deu p/ coloca-lo na creche nem ter babar por causa de grana e nao tenho as avós por perto p/ respirar um pouco, entao meu “ano novo” ainda nao rolou rs, mas tudo bem, aos 41, me esforço p/ as vezes nao pirar com a maternidade exclusiva e curtir (mas as vezes dou uns gritos p/ desabafar rsrsrs)
    portanto, parabens por tudo o que conseguiu fazer ate agora e boa sorte no novo ano!

  14. Tatiana Cali

    Hahaha !!! Eu sou normal !!! Rs. Muito bom !!! Sabe, hoje conversando com minha cunhada que ainda nao tem filhos fiquei meio assim com o que ela colocou: “So quero um filho, nada mais, pois nao estou disposta a abrir mao da minha vida por causa de filho! Gosto de comprar roupa pra mim, sair a noite, beber com os amigos e viajar muito. E um filho tem que se encaixar nisso!”. Confesso que eu nao sabia se ria da inocencia dela ou se ficava chocada! CLARO que a vida vira de pernas pro ar !!! Ou ela sera como sua vizinha ou nao sei nao …rs. Bjs e “Feliz Ano Novo”!!!

  15. Mariana

    Shirley !!!!!!!! Eu sempre me identifico com muitas situações que você expoe aqui, Sinal que somos todas normais kkkk Primeiramente parabéns pelo TCC …. trabalho feito ! E vou entrar no seu novo ano novo …. também tenho uma lista de coisas para fazer, mudar , fazer acontecer na verdade !! A Bibi mudou muito nossa vida, nossa rotina e confesso que até hoje , mesmo ela já com quase 2 anos ainda estamos aprendendo, e sempre revendo decisões. Feliz Ano Novo ! bjs.

  16. Gabriela Cecília

    Ameiiiiiiio e saiba apenas de uma coisa, suas palavras me ajudaram muito para COMEÇAR UM NOVO ANO. Amanhã voltarei correr… e tenho certeza que a minha alto estima voltara tb.

Deixe seu comentário