Um breve relato da experiência de introduzir papinhas para um bebê (Humor)

Há alguns anos atrás, recebi um e-mail beeeeeeem engraçado, que relatava em detalhes o que pessoas sem filhos deveriam fazer para aprender a ser pais. Na verdade era a descrição de um treinamento bem heterodoxo, bim bizarro mesmo (e debochado, é claro), que ensinava a dois seres perdidos no mundo e no universo (os futuros pais) todas as técnicas para alimentar, dar banho, vestir e colocar para dormir as criaturinhas que estavam para chegar. Até hoje me recordo da técnica sugerida para se preparar para a hora de dar papinha para o bebê. Era assim: pegue uma melancia, amarre numa corda. A outra extremidade da corda você prende no teto. Em seguida, faça um furo na melancia. Depois, dê uns tapas nessa melancia, deixe-a rodando pelo ar e aí tente colocar colheradas de comidas dentro do buraco que você fez. Pronto! Depois de treinar por, mais ou menos, sete dias, você estará pronto para alimentar um bebê.
Bom, com a minha experiência, posso dizer que tem um detalhe errado nessa técnica. Se eu fosse relatá-la eu faria tudo igual, só diria: esqueça o furo! Vá tentando enfiar uma colherada de comida dentro da melancia sem que haja um buraco para isso.
Sim, minha gente, porque é exatamente isso que acontece. Quando a gente passa para a terceira fase da alimentação dos nossos amados rebentos (a das papinhas salgadas), aquela para a qual já vamos cheias de dedos e nós, morrendo de medo que eles não aceitem, eles resolvem que não vão aceitar mesmo e aí … f u d @ % !  Eles  N Ã O   A B R E M   A   BOCA  por nada nesse mundo!
Sim, são raras, são quase objeto de estudo, aquelas mamães que não passam por nenhum perrengue na hora que vão introduzir papinha salgadas. Para as demais, as reles mortais, a vida é mais ou menos assim:
Então você vai na consulta de rotina do pediatra e lá ele dá o aviso: agora, mamãe, vamos passar para a introdução dos salgados. É muito simples, você cozinha o legume x, y, x, esmaga com um garfinho e oferece para seu bebê na colherinha (ok, aqui a descrição está bem resumidinha, porque, na verdade, você sai de lá com tanta informação do que fazer, como fazer, por quantos dias fazer, que acha que deveria ter levado um maço de papel sulfite para notar tudo. Só que como esse não é o foco da conversa, resolvi resumir e seguir o baile).
Aí você chega em casa, e começa a confusão: Qual era o ingrediente que ele mandou eu dar primeiro mesmo? Eu posso misturar o X com o Y? Por quantos dias tenho que dar? Misturo água? Só esmagar com o garfo ou passar na peneira também? Passar tudo? E posso bater no liquidificador? Ai, não lembro! Isso se você ainda não ficar na dúvida se cozinha na água, no vapor, no tal do BabyCook, na grelha, num buraco com braza aberto no chão… enfim… dúvidas e mais dúvidas, porque é uma fase importante, você quer acertar, e está tão insegura quanto o seu próprio bebê ficará dentro de algumas horas, quando colocar pela primeira vez uma coisa pegajosa na sua boquinha que até aquele dia só provou líquidos e frutinhas (isso se ele aceitou as frutinha, né!).
Bom, papinha feita, hora de alimentar o pequerrucho. Você pega a criaturinha, coloca um babador daquelas ultra, mega, super, hiper preparados para catar até asteróide que cai do céu, quanto mais resto de papinha que despencou da colher e vai com fé. Com muuuiiiiiiitttttta fé porque te disseram que a mãe que vai com medo, vai cheia de dúvidas, vai achando que vai dar tudo errado é cagada de urubu e dá tudo errado mesmo. Então você vai cheia de fé! Quer dizer, acha que vai.
Assim que a criaturinha é colocada no cadeirão (ou carrinho, ou cadeirinha compacta, ou o escambau) ela vê um objeto longo, colorido, com uma caca em cima (e não é nenhuma das suas frutinhas) vindo em sua direção e tentando se aproximar da sua boca. Enquanto isso, a mãe faz cara de doida, emite uns barulhos estranhos, e diz que aquele negócio bizarro trata-se de uma aviãozinho (oi? mamãe tomou ácido na noite passada?). Moral da história: a criatura se apavora com aquela tensão e novidade toda no ar e resolve não abrir a boca. Resolve não abrir a boca POR NADA DESSE MUNDO (por isso que eu falei da falta de furo na abóbora! Agora você entendeu, né!?).
E você, que já estava preparada para ver seu filho provar três ou quatro colheradas e não gostar do novo sabor, tem que refazer o seu mind set (ou seja, reorganizar as suas ideias) e aceitar que antes dele não gostar ele não quer sequer provar. Ai Jesus! Para isso você não estava preparada. Nada preparada!
Aí, nesse ponto, a maionese desanda mesmo! Você já começa ter um ataque se perguntando porque a criaturinha não quer abrir a boca, se é só seu filho que faz isso, se os filhos dos outros também fazem ou já fizeram. Po fim, você desiste de dar a comida e cata o telefone, liga para a mãe, a amiga, a sogra, a parente distante e pergunta: o que eu faço? ele não quer nem provar! Ou então, corre para a internet, pesquisa no Google, pesquisa nos blogs, pesquisa nos grupos do Face, e entra em desespero total. Meu filho não come! (detalhe: você está só começando!).
Bom, com o tempo você descobre que se der algum brinquedinho atrativo a criaturinha vai abrir a boca para colocá-lo dentro e aí você aproveita a deixa, faz uma manobra de corredor de fórmula um, ultrapassa a mãozinha do seu pequeno que estava levando o brinquedo para a boca com a sua que empunha uma colher cheia de papa em cima e invade a boca dele antes dele pensar em se defender. E assim você vai fazendo, e assim ele vai experimentando, e assim você vai achando que ele vai comer. Só que a inocência (sua e dele) dura pouco, e em poucas colheradas ele descobre seu truque e volta a não querer mais abrir a sua doce boquinha como se disso dependesse a paz mundial.
Aí você tenta outras técnicas, todas que pode imaginar para que ele aceite melhor a comidinha maravilhosa que você perdeu horas preparando no fim do seu glorioso dia (exatamente naquele momento que você queria mais era estar deitada, de pernas para o ar, descansando da correria das últimas horas – que pareceram últimos dias, de tão intensas). Entre as técnicas estão: dar mais quente, dar mais fria, dar na temperatura ambiente, esmagar mais, esmagar menos, fazer metade esmagada, metade passada na peneira, metade batida no liquidificador, mudar os ingredientes, diminuir os ingredientes, colocar sal, tirar o sal, dar em outro pratinho, dar com outra colher, trocar o cadeirão, trocar o babador, trocar a pessoa que dá a papinha e, por fim, se render à Galinha Pintadinha.
Sim, tem casas que o negócio é tão feio que só recorrendo à penosa para a criança ficar totalmente hipnotizada e aceitar qualquer coisa que venha em sua direção (coisa que, minha gente, é totalmente errada, mas que com certeza, no momento do desespero, qualquer uma recorre, pelo menos uma vez na vida).
E assim o negócio vai indo. No início, parece um daqueles reality show de sobrevivência, dos quais você tem certeza que será eliminada na próxima semana, mas com o tempo vai melhorando, a ferinha vai cedendo e as comidinhas vão, pouco a pouco, sendo aceitadas.
Claro que nisso, você já quase arrancou seus cabelos, optou por alimentar seu filho com shakes ou sonda ou pensou em dar o peito para o resto da vida. Mas faz parte e um dia passa. Mesmo que seja quando ele tiver 18 anos ou mesmo que o passar seja evoluir para um estágio onde ele só coma banana e salsicha. Mas que ele vai comer, ah vai! Um dia vai!
PS: pessoal, não há necessidade de vocês ficarem morrendo de dó de mim porque eu não passei por todo esse relato super exagerado aí de cima. O Léo, até que foi bonzinho para comer (principalmente se formos comparar para o caos que foi amamentá-lo). O relato é só uma visão exagerada e bem humorada para trazer um pouco de graça para o nosso final de semana.
Se alguém tiver alguma situação engraçada, inusitada ou bizarra para relatar, inclua nos comentários abaixo que, quanto mais motivos tivermos para rir, melhor para nós (afinal, não dá para ficar só com a parte ruim da desgraça, é preciso também saber rir dela).
Beijos e um ótimo final de semana para todas!

49 comentários

  1. Raíssa

    Oi Shirley! Muito bom o texto e me diverti lendo… realmente a gente faz algumas manobras no início para eles aceitarem a comida e a gente se sentir menos MENOS MÃE por passar horas preparando com todo o amor e carinho e ter que jogar fora depois com gosto de fracasso! Mas eu já me sentia menos mal por saber que minha mãe, que eu era o bebezinho cheio de vontades (ou falta delas), chegava a preparar 3 tipos de papinha para o caso de eu não gostar da primeira e da segunda… coitada, eu dei mais trabalho do que minha filha me deu.
    Mas as vontades de nossos rebentos não param na papinha ou comidinha, depois que eles crescem um pouquinho, já acham que são gente e que podem decidir suas vidas!!! E uma das coisas que deixam a gente louca é quando temos que vesti-los para sair, com hora (ou falta dela) e eles resolvem que querem brincar de não-deixar-a-mamãe-colocar-a-calça/meia/sapato… é um tenta aqui, perna pra lá e risadinhas que deixam a gente maluca!
    A mais atual da minha pequena Juliana de 2 anos e 4 meses é que agora ELA é que empurra o carrinho no supermercado e eu e meu marido não podemos seque encostar no carrinho para tentar desviar da senhora que está passando ou das gôndolas dos produtos que a Ju tem um ataque e dispara: “Não mãe, nãããoooo! Deixa ela!”
    É, pai e mãe (muitas vezes mais a mãe do que o pai) merecemos o troféu Rainha/Rei da Paciência, mas certamente esses momentos nos rendem muitas risadas e histórias para contar né!

    Beijos!

    1. Shirley Hilgert

      Exatamente isso. Agora a gente sofre, mas depois isso vira muita história para contar. Adorei seu relato. Beijos! :-)

    2. Daniela Fiório

      Graças a Deus não tenho problemas com meu filho,até hoje tudo que eu ofereci ele aceitou muito bem!”
      No primeiro dia da papinha salgada ele já comeu tudinho,ele é bom de boca!rsrs

    3. Luciana Grange

      Adorei o texto!!! Ri muito… do texto e de mim! Minha florzinha, a Hortênsia, completou 6 meses semana passada e estou instruída a começar com as papinhas salgadas. Pior é que não sou uma mulher de cozinha se é que me entendem…. então comprei um multiprocessador e estou crente que ele será meu aliado. Agora estou correndo atrás de receitas p seguir o protocolo (adoro protocolo, afinal, sou uma pesquisadora!!!) mas descobri que os bebes detestam protocolos, ou melhor, adoram só p poder quebra-los aafffff… Mulheres mães deste Brasil e desde blog: torçam por mim!!!!! Abraços.

      1. Shirley Hilgert

        Estou na torcida! E adorei o comentário do protocolo. Realmente, bebês adoram quebrá-los. :-) bjs

    4. Daiana

      Kkkkkkkkkkkkkk….tô chorando de rir. Me identifiquei com cada vírgula do texto. Passei por todas experiências relatadas, além de mudar o cadeirão de ambiente. Até na grama do quintal eu tentei alimentar o Murilo, que até hoje ainda faz jogo duro comigo. Prestes a completar 10 meses ele ainda não janta, mas almoça bem. Dureza viu gente. Mas, me alivia saber que não é exclusividade nossa. Ufa!

      1. Juliana Maia

        Poxa… ainda bem que eu li essas coisas, já estava com vontade de chorar. 9 meses e depois de começar a dar as verduras, a pédiatra disse que eu tina que aumentar as proteínas pq está ganhando pouco peso. Pronto. Regressao total. Se nao for fruta, nada feito. Ela nao aceita nenhum grao – feijao, lentila, grao de bico… Ta dificil!

  2. Para o Theo isto nao esta nada exagerado… nove meses e ainda estou tentando as frutinhas… rsrs… Até a mamadeira eu já recorri, mas em vez de sugar ele morde e assopra o bico. .. melhor de tudo é o tal do tapinha na colher… voa comida pela casa inteira!!!! Aiai… mas vamos que vamos….

    1. Shirley Hilgert

      Nossa, como esqueci de incluir no relato esse narração da comida voando pela casa? Nossa! Como isso acontece! Bjs. Adorei sua contribuição. Shi

  3. Ludmila Félix

    Tô chorando de rir aqui! Não tenho nenhum relato engraçado… Miguel só não gostou da primeira papinha salgada que foi substituída por um purezinho de abóbora que ele adorou…

    Tomara que venham relatos legais, pra como vc mesma disse, a gente se divertir bastante!

    1. Shirley Hilgert

      Que sorte, Ludmila! Manda um beijinho para o Miguel e diga que ele está de parabéns por papar super bem. Bjs!

  4. Fer

    hahaha…muito bom !!…e ainda têm o bônus: a minha abria a boca, deixava eu colocar uma boa colheradinha e depois fazia: brrrrrrrrrrrr…era papa pra tudo que é lado !!
    Ainda encontro “respingos” nos móveis !!…nem o babeiro que segura asteróide adianta !!

    Mas passou…agora ela come super bem, só que de noite eu ainda tenho que dar uma distraidinha…ela fica com um brinquedinho na cadeirinha…pque senão é um gritedo só !!!..mas aí eu acho que é pque ela já tá ficando com sono !!!

    Sorte à todos…e vamos que vamos…sem perder a fé e a paciência ( tá bom…às vezes a paciência vai pro alto, junto com a colher cheia de comida que levou um tapão…

    Beijos a todas !!

    1. Shirley Hilgert

      Pôxa, esqueci do “brrrrrr” no meu relato! Como isso? Com certeza isso rola, e muito. Aqui em casa tb! Ehehehe! bjs

  5. O texto é bem engraçado mesmo, mas informo que eu NÃO tive problemas para iniciar os sólidos. Na primeira vez que passei a colher na frente da boquinha dele, ele já abriu e cada colherada vinha acompanhada de “Hummmmm!!!”. Era muito engraçado… Hoje (com quase um ano) ele já não faz mais “Hummmm!!!” mas ainda come e experimenta tudo que a gente oferece…

    1. Shirley Hilgert

      Que tudo Virgínia! Depois ensina para a gente a técnica! Beijos!

  6. Me ri toda aqui, no trabalho… acho que estão pensando que sou louca!
    Mas olha, eu não tive problemas com os sólidos… Nina experimenta tudo sempre e gosta. A única coisa que ela não gostou, até hoje, foi de papinha de biscoito maisena com leite. Odiou! E eu achei que ela ia adorar!
    Mas ela, às vezes, dá uns tapas na colher e voa tudo, pra tudo que é lugar!
    Afe!!!!

    1. Shirley Hilgert

      Eita sorte, menina! Coisa boa!
      Na verdade, meu Léo tb não é dos piores para comer, mas tem dias que dá umas surtadas e aí o negócio encrespa. kkk! Bjs

  7. Nossa, to iniciando o suco e a frutinha… Já to penando aqui.. Quero nem imaginar depois! Depois vou procurar aqui no blog se tem alguma dica pro início que estamos passando. Bebê que só mama no peito tem suas dificuldades né! rs

  8. Carol Marcondes

    Tive muita sorte com meu pequeno, come de tudo… tudo mesmo, a papinha salgada desde o primeiro dia come, claro q teve cara feia um pouco de choro, mas passada a primeira semana de adaptação tudo se encaixou.
    Hj ele só recusa comida o dia que está com sono,ou entediado de ficar no cadeirão. mas eu recorro a galinha nesses dias e em 80% das vezes funciona…rs

    1. Shirley Hilgert

      Putz, sono sempre atrapalha, né? Aqui tb é assim. Bjs! Adorei a contribuição. Shi

  9. Nem comecei ainda essa fase e já me vi em papo de aranha com o relato ahahah! Mas com esse bom humor tenho certeza que vou lembrar na hora desse texto, respirar e tentar de novo! :) \Muito bom!

    1. Shirley Hilgert

      Isso mesmo! O segredo está em tentar de novo, e de novo, e quantas vezes precisar. Bjs e mta boa sorte! Shi

  10. Anonymous

    Você relatou a minha casa na época da papinha, eu engordei 4kg, pq ele não comia e eu com dó comia tudo tudo, rsrsrs o Vincius sempre foi ruim de papinhas salgadas, para mim a fase mais stressante foi a da papinha, ele não comia, eu sujava a cozinha a cada 3hs, muita louça, era inverno em uma cozinha apertada e roupa sem secar, o q acontecia, para não virar um Nardoni telefonava ensandecida e meu marido vinha almoçar me casa para apaziguar a situação ! ! ! Mas até hj às vezes rola um stress ele é ruim de comer, hj em dia é arroz com salsicha, não sei o seu, mas o meu é de época, tem mês q é só macarrão, outro sopa da minha sogra q mora a 25km de distancia, e assim vai, mas se vc gosti o q eu vou fazer (= o comercial do sustagen). Adorei o seu post me vi nele, ou melhor os seus posts atuais, mais engraçados/leves(depois da fase inicial) estão bem parecidos com a minha realidade… de Viviane Rodrigues

    1. Shirley Hilgert

      Pois é, nossos pequenos são de lua. O Léo tem dias que é uma draga comendo. Se eu der três bananas de uma vez, vai, se der 300g de papinha, tb vai. Mas já em outros resolve que não está a fim. Vá entender! kkk! Bjs

  11. Anonymous

    muito bom! chorando de rir! na luta das papinhas! #paciencia #perseverança #fé

  12. Danae Bianco

    Estou passando por isso nesse exato momento!!!! Há 10 diss começamos as frutas e ela não abre a boca!!! Nem com brinquedo, gracinha da mãe, pirueta da irmã maior, salto mortal do pai, nada. E qdo milagrosamente consigo colocar um pedacinho de mamao lá dentro ela faz uma cara de desespero total e acaba deixando a comida sair da boca. Já tentamos papinha salgada e foi igual. Se alguém tiver alguma luz…

  13. ARIANE ABAD

    Muito bom!!!!
    A papinha voando, kkkkkk!!
    Isso quando eles resolvem limpar aquela linda carinha melada na nossa roupa!!
    Boa noite!!!!

  14. nanicoloneze

    Ai meu Deus! Está marcado para começar HOJE a papinha salgada do Luca e dou de cara com esse texto! Ri muito aqui, pelo menos vou fazer o teste aqui em casa mais relaxada rs

  15. Georgia Carmo

    Cara, ri muito! E fiquei com muito medo também… Maria Clara fez 4 meses e iniciamos as papinhas doces com um relativo sucesso. Maaaaaaaaaaaaaas, e as papinhas salgadas? *tremendo de medo*

  16. Anonymous

    Shirley, amei seu texto, pude rir bastante … ja que de chorar to cansada… Pra minha realidade, seu relato nao foi NADA exagerado… tenho ate coisa pior pra contar pq meu filho nao abre a boca, claro, mas qdo uma das táticas de enganá-lo e introduzir a colher dá certo, ele abre a boca a chorar desesperadamente, como se eu tivesse colocado purgante na boca dele… Ele ja ta com um ano e meio e ainda nao come nenhuma comida salgada, so algumas frutas, leite, pães, bolo, biscoitos…. imagina minha frustração… mas continuo tentando todos os dias!! Como vc disse, um dia ele há de comer!! Bjos, Paula.

  17. Ellen

    Me identifiquei com cada virgula kkkk Tô na fase do desespero já e querendo amamentar meu filho até os 18 anos!!!!

  18. Anonymous

    Hahaha ri muito, minha filha de 6 meses aceitou bem as papinhas salgadas, mas sempre tem “aqueles dias” que só a galinha pintadinha resolve!

  19. Larissa

    Oi Shirley, descobri ontem o teu blog e adorei os teus relatos. Muito bem escritos e bem humorados.
    Esse texto achei interessante porque eu moro há 11 anos na Alemanha e tive aqui meus dois filhos. O primeiro tem dois anos e meio e a segundinha 5 meses. Aqui com as papinhas é ao contrario, comeca-se pelas “salgadas”, ou seja, dando os legumes. Comecei há 3 semanas a dar papinhas para a minha pequena. Primeiro dá-se os legumes mais “docinhos” como cenoura, depois cenoura com batata. Depois passa-se para outro legume, como abobora e brocoli.
    Só depois que o bebe já esta comendo bem a papinha de legume é que se passa para os mingaus, e por ultimo vem as frutas.
    Bem ao contrario do Brasil, né?
    Com o meu primeiro filho eu achei isso meio esquisito, mas depois até achei bom, pois assim ele se acostumou logo a comer legumes e até hoje nao tem problema com isso.
    Eu também tenho um blog, mas devido as circunstancias (duas criancas) nao consigo ser tao ativa nos meus posts. Meu blog se chama http://www.brasanha.com
    Continue escrevendo, está ótimo!
    um abraco,
    Larissa

  20. Bárbara

    Nossa ri muito aqui. Não tive muitos problemas para introduzir alimentos diferentes para a minha filha, tive que começar pela papinha passada na peneira até a introdução de alimentos maiores, mas teve papinha voando pela casa toda, chão, armários tudo sujo de comida. Agora com 1 ano e meio a moda de Carol agora é mastigar, deitar no chão, cuspir e tornar c

  21. Bárbara

    Nossa ri muito aqui. Não tive muitos problemas para introduzir alimentos diferentes para a minha filha, tive que começar pela papinha passada na peneira até a introdução de alimentos maiores, mas teve papinha voando pela casa toda, chão, armários tudo sujo de comida, hoje come de tudo até brócolis e com uma cara boa é como se tivesse comendo chocolate. Agora com 1 ano e meio Carol adora mastigar, deitar no chão,cuspir e comer a comida novamente. Não sei mais o que faço para tirar essa mania dela.
    Abraços.
    Bárbara

  22. rhayssa

    eu to comecando agr e ja qro pular pela janela!! kkkkkk

  23. Alessandra

    Aqui sou do time das mamães raras que não sofreram nada com a introdução alimentar. O rapazinho aqui come tudo, tudo mesmo, sem cara feia pra nada!

  24. Edilaine Ferreira de Souza

    Boa tarde!!
    Dei muita risada com o post de hj. O meu Arthur geralmente come bem, come dois tipos de frutas por dia. almoça, ainda não janta. Mas há alguns dias esta ruim para comer, fecha a boquinha e não tem galinha pintadinha e nem Pepa que faça-o abrir.Não me desespero ofereço outro alimento e assim vou levando.

  25. Juliana

    Fazendo xixi de tanto rir! Eu estou passando por TUDO isso com minha Maria… Ela estava comendo numa boa e há dois dias, fechou a boca e não abre por naaaaaaaaaaaaaaaaaaada! Troquei o potinho, a papinha, a textura, a colher, a posição, as piadinhas, as brincadeiras, comi junto, to ficando louca… Desisti e botei no peito… Tá mamando… Amanhã é tentar de novo! UFAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  26. Dayane Monteiro

    Puxa vida sou super sortuda a Maryane come de td que é oferecido a ela ..O choro começa mesmo é qnd acaba a comida e agora com 5 meses começou a querer comer sozinha eu deixo já que ela consegue acertar a boca kkkk O problema aqui é mamadeira é como lutar UFC com uma mini contorcionista kkk boa sorte mamães na batalha diária!!

  27. Thálytta

    Ai gente tb tenho sorte… ela ama tudo que dá pra ela,a única coisa que não come é mingau estilo farinha lactea… só coisas frescas e feitas em casa. Melhor assim pq é mais saudável. Luiza é um amor.

  28. Roberta

    Nossa que clássico da maternidade, a minha ainda faz umas caretas que parece que estamos dando comida estragada pra ela, kkkkkkkkkk dou muita risada.

  29. Simone

    Era para ser um relato exagerado? É a minha vida! Meu dia a dia! Minha filha não gosta de mamar e não gosta de comer. Posso dizer que aqui nem a galinha pintadinha dá jeito.

  30. Sofia Freitas

    Meu Deus como é bom saber q não estou só no mundo kkk… Mas com meu Vitor R tá punk ele faz vomito chora e vomita!!! Até já fiz promessa é nada rsrsrs mas fé e esperança né!!!!

  31. Mariana Bomboli

    Estou na dúvida se choro oi rio, pq esse foi o relato fiel, sem tirar uma vírgula da introdução alimentar aqui em casa, mas agora está aceitando garças a Deus!!! Como a boca não abria e ele percebeu a estratégia da colher entrando enquanto ele brincava, partimos pro BLW que ele amou, mas sempre tentando a colher e agora está indo os dois com 7meses e meio rs.

    1. Macetes de Mãe

      Kkkkk! Estamos juntas, Mariana!
      As coisas sempre se ajeitam, né?! Ainda bem!!
      Bjss

  32. Nathalie

    Lá em casa já teve papinha até dentro da banheira ( vazia) com o chuveiro ligado do lado pra distrair … Kkkkkkkk

    1. Macetes de Mãe

      Kkkkkk! Adorei!

  33. darycia

    Pode ser exagerada na visão de quem escreveu , mas é exatamente oq estou passando, faltou uma coisa que ele faz tbm: cospe tudo em cima de mim rss. Mas lendo o texto , estou mais aliviada e nn me sinto mais sozinha nessa luta

Deixe seu comentário