O que muda no casamento depois dos filhos

bebê e pais

Imagem: Mamiverse

Há alguns meses, meu marido escreveu um post aqui no blog e nele fez um comentário muito pertinente, que tem tudo a ver com o post de hoje: um casamento, muito pouco muda na vida da gente, mas ter um filho é algo transformacional.

E é mesmo! Quando eu e o Otávio casamos, quase nada mudou nas nossas vidas. Seguíamos saindo com os mesmos amigos, seguíamos tendo nossos programinhas individuais, seguíamos escolhendo o mesmo tipo de viagem de antes e seguíamos promovendo algumas festinhas bem animadas aqui em casa. Só que isso durou pouco. Durou por, exatamente, um ano e dez meses. Durou até o Léo aparecer e ditar uma nova dinâmica às nossas vidas.

Mas, afinal, o que mudou no nosso casamento e que, me arrisco a dizer, muda no de quase todo mundo? (só não digo TODO mundo MESMO porque sempre tem uns abençoados que vão jurar de pés juntos que para eles continua tudo igual. Ah, tá!).

Os programas. Sim, um casamento também é feito dos programas que o casal faz e garanto que esses mudam. E muito. Saímos muito menos à noite, vamos muito menos a restaurantes (íamos bastante), viajamos bem menos que gostaríamos (e selecionamos mais os destinos) e convivemos muito menos com amigos que antes encontrávamos quase todas as semanas. Agora, em vez de sairmos à noite, acabamos vendo um filme em casa; em vez de irmos a restaurantes, cozinhamos por aqui mesmo ou vamos à casa de amigos; em vez de fazermos aquelas viagens com vários destinos, escolhemos apenas um (e muito bem escolhido) e em vez sairmos com vários amigos, encontramos com alguns poucos e que também tem filhos (ok, não tão poucos assim, porque temos muitos amigos com filhos). Pequenas grandes adaptações que acabamos colocando em primeiro lugar o nosso pequeno.

A tolerância. Está aí uma coisa que pode mudar para mais, ou para menos. E tudo depende do momento e da outra parte envolvida. Depois que temos filhos, podemos nos tornar mais tolerantes com nosso companheiro ou companheira, afinal, temos algo maior e muito mais significativo com essa pessoa e não vamos querer que qualquer briguinha possa colocar isso em risco. OU, então, pode acontecer o contrário. A tolerância vai parar lá no dedão do pé, pois a outra parte não ajuda, não colabora, não se envolve, não dá uma mão, não NADA. E aí, não há tolerância que aguente mesmo. E falando sobre a tolerância da mãe (porque afinal, é para elas que esse blog fala), tudo depende do quanto o pai é envolvido e presente. Se for muito (graças a Deus é o meu caso) a tolerância cresce, pois a admiração e o respeito também cresceram. Mas quando esses dois sentimentos desaparecem, aí a tolerância vai para o escambau junto.

O romance. Esse muda. Muda mesmo. No início, muda porque os hormônios nos piram. Depois porque o cansaço nos consome. E com o passar do tempo, porque os filhos estão sempre por ali ou podem aparecer a qualquer momento. Ou seja, dizer que o romance continua igualzinho como era antes, ou é mentira ou é pelo menos bem raro. Na grande parte dos lares, ele dá uma esfriadinha, dá uma sossegadinha e precisa sim ser recuperado. Afinal, quem não gosta de namorar, quem não gosta de se sentir amado, quem não gosta de se sentir querido e desejado? Todo mundo! Ambos os lados. Nós e o maridão. O jeito, nesse caso, é de vez em quando dar uma fugidinha, nem que seja por poucas horinhas (e é aí que os avós entram para dar uma força), para sair da rotina e dar uma animada na relação. Garanto que ajuda e garanto que os filhos sobrevivem. :-)

Sinceramente, acho que poderia me estender aqui por horas, comentando N aspectos que acabam mudando em maior ou menor intensidade com a chegada dos filhos. Mas resolvi me ater só a esses três hoje e voltar ao assunto dentro de algumas semanas. Por isso, deixo aqui um questionamento final: o que mais mudou no casamento de vocês depois que os filhos nasceram? Comentem, escrevam, desabafem. Com certeza, esse assunto dá pano pra manga e ainda será inspiração para muitos outros posts.

72 comentários

  1. Bom, o meu filhote tem apenas 2 meses mas já mudou muita coisa por aqui.
    Basicamente o que você fala no post: escolher melhor os lugares pra sair, sair menos, ver mais amigos com filhos, o romance, enfim…
    Eu passei a admirar muito mais meu marido pois ele é muuuuuito presente nos cuidados com o Rafa… dá banho, troca a fralda, vai às consultas no pediatra quando consegue ser liberado do trabalho, enfim…não posso reclamar nem por um segundo !
    Mas o que mais mudou foram os passeios… eu e meu marido somos pessoas noturnas.
    Dormimos tarde, produzimos melhor à noite e sempre saíamos a noite e voltávamos de madrugada….Agora no máximo às 10 tentamos estar em casa porque o Rafa tem uma rotina e se passar muito do horário dele dormir, ele já fica enjoadinho.
    E também saíamos todos os finais de semana e agora preferimos oferecer lanches em casa para os amigos ou ir à casa deles.
    E uma coisa que mudou bastante em mim é que eu agora antes de ir a algum lugar, eu ligo primeiro para o tal lugar e me informo se tem trocador !!! Pode parecer loucura mas se não tiver ou eu não vou ou fico pouco tempo ! rs !
    Enfim, não tem como levar uma vida como antes depois que nascem os filhos.

    1. Lidy Barreto

      Hoje a primeira coisa q observo em qualquer lugar que eu vá é se tem trocador e não tiver, como posso fazer caso precise trocar…rsrsrs…meu filho também tem 2 meses..

  2. Vanessa

    Concordo com número, gênero e grau desse post!
    Nós “picávamos cartão” no cinema. Tinha vezes que tínhamos que esperar sair filmes novos! A gente brincava falando que Hollywood não era páreo para nós!
    Agoraaaa…. afff…. nem sei quais filmes estão em cartaz! kkkk

  3. Anonymous

    Sem dúvidas esse assunto dá pano para manga!! O relacionamento continua passando por fases mesmo depois que os filhos nascem… A fase da licença maternidade é uma e depois que voltamos ao trabalho (para mães que assim como eu voltaram ao trabalho) é outra bem diferente. Exige ainda mais de nós, pois temos que lidar com o 4º turno (mãe, esposa, dona de casa e profissional). Meu filho tem quase 7 meses e tem dias que fico muito, muito esgotada. O tempinho que tenho para ficar em casa com meu pequeno a noite matando a saudade (já que ele fica na escolinha o dia todo), ainda preciso dividir com lavar, passar e cozinhar e quando ele dorme, preciso tirar leite (pois mando leite materno para ele mamar na escolinha). Meu marido é bem compreensivo, embora não tão colaborativo quanto eu gostaria, pois quando tudo isso termina estou simplesmente pregada… tem dias que nem conversar tenho vontade… Concordo que você não vê sentido em brigar por coisas pequenas, mas penso que nem sempre é pelo que nos une.. às vezes é pelo cansaço mesmo em iniciar uma discussão. Percebi, conversando com algumas amigas, que a maioria dos homens são assim e daí a maior constatação: o pai pode ser ótimo, mas nunca será como uma MÃE! E esse é um motivo que me faz pensar em ter o segundo filho ou não. Será que tenho coragem de enfrentar tudo isso de novo um dia?

    1. Luana

      Estou na mesma … Minha grande dúvida(?????) ter outro filho ou não??? Meu finho pede muito um irmão mas por trabalhar e enfrentar tudo sozinha tenho medo!

      1. Ellie

        Olá garotas, tenho dois (5 e 3) e vou falar um pouco da minha rotina, é puxado, muiiiito!
        Tive um e logo depois de um ano estava grávida do segundo, foi planejado. Não trabalho fora, más, quem fica em casa trabalha também, rs*, tenho uma loja virtual semi joias (www.elienenunes.com), que faço conforme vai dando as peças, as vezes passo um mês sem criar, por conta do tempo… As crianças já vão pra escolinha, meio período, faço questão que uma parte do dia estejam comigo, tempo para maior contato… Tenho uma secretária que vem fazer faxina 1 vez na semana, vou mantendo durante a semana e serviço NUNCA falta! Então, se vocês querem muiiito o segundo filho, vá fundo e se entregue, não reclame… Se o maridão não é parceiro, se prepare para entrar em um furacão! Se ele for parceiro e ajudar, vá fundo! Ninguém conta pra gente o que acontece nos bastidores, enquando o filho ainda não chega é aquela farra, a família é uma festa só, más, quando nasce… Você, você e você… Não fique doente, não deixe a auto estima cair, a estética é fundamental… Hãm…. Beijonhos…

  4. Nossa me identifiquei muito! Tudo o que eu e meu marido fazemos hoje é em função do Pedro! E assino embaixo quando você diz que precisamos sim de um tempo para o casal… As avós adoram ficar com os netos enquanto os papais dão uma escapadinha! :D Muitas vezes os filhos nem percebem, justamente por estarem bem acostumados com a avó! Isso é maravilhoso!

  5. carolina

    Acho que quando o filho é planejado e querido por ambas as partes ele só vem agregar a relação!Mentira quem fala que a vida e a relação não muda!Muda a dinamica da casa, a relação, enfim a vida, mas fortalece muito a relação, amor, companheirismo, os valores…Filho é amadurecimento além de pessoal, é da relação….só depois dos filhos sabemos quanto sólida é a relação!!É a prova de fogooo…kkkkk

  6. Concordo, filhos mudam a vida da gente pra sempre!!!
    Bjs
    http://garotasbacanas.blogspot.com

  7. Vanessa Zanini

    Tem alguns amigos – os mesmos que víamos com grande frequência- que não vemos há meses !! E o pior, alguns juram que é possível a gente se encontrar pra tomar varios chopps em um restaurante qualquer. .”é só deixar o bebê dormindo no carrinho”… mas com a nova cumplicidade que surge após o nascimento abrimos mão desses encontros sem culpa alguma e com um sorriso no rosto!

  8. Vanessa Zanini

    Tem alguns amigos – os mesmos que víamos com grande frequência- que não vemos há meses !! E o pior, alguns juram que é possível a gente se encontrar pra tomar varios chopps em um restaurante qualquer. .”é só deixar o bebê dormindo no carrinho”… mas com a nova cumplicidade que surge após o nascimento abrimos mão desses encontros sem culpa alguma e com um sorriso no rosto!

  9. Anonymous

    Acho que o que mais pesa na mudança com a chegada de um filho, é o relacionamento Homem e Mulher. Minha filha está com 5 meses, já voltei a trabalhar, a vida é corrida (trabalho, dona de casa, mãe), mal tenho tempo pra mim e o marido então acaba ficando em 3º plano. Por mais que o meu marido me ajuda, a carga maior fica pra mim e chega no final do dia estou esgotada. Amor, companheirismo, entre outras coisas existem, mas infelizmente somente isso não sustenta uma relação, tem que ter o lado “namoro homem/mulher” e durante um tempo deixamos isso de lado. A líbido que existia antes, durante a amamentação por causa da pilula não existe e isso prejudica o relacionamento.

  10. Anonymous

    Concordo em td q foi descrito no post. Ainda mais qnd o pai acha q pelo fato de nao trabalhar fora eu tenho q deixar a casa limpinha do msm jeito q ficava qnd nao tinhamos o nosso pequeno. Hj meu casamento te desgastado, o companherismo so aparece qnd eu tenho q ajuda-lo (meu marido é cardiaco) mas ele nao enxerga q eu tbm tenho meus dias q estou estressada, q quero um pouco dr colo. Chego a pensat as vezes q o meu casamento nao ira passar por esse momento, pois apesar dele ser um pai presente ele deixou de ser um marido presente, compreensivo e companheiro.

    1. Anonymous

      Será que ele sabe tudo isso? Você já disse isso para ele, sentou para ter uma conversa franca? Porque as vezes a gente reclama, reclama, mas não procura a pessoa para resolver o problema… Tente uma conversa franca, calma e garanto que vc vai se surpreender.. Experiência própria… Afinal, se está ruim, o que vc tem a perder? Espero ter ajudado…

  11. Não tenho a fórmula mágica da paz, ninguém tem a receita da Palmirinha Pediatra e eu, muito menos posso afirmar nada sobre o futuro, mas tenho a certeza clara, como um júbilo de realidade que: meus filhos, que nascem em 2 meses (sim múltiplos, são gêmeos fraternos) já me ensinaram a ser mais calmo desde antes de sua concepção. É incrível! Eu sou muito ligado nos 220V, explosivo, impulsivo, o típico “chama a atenção”, mas sou calmo também, e com esses moleques, busco meu equilibrio diário, e consigo. Tenho em mim um mantra que me diz “Jorge, tranquilo, somente não temos remedio para a morte, de resto, se arruma”, e esse mesmo mantra que me desperta todos os dias, me dá força para tomar as coisas com tranquilidade. Há de se crescer como pais, mas como esposos também. Os filhos são uma fonte de luz, e não o interruptor que a apaga. abs

  12. Anonymous

    é um tema amplo, mas nós nunca fomos de viajar nem frequentar casa de amigos, na verdade diminuiu um pouco as saídas para restaurante, mas pelo menos 1x/mês deixo o pequeno com meus pais e vamos para algum barzinho. Quanto aos amigos agora nos reunimos para falar de filhos, endo em vista q minhas amigas estão se tornando mães tb, ou seja, com a maioria temos muito em comum, e eu ainda dou dicas, pois sou a experiencia pura, rsrsrsrs…
    Quanto as viagens fazemos duas grandes por ano e se não for todo mês, mês sim, mês não viajamos para um local proximo no final de semana e como bons cancerianos levamos o pacotinho juntos.
    O companheirismo continua, tem hora q acho q somos socios, tendo em vista que o sexo diminuiu e se não é o filho o cansaço faz com q seja adiado, tem momentos q nos desdobramos com filhos e casa e deixamos de lado de fazer coisas simples como ficar deitados juntos no sofá. Penso em outro para ano q vem, já estamos começando a tentar, mas fico até desanimada em passar pelas fases do sexo, a leoa com a cria, a cansada, o filho vai dormir 1 da madrugada, agora q temos mais tempo arrumar mais um (eu acho q não é preguiça de cuidar, mas a vida do casal que fica fria demais).
    Bom tenho um marido companheiro q me ajuda muito e o meu filho é apaixonado pelo pai heroi e muito mais travesso do q o próprio filho…
    Mas eu acho q a vida é como um jogo, temos q mudar de fase, ficar na vida de casal o resto da vida tb deve ser monótono e faz parte da vida, cuidar das crias, todos os animais são assim, incluindo nós, fora q é muito bom, filho tem seu bônus e seu ônus, por causa disso antes de arrumar filho pense duas vezes, pois se não for um casal solido com objetivos em comum o problema começa na gravidez. Filho faz com q abramos mão de muitas coisas, mas é tudo de bom, gostei tanto q quero pelo menos mais um, dependendo dois…

  13. Andréa Souza

    Bom dia!!! Meu bebê completou um ano mês passado e tudo que vc relatou é a mais pura verdade. No entanto, não pude contar muito com a colaboração dos avós, pois eu meus pais já são falecidos e não posso contar muito com os meus sogros, até mesmo pq eles já não tem idade para ficar com um bebê!!! Tudo mudou no relacionamento com meu marido! Absolutamente tudo, pois só podíamos contar com nós mesmos! Mas, o que mais mudou foi a cumplicidade, pois antes ele me apoiava muito e atualmente todos têm razão menos eu!!! E também o romance… Esse quase morreu aqui em casa!!! Mas, um relacionamento sempre tem suas adversidades e dificuldades, temos que manter o foco e sermos firmes acerca do que queremos para a nossa vida!!! Aqui em casa ocorre constantes conflitos, mas tentamos manter o foco, que é o nosso amor. Amor que antecede tudo e que deu origem ao nosso filho! Vamos acertando aqui, errando ali, mas vamos tentando!! Fácil, não é mesmo!!! Rs…

  14. Anonymous

    Caramba , me considero os casos raros então …os primeiros 2 meses da minha filha foi tenso , mas agora ela tem 6 e tudo continua na mesma… nunca tivemos dinheiros sobrando pra viajar por exemplo …então não sinto falta disso …meu marido sempre chegou as 7 do serviço e nosso período juntos, de ver filme, namorar ir no shopping sempre foi após esse horário…Atualmente minha filha dorme as 18:30 …quando meu marido chega, jantamos juntos e fazemos absolutamente TUDO que fazíamos antes … uma vez por semana minha mãe ou irmã fica com ela nesse período e continuamos indo no cinema , motel restaurantes de sempre ….com a vantagem que fds que passávamos vendo domingão do faustão agora temos nossa bebezinha pra brincar e passear …

    Arrisco dizer que as coisas melhoraram muito , admiro amis meu marido , por ser um bom pai e o sexo ficou bem melhor …

    Agora os 2 primeiros meses eu jurei que ia enlouquecer , mas passou !!!

  15. Anonymous

    Concordo com tudo o que foi dito acima, a relação muda, a rotina da casa também. Como eu gostaria que meu marido fosse mais participativo, seria tão bom…. ele participa? Sim, vai em todas as consultas pediatricas e, confesso que tem horas que dá vontade de sumir, kkkk…. Hoje, eu penso e muito em ter ou não o segundo filho. Acho que pelo fato de ter ficado muito sobrecarregada, penso se estou disposta a passar por tudo isso.

  16. Anonymous

    Concordo que um filho muda tudo… meu filho hoje tem 2 anos e conto nos dedos os dias que eu e meu marido tivemos um momento só pra nós dois nestes 2 anos de vida do nosso filho… isso me assusta… nossos horários não batem, os momentos que poderíamos ficar juntos, meu filho está ligado no 220v… já falei sobre a possibilidade de sair só nós dois e deixar o pequeno com a vó… mas a vó faz questão de dizer que já cuida dele pra eu trabalhar, imagine se vai ficar pra eu passear… então… o que nos resta e esperar o que o tempo nos reserva. Tenho vontade de ter um segundo filho, mas do jeito que andam as coisas, seria um pedido de divórcio.

  17. Anonymous

    minha bebê esta com 1 ano, e com esse tempo ja tive crises no casamento sim.graças a deus com muito esforço dos dois e muuuito amor, tudo esta se ajeitando. Nunca mais vai ser como antes, mas tendo amor podemos superar tudo.

  18. Nossa nem fale, meu baby esta com 19 dias e já sinto a mudança radical em nossa vida.. na verdade muda a casa, muda a rotina, muda a relação do casal… enfim…TUDO MUDA… graças a Deus meu marido é um parceirão, mas eu não imaginava que ser mãe era tão difícil…aind estou tentando me adaptar a todas estas mudanças… :)

  19. Adriele Machado

    O meu não mudou muito,mas não namoramos com a frequência que namorávamos antes mas o fogo o desejo é o mesmo e isso que temos dois filhos uma menina de 3 e um menino de 1 e sempre arranjamos tempo pra nós….amooooo ser mãe e sempre arranjo tempo pro filhos e pro maridãoooo!

  20. Nara Ribeiro

    Tenho um bebê de 2 meses e me identifiquei com tudo, meu filho nao fica com ninguém só comigo e quando deixo com a vó tenho que voltar em 15 min porque ele quer mamar ou só porque sentiu minha falta acho isso lindo e fofo mas por outro lado poxa e meu marido ele também precisa de atenção ele chegou até a sentir ciúmes do nosso filho um tempo.
    várias vezes fomos para sair e ele estava acordado e nao me eixava sair pois é só me ver longe que chora ,acabamos olhando filme em casa quando dá , e pedindo a pizza do domingo em casa .É cansativo é sim e desgastante afinal somos jovens ele tem 22 anos e eu 19 mas sabemos que antes de nós aproveitarmos temos uma grande responsabilidade e alguém que amamos muito que precisa de cuidados e amor .
    Afinal isso é uma fase e espero que logo passe e temos toda vida pela frente ainda.

  21. Anonymous

    Olha gente tirabdo o primeiro mês que não tem como é de enlouquecer mesmo, vc pensa que sua vida jamais voltará ao normal… eu acho meio errado, falar que o casamento não tem mais cumplicidade/sexo e por a culpa nos filhos.
    As coisas mudam um pouco, mas não necessariamente pra pior…quando namoramos só saimos arrumadinhas, o namorado passa em casa vc ja ta prontinha esperando , as coisas são de um jeito, quando casa isso muda, vc passa a lavar cueca, obrigação de fazer janta … mas nem por isso passa a ser ruim …

    Com o filho é o mesmo … minha rotina continua a memsa, com a diferença que hoje saio com uma bolsa com fralda, leite, manta, pomada, agua, fruta …rsrs ou tenho que pagar algué pra cuidar da minha baby …

    Do resto sempre acostumei ela, a sair com a gente …ela fica no carrinho do nosso lado, dorme, brinca …e não dá um pio…

    A noite assim que ela dorme , meu marido e primeiro plano pra mim, e so depois a casa …vamos ver filme, comer pipoca e namorar …
    Procuro manter a cozinha limpa, e a pia, pra fazer as coisinhas dela, e limpo o quartinho dela todo dia …tiro pó e passo pano pq somos alérgicos…o resto pode esperar …começei a me habituar que minhas peçinhas do fogão não brilham mais ..

    Se eu tiver um tempo livre eu arrumo EU e não a casa …(tempo livre após ter feitos as coisa básicas né comida, louça, pó)

    Tentem deixar a CASA no 3º plano ..e assim que o baby dormir , que eles dormem cedo aproveite o marido …um filho não destrói casamento, nem acaba com sexo…o que faz isso é falta de amor que já devia ter antes do bebê.

    1. Anonymous

      Olha, sou obrigada a concordar com vc, nós também acostumamos o nosso filho a nossa rotina, e não o contrário! Meu marido é músico, e antes do nosso filho, eu sempre o acompanhei nos locais que ele tocava (ele não toca de madrugada, só toca em restaurantes e eventos ate no maximo 23h). Eu acho que isso depende muito mais de nós, pais, do que deles..se acostumarmos eles a nossa rotina, essas queixas de o relacionamento com a marido não ser o mesmo, não acontece! Meu marido e eu continuamos tendo tantas relações quanto antes, e pra ser sincera, nos uniu ainda mais, está cada vez mais gostoso, a gente fala que parece que estamos no início de namoro, porque está cada dia mais surpreendente…nós esperamos nosso filho dormir, e os 30 primeiros minutos mais ou menos, nós arrumamos a casa ou fazemos algo relativo a casa, depois aproveitamos pra nos curtir e namorar, como sempre dormimos tarde, depois da 1h da manhã (mesmo com o nascimento do nosso filho, nao conseguimos mudar isso) sempre sobra um tempinho para nós dois! Concordo que nos dois primeiros meses é dificil se adaptar a amamentaçao e horarios de mamada de madrugada, mas depois que acostumou, foi uma beleza. Nós continuamos viajando pelo menos uma vez por mês, mas daquele jeito, vai viajar e leva mais metade da casa junto por causa das coisas do nosso filho..rsrs roupas, comida, cobertas, carrinho…é mais coisas ainda do que antes..rs Não sei se levamos sorte por nosso filho ser tranquilo demais, mas estamos tentando engravidar de novo, e pretendemos continuar fazendo tudo isso…nao sei se é possivel com dois filhos, mas vamos tentar..rsrs E claro, nao temos avós nem tios por perto, moramos sozinhos longe da nossa família, e sinceramente eu não concordo com essa historia de ficar deixando o filho com os avós ou outra pessoa, porque penso assim: se vc quis um filho, vc que cuida e não fique delegando esse dever a outra pessoa! Posso ser meio radical, mas nao concordo não!

  22. Anonymous

    Muda mesmo a vida! Mas eu acho importante manter o contato com as amigas que não são mães também… Elas te resgatam para vc lembrar que é uma mulher, e não só mãe e esposa.. Isso sem falar que por não terem filhos mimam os seus demais!!! Com o marido muda também, mas acho que eles são cobrados demais e compreendidos de menos.. e muitas vezes tem angustias (o velho mito do provedor masculino) que não dividem com ninguém… Então, o que eu acho é que devemos ter menos mi mi mi (reclamações) e mais hahaha (divertimento). Se o marido não ajuda, não adianta reclamar no face, muda de marido e seja feliz!

  23. Vanessa Sayao

    Nossa e como muda… Aqui em casa mudou muito os programas, se vamos sair pra comer, primeiro pensamos se o lugar eh coberto, se tem muito barulho, se tem musica (no nosso caso, não vamos a lugares com musica), se o cardápio tem algo que nossa filha possa comer. Procuramos ir a lugares que a nossa filha goste (e olha que ela só tem 11 meses, kkkkk), por exemplo, ela adora ir ao shopping, então vamos ao shopping. O romance, ah esse sim foi o que mais sofreu, coitado! Minha filha esta em uma fase péssima pra dormir, ela se mexe muito e no berço ela acaba acordando por conta do “pouco espaço”, então chegamos a conclusão de que eh melhor ela dormir na cama e ele no sofá, do que não dormir, e isso vem se perdurando por longas 2 semanas (espero que muito em breve isso acabe)… Em fim, muda sim, e muda muito!

  24. #meassumigorda

    Para mim mudou tanto que com a chegada do segundo, que faz mais ou menos um mês meu marido saiu de casa um mês antes de ele nascer.Ele não aceitou perder tudo que antes tínhamos juntos, e infelizmente minha prioridade é as crianças.

  25. Anonymous

    Vejo que muitas pessoas reclamam que o romance acabou ou que não conseguem namorar mais com o marido, ou muito pouco, mas vamos pensar..muitas dessas pessoas coloca o filho pra dormir no quarto, ou ate mesmo na cama dos pais…ai fica difícil ne, desde de bebe, eles precisam dormir no seu berço, e no proprio quarto…aqui em casa foi assim e isso contribuiu muitoooooo para que nossa vida sexual voltasse com tudo..

  26. Del Conte

    Minha baby tem apenas 5 dias, mais já chegou abalando. Eu já admirava muito o meu marido como homem, agora como pai eu estou maravilhada com o homem que Deus colocou em minha vida. Meu marido sempre foi tolerante cmg, mas eu sempre fui ” tolerância zero”, e com a chegada da Carolina, isso já mudou drasticamente e isso só esta melhorando nosso matrimônio.

  27. Joyce Daniella

    Muda sim, e muito o relacionamento depois do nascimento dos filhos. Tudo tem seus pós e contra. Hoje minha filha tem 1a e 5m: vejo minha relação mais madura, admiro muito mais meu esposo, temos muito mais harmonia, cumplicidade.. enfim… Mas confesso que nos primeiros meses de vida dela a rotina, o cansaço era tanto que tinha dias que não queria se quer falar com maridão. Por muitas vezes cheguei a pensar que já não o amava mais e isso foi passando, principalmente depois de 1ano qndo voltei trabahar.. Hoje vejo que era só uma fase difícil e tende a melhorar muito, vamos aprendendo lidar e conciliar melhor a vida pessoal, relacionamento, Mãe e outras Mil multifunções!! rs

    Adoro esse Blog e já estou ansiosa pelos próximos post.. assim vejo que não é só comigo ;)

    1. Ana Carvalho

      oi Joyce… acompanhe meu blog (www.mamaezona.com.br) também… abraço
      ANA LUIZA

  28. Anonymous

    Eu confesso que tô mais perdida que cego em tiroteio. Nossa bebê ainda está a caminho e ainda nem casamos, muito menos moramos juntos (mas daqui pro final do ano sai o civil). Dúvidas eu tenho muitas, mas procuro imperar a certeza de que irei dar o meu melhor como mulher e como mãe. Não faço ideia como será nosso futuro, pois temos muitas propostas que afetam nossas vidas, mas ambos compartilhamos o sentimento de cultivar e proteger nosso amor e agora nossa família, não importando onde a gente esteja.

  29. AGUEDA PRADA

    Nossa muito bom esse tema, e acredito que muda sim, e que faz o casal ficar ainda mais unidos
    bjaooo

    1. Ana Carvalho

      oi Agueda… acompanhe meu blog (www.mamaezona.com.br) também… abraço
      ANA LUIZA

  30. Anonymous

    Trágico!

  31. Anonymous

    Nossa, muda tanta coisa, mas ter um bebê em casa é tão bom…. Ficamos cansadas, exauridas, vivemos de pijama se bobear, deixamos de ir a restaurantes e cinema, mas existe delivery. Então acho que a alegria que um filho traz é suficiente para deixar de lado o que não esta bom e dar um ânimo para melhorar a vida. É um tema de conversa sem fim…. Bjs Débora Fazzio

  32. Myriam Scotti

    Que blog bacana! Jamais vou esquecer o comentário que o médico ultrassonografista fez quando eu ainda estava fazendo um check up para começar a tentar engravidar. “Você só casa de verdade quando tem filhos. Até lá, é namoro”! Achei que ele estava exagerando e sendo pessimista. Mas, depois de dar à luz, no exato instante em que pus meus pés em casa com o meu filhinho no colo, aquela frase fez todo o sentido. São muitas mudanças mesmo, algumas para melhor, outras para pior, mas, apesar de cliché, acredito que quando há amor, para tudo se dá um jeito. O amor resolve!
    Abraços

    1. Ana Carvalho

      oi Myriam… acompanhe meu blog (www.mamaezona.com.br) também… abraço
      ANA LUIZA

  33. Ana Carvalho

    TAMBÉM SOU BLOGUEIRA… http://www.mamaezona.com.br e escrevi um pouco deste assunto, há dias… no meu blog…

    Olá meninas! Não se assustem! A maioria dos casamentos fica estranho com a chegada do bebê. Sua atenção que era exclusiva para o maridão, acaba.
    Agora o neném precisa de você! Tudo é para este serzinho frágil que acabou de chegar.
    Os maridos não entendem. Ficam com ciúmes. Ficam nervosos ou tristes… desamparados.
    Muitos casamentos acabam. Os casais se perguntam onde erraram. Na verdade não existe um culpado. É só questão de adaptação!!! E que adapatação!!! (rsrsrsss…) Muito maluca para as mulheres administrarem, principalmente, porque ficam exaustas. Têm que dar conta do filho, da casa, do trabalho e da carência do marido. Essa nova adaptação é mais complicada ainda para os homens que estavam acostumados com todo o carinho de suas esposas. Não sabem lidar com o problema e não conversam com a mulher com receio de chateá-la e acabar atrapalhando o afeto dela com o neném. Isso vai desgantando e levando a um final infeliz.
    Amigas, a realidade é que o tempo passa e não melhora porque o bebê contiuna absorvendo todo seu tempo e sua energia.
    Então, a dica é que vocês consigam um tempo para resolverem essa parada… 24 horas é suficiente para vocês resgatarem o romance com seus amados. Façam uma pequena viagem, tirem um dia de folga, peçam ajuda para as avós, contratem uma babá, marquem um jantar, enfim, dêem um jeitinho para ficarem disponíveis 24 horas. O casamento agradece!

    Leia mais: http://www.mamaezona.com.br/dicas-para-ter-um-nenem-tranquilo/

  34. Anonymous

    Olha eu acho que é muito relativo e varia da rotina de cada casal, e do que cada mamãe aceita fazer …
    Do que adianta por exemplo falar que não sai com o bebê a noite, nem no barulho , nem no frio, não põem o bebê no berço…faz tudo de ótimo pro bebê, mas é uma mamãe ” infeliz ” que acha que o casamento tá morno, o romance acabou ou esfriou como muitas escreveram aqui …eu acho que mamãe FELIZ bebê FELIZ.
    Me acho uma mãe bem zelosa, abandonei um emprego de gerente numa boa loja, pra cuidar so da minha filha ..mas adaptei ela a nossa rotina desde cedo, claro que dentro dos limites né? não saio com ela num frio de lascar nem na chuva …mas vou a restaurantes , barzinho , shopping, sair com casal de amigos..e ela fica tranquilamente no carrinho pq isso faz parte do dia a dia dela …
    Isso contribui muito para que eu não sentisse o ” baque ” da rotina …como eu disse mais acima eu sempre fiquei com meu marido no período da noite ..e minha filha dorme cedo , então quando ele chega ela está dormindo , estamos acostumados a dormir tarde ..então seguimos fazendo tudo que sempre fazíamos a noite juntos .

    Acho que se já existia amor e desejo antes, e a gente não sendo neurótica ..de colocar os nossos babys como centro do universo e esquecer que pra eles estarem bem , precisamos tmb estarmos bem , com um casamento feliz … não somos apenas mãe somos, esposa, mulher …

    Enfim …acho que não tem pq CULPAR os filhos do casamento tá mais ou menos .

  35. Anonymous

    Mudou tudo depois de 10 anos casados chegou nosso bebê! Mas é maravilhoso!

  36. Tatiana Cali

    Nossa , tão difícil falar disso !!! Quando o Lucas nasceu (há 6 anos), tudo que havíamos planejado foi por água abaixo … Voltei para casa da minha mãe e trabalhava enlouquecidamente … Uma semana cheguei a trabalhar 109h, Desumano !!! Meu marido trabalhava de manhã e estudava a noite … Saia de casa às 6h e as vezes retornava lá prá meia noite. Quando meu moleque estava com 9 meses quase nos separamos … Que fase difícil !!! antes, mesmo com a rotina dele com a faculdade eu dormia vendo a novela, mas quando ele chegava conversávamos e namorávamos … Com o filho isso acabou e foi complicado !!! Mas o amor foi maior graças a Deus e aprendemos a lidar com toda esta mudança !!! Já vi muitos casamentos acabarem com a chegada de um filho porque é muito difícil mesmo esta fase inicial … Mas quando o amor é verdadeiro, tudo acaba se ajeitando e a vida fica muito mais colorida !!!
    Bjs, Tati.

  37. É… as coisas mudam muito mesmo!
    Além das citadas no post e das outras tantas citadas pelas mamães nos comentário, no meu caso posso dizer que sou mais adepta das tecnologias “da linha branca” agora.
    Compramos uma lava e seca para agilizar com as roupas e recentemente ganhei do meu marido uma lavadora de louças. Pq com filho o trabalho é dobrado (ou triplicado) e o tempo, aff…. é subtraído.. heheh
    Então, aquela história de ficar louca da vida de ganhar um eletrodoméstico de presente do marido, já era… agora é quase como se me desse um anel de brilhantes :-)

  38. Anonymous

    Na minha opinião não existem alguns aspectos a serem citados que muda com a chegada dos filhos. Ou seja, não dá pra dizer assim : mudou isso, aquilo …temos que dizer que Tudo, absolutamente tudooooo muda com a maternidade. Kkkk

  39. Meu bebê tem 9meses e nossa vida sexual ainda não voltou, sei lá ando muito stressada me preocupo com tudo e não consigo “pensar em sexo”…ta dificil, to sem paciência com ele e o mesmo sinto que dele para comigo…

  40. fernanda

    ola!! um desabafo :meu casamento mudou sim, e olha que estou com 6 meses de gestação..sendo nosso primeiro filho! meu marido continua lindo, amoroso, carinhoso e atencioso comigo e com o Bebê que estamos esperando….mas o interesse sexual dele por mim diminuiu muito…e tem horas que a imaginação, traiçoeira, vem e me incomoda!!
    meu marido é fotógrafo profissional, e está presente em quase todas as festas da minha cidade e região! quase não frequento as festas por ser local de trabalho…mas também não me importo de estar ausente! trabalho muito e chegam os finais de semana…quero descanso! mas voltando ao assunto…já cansei de procurá-lo! e como, a maioria das vezes ele está, ou viajando, ou trabalhando em algum evento…. a noite que estamos juntos, eu queria ver o interesse dele por mim! apesar de meu apetite sexual ter diminuído um pouco tbm! mas eu queria uma forma de saber o que fazer! quero conversar…preciso conversar ne? mas tem dias que me falta coragem…medo de escutar o que não quero!!! ufa…desabafei!! obrigada pela oportunidade! bjos

  41. Leticia de Morais

    Tenho 25 anos estou junto a 6 anos e casada a 1 ano 6 meses, estou tentando engravidar …. Muitas pessoas me falam que estou me precipitando … Vcs que já são mamães também acham que devo esperar um pouco mais?

    1. Tatiana

      Olha Leticia, casei com sua idade… e, te digo, filho muda mesmo o casamento… nos une e completa…mas a vida da casal, só os dois tb é uma delícia e é uma fase que achei de suma importância aproveitar pq consolida nossa identidade enquanto casal… por isso, se puder te dar um conselho, curta muito essa fase de apenas casal… ela é uma delícia e deve ser bem aproveitada pq depois muda mesmo… e não tô dizendo que é pra pior… São duas fases maravilhosas e cada uma deve ser curtida a seu tempo. Esperei 5 anos pra termos nossa princesa e não me arrependo pois hoje somos muito mais fortalecidos como casal…e isso conta muito depois que os filhos chegam, hein! Abraço e boa sorte na escolha de vcs!

  42. fernanda

    Não há dicas melhores do que ler os comentários. Achei todos ótimos, é cada um com sua experiência compartilhando pra gente colher o melhor de cada uma, como ser paciente, compreender o marido, entender bebê, os avós, os amigos. Enfim, se adaptar ao novo mundo que com certeza é maravilhoso.

  43. Mary

    Depois de ter tido meu filho hj com 1a e 2 meses digo que o casamento quase nem existe mais, so estamos juntos, minha vida é levar filho em medico, pela manha creche e as 11hr ir pega-lo, vivo em funçao do filho…minha vida? Eu? Acabou acabou…nao existo mais..
    Costumo dizer que dar a vida a um filho é simplesmente parar com a sua vida para dar inicio a uma nova vida d um novo ser.
    Hj? Nao teria mais tido filho.
    Minha vida era muito boa antes, tive filho aos 37anos e ja trabalhei muito na vida e agora aos 38 que poderia estar começando a descansar, estou eu trabalhando feito uma louca, quase morrendo ao inves de ja estar diminuindo o ritmo. Dormir? Nunca mais saberei o que é isso, infelizmente. Dormir ate tarde? Jamais, esqueça…enfim, me deem um motivo verdadeiro e nao ilusório para dizer que isso é uma maravilha.
    Filho muda tudo, nao so casamento. Ha quem diga que melhorou muito kkkk desculpa, mas infelizmente tem mulheres no mundo que para dizerem que sao o maximo e estao sempre por cima das outras, hao de dizer que a vida delas é a melhor do mundo kkkkk…bom, nao sou sadomasoquista, por isso nao gosto de me ver sofrendo desse jeito.
    Bjs

    1. Bruna Valentim

      Daria tudo pra estar na sua situação. Perdi minha bebê com 35 semanas e dois dias. Dor sem fim.

  44. DZ Miranda

    Bom, minha filha tem cinco anos, tem muito ciúmes do pai e não deixa a gente fica juntos, não temos apoio dos familiares para sairmos juntos sozinhos. Com tudo isso foi mais fácil meu marido se acomodar com a situação, desde quando ela nasceu não pegamos um cinema, isto é, cinco anos.
    Acho que sozinhos saímos umas cinco vezes em cinco anos.Criamos uma rotina massante, mas qdo toco no assunto de sairmos sozinhos não resolve muito.

  45. Natália

    Meu filho fez um ano na semana passada, e concordo com todas as mudanças mencionadas do texto. A minha mudança foi ainda maior, porque tivemos uma reviravolta em nossas vidas profissionais.
    Duas semanas antes do Gabriel nascer, teve um corte na empresa onde meu marido trabalhava, e ele foi mandado embora! Imagine, duas semanas antes!! Quando soube da notícia, levei tanto susto, que achei que meu filho fosse nascer naquele momento… meu mundo caiu! Por um lado, fiquei muito triste, principalmente pela cobrança da família. Mas por outro lado, foi ótimo, porque meu marido passou a minha licença maternidade inteira ao meu lado me ajudando, e foi e é um pai muito presente, apesar da minha preocupação que ele tinha que arrumar outro emprego.
    Chegou o fim dos quarto meses de minha licença maternidade e eu tive que voltar a trabalhar, e imaginem o que aconteceu?! Fui mandada embora logo na primeira semana do meu retorno!! Isso um dia antes do batizado do Gabriel!! Naquele momento eu já não sabia o que pensar… eu e meu marido desempregados e com um bebe para criar!! Fiquei muito mal, mas ao mesmo tempo aliviada, porque o meu emprego já não estava mais interessante (inclusive foi por causa dele que tive muito stress na gestação e acabei desenvolvendo hiperemêse gravídica, fiquei um mês internada e emagreci 10 quilos).
    Então é aquela velha história, há males que vem para o bem, arrumei um novo emprego rapidinho, e só comecei a trabalhar depois que o Gabriel fez 6 meses, achei ótimo ter tido a chance de ficar mais um tempo com ele, porque 4 meses é muito pouco!!
    Já meu marido, ainda demorou um pouco, mas ele acabou abrindo uma empresa, e estamos torcendo para dar certo!
    É claro que com tudo isso, o casamento dá uma esfriada, principalmente quando assunto é pagar contas, que por sinal aumentam muito quando o bebe nasce. Mas com o tempo as coisas vão entrando nos eixos… é só ter paciência… e essa eu tenho! Rsrs
    Bom… esse é o meu desafabo.

  46. Tatiana Marcello

    Oi, Shirley. Algo interessante em relação aos programas a sós é que ao invés de fazermos vários programas “mais ou menos” (enquanto não tínhamos filho), agora queremos aproveitar as poucas vezes que saímos, então escolhemos sempre um lugar mais bacana. Ou seja, perdemos em quantidade, mas ganhamos em qualidade dos programas. Beijos!

    1. Shirley Hilgert

      Adorei a dica! E concordo com você. Como a gente sai menos, vale a pena investir em coisas melhores. bjs

  47. Monique

    Muda tudo!!!!!!!!
    Nossa… Meu casamento se transformou, hoje digo que se um casal quer colocar em prova seu casamento, tenha um filho!
    Somente um casal muito unido permanece junto.
    Eu digo que as vezes da vontade de largar tudo mas na mesma hora me arrependo e peço desculpas ao meu marido e ele faz o mesmo…
    Beijos!!!!

  48. raylane

    Ola.
    olha tenho três filhos e desde o primeiro que meu casamento mudou bastante, sou muito feliz por meu esposo, mais as vezes nós brigamos muito porque ele não me entende, as vezes estou conversando com ele com a maior calma e ele já vem com sete pedras nas mãos. ..isso porque ele se estressa muito com as crianças, queria que ele tivesse mais paciência comigo e com as crianças, pois ele tem que entender que eu também preciso de tempo pra mim, pelo menos de vez em quando, as vezes me estresso muito, mais pelas crianças tenho que me acalmar.
    Nós não fazemos nada só, acho que precisamos com urgência de uma programação a dois.

  49. Alessandra ribeiro

    Não tenho filhos,e sinceramente, nem pretendo ter…. não que eu não goste de crianças, gosto sim, mas sinceramente, não acredito que hoje em dia, filho seja qualidade vida. Tenho uma vida muito corrida e ao mesmo tempo tranquila. Faço tudo o que eu quero, não me preocupo com horário de algumas coisas, gostamos de ficar em silencio, só nós dois em casa, ou viajando. Não temos tempo nem pra gente direito, o que dirá para um filho, sem contar que é caro, e hoje em dia, os pais não educam seus filhos, simplesmente deixam eles fazerem o que querem, não sabem impor limites. estamos vivendo em uma geração de crianças mal educadas, irresponsáveis , que se acham donos do mundo. São pirracentas, os pais não sabem dizer não. Vivemos em uma época, em que os adolescentes podem fazer tudo o que querem, sair de casa pra ficar na rua, usar drogas, começar cada vez mais cedo no sexo, respondem pais e mãe com 5. 6 anos de idade.. emfim… não tem limites. E quando viram adolescentes, são piores. Com isso, os pais deixam de viver suas vidas para viver em função dos filhos, e depois os filhos crescem , e só dão aborrecimentos, e vão embora quando podem.
    Enfim, não tenho vontade nenhuma de ter filhos, não nessa geração de pais que não sabem educar.

  50. Fabíola

    Se muda…..totalmente….No meu caso criei muitas expectativas que ele tbem me passava,e quando o bebê nasceu não foi nada daquilo que pensei,nem como pai e nem como marido…meu mundo caiu e eu além de exausta e sobrecarregada por cuidar do bebe,da casa e de tudo sozinha não tinha ele presente….tá muito difícil,tem horas que penso em jogar tudo pro alto e cada um cuidar de suas vidas…..

  51. Cris

    Os filhos são bênçãos, meu marido mudou muito, mas na verdade ele só saia comigo a noite antes dos filhos para me agradar, depois que nasceram da pra contar nos dedos, ele não sai nem por decreto. Estou triste e entediada

  52. Ana

    Ô, se muda… Eu e meu marido estamos quase nos separando… Na minha casa acontece o contrário de muitos casais. Eu sou uma mãe amorosa, dedicada, cuidadosa. Mas meu marido é muuuito mais! Exageradamente mais cuidadoso com nossos filhos! E isso tem acabado com a nossa relação… Pro meu marido tudo é perigoso ou faz mal pras crianças – o sol, o vento, a chuva…. então , por exemplo, se eu acho que não está frio suficiente pra empacotar as crianças até o pescoço (e ele acha que está), ele me aponta e me julga como uma mãe relapsa!!! Outro exemplo: eu proponho viajar apenas nós dois pra nos enamorarmos um pouco, sair da rotina por uma semana. Ele não topa pq acha que as crianças vão sofrer muito a nossa ausência…. A gente sempre gostou de pegar a estrada. Então, se eu proponho viajar de carro, fazer um percurso bacana, ele diz que não tem coragem pq se acontecer um acidente, os meninos ficariam sem pai e mãe…. “Perder ambos os pais seria muito dolorido pras crianças”… Como divergimos muito em relação à educação (já que eu sou bem mais desencanada) ele me critica o tempo todo…. Fora isso, não precisa nem dizer que nossa intimidade tmb quase não existe….. Estamos fazendo um esforço danado pra aguentar firme no casamento pq achamos que essa é apenas uma fase (enquanto as crianças são pequenas). Mas será mesmo só uma fase?? Nosso relacionamento mudou demais desde o nascimento das crianças…. E eu fico muito triste em pensar que o maior tesouro de qualquer pessoa – os filhos -, podem ser tmb motivo de tanta infelicidade conjugal…..

  53. elis

    Adorei o post, me identifiquei com todas as situações, deixei meu emprego pr ser mãe em tempo integral e acabo sendo mãe e pai. Acho q por ele trabalhar e manter as despesas domésticas para ele seja o suficiente. Sinto um poucos de reprovação da parte dele, sinto que por mais que me esforce nunca estarei a altura da pessoa que ele espera que eu seja
    Me sinto carente de beijos Abraços. … sinto falta de colo. Pois o dia se torna tão cansativo que quando meu bb dormi eu só gostaria de deitar no colo do meu marido e receber alguns cafunes…. mas a maioria das vezes vamos dormir com um simples beijo de boa noite. Esta é a troca de carinho mas completa que tenho recebido.

  54. Joana Castro

    Com o nascimento do terceiro filho acabou o casamento. Minha admiração por ele foi por água abaixo, a parceria dele comigo mt frágil e minha paciência somente para os pequenos. ele não conseguia colocar as crianças em primeiro lugar e queria q voltasse a ser o q era. Impossível! Hj moro c meus 3 filhos e conto c ajuda da minha mãe

  55. Flavinha

    Aqui o casamento mudou demais após a chegada do meu filho.. Além de toda dificuldade de administrar o casamento após a chegada do bebê, no nosso caso meu filho tem problema grave de saúde. Então passamos por mais privações do que o comum.. e acho que devido aos problemas do meu filho, eu acabei virando mt só mãe.. me deixei de lado como mulher e esposa, e esperava ter um companheirismo do pai dele que não aconteceu. Ele se mostrou muito egoísta e tudo ficou nas minhas costas.. acabou pedindo a separação em novembro e em menos de um mês já tinha saído de casa, alugado um apt para ele. Eu sofri mt, muito mesmo. Confesso que até hj não é muito fácil mas a dor vai diminuindo com o passar do tempo e com os vacilos qie ele foi tendo nesse tempo.. ele visita o filho e tal mas não é muito responsável então não dá para contar mt com ele sobretudo tendo em conta os cuidados especiais wue meu filho precisa… É claro que ele quis separar por termos administrado mal o casamento , nos desentendermos mais e esfriou mt… mas ele não foi forte o suficiente para tentar resgatar e resolver os problemas, preferiu fugir… Acho que a minha história se repete com pequenos ajustes né? ! Muitos homens não aguentam e vão embora… Acho isso tão ruim para a criança.. mas fazer oq.. seguir a vida!!

  56. Aline

    Realmente a vida muda pós filhos. Eu não tive muito tempo de “curtir” meu casamento, pq engravidei com dois meses de casada, então não tenho muita noção do que mudou no casório, mas sim em nossas vidas, pq como foi dito no post, o casamento em sí não provocou grandes mudanças, até pq já passávamos quase todos os dias juntos, mas a filha sim. Não dá mais pra fazer as coisas de qualquer jeito, de ultima hora, tudo tem que ser pensado se será legal pra nossa pequena, passeios, viagens… Não que as mudanças necessariamente sejam pra pior, não acho, apenas diferente. Lógico que como qualquer ser humano, sinto falta da “liberdade” de fazer o que quero, na hora que quero, da maneira que quero… mas, maternidade é isso, abdicar de algumas prioridades pelos filhos. Aprendi a planejar minha vida com base na minha princesa, principalmente horários né, pq apesar do meu esposo me ajudar, o trabalho dele não permite muita flexibilidade. Em relação a intimidade, acho que ficamos tão focados em dar carinho e amor aos pequenos que acabamos esquecendo um pouco do parceiro, e os dias tb são tão corridos que os “chamegos” acabam ficando um pouco de lado. Eu e marido tentamos sempre estar fazendo alguma coisa só nós dois, um cinema, um jantar, até um filme em casa, isso é importante demais, se não o casal acaba morrendo.

  57. Vera Farias

    Por aqui mudou muita coisa, tenho um esposo super pai, super companheiro, me ajuda em tudo, mais a parte do namoro, mudou muitíssimo, até saímos com o bebê, mais eu e meu esposo somos mais amigos, do que marido e mulher,,tudo em função do tempo Isaac e muita vezes é ele é não eu,,

  58. Gi

    Amei esse texto, porém eu tenho um probleminha, digamos a mais, não moro perto da família e é impossível sairmos para dar uma escaladinha, vamos nos virando como pode mas a tolerância e o orgulho tem segurado a onda.

  59. Anônimo

    Muda muito!!! Os hormônios pós parto nos faz pirar, sensibiliza muito agente, tive a fase de leoa brava pela cria, me isolei, não queria que parentes ficavam postando fotos fo meu filho em redes sociais…afff… Casamos e ficamos 4 anos sem filho, depois tivemos nosso primeiro filho planejado. Foi uma alegria, mas quando minha mae foi embora apos a quarentena, eu quase pirei com casa grande para limpar, almoço, janta, papinha, roupa lavar e passar mais nao dormir a noite, pq meu filho acordava pelo menos 2x a 3x. So depois que ele comecou a andar com 1a e 2m que fui conseguir fazer os afazeres domesticos com um pouco mais de calma, pois antes ele so qieria colo, chorava muito, isso me desgastava, estressava e eu comecei a reclamar muito para meu marido e ele que trabalha fora e me ajuda muitoo pouco começou a dizer q eu reclamo muito, que fiquei chata etcc… mas ajudar q é bom quase nada, acha q pq trabalha fora e sustenta a casa eu tenho que aguentar, que pagar empregada ai teria que cortar outros custos…aff…e ainda sempre mas nossas brigas indiretamente joga na minha cara q eu nao trabalho fora, como se admirasse isso…sou formada em farmacia, com especializaçao e mestrado concluido, quero voltar a trabalhar , mas sou mto coruja, meu filho tem 1ae 9m, nao é facil aguentar tudo isso..olha tenho vontade do 2 filho, mas qdo penso q terei q enfrentar tdo de novo, desanimo.

  60. Amanda

    Boa noite! Tenho 1e 3 meses juntos, e 9 meses de casados e estamos querendo ter um filho, só estamos nos estabilizar um pouco , mais todo mundo fala que esta cedo.
    Mais será mesmo eu tenho 21 anos .
    Será cedo demais? Mais fico com medo de um filho esfriar nosso casamento.
    As vezes brigamos mais sempre por bobagem nada grave . mais meu desejo de ser mãe e maior que tudo isdo . moro de alugue e todo mundo fala faz sua casa primeiro mais isso vai demorar muito! E enquando isso meu desejo vai passando também?. Me ajudem

  61. Bruna

    Eu tenho um casal de filhos. Um menino de 4 anos e uma menina de 1 aninho e meu casamento mudou da água pro vinho!
    Antes, íamos muito em moteis, era um fogo só, cinemas, restaurantes, viagens, enfim…curtimos um pouco essa fase. Ai engravidei e, pra ser sincera, meu marido eh um paizão, faz tudo pelos filhos, não deixa faltar nada, da banho neles, enfim….em relação a isso não posso reclamar maaas….nosso casamento caiu numa rotina chata. Faz exatos 5 anos que não sei o que eh ir num motel. É so sexo no quarto aqui do apto, bem rotineiro mesmo. Ja conversamos vaaarias vezes e ele diz que tem dó de gastar com motel, que não tem dinheiro pra pagar ninguém que olhe as crianças…perdemos totalmente a privacidade. Nem lembro a ultima vez que tive um orgasmo! Sempre estressada pensando se as crianças vao aparecer e eles parecem que sentem quando rola este momento. Não tem um parente para nos ajudar ficando algumas horas com eles! Mas se eu optar por me separar, vai aparecer mil pra me criticar. Nossos passeios são parques ou casa da sogra. Nada diferente disso.
    To bem aborrecida e sem saber o que fazer….vontade de sumir! Mas meus filhos estão aqui pra me fazer manter os pés no chão.

Deixe seu comentário