Dicas de segurança para crianças na praia

criança na praia

Imagem: Wikimedia

Esses dias, uma mamãe deixou uma dica super bacana em um post aqui do blog. Ela comentou que, em Balneário Camboriú, há dois hábitos muito comuns entre os veranistas que são excelentes para a segurança de bebês e crianças. Um deles é toda criança ter, no seu pulso, uma pulseirinha de identificação, com dados pessoais básicos: nome completo, nome dos pais, telefone de contato (isso é distribuído por uma equipe na praia). Assim, se ela se perder, alguém poderá contatar os pais e tranquilizá-los até que eles se encontrem (eu não posso nem imaginar um coisa dessas! Cruzes!).

A outra dica é, sempre que acontecer de uma criança se perder, alguém andar com ela pela praia batendo palmas para que todos os veranistas batam palmas juntos e, assim, os pais que perderam a criança possam identificar por onde ela está passando e encontrá-la.

São duas ideias super simples, mas bem fáceis de se colocar em prática. A primeira, basta os pais quererem, já a segunda, é uma questão de consciência coletiva, mas se a ideia for passada adiante, quem sabe não vira moda (e das positivas) em várias praias do Brasil? Eu super apoio a iniciativa!

E mais uma coisinha… Nas minhas pesquisas na internet, descobri, hoje, que em algumas praias do Guarujá tem uma iniciativa similar a essa das palmas, que foi idealizada pelo grupo Anjos do Verão. Para saber mais sobre ela, clique aqui.

Leia outros posts similares:

Modelos de boias para bebês e crianças

Bebê na praia ou piscina – o que levar

8 comentários

  1. Tarine

    Nossa cheguei a me emocionar quando comentou sobre o hábito de Balneário Camboriú de bater palmas, pq quando eu era criança me perdi dos meus pais e foi assim que os achei. Eles me colocarm sentada no ombro de um deles e todos batiam palmas até que achei minha família. Realmente funciona!

  2. Aurea

    Moro aqui ( Balneario Camboriu) há 14 anos . Isso sempre funcionou e é mto rápido o encontro da criança com os responsáveis. Ouvimos palmas e imediatamente ficamos “alertas” . Algo simples mas muito eficaz.

  3. Priscilla Aitelli

    Incrível que só fui saber desse habito em BC quando perdemos nosso sobrinho na praia… até hoje me arrepio só de lembrar… sorte que meu marido é Policial Militar e já teve a ideia de ligar para o 190 entrar em contato com os Salva-Vidas da orla para ver se tinham encontrado alguma criança com as caracteristicas do Gabriel. Sorte que tinham!!!
    Pasmem… ele estava nem um posto salva-vidas à 1 Km de onde estávamos… ele saiu da água e não viu nosso guarda-sol (naquele mar de guarda-sol, nem poderia né?!) e foi andando…
    O bunitinho ainda disse: “Foi legal ter me perdido, o Guarda Vida deixou eu ficar olhando com o binóculo!”… Imaginaaaaaa… quase infartei!!!
    Esse habito das palmas poderia ser melhor divulgado pelas prefeituras dos Balneários em todo o País!!! Hoje em dia sempre ficamos de olhos arregalados e do lado quando estamos com as crianças na praia!!!

    Bj Bj
    Pri

  4. Tatiana Cali

    Nossa !!! Emocionante esta história das palmas …. Vamos divulgar por todos os cantos !!!
    Shi, seu blog eh realmente uma utilidade pública !!!
    Bjs, Tati

  5. Mei

    Em Itapema e Laguna, Santa Catarina, isso também acontece! É ótimo, muito prático e rápido para achar os pais da criança.

  6. Camila Freitas

    Sou de Porto Alegre e veraneio em Capão da Canoa, aqui mesmo no RS, aqui também batemos palma quando uma criança se perde, na verdade o salva-vidas é que começa e todo mundo imita. Eu mesma já encontrei uma menininha argentina e caminhei com ela no colo por várias guaritas (casinha do salva-vidas) até encontrar a família. É emocionante poder ajudar a mãe que nessas horas está desesperada!

  7. Tatiana Monteiro

    Nossa! Qdo me vi emocionada pela idéia das palmas, pensei: meu Deus, fiquei manteiga derretida mesmo depois que virei mãe… mas lendo os comentários aqui percebo que não fui só eu… É um gesto emocionante mesmo! Parabéns pelo post! Sempre de gde utilidade pública! Bjs!

  8. Carolina

    Esse hábito das palmas, é comum há mtos anos em SC e no PR… sempre vi isso nesses estados tanto as palmas quanto as pulseiras com identificação! Tomara que as pessoas adotem essas medidas que dão certo!

Deixe seu comentário