Como ter vida a 2 depois que se é 3

vida a doisO baby chega e aí, junto com ele, uma alegria sem tamanho, mas também muito cansaço, entrega, correria e até desespero. Com o tempo, bem aos pouquinhos, as coisas vão entrando nos eixos, a gente vai acostumando com o novo serzinho e a nova rotina, mas parece que tem uma coisa que teima em ficar um pouco esquecidinha: a vida a dois.

Sim, é só um bebê nascer que parece que o romantismo do casal fica do lado de fora da casa. Primeiro, é porque o cansaço e a falta de tempo tomam conta de tudo, depois porque a gente só tem olhos para o filho e, por fim, porque a gente vai acostumando com essa vida de pais e esquecendo que a vida de casal também existe.

Por isso, resolvi fazer o post de hoje. Para chamar atenção para essa questão tão comum e delicada que, muitas vezes, por falta de um pouquinho de boa vontade a gente acaba esquecendo de cuidar.

Abaixo, trago para vocês algumas dicas bem simples, bem básicas, BEM ÓBVIAS até, mas que parece que a gente tem que ler em algum lugar ou ouvir de alguém para conseguir pôr em prática.

Aproveitar o tempo que o bebê dorme: sim! Essa é a mais simples e óbvia de todas. Assim que o bebê dormir, aproveitem para se curtir a dois. Nessa hora, dá para curtir o maridão sem peso na consciência e até preparar alguma surpresinha simples: preparar um jantar que ele gosta, pegar um filme para verem juntos, tomarem um vinho, blá, blá, blá…

Redescobrir programas que vocês gostam de fazer a dois: eu adorava ir ao cinema, só que com um filhote em casa isso ficou mais complicado. A alternativa foi começarmos a ver filmes e séries em casa. Aí, continuo fazendo algo que gosto só que de uma forma um pouco diferente. O mesmo vale para jantares. Se vocês gostavam de sair para jantar fora, que tal agora pedir algo e comer em casa mesmo ?

Criar uma rotina do casal: antes de termos filhos sempre ouvimos que não podemos cair na rotina. Pois eu digo: depois que os filhos chegam, o que temos que fazer é justamente criar uma rotina. Precisamos fazer isso para não corrermos o risco de simplesmente esquecermos de fazer coisas a dois, só envolvidos com o filho. Aqui, temos a rotina de ver filmes ou seriados toda sexta à noite e, aos sábados, sempre que dá, chamar alguém para jantar conosco. Assim, nos divertimos sem atrapalhar o sono tranquilo do Léo (séries se encaixam perfeitamente nessa dica. Pois como elas são longas e viciantes elas ajudam a criar essa tal rotina).

Aproveitar toda e qualquer ajuda: feliz de quem tem avós morando perto. A minha mãe mora no RS, mas minha sogra a poucas quadras da minha casa. Sempre que temos algum evento especial à noite, o Léo é despachado para lá e pegamos ele quando retornamos ou só no dia seguinte. Assim, saindo para fazer programinhas gostosos e da nossa antiga vida pré-filhos dá uma suuuuuupppperrrr animada na vida a dois. Super indico! Ah, e é claro que os avós amam!

Contratar ajuda de confiança: quem não tem avós para contar, ou prefere não ter o trabalho de tirar o pequeno de casa, pode recorrer à ajuda de uma pessoa de confiança (a famosa babá ou folguista). Super vale a pena, de vez em quando, nós mães nos despreendermos um pouco dos filhotes e aceitarmos deixá-los aos cuidados de outra pessoa, desde que seja alguém que eles não estranhem. E melhor ainda se a pessoa puder ficar no dia seguinte até mais tarde, para vocês descansarem da noite anterior. :-)

Viajar: viajar a dois! Esse é um marco pós filhos que eu tenho que confessar que ainda não tive coragem de colocar em prática. Sou meio neurótica e acabei estabelecendo alguns prazos mentais para a realização de algumas coisas marcantes, como a primeira vez do Léo dormir fora de casa ou a primeira viagem só do casal, e o tempo dessa segunda ainda não chegou.

Cuidar de VOCÊ para poder cuidar de VOCÊS dois: bom, essa é uma dica que passo adianta por total experiência pessoal. Toda vez que eu cuido melhor de mim, fazendo coisas que me fazem bem e que eu curto, eu consigo cuidar melhor de nós (de mim e do marido). Fico mais leve, mais feliz, mais tranquila e mais satisfeita e isso reflete na relação a dois. E cuidar de mim/você significa fazer o que se gosta ou o que se faz necessário, como praticar exercícios, começar uma dieta , voltar a estudar, voltar a ler mais… enfim… qualquer coisa que te dê prazer e bem estar. Você se sentindo melhor, mais leve e realizada, o resto as relações como um todo se equilibram.

Confira também:

24 comentários

  1. Camilla

    Nossa Shirley realmente ficamos tão dedicadas ao bebê que tudo é readaptação. Parece que eu estou me adaptando ao mundo de novo. É tão desafiador. Acho que viajar a dois ainda é um sonho bem distante. Quem sabe um dia. Difícil ficar sem a nossa menina. Será se a gente consegue? Um beijo

  2. Carolina

    O problema maior mesmo é que em vez de 3 se tornarem 4… Aí minha nossa! Essas coisas tornam-se distantes mesmo…rsrsr Principalmente viajar, esse sonho não realizei quando eramos só 3 agora então…, porque deixar um com avó é fácil, mas 2 já começa a complicar. Enfim em algum momento espero realizar algumas coisas. Bj

    1. jessica

      Aqui tbm eh assim somos 4 e penso igual a vc um a vó da conta agora dois…e puxado pra mim imagina pra coitada da minha mae rsrsrsrsrs…..

  3. Jéssica

    Olha estou passando exatamente isso , minha filha tem 7 meses já…gostaria de saber das mamães mais experientes …conforme a criança vai crescendo…anda … fala etc…as coisas melhoram ???
    Pq eu confesso que vivo uma disputa com meu marido , quem vai trocar a próxima fralda, quem vai ficar com ela de tarde, quem vai levantar de madrugada…me sinto mal quando me pego fazendo isso …mas minha filha ta na fase de engatinhar , escalar as coisas e levar tombo…não tenho aonde deixar ela …ate pra ir no banheiro peço pra ele segurar ela… essa parte ta bem dificil …sera que passa??????

    1. Shirley Hilgert

      Jéssica, tudo passa. Fique tranquila! :-) bjs

    2. Danielle

      Uma coisa que salva minha vida são aquelas grades de porta, eu deixei a sala ser o territorio do baby, sem coisas perigosas pra ele se machucar e quando preciso tomar um banho ou fazer comida deixo ele lá, é melhor que deixar a porta fechada porque não corre o risco de abrir em cima da maozinha e tmb a criança não estranha tanto… Dá pra ver o que ela tá fazendo fazendo, dar uma espiadinha

  4. Fernanda

    Oi, Shirley,

    Meu filhote está com 09 meses e quando ele tinha 06 meses viajei somente eu e meu marido por 10 dias e agora por 04 dias! Confesso que quase morro nos dias que antecedem a partida e na hora de sair de casa, mas vale muito a pena! Só uma dica que para mim é essencial: as viagens não podem ser paradas, pois do contrário passamos o dia inteiro pensando no filhote. Um beijo!

  5. Fabi Fontainha

    Gostei das dicas, parecem simples, mas com tantos afazeres no dia a dia com um bb, casa, trabalho etc não é tão fácil colocá-las em prática, só priorizando mesmo (e é importante fazer isso!)
    Bjs
    Fabi Fontainha
    http://www.mamaepratica.com.br

  6. KALINE

    Achei muito válido nos atentarmos ao maridão! No momento o meu baby tem 2 meses, consigo fazer o jantar e nesta semana consegui profissionais que me atenderam em casa pra fazer as unhas, corte de cabelo e massagem. Como meu bebê mama somente no peito, a vovó ficou por conta do netinho! Rs foi uma tentativa, até que deu certo! Bjs

  7. Tiza

    Muito legal esse post! Acho imprescindível a gente manter, na medida do possível, essa rotina com o maridão. Lá em casa a gente tem optado também por filminhos à noite enquanto a filhinha dorme. Tenho a felicidade de ter minha mãe por perto e contar com ela para uma curtidinha à dois!

    Tivemos uma oportunidade relâmpago de viajar para Paris quando minha filha, Alice, tinha apenas 7 meses. Foi um parto para decidir se ia ou não, mas, entre idas e vindas, optamos por ir e não nos arrependemos. Foi maravilhoso!!! Fica a dica!!!

  8. Fernanda

    Oi, Shirley,

    Meu filhote está com 09 meses e quando ele tinha 06 meses viajei somente eu e meu marido por 10 dias e agora por 04 dias! Confesso que quase morro nos dias que antecedem a partida e na hora de sair de casa, mas vale muito a pena! Só uma dica que para mim é essencial: as viagens não podem ser paradas, pois do contrário passamos o dia inteiro pensando no filhote. Um beijo!

  9. Caroline

    Amei. É a pura verdade, o meu marido teve que pegar um pouco no meu pé p eu voltar a enxergar nós dois, pois fiquei tão focada no papel de mãe que esqueci dele. Mas hj procuro fazer o que vc propõe, menos viajar sem minha pequena. Esse passo acho que não conseguirei dar. Ah e ainda não durmo sem minha bebê, mas ela ainda tem 5 meses…

    Obrigada pelas dicas. Simplesmente amo seus textos, sempre ajudando muitas mãezinhas. Parabéns!!!

  10. Ana

    Isso funcionou bem com o primeiro filho, mas na segunda gravidez, vieram gêmeos. Pergunta se consigo fazer alguma dessas coisas e se alguém quer ficar com 3 crianças pequenas… :(

  11. Náy

    Muito complicada essa questão.A minha bb tem apenas 5 meses e tudo o que eu mais queria era ter uma pessoa da minha inteira confiança para ficar umas horinhas com ela de vez em quando, pois ela não me deixa fazer absolutamente nada a não ser cuidar dela.O marido ficou para escanteio.O pior é que ela dorme depois do marido, ou seja, eu e ele nunca temos um tempo só nosso.É complicado.

  12. Djuliane

    Preciso colocar isso em prática pra ontem.. :)

  13. Katharina

    Oi Shirley! Minha valentina já está com três anos e agora que as coisas estão voltando ao normal por aqui mas viajar sem ela me dá um negócio só de pensar, quem sabe daqui mais três anos kkkkk. Bjs e obrigada pela dica.

  14. viviane

    Como sempre super bom o posto de hj… Aos poucos vamos lembrando q temos namorido e não o Pai como nos vemos falando com o marido (e antes do filho achava pessimo a esposa chamar o homem de pai)… Eu vou ser sincera não tive coragem de ficar uma noite inteira longe do Vinicius, viajar então só se o pingente estiver junto, rsrsrs… Bem ou mal somos uma familia… Mas com o tempo as escapadinhas de casal vão aumentando e voltando a um ritmo satifatorio de casal novamente, tudo bem q pisando em brinquedos, tirando o ursinho do sofa, rsrsrs… Ah e pelo menos 1x por semana deixo o serviço de lado e cuido de coisas da familia como comprar algo para a casa, ir à lavanderia, me sinto bem cuidando do lar, tb toda sexta-feira tenho meu horario fixo em escova e mão, o interessante é fiquei muito mais feminina depois do meu filho… Parabéns pelo post e pelo blog é o melhor da categoria ! ! ! Me identifico muito com ele, ainda mais depois dos 10 meses do Leo…

  15. Grazi

    É sempre bom alguém nos lembrar que temos outras coisas além do filho, pq um bebê toma mesmo todo nosso tempo se não nos organizarmos.
    A única coisa que ainda não fizemos foi viajar sem ele e sair somente 2 vezes sem (um casamento e um aniversário num barzinho.) em 8 meses e meio. Onde eu e meu marido vamos levamos sempre nosso pacotinho rs! Mesmo minha sogra e cunhada morando a algumas quadras de distância e sabendo que elas ficariam com ele sempre, não fico confortável de deixar ele com elas…talvez pq , como disse uma amiga, sou uma mãe leoa.
    Mas acho que tudo tem seu tempo e daqui a pouco ele cresce e eu vou me sentir mais segura para sairmos só eu e meu marido.
    beijos

  16. Tatiana Cali

    Desde que me tornei mãe coloquei uma coisa pra mim, só vou onde meus filhos tb podem ir. Pode parecer maluquice mas meu mais velho só passou a noite com minha mãe para curtirmos um dia dos namorados a sós ele tinha quase três anos. Ficamos tão desorientados que quando vimos estávamos de volta em casa as 22h. Com a pequena, ela ficou com o irmão com minha mãe pela primeira vez esta sexta-feira (já com 1ano e 4 meses). Fomos a um jantar com os amigos mas eu tive que ir dormir lá pois não sabíamos como seria o acordar… Mas foi ótimo ! Agora, viajar sem eles… Não! Isso eu ainda não conseguiria!
    Amei o texto!
    Bjs, Tati.

  17. Luciane

    Oi, estou com duas filhotas, uma de 3 anos e outra de 01 ano, nunca me senti cinfirtavel em deixá-las com minha sogra que nunca aceitou meu relacionamento e muito menos minhas filhas, hoje ela diz que as ama, mas não consigo acreditar, outro dia pendurou minha filha na janela pra ela ver as flores… Fiquei horrorizada e com muito mais receio de deixá-las com ela, por outro lado meu marido me cobra … Diz que entrou a esposa na maternidade e saiu a mãe … Costuma me falar sido na frente dos outros e fico arrasada… O que faço ?

    1. Shirley Hilgert

      Luciane, a minha dica é você tentar equilibrar um pouco mais as coisas e tentar encontrar tempo para você também. Bjs

  18. Paula

    Estou passando por isso, minha bb tem 6 meses, ando muito cansada, não tenho ajuda de ninguém e ainda tem as cobranças do meu marido, qdo minha bb dorme eu quero descansar, dormir dormir dormir, já fiz até exames está tudo normal, mas esse cansaço me deixa louca. Dou conta de tudo, mas sozinha isso é muito exaustivo. Infelizmente não conheço ninguém de confiança para deixar minha pequena, e aos poucos fui deixando de fazer coisas que eu gostava demais, como fazer as unhas, massagens, enfim fui me deixando de lado, e logo meu esposo tb foi ficando de lado, espero reverter logo essa situação.
    Adorei as dicas!

  19. Alessandra Bencke

    Amei o post! Semana passada fiz a primeira viagem a dois depois que a minha menina nasceu. Ela tem 1 e 4 meses e eu também estou grávida de 21 semanas, daí já planejávamos a tempo, mas semana passada tomei coragem. Fiquei dois dias e foi muito bom. Bom para nós como casal, pois precisávamos de um tempo nosso antes do bebê nascer e também foi muito tranquilo para minha menina, ela nem sentiu falta e nem chorou. Como sempre dizem o mais difícil é para nós como mães. Hehe. Aproveita que teu segundo não nasceu e faz um passeio a dois. Beijos

  20. Elisângela

    Eu esqueci tanto de mim que engordei muito e fiquei pré diabética, agora é cuidar da minha saúde e correr atrás do prejuízo. Casa e marido ficaram totalmente de lado.

Deixe seu comentário