Doenças de verão mais comuns em crianças

criança verãoO verão ainda nem começou oficialmente, mas o calor já tem sido de matar. Tem dias que, se já é complicado para nós, para nossos pequenos se torna quase impossível! E ainda, para completar, não é pouco comum que apareçam, junto com o tal calor, algumas doenças e problemas típicos dessa época do ano.

Assim, para evitar surpresas desagradáveis, trago aqui para vocês uma relação de alguns probleminhas que são mais comuns nessa época do ano, com dicas para evitar e tratar. Afinal, se já estivermos cientes e preparadas, passar por eles será mais fácil.

Espero que ajude!

Gastroenterite: como, no verão e nas férias, passamos mais tempo fora de casa, acabamos oferendo para as crianças alimentos dos quais não temos 100% de certeza sobre a sua procedência. Assim, muitas vezes, eles ingerem alimentos mal lavados e até água contaminada (que é usada no preparo de sucos, por exemplo) e isso costuma levar a gastroenterite a qual, por sua vez, causa vômito, diarreia e desidratação. Para evitar a gastroenterite, a dica é sempre oferecer água potável (mineral, filtrada ou fervida) e alimentos leves e muito bem lavados (ou de procedência segura, para você ter certeza de que foram bem higienizados). Ainda, evitar, a todo custo, oferecer alimentos fritos que são vendidos na beira da praia, como salgadinhos, camarão (um veneno!) e peixe.

Insolação:  é resultado do excesso de exposição ao sol atrelado à baixa ingestão de líquidos. Os seus sintomas são mal estar, dor de cabeça, náusea e tontura. Para evitá-la, o ideal é só levar para praia e piscina crianças com mais de seis meses, apenas nos horários em que o sol não está tão forte (antes das 10h e após as 16h), usar protetor solar adequado para crianças (e só após elas já terem seis meses) e oferecer líquido em abundância. Ainda, mesmo que a criança esteja no sol nos horários adequados, ela não pode ficar todo o tempo exposta a ele. É importante que se faça pausas na brincadeira para ela descansar à sombra e tomar líquido.

impetigo

Imagem: Site GNT

Impetigo: o impetigo são uns pontos ou pequenas manchas vermelhas na pele que podem apresentar pequenas bolhas com líquido, que desenvolverão uma casca amarela. Ele surge por um desequilíbrio das bactérias que existem naturalmente na pele e podem ser causados por picadas de inseto ou outros pequenos machucados (assaduras fortes, que levam a pequenas fissuras, são grandes causadoras). Para tratar o problema, é necessária a orientação de um médico, pois envolve o uso de medicamentos. Para evitar a reincidência do problema, é muito importante a higiene do local e das roupas que a criança usa.

brotoeja

Imagem: Tua Saúde

Brotoeja: a brotoeja é uma erupção cutânea causada pelo excesso de suor. Ela costuma aparecer nas áreas em que a criança sua mais, como pescoço, peito, costas e “dobrinhas” e no formato de pequenas bolinhas vermelhas. O seu tratamento pode ser feito de diversas formas. Clique aqui e confira um post completo sobre esse assunto.

Micose: a micose é uma infecção causada por fungos e a sua principal causa é o excesso de umidade. Ela causa coceira e lesões de dois tipos: manchas esbranquiçadas ou acastanhadas ou manchas vermelhas, descamativas e arredondadas. Para evitar o aparecimento de micose, bebês e crianças devem ter suas roupas de banho trocadas toda vez que saírem da água. Ou seja, o ideal é a criança, quando fora da água, estar sempre com roupas secas.

Conjuntivite: a conjuntivite pode ser de quatro tipos – viral (quando associada à gripe), causada por infecção bacteriana, alérgica ou causada por queimadura solar. Para identificar se trata-se desse último caso, basta puxar as pálpebras e verificar se há uma linha esbranquiçada na área vermelha. Em qualquer um dos casos, o problema deixa os olhos inflamados, vermelhos e, às vezes, liberando pus. O tratamento deve ser indicado por um médico, que irá identificar o causador do problema.

Otite: a otite é causada por fungo ou bactéria e, no verão, um dos principais motivos do seu aparecimento é a criança passar muito tempo em contato com água, no mar, piscina, lago ou outros locais. Ela causa um zumbido no ouvido e também dor intensa. O tratamento deve ser indicado por um médico.

Picadas de insetos: no verão, os insetos costumam se proliferar e, quando picam crianças, podem levar a pequenas alergias. Para evitar o problema, o ideal é usar telas nas janelas e usar repelente indicado para crianças. Caso a picada inflame, aí devem ser aplicados medicamentos de uso tópico, por indicação do pediatra. Em alguns casos, crianças alérgicas tem uma reação exagerada à picada (principalmente de formiga e abelha) e podem ter, inclusive, choque anafilático. Nesses casos, o indicação é procurar um médico com a máxima urgência.

Dengue:  em alguns locais do Brasil, a dengue é uma das doenças de verão mais comuns em crianças. Seus sintomas são:  febre alta, dores de cabeça, dor nos músculos e nas articulações, perda de apetite, náuseas e manchas vermelhas por todo o corpo, acompanhadas de coceiras. Como os sintomas parecido a uma forte gripe, tome muito cuidado antes de medicar seu filho,pois medicamentos à base de ácido acetilsalicílico não são indicados (O ideal é você procurar um médico para identificarem e tratarem corretamente o problema).

roseola

Exemplo de Roséola

Roséola: a Roséola é uma doença mais comum na primavera do que no verão, mas como também tem incidência nessa época, resolvi inclui-la nessa lista. Ela causa febre e manchas vermelhas na pele e costuma atingir crianças de seis a 36 meses. Primeiro aparece a febre, que dura em torno de três dias, e depois vem as manchas (que costuma acontecer no segundo dia). Ela é uma doença infecto-contagiosa, que passa de criança para criança, e que não possui vacina ainda. Quando identificados os sintomas, um médico deverá ser contatado, mas todas as crianças devem ser tratadas com descanso e muita ingestão de líquidos.

 

Dicas para evitar as principais doenças e problemas de verão:

  • Não exponha a criança ao sol forte e por longos períodos de tempo (sol só nos horários seguros e com intervalos na sombra)
  • Use sempre protetor solar (em crianças acima de seis meses)
  • Ofereça muito líquido
  • Ofereça sempre água potável ou utilize água potável no preparo de sucos naturais
  • Lave bem os alimentos antes de dar para as crianças
  • Ofereça alimentos de origem segura
  • Ofereça alimentos leves e evite frituras e alimentos crus
  • Não deixe a criança com roupas úmidas
  • Não deixe a criança ficar por longos períodos de tempo dentro da água
  • Evite locais fechados e abafados

 Leia outros posts que irão garantir seu bem estar e segurança nesse verão:

Cuidados para evitar afogamento

Dicas de segurança para crianças na praia

Bebê na praia ou piscina – o que levar

Modelos de boias para bebês e crianças

 

Fontes de pesquisa:

Folha de São Paulo – De diarreia a insolação, saiba prevenir problemas de verão em crianças

GNT – Doenças de verão: saiba quais são mais comuns em crianças

Pais e Filhos – Conheça as doenças mais comuns no verão e saiba como evitá-las

1 comentário

  1. Georgia

    Olá, meu bebê teve roséola, acontece que o bebê está bem e fica com febre alta, por 3 dias, inexplicável, do nada T_T depois o corpo pinta, pode acontecer ate o rosto ficar pintado, e se a criança estiver em um ambiente quente, as manchas ficam mais fortes, meu filho é bem branquinho, só não pintou o rosto e as partes intimas, o resto ficou todo rosadinho. Gente, muito chato isso. Levei no médico e pra melhorar, é só repouso, com bastante ingestão de água, longe de crianças de até 4 anos de idade. Peguei 6 dias de atestado pra ficar com ele em casa.

Deixe seu comentário