A minha experiência (frustrante) com a amamentação

amamentacaoQuando eu estava grávida do Léo, tive uma conversa com uma amiga querida e suas palavras me marcaram muito. Ela me contou detalhes sobre a sua experiência com a amamentação e eu nunca mais esqueci o que ela me disse. Primeiro, ela me preparou para o fato de que amamentar não é fácil. Ela falou sobre todas as dificuldades iniciais que teve. Contou que seu peito ficou tão, mas tão machucado que, certa vez, seu filho vomitou leite com sangue. Desesperada por achar que era alguma coisa séria, ela o levou correndo ao pediatra, que pediu para ver o bico do seio dela e deu o veredito: “Esse sangue é seu. Seu peito está tão machucado que, quando o Lucas mama, ele ingere sangue junto e depois vomita.”.

Mas esse foi só o lado B da história. Logo em seguida, ela veio com o lado A: “Mas, Shi, vale à pena. Vale à pena toda a dor, todo o sofrimento, todo o choro (sim, ela amamentava chorando), pois depois que as primeiras semanas passam, tudo é muito diferente. O que fica é aquele prazer enorme de ver a cria no seu  peito, vocês dois trocando olhares, a carinha dele de saciedade, um amor que não cabe em si”. E ela ainda disse: “O Léo vai tocar o seu peito com aquela mãozinha fofa e quentinha, você vai sentir o cheirinho dele e quando terminar de amamentar, você vai sentir como se tivesse tido um orgasmo. É um prazer sem explicação”.

E é claro que eu gravei muito mais o segundo relato que o primeiro. É claro que só queria sabe da parte boa, mas, no meu caso, o que houve é que nem a primeira nem a segunda parte da história aconteceram. O que quero dizer é que eu não tive os peitos machucados nem toda essa dor horrenda que a minha amiga contou. Mas eu também não senti todo aquele prazer de amamentar. Desde o início, amamentar o Léo foi um desafio. Primeiro, porque meu leite demorou bastante para descer (quatro dias), depois, porque quando ele desceu, não sei se porque era pouco ou o que, mas o Léo começava a mamar e dormia. Sim, ele dava duas sugadinhas pegava no sono e não tinha cristo que o fizesse acordar.

No desespero para o Léo mamar, chegamos a recorrer a uma consultora de amamentação, que veio até a nossa casa ver o que estava acontecendo e nos orientar, mas mesmo assim as coisas não se resolveram 100%. Vendo que ele ia para o meu peito e dormia segundos depois, ela sugeriu que eu usasse uma sonda para amamenta-lo e lá fui eu. Vasculhei meia São Paulo atrás da tal sonda e encontrei. Assim que a sonda entrou na nossa rotina, as coisas melhoraram um pouco (ele mamava sem dormir), mas eu tinha que usar dia e noite, diversas vezes ao dia (todas as vezes que amamentava) e com a ajuda da minha mãe e do meu marido (eu segurava o Léo, o Otávio segurava o caninho da sonda, minha mãe as mãozinha do pequeno para ele não puxar a parafernália toda e termos que começar tudo do zero).

E assim foi. Por mais de um mês, eu usei a tal da sonda. E usei também bombinha de sucção e fiz tudo que me mandavam para ter mais leite. Nesse tempo todo, me cobrei, me culpei, me questionei e simplesmente não entendia por que as coisas estavam sendo assim. Por que eu não tinha leite suficiente. Por que por mais que eu fizesse, ainda continuava sendo complicado.

Mas aí, pouco a pouco, as coisas foram melhorando. O meu leite foi aumentando e eu achei que a fase difícil tinha passado. Ledo engano. Aumentou meu leite, começou o refluxo oculto do Léo (causado pela sua APLV). Nesse momento, eu tinha leite, sabia que tinha, via que tinha, confiava que podia amamentar o Léo, mas aí era ele que não conseguia mamar. Toda vez que ele vinha mamar, ele abocanhava meu peito, sugava um pouco e começava o berreiro. Léo gritava como se a gente estivesse batendo nele e jogava o corpinho para trás. Como ele não regurgitava, demorou um pouco para identificarmos o refluxo e aí, cada vez que eu dava o peito, era aquele desespero.

Minha vontade era de chorar. Na verdade, eu chorei várias vezes. Como é que podia uma criança sofrer tanto enquanto mamava? Não devia ser uma hora de prazer máximo para nós dois? Mas não foi. Se foi dolorido para o Léo mamar (o refluxo deixou-o com esofagite), para mim foi dilacerante vê-lo sofrendo enquanto estava no meu peito. Algo digno de eu achar que precisaria de terapia para superar o trauma.

E assim foi, aos trancos e barrancos, até o Léo ter quase três meses, período que ele parou de mamar no meu peito definitivamente. E quem pensa que a partir daí as coisas ficaram mais fáceis, afinal, dar mamadeira é algo “simples”, está totalmente enganado. Para mim foi horrível dar mamadeira para o Léo, pois eu queria, muito, muito, muito amamentar. E, até ele completar seis meses, eu só dava de mamar longe dos olhares recriminadores de quem não sabia toda a nossa história (nunca dei mamadeira em público para ele até ele ter seis meses!!! Isso mesmo que vocês leram!). E completando esse quadro, tinha o fato do refluxo oculto do Léo ter demorado para passar e ele continuar chorando para mamar por meses, e meses, e meses.

Enfim, essa é a minha história. Que já foi abordada aqui algumas vezes. Mas hoje senti que era hora de tocar no assunto de novo. Primeiro porque hoje já consigo falar sobre o assunto sem grandes traumas e depois porque vejo muitas mães em frangalhos porque estão vivendo algo bem parecido. E então, estou usando esse post para dizer:  VOCÊ NÃO É A ÚNICA. Você, eu e um tantão de mães não tem a experiência da amamentação como nos seus sonhos e é assim mesmo. O que importa é que a gente fez ou faz a nossa parte, que a gente tentou ou segue tentando o nosso melhor e aí, se não deu, não deu e pronto. Bola pra frente e vamos ser felizes,  curtir nossos filhotes lindos e fofos que é isso que eles precisam. E sem peso na consciência e dor na alma, porque, vamos ser sinceras, ninguém merece. Nem nós, nem eles!

Confira 10 dicas para aumentar a produção de leite:

Leia outros posts similares:

46 comentários

  1. Mariana Ricoldy

    Amamentar o meu Miguel é um dos momentos mais especiais, um momento único meu e dele, enquanto ele mama, passa a mão em meu rosto, tenta pegar meu cabelo, adora colocar a mão em minha boca. Quando estava grávida sempre tive receio de não conseguir amamentar, como sou profissional da área da saúde sempre usei o discurso sobre não existir leite fraco e que todas as mães são capazes de amamentar, e tinha muito medo de “pagar a língua”. O amamentar pode ser difícil e doloroso para muitas mulheres, mas com certeza é muito mais prazeroso. Eu fui agraciada e o ato da amamentação foi muito fácil, sofri mais pelo fato de meu pequeno precisar ficar na encubadora e demorar quase 1 semana para que eu pudesse pegá-lo no colo e amamentá-lo, mas graças a Deus um dia após a cesária meus seios estavam cheios, talvez essa foi a pior parte, pois o seios cheios exigiam que eu retirasse leite a cada 3 horas, até mesmo de madrugada e ele tão longe de mim. Para quem não acredita o corpo da mulher é completamente preparado para ser mãe: o Miguel nasceu com 34 semanas em uma sexta feira a tarde, no sábado ao meio dia quando massagiei o meu seio o colostro desceu, no domingo os meus seios estavam cheios, e mesmo ele não utilizando o meu leite (teve que ficar em jejum), meu leite gotejava pelo bico sem eu nem precisar apertar, principalmente nos horários que ele precisaria mamar, impressionante. Hoje o meu bebê tem 9 meses e eu ainda amamento, amo amamentar e sou completamente a favor de tentarmos de tudo para ter esse prazer, mas também respeito as mães que não conseguem ou que realmente não podem amamentar. Acima de tudo o que importa é o amor, esse realmente vale muito mais!!!

  2. Aryadne

    Shirley, comigo foi vem parecido, mas o fato era que meu filho chorava de fome… Complementei as mamadas com a fórmula e depois de 40 dias desencanei e passei para a mamadeira de vez! Pra mim foi muito bom, pude usar o leite antirefluxo e as noites de sono começaram a ser cada vez melhores, hoje com seis meses meu filho nunce teve nenhum problema de saúde, nem mesmo um resfriado, se pudesse teria amamentado mais, mas não me sinto culpada, acho que ser mãe é escolher o que é melhor pros nossos filhos e uma amiga me disse algo que levo sempre comigo: o seu filho fica muito melhor quando você está bem e feliz!

  3. Ana

    Olá!
    Minha experiência e bem parecida com a sua do sofrimento também.
    Minha pequena tem três meses e com suspeita de APLV. Quando nasceu meu leite demorou cinco dias para descer e nunca foi o suficiente para ela. Por ignorância do meu pediatra que dizia que o leite era suficiente a minha bebe ficou desidratada e quase com anemia. Tive mastite e amamentava chorando de soluçar. Enfim, hoje ela ainda mama no peito ( e eu sem poder ingerir nada que tenha leite em sua composição, o que não e nada fácil) e também faz o complemento com leite artificial na mamadeira, foi que se adaptou melhor a nossa realidade, de mãe, dona de casa, esposa, que fica sozinha o dia todo. Mas pior mesmo e o olhar acusador das pessoas e as frases horríveis, como se não amimasse minha filha por dar a ela uma mamadeira.
    Amo minha filha mais do que tudo nesse mundo e vou continuar dando a mamadeira.
    Obrigada por compartilhar sua história.
    Ana.

  4. Sabrina

    Parece que vc contou a minha história. Minha pequena fará 3 meses daqui há dois dias. Mas não consigo amamentar ela exclusivamente no peito, como acontecia com o seu Léo, ela dorme e não há nada q eu faça q consiga acorda-la. Tb já tentei a técnica da sonda por um mês. Mas vc sabe das dificuldades e acabei desistindo. Hj ela mama peito e mamadeira e peço a Deus todos os dias para ela não largar meu peito. Me sinto muito frustada pq sempre sonhei em amamentar. Na maternidade era essa sempre a minha aflição. Meu leite demorou 5 dias para descer e nunca foi o suficiente pra ela. Ela não engordou no primeiro mês de vida enquanto estava só no peito, e olha q ela ficava o dia inteiro no peito. Mas como vc disse, bola pra frente né? Estou tentando ainda superar isso. Faço tudo q dizem q aumenta a produção mas nada ajuda. Obg por compartilhar sua história. Me ajudou a perceber que isso é mais comum que eu imaginava e parar de me culpar tanto.

  5. Danielle Mariano

    Oi Shirley, nossa me identifiquei muito com o seu texto, eu tb não consegui amamentar e olha que tentei, eu tenho redução de estômago e engravidei com 8 meses de cirurgia( sendo que o recomendado e seguro e engravidar com dois anos), a minha gravidez até que foi calma só no final que teve complicações sou Cardiopata e com 30 semanas já estava com dilatação e muitas contrações como não podia tomar Inibina por causa do coração minha filha nasceu com 36 semanas e um dia. Nasceu linda cumprida com 49 cm e 2,615 kg. Já no hospital ela não queria mamar pegava o peito e dormia igual ao seu Léo, e as enfermeiras me deram toda a ajuda necessária, na hora de toda as mamadas ( de 2 em 2 horas) tirava toda a roupinha dela para ela acordar e mamar, e foi assim os 15 primeiros dias até ir a primeira consulta com a pediatra, foi aí que começou o meu sofrimento, amamentava de duas em duas horas, mal dormia, só vivia para amamentar pois era um sonho mais a Malú não ganhava peso, tirava leite do peito com bombinha ( pois leite não faltava), chegava a tirar 300 ml por dia e ela mamava cerca de 20 minutos para mais no meu peito, e não víamos resultado, fui para o GAAM ( Grupo Aux. a Amamentação Materna) fiz de tudo, dava o peito e logo depois 50 ml do meu Leite retirado com a bombinha, ia uma vez por semana no GAAM pesar a Malú e nada nada surtia efeito, fiquei assim até ela ter 3 meses e 3 semanas. Tentei de tudo, sofri demais, olhava para o meu marido e falava: Vc viu eu estou tentando, eu estou me esforçando, eu juro tô fazendo tudo certo!!! Me sentia mal, as pessoas me julgavam diziam que eu não tinha força de vontade, que eu não dava o peito suficiente para a Menina, porra só eu sei o que eu passei.
    Até que um dia na consulta com a pediatra ( que tentou ao máximo respeitar minha vontade de amamentar, mesmo vendo que não surtia efeito), ela sugeriu dar mamadeira para a Malú pois meu leite era mais rico em água do que gordura ( por causa da Bariatrica) comecei a chorar pois me senti um fracasso como mãe, mais a Malú estava com quase 4 meses e pesava 3,800 kg, dei a primeira mamadeira chorando e dizendo que eu era um fracasso que não me esforcei o suficiente, quando meu marido pegou a minha mão e disse: Dani vc foi muito além do que muita mãe vc dava o peito as 00:00 h depois as 2:00 h, as 4:00h , as 6:00 as 8:00h e assim ia o dia inteiro, vc não dorme mais direito, come muito mais do que vc precisa para tentar dar um leite de qualidade, toma soja mesmo te fazendo mal ( depois da Bariatrica desenvolvi uma leve intolerância a alguns alimentos) faz de tudo e disse que não fez o suficiente? Vc foi muito mais além!!! Aos poucos a Malu parou o peito e ficou só com a mamadeira, o ganho de peso dela foi absurdo depois que começou a tomar fórmulas, e ouvi de muitas pessoas coisas horríveis por optar por parar a amamentar no peito mais hoje vejo que fiz a escolha certa, hoje a Malú esta ótima, saudável, e com peso dentro da normalidade.
    Obrigada pelo seu relato, pois muitas mães se sentem sozinhas e é bom saber que não somos a única e sim que existem muitas que passam coisas parecidas ou até mesmo pior do que as nossas experiências!!!
    Beijos

  6. Mariana

    Bom dia, estou sentindo toda essa angustia…ao ler sei post meus olhos foram se enchendo de lagrimas! Minha fihinha esta com 55 dias e meu leite demorou a descer e quando veio não era suficiente, usei a sonda (e realmente não é nada prático aquela coisa além de ser cara) tomei 3 caixas de Equilid, dois comprimidos por dia e mesmo assim nada, a própria consultora não me deu esperança e minha filha já não aceita o peito mais … está na mamadeira com fórmula…me sinto angustiada, incompleta e incapaz por não conseguir e ainda tem os comentáos qie não tornam as coisas mais fáceis :( meu leite está secando de vez e minha bebê ainda é tão pequena tenho o sentimento de culpa mas não sei mais o que fazer….

  7. Pâmela

    Minha filha completou um ano mês passado e é o que tenho de mais precioso, meu amor maior… Mas tbm não consegui amamentar… tinha mt leite, mas ela não mamava, não pegou o peito de jeito nenhum e quando consegui ( com bico de silicone :/) ela só dormia… precisamos interná-la por estar perdendo mt peso… e por fim dar mamadeira (a qual ela tbm não aceitou mt bem)… Ainda sofro ao lembrar dos primeiros seis meses, e da dor que senti ao dar a 1ª mamadeira pra ela… quis morrer de tanto sofrimento… acho que para uma mãe que sempre sonhou amamentar e não conseguiu, como eu, não tem dor maior… nem consigo ver outras mães amamentando… espero que um dia consiga superar o trauma.

  8. giselle

    Além da nossa frustração por não sentir aquele tal “prazer” da amamentação , temos ainda que fugir de okhares que nos recriminam a todo tempo nos fazendo sentir péssima. .. passei por isso também ….Alice com 3 meses berrava no peito como se alguem estivesse batento…enfim…..Parabéns pelo blog e por compartilhar suas experiências conosco. ..obrigada sou sua fã. .rs

  9. Nathalia

    Como amamentar pode ser algo tão complexo? Comigo foi assim também, tentei amamentar, mas simplesmente nem ela e nem eu conseguíamos, procurei todos os tipos de ajuda para não me sentir culpada, mas até hoje falo desse assunto com uma dor no peito… Era um momento muito frustrante pra mim, pois como mãe eu deveria amamentar… e é isso que eu escuto até hoje depois de oito meses, olhares críticos e comentários desnecessários quando eu tiro a mamadeira da bolsa. Espero que o que eu sinto até hoje passe, eu não comento mais com ninguém sobre o assunto, mas ele fica rondando meus pensamentos toda vez que escuto uma crítica ou um olhar de espanto por não amamentar… Seria tão mais fácil se as pessoas antes de “comentar” pensassem que nem tudo na vida é simples como foi pra elas e que qualquer comentário pode magoar. Mas como você disse, o importante é que minha filha é saudável, linda e me ama muito (vejo isso nos seus olhinhos) mesmo eu não podendo amamentá-la. Obrigada por dividir sua experiência, às vezes a gente pensa que estamos sozinhas nesse mundo materno!

  10. Areliza

    Eu entendo o que vc sentiu quando disse que chorou pq queria muito amamentar e não estava dando certo.
    Tive o Benício de parto normal e meu leite desceu no mesmo dia. Porém, saí da maternidade com o peito machucado e as coisas só pioraram. A pega dele era certinha, mas a desavisada aqui hidratou ou mamilos durante toda a gestação. Então já viu, né?! Quando ele completou 15 dias o pediatra viu que não estava ganhando o peso ideal e imediatamente me encaminhou pro banco de leite da cidade, além de me passar um remédio que aumento a produção de leite. Lá no banco as meninas verificaram que a pega dele era correta e me ensinaram a forma certa de amamentar (esperar o peito esvaziar, e não 30 minutos em cada um como muitos dizem). Também usei um disco em gel que ajudou na cicatrização dos mamilos e, cerca de 30 dias depois, já não sofria mais com a amamentação,
    Nos primeiros dias, como ele demorava horas pra mamar e doía muito, eu chorava a cada mamada e chegava a dar calafrios quando ele abria a boquinha pra fazer a pega. Minha mãe insistia pra eu dar NAN e eu acabei cedendo. Mas confesso que chorei mais com a mamadeira do que por causa da dor no peito. Pra minha sorte, ele não gostou do leite e nem da mamadeira. Hoje ele está com quase 5 meses e o único alimento que recebe é meu leite. Sua amiga tem toda a razão quando descreve as sensações de amamentar. Chega a ser inexplicável e, confesso, fico muito triste quando uma mãe diz que queria ter amamentando e não conseguiu. Não que eu seja dessas que acredita que vínculo não se constrói com mamadeira. Longe disso! Mas é que realmente rola uma troca muito especial, é um contato muito intenso. Agora o sofrimento vai ser no desmame. Rsrs

  11. daniele

    minha experiencia tambem nao foi uma das melhores ate o dia do vitor nascer era um sonho saber que em pouco tempo poderia amamentar.depois meu sonho se tornou um pesadelo cada vez que ia amamentar ja comecava a chorar meus mamilos partiram a ponto de sangrar,tive mastite,entre tantas outras coisas ate que com 2 meses decidi tirar ele do peito.mas em nhum momento me arrependi de dar mamadeira, apartir desse momento e que tive meu sonho realizado de ser mae.

  12. Priscila Castro

    Foi bom ler seu relato, porque eu passei por uma situação parecida: Tive apenas dois episódios de machucados no bico e fora isso foi tudo maravilhoso, só que meu leite foi secando, cada dia eu sentia encher menos, encher menos, até que não encheu… aí meu bebe chorava, de fome claro, eu passei a dar mamadeira, Rafa mamaou no peito apenas dois meses e meio e até hoje eu sinto vergonha de dar mamadeira em publico, ontem mesmo fui no forum e uma mulher disse pra mim: tão pequenininho e mamando mamadeira, não mama no peite não??? Me dignei a responder: Pois é, ele não teve essa sorte… Me sentindo um lixo, claro! Isso dói na gente! Obrigada por compartilhar sua historia e me fazer sentir um pouco mais humana, porque as vezes me sinto um ET dando mamadeira pro meu pequeno rsrs

  13. Marcia

    Shirley,
    Assim como vc, sonhei e quis muito amamentar. Me preparei. Fiz curso. Achei que era a coisa mais natural e simples do mundo. Não foi o que ocorreu. Tb tive muitas dificuldades e recorri à ajuda profissional. Sou do Rio e pedi socorro ao Instituto Fernandes Figueira (referência no assunto). Fui colocada no colo e muitíssimo bem orientada. Tb recorri à sonda, mas, tb comigo, não resolveu em definitivo o problema. Não me aprofundarei no relato das minhas dificuldades, que, diga-se de passagem, foram bem diversas das tuas, para evitar julgamentos e pitacos infundados, mas, para encurtar, tive que complementar desde muito cedo, embora tivesse bastante leite. Tb sofri horrores. Chorava o dia todo e me culpava absurdamente. Tb morria de vergonha de dar mamadeira em público e cheguei a não sair de casa em razão disso. Até que, percebi que não estava curtindo minha filha e que os dias se passavam sem que eu pudesse aproveitar cada coisa legal que acontecia na vida da minha bebê. Depois de muito sofrimento e de longos 3 meses e meio de td que se possa imaginar ser possível fazer para amamentar, resolvi que tinha que ser uma pessoa mais leve, serena e FELIZ para cuidar da minha bebê. Hj, apesar dos julgamentos, indagações e insinuações de que deveria ter feito isso ou aquilo, vejo que a resposta está no bercinho dormindo agora! Uma bebê linda, saudável, esperta e que cresce cheia de amor! Todas sabemos que o leite materno é o melhor alimento para um bebê, mas, há muito mais a ser oferecido por nós, mães! Ah! Por fim, queria deixar registrado que conheci o seu blog justamente por esse tema e saiba que seu relato me deu muita força, para que eu seguisse em frente e não me sentisse menos mãe! Como vc disse, temos que dar o nosso melhor sempre! Definitivamente, é isso que conta! Bj grande!

  14. Aline

    Umas das coisas mais difíceis é ter que enfrentar a maldade das pessoas que não sabem o que se passa realmente e num momento tão frágil e difícil das nossas vidas! Como as pessoas são terríveis e intolerantes com as dificuldades que passamos na amamentação! Triste, lamentável!

  15. Roberta Chaves

    Olá,
    Também tive muita dificuldade para amamentar!
    Tenho um bebê com 2 meses e logo com 7 dias precisei iniciar leite artificial, pois ele gritava de fome!
    Tentei continuar amamentando mas quase não tenho leite! Me esforcei bastante, mas acho que o cansaço tem dificultado bastante, pois tenho outra filha de três anos que cobra bastante atenção e meu marido trabalha viajando, ou seja, tenho que encarar os dois sozinha com a ajuda de uma babá, pois minha mãe trabalha e não pode ajudar! Enfim, vários fatores dificultaram e frustraram minha vontade de amamentar!
    Ainda ofereço o peito, mas como tem pouco leite, ele se irrita rápido e começa a chorar!! Fico muito angustiada por isso, mas tento pensar quero amor e cuidado que tenho com ele superam tudo e é isso que importa! Mas confesso que fiquei arrasada por não conseguir amamentar e fico constrangida em dar mamadeira na frente de estranhos.

  16. Camila

    Vc contou minha história. TUDO idêntico, incrível! Aluguei bomba, contratei enfermeiras, fiz relactação (minha mãe tb segurava ela), ela tem alergia, refluxo oculto, não dei mamadeira até 6 meses em público…. to quase chorando de tanta emoção!! :D

    1. Shirley Hilgert

      Menina!!!!!!!!! Tudinho igual mesmo!!!!!! E quer uma boa notícia??? A alergia passa. Meu pequeno já está tomando leite normal. Ainda dou misturado com Neocate, mas é pq ele estranha o gosto. Mas logo sei que estará só no leite normal. :-) Bjs e boa sorte!

      1. Camila

        Ai que bom saber! Ela ta tomando Neocate tb, mas sem previsão pra parar (está com 6 meses agora). Mas aproveitando a mensagem, parabéns pelo Blog e pelo face! Sou nutricionista e passei pela lavagem cerebral sobre amamentação e hoje (depois de tomar um tapa na cara com um cuspe junto) vejo que, apesarrrrr de todos os pesares (obvio que quero que todas as mães amamentem seus filhos), me tornei uma pessoa muito melhor, mais aberta, mais sensata! Hoje eu respeito as mães que não seguem o “padrão” com todas as minhas forças! Vi que não existe um livro, um artigo, que diga o que vai acontecer. Me lembro minhas professoras dizendo: não existe motivo para não amamentar. Dá sim. A não ser que seja HIV positivo, é só querer. GENTE! como assim essas pessoas ensinam os alunos a serem tão fechados e preconceituosos. Bom, talvez porque quando o assunto é aleitamento, só vale a própria experiência. Enfim, tapas na cara na medida certa fazem um bem danado! :) bjos e continue postando suas experiências que morro de rir! (de emoção tb)

  17. Yasmin

    Eu amo demais amamentar!! Meu filho tem 10 meses e não fica sem o leite dele… No começo meus seios ficavam duros pq tenho muito leite e estava querendo empedrar, sentia dor, tive febre e então pesquisei muito na internet e as enfermeiras da Casa de Parto em que eu tive ele me orientaram muito… Toda vez que os meus seios começavam a ficar cheios eu dava pra ele mamar e depois não tive nenhum problema com isso, muito pelo contrário, essa experiência de amamentar pra mim foi e está sendo maravilhosa, e sei que traz muitos benefícios para o bebê!! Uma pena que você e muitas mães não conseguiram ter essa experiência, mas são super guerreiras pq fazem o que podem e você está certíssima no que falou, não tem que se culpar pq não deu, o que importa foi que você tentou!! Parabéns pela força e coragem sua e de todas as mães que fazem de tudo para amamentar!!

  18. PATRICIA

    Bom…Tenho um bebê de 18 dias, e também sofri muuuito com a amamentação.
    Na maternidade ele mamou bem. chegando em casa tudo mudou, ele simplesmente não pegava meu peito, só chorava. E eu tinha muito leite.E nunca pensei em não amamentar e não queria dar formulas. Eu chorava e gritava pela casa: Eu preciso amamentar e vou conseguir.
    Bom resolvi tirar o leite que estava empedrado e dar pra ele na colher e assim passamos por dois dias. Com muito custo e luta fiz ele pegar meu peito. Mas ele não conseguia pegar corretamente, então o bico começou a fissurar. Passei uma semana com o bico do peito todo machucado, mas aguentei firme e forte.
    E aos poucos fomos nos adaptando um ao outro. Até hoje ele não pega bem corretamente, mas não sinto dor.
    Falo que amamentar é ter muita paciência e perseverança.
    Parabéns pelo blog. bjos

  19. priscila

    Muito bom os comentários estou me sentindo assim meu bebe tem 6 dias e não quer o peito tive que dar suplemento asim que chego do hospital me sinto péssima e muito culpada ,sim as

  20. Debora

    Adorei e me identifiquei muito !!!
    Tbm passei por algo semelhante …
    Meu filho ja esta com 15 meses e ainda nao esqueci … Fico me perguntando se sera igual na proxima gravidez … Deus queira que NAO !!!
    Obrigada por dividir conosco suas historias

    Beijoss

  21. Luana

    Olá, tenho um bbzinho De 17 dias e desde q saiu da maternidade faz um escândalo depois das mamadas, se arqueia e chora muito.. Sempre pensei ser colica de gases pq me da a impressão q ele faz força pra soltar pum e fazer côco.. Mas depois de ler seu relato fiquei meio em duvida.. O seu bebê tbem fazia essa força parecendo q queria fazer coco ou soltar pum? Depois q vc usou o neocate ele não chorou mais???? Obrigada

    1. Shirley Hilgert

      Luana, ele fazia isso sim. Depois que eu comecei com o Neocate a melhora não foi de um dia para o outro. Levou meses. Vc tem que conversar com um pediatra sobre o que seu filho está passando. Só ele poderá indicar o melhor a ser feito. Abs.

  22. Francine

    Olá, lendo seu relato fiquei mais tranquila, tentei e tento de tudo para o meu Bernardo mamar no meu seio e nada resolve. Me culpo, pois depois de quase 1 mês tentando, acabei por oferecer a mamadeira ( que ai contrario do seu, ele Mamou tranquilamente), depois disso, ele não quer mais saber do peito, fico tão frustrada. E os olhares de médicos/enfermeiras, que parecem incriminadores, quando conto a história, como se não fosse verdade. É uma situação muito difícil, ainda não consigo aceitar.

  23. Juliana

    Me identifiquei total com o texto.
    Estou passando por tudo isso nesses 2 meses de vida da minha filha.
    Demora pra descer … pouco leite .. complementa com sonda … refluxo.
    Agora meu peito é um petisco que ela gosta, mas a alimentação principal é a mamadeira com leita AR (anti refluxo).
    E quanto a dar mamadeira em público .. sinto a mesma coisa. :(

  24. Erika Lacerda

    Comigo foi bem parecido a não ser pelo fato de não ter usado a sonda… Meu leite demorou 10 dias para vir e quando veio, era muitooooo pouco eu comprei a máquina de sugar para ajudar mas mesmo assim não adiantou!!! Sofri muito pois também queria demais amamentar meu filho, mas depois de um tempinho percebi que estava me cobrando demais já que tinha feito de um tudo para aumentar meu leite e para que meu filho pegasse o peito e nada adiantou… Dei fórmula para ele desde 1 mês e mesmo assim meu filho é super saudável!! Enfim eu acho lindo e emocionante o ato de amamentar, mas existem muitas mulheres que infelizmente não conseguem fazê-lo, não pelo fato de não querer mas por não conseguir assim como eu!!!

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada por compartilhar seu relato conosco Erika!
      Bjs pra você e para o filhote :)

  25. Cinthia

    Caramba, que situação!
    Felizmente fora a dor insuportável do início não tive grandes problemas, minha filha Clara também dormia logo que iniciava a mamada, comentei isso com a com sua pediatra Dra Lúcia, ela pediu para eu tirar a roupa dela, não deixa-la tão quentinha e confortável fez com que ela não dormisse na mamada. Comigo funcionou.

  26. Ana Carolina

    Olá. Tenho duas meninas, uma de 4 anos e uma de 5 meses. Amamentar pra mim sempre foi muito fácil o difícil foi justamente elas pegarem a mamadeira. Eu trabalho fora e tenho 6 meses se licença mais férias. Tive que colocá-la na escolinha antes do que queria. E simplesmente ela não pegava na mamadeira. E agora com a pequena é igual. Ainda tenho 2 meses. Espero que não seja tão difícil!

  27. Priscila

    Shirley…eu.me vi em cada palavra sua. Seu relato só difere da minha história em um ponto: meu bebê foi prematuro (32 semanas) e ficou 26 dias internados o que dificultou ainda mais. Eu só me conformei mesmo quando ele completou seis meses…e hj ele tá com 9.

  28. Regina

    Obrigada! Minha história é muuuuito parecida com a sua (inclusive o período que consegui amamentar tbm aos trancos e barrancos).
    Desde então meu emocional oscila entre a certeza da decisão de desistir e a tristeza profunda por ter desistido.
    Saiba que hj vou seguir mais tranquila e confiante graças à vc!
    Que Deus ilumine seus passos e sua família.
    Grande abraço.

    1. Macetes de Mãe

      Olá Regina!
      Obrigada! Suas palavras me emocionaram.
      Bjss

  29. Adriana

    Olá Macetes de Mãe.
    Estou aqui tentando escrever com meu pequeno Lucas no colo. Primeiro quero parabeniza-la pelo blog, por compartilhar sua experiência com outras mamães, as vezes tão aflitas.
    Eu passei a gravidez toda projetando a realização de dois sonhos: um era ter parto normal e o outro amamentar.
    Pois bem, no final da gestação não tive condições de esperar mais que 41 semanas, estava com pouco líquido e isso poderia trazer complicações para o bebe. Após sentir essa frustração, meu bebe teve hiploglicemia e teve que começar a tomar fórmula, meu leite demorou 3 dias para descer, quando penso que vamos para casa, recebo a noticia que ele precisaria ficar na UTI neo… Entrei em choque e fiquei uma semana indo todos os dias para a maternidade das 9h as 21h. Qdo pude pega-lo no colo para colocar no peito, parecia uma guerra. Ele tão pequeno, já empurrava com as mãos e berrava ao sentir meu seio… Tentamos por quase um mês e sempre era a mesma luta.
    Estamos na mamadeira e é incrível o olhar de recriminação das pessoas. Ficava mto triste, sempre era julgada e ouvia conselhos que ao entender da pessoa, eu que não queria e não fazia esforços para ele pegar :(
    Ler esse texto me fez sentir acolhida e entender que eu não sou a única a passar por isso…
    Obrigada, muito obrigada!
    Boa sorte na sua jornada com os pequenos.
    Fiquem com Deus.
    Bjs.

    1. Macetes de Mãe

      Olá Adriana!
      Obrigada por compartilhar seu depoimento. Fico muito feliz em saber que o texto lhe ajudou!
      Obrigada pelo carinho, te desejo o mesmo :)
      Bjss

  30. Rhayra

    Olá , meu bebê esta fazendo 1 mes hoje , ele mama muuito meu peito esvazia depois enche enquando ele mama no outro lado , esses dias fui fazer um exame demorei umas 5 horas na rua deixei o meu filho com minha mãe , quando voltei meu peitos estava explodindo , fui dar peito a ele , ele pegou pouco nesse dia pois estava cheio de mamadeira no dia seguinte acordei com meu peito doendo muuuito e febre e dor de cabeça tomei paracetamol e passou mas de madrugada deu febre denovo fui pro banheiro tomei im banho e tirei com a bombinha logo em seguida ele acordou dei peito a ele mas a febre continuou so fui pro hospital a tarde .
    Tomei medicamento e fiz exame que nao constou nada , pois meu peito continua dolorido e enche muito rápido … nao posso ficar mas de 2 horas longe dele … oque fazer … vai continuar assim ate quando ? Pois quero retornar meus estudos

    1. Macetes de Mãe

      Olá Rhayra!
      O melhor é entrar em contato com seu médico.
      Bjs

  31. Aglezielle

    Olá Shirley e outras mamães.
    Li esse post enquanto minha pequena de dois anos e um mês tomava sua dede querida.
    Ela nasceu no tempo, saudável como o quê. Mamava até direitinho, não era de chorar e já desde de os primeiros dias não fazia questão nenhuma de acordar no meio da madrugada pra mamar. Acontece que com 15 dias de vida ela ficou mais de 12 horas sem fazer xixi. Eu tinha trocado a fraldinha as 5 da manhã e não troquei mais, ela passou o dia quase todo dormindo,eu oferecia o leite mas ela puxava só um pouquinho e já largarva. Lógico que ao observar isso corremos com ela para o hospital, era sábado de carnaval 17h quando a pediatra nos atendeu, ouviu a anamnese, examinou minha filhota (ela fez xixi quando a médica a colocou na balança) e saiu da sala, voltou pedindo que eu desse a fórmula e voltasse no dia seguinte, e que nesse intervalo de 24 horas ela teria de engordar 50g. Saí da sala completamente sem chão como assim dar fórmula e como minha pequena tinha perdido um terço de seu peso de nascimento. Chorei sim, e chorei muito no percurso do hospital pra farmácia. Mesmo extremamente triste dei a mamadeira pra minha pequena. Não deixei ninguém dar no meu lugar, afinal de contas ainda estaríamos ali olho no olho, ela no meu colo, não queria perder o contato. Estávamos ali eu e ela as peles se tocando, olho no olho.
    Dia seguinte voltamos à pediatra que vibrou com a cor da urina da minha pequena (sim ela fez xixi na médica de novo) e 60g mais gordinha. Foi então que a médica abriu o jogo, minha filha estava desidratada e aquela saída da sala no dia anterior foi pra pensar se iria internar minha filha. Ela optou por não internar e arriscar mais um dia para não criar uma situação de depressão em mim. Bem depois de 10 dias meu leite secou completamente.
    Minha filha demorou um ano e seis meses para ter seu primeiro resfriado. É saudável e feliz e nosso vínculo é cada dia mais forte.
    Entendo que amamentar deve ser realmente tudo de bom, mas tudo de bom mesmo é vê lá bem. Fui vista como extraterrestre por oferecer a mamadeira antes dos seis meses em público, mas prefiro mil vezes do que ter que arcar com as conseqüências da subnutrição. E hoje quando vejo mamadeiras ou mães amamentando sei que cada uma passou por algo que as fez chegarem até ali e não cabe a mim julgar.

  32. Julia

    Olá,
    Li seu post anterior sobre os traumas (do qual eu assino embaixo) e resolvi ler este para entender o que tinha acontecido (nossa que sofrimento hein mulher) e queria comentar 2 coisas!
    A primeira é que eu acho que de uns anos para cá as coisas estão se invertendo um pouco, estamos sofrendo mais pressão pela amamentação e menos pelo parto normal. Digo isto pq ao conversar com mães que têm filhos da nossa idade (casa dos 30) observo que a maioria teve parto normal, porém a minoria amamentou! já as mãezinhas da atualidade tem feito justamente o contrário, muitas têm optado por parto cesárea (e que fique claro que eu não as julgo por isto) porém estão se cobrando loucamente por conseguir/querer amamentar! E digo querer, pq pode sim acontecer da mãe simplesmente não querer passar por todo este sofrimento (e também não as julgo por isto, afinal não é fácil). Eu acho que o que falta na verdade é a sociedade brasileira como um todo parar de julgar as escolhas (forçadas ou não) das mães e das pessoas no geral! E isto em vários aspectos! E se as que não quiseram amamentar simplesmente respondessem ao serem questionadas: pq eu não quis! Aposto com vc que ficaríamos (todos nós) muito chocados! Primeiro pq não estamos preparados para este tipo de sinceridade, segundo pq somos hipócritas!! Não sei se fui clara, mas o que eu queria dizer é que se parássemos de julgar as pessoas (incluindo a nós mesmos) nossas culpas não existiriam!!
    Parabéns pelo blog é um abraço!!

    1. Macetes de Mãe

      Olá Júlia!
      Com certeza!!
      Obrigada pelo carinho :)
      Bjs

  33. Lenice

    Olá Shirley e mamães,
    Muito obrigado pelo relato, estou vivendo hoje o drama de ñ conseguir amamentar.
    Sempre fui desencanada em relação a amamentar, dizia q se ñ tivesse leite Ñ teria problema… Meu filho nasceu no último dia 02, ainda no hospital ele pegou meu peito errado e machucou bastante os bicos e a dor era enorme. Chegando em casa só piorou, amamentar tornou um martírio, muita dor… Depois de duas noites sem dormir chamei uma enfermeira para ajudar a melhorar, neste momento tinha leite mas já estava começando a empedrar… Fui no pediatra e qual foi minha surpresa, meu filho estava perdendo peso e urinando pouco e como estava dando peito o tempo inteiro também ñ conseguia descansar. Sai da consulta com indicação de complementar durante a noite, 4 dias ela já tinha engordado 400 gramas e ai nova sugestão, complementar ao longo do dia também. Agora que já está com 15 dias, sinto como se ñ tivesse mais leite, meu filho fica mamando por quase uma hora e ainda tenho que complementar pois no final ele já está nervoso e impaciente.Acho q meu leite esta secando e eu q Ñ ligava estou ficando desesperada com a possibilidade de ñ amamentar mais! Ñ sei mais o q faço para aumentar a produção…

  34. Andrea

    Olá Shirlei, graças a Deus temos a ferramenta da internet e podemos ler depoimentos e trocar idéias com outras mães que passam por situações semelhantes. Eu não escreverei depoimento, pois o que passei e passo é muito parecido, se não igual ao que todas relataram aqui. Só quero deixar meu agradecimento pela sua iniciativa. Ler estes depoimentos e ver que não estou sozinha nesta luta e, que não sou nenhuma incompetente por muitas vezes não conseguir amamentar como uma vaca, muito me consola. Um beijo e que Deus a abençoe.

  35. Priscila

    Nossa, foi um alívio ter lido esse relato por um acaso. Estou passando a mesma coisa, bebê de 8 semanas não quer o peito de jeito nenhum. Consigo fazê-lo mamar umas duas vezes ao dia com muito sacrifício e com o bico de silicone, sem isto ele não pega. Grita, chora muito, fica com os olhos vermelhos de tanto chora, me parte o coração. Fiz redução mamária há quatro anos então no fundo imaginei q teria dificuldades, mas nem tanto. Já na maternidade deram mamadeira pra ele, já dei leite no copinho pra ele não fazer confusão de bicos, mas já fez e mesmo q dizem ser reversível o quadro dele, já nem sei mais se quero tentar. Tão cansativo pra ele e pra mim tb. Nem sei como chegamos aos dois meses mas nunca exclusivo como queria.
    Tb sinto vergonha de dar mamadeira em público :( vou me libertar disso. Sei q ele tem todo meu amor independente de amamentar ou não..
    Obrigada pelo post.

  36. Meyre

    Compartilho minha experiência (tb frustrante) e cito seu relato: https://www.facebook.com/Littlepieceoflife/posts/1465289653765369
    Obrigada

  37. Juliana

    Olá! É muito bom saber que não sou a única a passar por esse sofrimento. Minha bb completa hj 15dias de nascida e ontem foi o pior dia da minha vida. Foram 14dias dando o peito com muita dificuldade pois sentia uma dor insuportável, dava o peito chorando de soluçar, molhando minha filha com as lágrimas. O que é pior, sou enfermeira e docente, a prova viva que a teoria é bem diferente da prática. As pessoas julgando é horrível, dizendo “calma, respira, pq tu chora tanto? Não pode, isso faz mal..” como se eu quisesse molhar minha pequena com minhas lágrimas de dor. Fiz tuuudo o que eu sei e me aconselharam: sol na mama, pingava leite da mama na mana, compressas de água morna, pomada pra rachaduras, gel que alivia a dor, protetor para mama, enfim… tentei tudo que podia mas nada passava a tal dor absurda embora meus peitos estarem cheios de leite. Ontem, foi o ápice, meus peitos sangraram, racharam e tomei a decisão de colocar mamadeira com a fórmula pois até a ordenha dói demais. Ver minha filha com 14dias!! 14dias, tã pequena, pegando mamadeira (que eu dizia a gestação toda que não queria dar mamadeira) foi como se tivessem colocado uma faca no meu coração. Mas ela dormiu tão bem, hj parece tão tranquila, que ameniza um pouquinho a frustração e a culpa que estou sentindo. Quanto aos outros, tento não ouvir, pq no meu coração eu sei que eu tentei, foram 14dias de sofrimento, que não da nem pra curtir essa fase maravilhosa que é qnd nossos pequenos são tão indefesos e tão carentes do nosso amor. Quero dizer obrigada por todos esses depoimentos me ajudaram muito. Vou continuar tentando amenizar a dor psicológica agora, qnt ao peito, não tenho mais vontade de dar com medo da dor :/ Mas Deus saberá agir pro nosso bem… Boa sorte a todas vcs mamães guerreiras!

  38. Raquel

    Fiquei um pouco chocada com o fato de você e tantas outras ficarem com medo ou vergonha da opinião alheia em relação a amamentação. Consegui amamentar meu filho 1 mês somente e desde sempre tive que complementar com mamadeira. NUNCA me preocupei em dar mamadeira na frente de quem fosse! Primeiro, porque uma mamadeira pode ser dada com tanto ou com mais amor que um peito! A troca de olhares, o calor, o cheiro, enfim, tudo isto é sentido da mesma forma. Só depende da serenidade e confiança que a mãe tem em si. A tranquilidade é tudo na relação com os nossos pequenos.
    Para finalizar, não deixem que a opinião alheia mexa tanto com vocês. “Quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra”.
    Amamentar não é tudo! Transmitir amor e serenidade, isso sim, faz toda diferença!

Deixe seu comentário