Em maternidade não dá para generalizar

maternidadeSe tem uma coisa que eu aprendi depois que virei mãe e passei a fazer parte desse mundo maluco da maternidade é que não dá para generalizar. Não é porque o filho da vizinha dormiu uma noite inteira com três meses que o seu e o do resto do bairro também vai. Não é porque o filho da sua amiga andou com dez meses que o seu e o do resto do universo também vai. Cada bebê é um bebê, cada criança é uma criança, cada um deles tem seu ritmo, seu jeito, suas preferências, sua personalidade e sua história.

A pior coisa do mundo é a gente acreditar que se na casa dos outros foi de um jeito na nossa também tem que ser. Isso é horrível porque a gente cria uma expectativa, ela não se concretiza e aí a gente se frustra.

Eu tenho várias amigas que tiveram filhos antes que eu. E o que eu via eram sempre bebês calmas e tranquilas, que mamavam horrores (de se esbaldar mesmo) e que desde cedinho paravam de dar trabalho à noite. Aí, o que eu, na minha santa inocência e ignorância pensei? Ah, comigo também vai ser assim! Léo será um bezerrinho, bebê bonzinho, vai dormir loguinho a noite todinha. Tapa na cara minha gente! Tapa na cara! Só para eu aprender a deixar de ser besta e achar que o que rola por aí é o que vai rolar aqui, na minha casinha.

Primeiro: Léo deu muito, muito, muito, muito trabalho para mamar. História já contada aqui diversas vezes (no final tem links para outros posts que contam tudo timtim por timtim) e depois o Léo resolveu me dar baile para dormir até um ano de idade. Não especificamente para pegar no sono, pois isso ele sempre fez bem, mas para dormir uma noite inteira, sem acordar.

E foi assim, tomando uns baldes de água fria na cabeça que eu aprendi que não dá para generalizar na maternidade. Não dá, não dá, não dá mesmo! E esse aprendizado vale também para tudo aquilo que a gente lê nos livros. Sim! Eu também me enganei com os tais dos livros. Comprei algumas dezenas, li todos, cheguei até a sublinar e resumir e aí achei que a minha tranquilidade estava garantida. Afinal, era só seguir a recetinha que tudo daria certo. Eu criaria um filho como ninguém. Teria um daqueles filhotes de dar inveja até na Rainha da Inglaterra.

Mais uma vez, eu estava errada. Também não dá para generalizar tudo que diz nos livros. Não dá mesmo, mesmo, mesmo! Filho não é bolo que basta a gente seguir a receita que ele cresce, fica macio e delicioso. Filho é aquela coisa que a gente, por mais que tente, tem muito pouco controle sobre. E aí a gente começa a pensar que é só com a gente que não deu certo, só com a gente que não funcionou, só na nossa casa que a Encantadora de Bebês foi um fiasco.

Que nada! Um fiasco é a gente seguir acreditando, depois que os filhos nasceram, que o que diz no papel pode ser simplesmente transferido para a vida real que vai funcionar direitinho. Claro que não vai! Afinal, não tem nesse mundo um bebê igual ao outro. E também não posso afirmar que se aqui não funcionou, não vai funcionar em nenhum lugar. Como eu disse, generalizar é que não dá. Nem para o lado bom, nem para o ruim.

Então, o que eu quero dizer é mais ou menos o seguinte: se o seu filho só foi dormir a noite toda com um ano de idade, se o seu filho é ruim para comer, se o seu filho tem quase dois e ainda fala poucas palavras, se o seu filho só foi andar com quase um ano e meio e se o seu filho não tem o gênio mais tranquilo da face da terra, qual é o problema? Tudo bem que dá um pouco mais de trabalho em alguns casos, mas é assim que ele é e pronto! Ele pode não ter feito algumas coisas no tempo que você esperava e nem ser a criança mais fácil da face da terra, mas ele tem aquele jeito de olhar que é só dele e que derrete o seu coração, ele é carinhoso e meigo como ninguém, ele é engraçado pra caramba e, acima de tudo, ele é o seu filho! Só seu, de mais ninguém.

E antes que eu esqueça, a maternidade não é uma corrida, não é uma competição, não é um concurso ou torneio. Ninguém está aqui para provar que o filho faz isso ou aquilo pra ninguém. Estamos aqui sim para curtir cada momento e cada conquista da melhor forma possível. Com muito amor, respeito e admiração.

Leia outros posts relacionados: 

 

Fonte da imagem usada nesse post: http://thegospelcoalition.org

23 comentários

  1. Vanessa Sayão

    Muito bacana seu post Shi… Aliás ótimo como sempre! Eduarda sempre foi muito boazinha em tudo. Dormia bem, com 2 meses já dormia a noite todas, mamava bem também (na verdade eu é quem não tive leite o suficiente pra ela), a introdução da papinha foi melhor impossível, tudo lindo, tudo ótimo… Ela fez 1 ano e tudo degringolou de uma tal forma! Esta super seletiva pra comer, demora muito pra adormecer e muitas das vezes acorda de madrugada e nós a colocamos em nossa cama para que ela adormeça de novo, e um gênio, mas um gênio que só Jesus!!! Estamos cortando um dobrado com o gêniozinho desse bebê de apenas 15 meses!!!

    Acho válido ressaltar que além de a nossa grama não ser verde como a do vizinho, ela também muda de cor de tempos em tempos, ou seja, tudo é uma fase e sei (e espero desesperadamente) que essa fase que estou vivendo atualmente vai passar!

    Beijos ;)

  2. Beta

    Gostei do texto. Eu me irrito quando começam a comparar meu filho com o primo. E o pior, com ares de que ele, ou eu, estamos errados ou somos esquisitos, porque “o primo mama demais, é guloso”, “ele é tão apegado à mãe”, “que estranho, ele não usa chupeta!”. Acho complicado isso.

  3. Fernanda

    Adoro seus post, aliás sempre pensei em escrever sobre a verdade da maternidade… Que nem tudo é lindo, romântico e perfeito como nas revistas e livros.
    Tenho uma princesa de 4 anos que me deu pouco trabalho para dormir e mamar, essa parte foi “fácil” dentro do possível, mas em compensação ela teve e tem refluxo e demoramos muito para melhorar essa parte. Alimentação então ela é uma chapinha de carteirinha… Mas realmente tudo é fase, e cada fase é mais difícil que a anterior, como vídeogame, como diz meu marido.
    Agora estou grávida de outra menina, que nascerá em abril, estou já ciente que realmente não será igual, cada bebê é único, a gravidez já está sendo mundo diferente, mas tenho fé que os livros que, creio que os mesmos que vc, e tb tudo que já passei me trouxeram algum conhecimento, mas tenho consciência que esse novo serzinho trará muita novidade tb…
    Amo ser mãe, cuidar, brincar, beijar, mimar, mas a verdade que ninguém conta e que tb é muito difícil….
    Bjs.

  4. Alessandra

    Pois é Shi, é assim mesmo, dou graças a Deus pela saúde da Marcela que tem 17 meses e até hoje só teve uma gripe mais forte, é muito esperta, fala tudo, mas tb é mega geniosa, está na fase das pirraças , só Jesus, e não para um segundo, nada calma, fico louca de cansada, luta para dormir a noite e só dorme 10 hs seguidas se tiver grudada em mim ou no pai…..aff . Como todos nós somos diferentes, nossos filhos tb não serão iguais à ninguém… Cada pessoa é única!
    Parabéns mais uma vez!

  5. Ana Carolina

    Oi Shi, queria muito te parabenizar pelos seu site, você não sabe como foi importante para mim. Parece que sempre quando estou desanimada, você posta algo sobre o que está acontecendo aqui em casa, e me dá um up!! Com certeza cuidar e educar nosso filhos é uma tarefa muito difícil! Meu bebe (Guilherme) tem 10 meses, e até hoje dá trabalho pra dormir, pra trocar, agora começou com manha pra comer! Nossa tem dia que a gente fica desanimada mesmo, e também muito cansada. Mas como você disse o importante é que nosso filhos são maravilhosos, carinhosos e felizes…sinal que estamos fazendo tudo certo! Com certeza o seu blog faz diferença na vida de muita gente! Bjos e que Deus abençoe você e sua familia!!!!

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo carinho Ana :) Fico muito feliz! Beijos

  6. Valeska

    Aqui em casa não tem o que reclamar come dorme brinca sorri o dia todo, as amigas até invejam minha princesa de 11 meses. Uma benção mesmo.

  7. Juliana

    Adorei esse post.. vale lembrar que cada bebê é único, mas cada mamãe também. cada uma de nós temos nossas características.. e ficar se comparando com a fulaninha não resolve em nada! os bebês tem o desenvolvimento deles, no tempo deles e nós, como mães, também..
    Beijao!

  8. Talita

    Ainda mais quando é primeiro filho! Imagino que o segundo seja mais fácil, pelo menos temos uma leve ideia de como tudo funciona … Eu sou mãe de primeira viagem e quase fiquei doida lendo o Encantadora de Bebes me culpando pq minha filha não dorme muito a tarde! Parei de ler ele um pouco até me livrar dessa pressão de fazer tudo igual a “um pedaço de papel”, como vc mesma escreveu.

  9. Natielen

    ADOREEEIIIIIII O POST!!!!
    E me ajudou muiiittto a aceitar que cada bebê é um bebê, e que todos possuem características próprias e todas elas são maravilhosas….O Arthur tem 10 meses e não dorme a noite inteira, ou melhor acorda de 2 em 2 ou de 3 em 3 horas…é um sufoco, e ao mesmo tempo um teste com a minha paciência….mas vamos enfrentando um dia após o outro e ele encanta todas as manhãs com aquele sorriso lindo…E é este sorriso que é a razão da minha vida…E como eu sempre digo: EU QUIS ESSE BEBÊ MAIS DO QUE TUDO NO MUNDO!!
    BEIJOS À TODOS!!!

  10. Erika

    Olá,
    É assim mesmo que acontece, tenho duas meninas (gêmeas), quando engravidei os únicos comentários que recebi foram: “vc vai se acabar…” “vc não vai dar conta” “é muito trabalhoso” “coitada de vc, não queria estar na sua pele”, depois quando elas nasceram todo mundo vinha perguntar “e ai como é com duas crianças com cólica” devem dar um trabalhão à noite” “vc deve estar morta de cansaço né!?” e assim por diante, digo que na gravidez fiquei muito assustada, pois são minhas primeiras filhas, porém tudo foi o contrário do que me disseram, não tive problemas na gravidez, elas não tiveram cólica, a partir do momento que ganharam peso dormem a noite toda, são muito boazinhas, claro que tem seus dias de piti, mas é normal, cada uma tem um gênio diferente e é maravilhoso isso tudo, até quando elas não estão no seu dia bom, adorei o que disse a Vanessa Sayão: São fases e tudo passa. Cada dia é uma descoberta nova e um dia é mais fantástico que o outro, não são elas que aprendem comigo e sim eu é que aprendo com elas, a ser mais generosa, a ver o mundo mais bonito, a acordar e sorrir todos os dias, a andar mais devagar,a apreciar as pequenas coisas da vida…
    Bom nem conto quando disse que iria começar a trabalhar novamente, nem precisaram falar nada, os olhares já diziam tudo, para mim e para minha mãe que cuida delas, e novamente foi um tapa na cara de todo mundo, está dando tudo certo e estamos conseguindo, no mundo da maternidade aprendi que temos que viver um dia de cada vez, porque o que mais me falaram e que eu não acreditei, estou aprendendo agora é que passa rápido demais e que se formos pensar em tudo que pode e não pode acontecer vamos deixar passar momentos maravilhosos ao lado dessas criaturinhas que só deixam a nossa vida mais e mais feliz…

    bjos

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo depoimento Erika! :) Beijos

  11. Fernanda

    Olá Shirley…acompanho e aprendo todos os dias com o seu blog, seus posts….E esse texto foi sensacional, parabéns…tapa na cara de muita gente, isso sim. Cada indivíduo tem o seu ritmo, sua personalidade, graças a Deus. Beijo e obrigada pelo seu trabalho, curto de montão.

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada Fernanda, que bom que gostou! :) Beijoss

  12. Juliana

    Amei!!! É este tipo de msg que muita gentalha que fica comparando a minha princesa com outros bebês, precisa ler!!

  13. Litschi Höhener

    Hallo. Eu sou uma menina Jovem, casei cedo e antes de fazer 2anos de casada eu engravidei. ( (foiplanejado) — bom, na familia eu sou a menor. e quando os meus pais ficaram sabendo da noticia que seriam avos eles ficaram um pouco preocupados. porque eu sou a mais nova, seria a primeira neta da familia e a primeira bisneta. Dentro de mim eu tinha medo, mas eu acho que se nap fosse os livros, cursos que fiz, conversas que tive com varias e varias maes. Me ajudou muito para pelo menos saber oque poderia vir na frente. Mais TODAS as maes, parteiras( dos cursos) falaram a mesma coisa para mim: ouvi ao seu instito. o seu instito de mae sabe oque que é bom para o seu bebe. confia no seu instito. —
    bom, nunca fui antes de goatar de bebes, crianças, entao a minha filha foi o primeiro bebe que eu sigurei nos meus braços. — hoje ela tem 7meses, o desenvolvimento dela è de uma criança de um 10-11meses.
    — os meus pais estao de boca aberta como que eu tomei a posicao de ser mae.
    eu acho que isso que falta nas maes hoje. ter mais confiança em si, no seu instito.. .. isso foi oque me ajudou e hoje eu falo: o prossimo pode vir:)

  14. Virginia Brandao

    Eu ainda não sou mãe.. estamos nos preparando para encomendar um bebê este ano, porém tenho aprendido muito com o blog. É muito bom saber que nem tudo são flores e que cada bebê tem seu ritmo.

    Obrigada Shirley pelos valiosos conselhos e dicas!!!

    Super beijos

  15. TATIANA

    Eu concordo com isso. Sempre que a minha sogra me falava alguma coisa sobre criar um bebê quando eu estava grávida eu falava que estava preparada, pois lia vários blogs, seguia vários fóruns e lia tudo sobre técnicas disso e daquilo… bom, não preciso dizer que não deu muito certo, né? O João Antonio foi bem ao contrário de tudo que li e cada vez que eu comentava como estava difícil, a minha sogra e meu sogro me perguntavam o que a internet dizia rsrsrsrsrsrs Agora está tudo bem. Ele já tem quase cinco anos, mas toda vez que ele faz alguma coisa que me irrita nós comentamos que essa internet é que sabe criar filhosrsrsrsrsrsrs

  16. Náy

    A verdade é que mesmo não querendo,muitas vezes a gente se frusta mesmo.A Sofí não pegou chupeta e por isso só dorme e se acalma no peito,o que me deixa bastante chateada.Ela também não dorme uma noite inteira, aliás, tem noites que não dorme nada.O que consola é que ela é saudável e esperta.

  17. Ana Paula

    Adorei o post!
    Sou mãe de primeira viagem de uma linda menina de 11 meses!
    Não sou nova, sou médica, me considero bastante madura, mas…estou sofrendo!
    Não por causa dela, que é muito boazinha, mas porque EU fico comparando com outros bebês na mesma fase e acho que ela já deveria estar andando, porque o bebê da fulana anda; deveria comer mais e refeições em pedaços, porque o bebê X come assim… E por aí vai…
    Ela é saudável, esperta, está se desenvolvendo muito bem, MAS eu acho toda hora que deveria ser MAIS… Claro que por minha culpa…
    Parar de comparar é a chave!
    Obrigada!!!

    1. Macetes de Mãe

      Que bom que gostou Ana!
      Claro, não devemos comparar, cada bebê tem seu tempo. Aproveite ao máximo a filhota e esqueça das comparações :)
      Bjss

  18. zenilda

    Sou uma mamãe de primeira viagem…sonhei exatamente como vc falou..tive uma gestação super tranquila..e tnh certeza que meu bebê ia ser zen….mas não foi nada disso q m aconteceu…joonass é um bebezinho super chato…chorão…birrento..dormir..afffsss virou meu sonho de consumo…Hoje ele está com 5 meses…espero sinceramente que ele mude o gênio dele..Ele não tem paciência pra esperar nada….detalhe não quis peito porque não tnh paciência para sugar…espero que um dia tuuudoo.isso paaasse!!!

  19. Myrian

    Perfeito o texto! Tive uma gravidez muito tranquila e durante este período li vários livros. Também acompanhei como meus amigos educam e cuidam dos seus filhos. No entanto nada disso serviu quando meu filho nasceu. Percebi que com a maternidade não existe perfeição e nem tudo que funciona com os outros irá funcionar com o nosso filho.
    Ouvimos muitos palpites de diversas pessoas, mas não é por que deu certo com o filho de “fulano” que dará certo para nós!! Cada bebê tem sua personalidade, ninguém é igual a ninguém.
    Apesar de cansativo o dia a dia de uma mãe, nada se compara ao amor que sentimos e as recompensas que recebemos dos nossos filhos. A cada sorriso, cada conquista… Todo cansaço vai embora e fica apenas o amor incondicional, infinito! Só quem é mãe sabe disso tudo!!!

Deixe seu comentário