O primeiro dia que o pai leva o filho à escola – Humor

keep-calm-and-go-to-school-19Semana passada, pedi para o pai do Leo levá-lo pela primeira vez à escola. Ele nunca tinha feito isso por três motivos: primeiro, porque ele trabalha de segunda a quinta em outra cidade, então, mesmo que eu implorasse de joelhos, não teria como; segundo, porque quando ele está aqui, às sextas, está sempre atrasado, correndo, dizendo que naquele dia não dá (bem típico de homem); e, por fim, porque meu marido é daqueles que só não esquece a cabeça porque está presa e eu venho jurando, desde a gravidez, que nunca o deixaria levar o Leo para a escola sob o risco do nosso pequeno ser esquecido dentro do carro (quem conhece o Otávio sabe que não estou exagerando tanto assim. Só um pouquinho.).

Bom, mas na sexta passada eu tinha um compromisso,  daqueles bem importantes e bem cedo, e aí, não me sobrou outra alternativa a não ser contar com a sorte. Pedi para o papai levar o Leo para a escola e agradeci o fato dela ser aqui do lado e eles poderem ir a pé, assim, o risco do esquecimento no carro estava descartado (mas, claro, sempre havia a chance do carrinho ser extraviado no meio do caminho. kkk! Exagerada!).

E aí, quando fui falar com o maridón, para avisar que eu precisaria que ele quebrasse esse galho, a conversa foi mais ou menos a seguinte:

EU: Lindo, amanhã preciso que você leve o Leo para a escola.

PAI DO LEO: Ok.

EU: Como assim “Ok”?

PAI DO LEO: Ué? Ok. Eu levo.

EU: Mas você não vai perguntar nada? Não vai querer saber que horas tem que levar? Como faz para deixá-lo lá?

PAI DO LEO: Ah, sim. Que horas tenho que levá-lo?

EU: Assim que o Leo acordar. Entre 8 e 9h. Tem que chegar até as 9h porque às 9h é servido o lanche, então, se não chegar até essa hora, só depois das 9h45min, para não atrapalhar o lanche das outras crianças.

PAI DO LEO: Ah, ok.

EU: E o resto?

PAI DO LEO: Que resto?

EU: Você não vai me perguntar do resto? De como é que faz para deixá-lo na escola?

PAI DO LEO: Ué, não é só levar e pronto?

EU: Como assim só levar e pronto? Você acha que é só chegar e colocar o Leo na frente do portão? Só falta querer que ele toque sozinho a campainha e espere alguém aparecer para abrir a porta!

PAI DO LEO: Ah, sei lá, nem pensei. Mas como é?

EU: Na verdade é simples, mas prefiro explicar direitinho para você não se confundir, não perder tempo por lá. Assim que você chegar, vai ter um segurança para abrir a porta, aí você deve se identificar como pai do Leo e entrar. Se a porta estiver fechada e ele do lado de dentro, toque a campainha (aquela que você esperava que o Leo tocasse) que ele vem e abre.

PAI DO LEO: Ah, ok.

EU: E o resto?

PAI DO LEO: Que resto?

EU: Você não vai querer saber como faz depois que entrar na escola? Não quer saber onde deve levá-lo?

PAI DO LEO: Ah, sim. Onde devo levá-lo?

EU: Assim que você passar pela porta de entrada, você estará em um corredor coberto. Do lado esquerdo há um mural e do direito uns bancos (eu bem didática, explicando tudo para não ter erro). Você segue nesse corredor, que é bem curtinho, até o final dele. No final dele, há um parquinho e esse parquinho fica na frente de uma sala de aula. O Leo vai ficar ali.

PAI DO LEO: Ah,  então deixo ele no parquinho. Entendi?

EU: Não! Pelo amor de Deus! Que ideia! Você ia deixá-lo lá, no parquinho, e ir embora? Nesse frio? Sozinho? Falei assim só para você se localizar e saber chegar na sala do Leo. Quis dizer que no fim do corredor, à esquerda, tem um parquinho e na frente desse parquinho tem a sala dele. Aí você tem que ir até a sala dele, procurar pela professora, avisar que você é o pai do Léo e aí deixá-lo lá.

PAI DO LEO: Ah tá! Agora entendi.

EU: Lindo! Só mais uma coisa (agora falei só para testar e provocar. kkk!). Você terá que preparar a mochila e a lancheira dele também, ok? Não vai me perguntar nada?

PAI DO LEO: Ah, não! Aí já é demais. Se eu tiver que fazer isso ele vai passar frio e morrer de fome. Não sei nem por onde começar.

 

Moral da história: 

1. Mãe é sempre exagerada e quer explicar tudo que tem que ser feito nos mínimos detalhes.

2. Mas, se não fizermos isso, corre-se o risco da espécie ser extinta.

 

Agora os pê-ésses (P.S no plural)

P.S. 1: Antes que me chamem de louca, chata, histérica e controladora, aviso que esse é um texto exagerado MESMO e cujo propósito é ser irônico.

P.S. 2: Sim, esse diálogo aconteceu, quase igual está aí em cima, mas é claro que na hora eu também exagerei só para ver até onde a coisa ia (e dar umas boas risadas).

P.S. 3: O diálogo não está tal qual ele aconteceu porque eu tive um filho e a minha memória não é mais a mesma.

P.S. 4: Fiquei sabendo, pela professora e por todas as demais funcionárias da escola que encontrei naquele dia, quando fui pegar o Leo, que ele deu o maior show da história e não queria que o pai fosse embora de jeito nenhum. E esse saiu de lá com a cara mais assustada da face da terra e pedindo peloamordedeus para elas darem notícias do estado da criança em breve.

P.S. 5: Morri de dó do Leo, que ficou chorando, mas achei ótimo o maridón ter vivido um pouquinho do lado punk que nós, mães que estão todo dia na porta da escola vivem a toda hora (a vida como ela é, minha gente! simples assim! kkk!).

P.S 6: Meu marido não é um pai ausente e desligado como esse texto exagerado e irônico leva a crer. Ele é participativo, envolvido e daqueles que botam a mão na massa mesmo. Mas é claro que ter alguém por perto, gerenciando e organizando as coisas, sempre ajuda. :-)

P.S último: Tomara que o maridón nunca leia esse texto. Como tantos outros que estão aqui.

 

Se você gostou desse texto, poderá se divertir com:

 

 

23 comentários

  1. Josiany

    Adorei..kkk…kkkkkk…!!! Entendo bem…!!!!

  2. fabio

    Que hilário …
    Mas confesso que em casa acontece quase a mesma coisa. A esposa quem gerencia. rs.

    Sou eu quem levo a Agatha pra escola todos os dias e ela busca por causa de nossos horários.

    Mas todos os dias ela meio que deixa tudo arrumado: roupas separadas pra vestir, bolsa arrumada. Eu acordo a neném, arrumo, dou os remédios, mamadeira, penteio cabelo (e ainda coloco a “xuxinha” – olha, evolução rs).

    Porém nos primeiros dias que deixei ela na escola, sofri demais. Principalmente por deixa-la chorando, mas fazia parte. Hoje em dia tá fácil, ela já conhece as tias, e fica toda feliz dando tchau pro papai ir embora.

    Mas é bem engraçado, como as coisas são tão parecidas em todas as famílias.

  3. Gabriela Tefili

    kkkkk. Igualzinho lá em casa!

  4. Clarissa

    Kkkkkkk gente, só muda o endereço! A cabeça deles é muito mais simples que a nossa. Como os homens são diretos rs a gente detalha tudo.

  5. Kênya Figueiredo

    Ai, amo esses seu textos bem humorados, Shirley! Ri muito na parte: “Se a porta estiver fechada e ele do lado de dentro, toque a campainha (aquela que você esperava que o Leo tocasse) que ele vem e abre.” hahahahaha… e concordo que os papais não são maus não… é que mãe é mãe, né? Beijos!
    http://www.ideiasefilhos.wordpress.com

  6. barbara

    Shirley, vc é muito engraçada rs

  7. Denise

    Adorei!!! Somos desse jeito mesmo, kkkk… tenho um bebê de 10 meses, meu marido é um paizão e sempre me ajudou em tudo, tudo mesmo! Mas sempre q peço algo pra ele, detalho ao máximo, kkk… mas tento não criticá-lo e nem ficar o corrigindo para não intimidá-lo, e parecer “superior”, imagina quando for nessa fase aí!!!

  8. Vanessa

    Aqui em casa normalmente meu marido é quem leva nossa filha para escola e eu vou busca-la. Mas também deixo tudo arrumado. O engraçado foi o primeiro dia que ele foi busca-la. Ela veio chorando e gritando no meio da rua que queria a mamãe, ele me disse que ficou com medo das pessoas acharem que ele a estava sequestrando.

  9. Gisele

    Assim como dizemos sobre as mães, pais só mudam de endereço!! O meu tb é assim, faz muito coisa, mas quando quer, quando tem vontade. E não atribua a ele tarefas muito complexas como arrumar a mala porque tb não vai dar certo…ainda bem que Deus destinou a nós a maternidade!!

  10. Dinha

    ADOREI!
    Estou esperando minha primeira filhota, que nascerá em outubro. Estou me deliciando com os textos do blog e já imaginando como será lá em casa! Por enquanto, muitas risadas… kkkkk

  11. Simone

    kkkkkkkk me identifiquei! Muito bom!

  12. Vívian

    Meu marido também leva de vez em quando nossas filhas de 1 e 6 anos pra escola. Mas já aconteceu de não levar a mochila da pequena, e ter que voltar pra casa pra buscar. Se preciso que dê algum recado pra professora (tipo a pequena teve febre, não almoçou em casa), falo pra minha filha mais velha. Mas é a mesma ladainha. Quando vai na reunião dos pais no meu lugar então, é impressionante! Volta dizendo que não teve nada de mais, e vai soltando informações ao longo da semana. Kkkkk!

  13. Dariza

    Kkkkk…..aqui em casa é a mesma coisa!!!!

  14. Roberto

    Mania de mãe querer explicar o bê-a-ba para o pai. A primeira vez que a mãe foi levá-lo na escola já foi com um manual ? Claro que não ! Então pq o pai não pode passar pela mesma experiência que a mãe teve ?? Minha esposa escreveria um texto como o seu, o meu filho tem chama Léo e acho vcs mães muito doidas…

  15. Jéssica Miguel

    Ameeeeeeeeei! HAHAHA, a minha ainda está na barriga mas tenho muito medo de como será quando sair. Por enquanto tá bem protegida kkkkk

  16. Evelyn

    Nossa, posso até visualizar eu e meu marido tendo a mesma conversa daqui a uns anos!hahah
    O meu acho que diria “lá eu pergunto”…ah ta’, pq qq pessoa lá vai saber aonde que meu filho tem que ir né?!hehe

    Mas assim, sou a favor de vc deixar ele fazer a lacheira, mesmo que não leve ele pra escola. Ou tenha uma lista dos items pra colocar. Eu pelo menos sou neurótica e sempre penso; e se eu tiver uma problema (viagem, hospital etc..) e não puder estar ali, o pai tem que ter uma noção da rotina!

    Beijos

  17. Priscila Lahr

    Muito legal o texto!! Morri de rir….hehehe… realmente é assim mesmo que acontece…. Os maridos não se preocupam com os detalhes e para nós são os mais importantes. Hoje meu marido também foi levar meu filho pra escola, não foi o primeiro dia, mas como ele entrou mais tarde no trabalho, deixei meu filho dormir mais um pouco. Saí de casa e falei: Não esquece de dar o remédio quando ele acordar!! O resto estava tudo pronto: look da escola completo já separado, bolsa e lancheira prontas… ou seja, era só dar o remédio…. Liguei mais tarde pra ele, e perguntei seu meu filho acordou bem e também se ele deu o remédio… Adivinha?? Ele esqueceu…..hehehe

  18. Carol

    Gostei muito do texto mas o que mais me chamou a atenção foi o PS nº 3… vc tb perdeu a memória depois do nascimento do pequeno? Tem dias que me sinto avoada, distraída com coisas simples, preciso fazer listas de tarefas…

  19. Fernanda Souza

    Shirley simplesmente A-D-O-R-O o seu blog! Descobri quando estava gravida e quando vc conta de toda a loucura q é ser mãe, depois que tive minha filha, entendi perfeitamente! É pauleira mesmo! kkkkkk..pq TODO pai é assim? Monossilábicos e se fazem de desentendidos e TODA mãe tem que informar, nos mínimos detalhes, quando precisamos que eles façam alguma coisa! Mas no fim é tudo muito divertido. Alem disso, no final, com todo o nosso estresse e preocupação, eles conseguem deixar a criança na escola, “arrumar” o cabelo do (a) filha(a) ( à seu modo), dar o remédio enfim… A gente se descabela a toa…

  20. Elenice

    Adorei o texto! e me identifiquei 100% é bem assim mesmo…cada dia é uma “função” deixar na escola, depois levar pra casa…meu marido tbem viaja durante a semana, e “super entendo” vc!!!

  21. Marcele

    kkkk, só muda o endereço! Com ou sem exageros, é tudo igual! Beeem assim!

  22. Vitoria

    Kkkkk. Perfeito! O papai aqui tem que lembrar até a rua que vira pra ir pra escola se não esquece! Outro dia fui operada de urgência de apendicite quase tive um ataque achando que ele não ia dar conta de levar o pequeno pra escola e arrumar a mochila escrevi milhões de textos explicando cada detalhe a tarde quando voltei pra casa descobri que o pequeno tinha ido a escola de pijama e com um chinelo grande que ainda não servia! Kkkk pais!!!

  23. Lívia

    que sem graça….perdi meu tempo lendo isso…aff

Deixe seu comentário