Como evitar e como agir no caso de pequenos acidentes domésticos

Captura de Tela 2014-06-02 às 00.03.41Olá mamães, o post de hoje foi escrito por duas colaboradoras convidadas que são enfermeiras e especialistas em primeiros socorros de crianças, a Fernanda Papa de Campos e a Andréa Porto da Cruz. Abaixo, as duas dão dicas básicas de segurança para os pequenos e também algumas orientações importantes sobre como proceder caso algum acidente aconteça. Boa leitura!

Como evitar e como agir no caso de pequenos acidentes domésticos

Por Andrea Porto da Cruz

Sabemos que vários são os acidentes que podem ocorrer no dia a dia dos nossos filhos, variando o seu grau de gravidade. Uma criança saudável brinca, corre, pula, tem o costume de mexer em tudo e, se for pequena, de levar tudo à boca. Pois bem, tais atitudes são saudáveis, mas requerem vigilância e prevenção.

O ambiente doméstico pode ser um grande vilão quando falamos em acidentes, já que podem ocorrer quedas, batidas em quinas de mesas, escorregões em pisos inadequados, afogamentos em vasos sanitários, baldes e banheiras (mais comum do que pensamos), choques elétricos, queimaduras, dedinhos presos em portas e gavetas, engasgos por uma forma de alimentação inadequada, enfim, uma série de situações que, antes de mais nada, é importante saber como preveni-las.

Por isso, vou começar dando dicas de prevenção de acidentes domésticos comuns para, depois, dar algumas dicas simples mas bastante eficientes de primeiros socorros.

Dicas para evitar os acidentes domésticos mais comuns:

Usar protetores. Hoje, no mercado de artigos infantis, já existem dispositivos para prevenção de uma boa parte dos acidentes citados acima, como dispositivos para a criança não abrir gavetas, armários ou vasos sanitários, protetores de quinas de mesas, protetores para portas que evitam que as mesmas fechem nos dedos das crianças e por aí vai. Não achem besteira fazer uso desses dispositivos, pois a criança é muito curiosa e basta um descuido para termos um acidente.

Amamentar e alimentar de forma adequada para evitar engasgos. Durante a amamentação e alimentação do bebê e da criança, alguns cuidados devem ser observados: nunca amamentar no seio materno ou na mamadeira se a criança estiver deitada; sempre colocá-la na posição quase sentada; não oferecer mamadeira quando ela já estiver dormindo ou deitada no berço; na hora da alimentação, pastosa ou sólida, evitar fazer com que a criança dê muita risada; jamais soprar no rosto da criança para que ela engula a comida.

Cuidado com produtos de limpeza. Sabemos que lugar de criança não é na cozinha e nem na área de serviço, mas, às vezes, é impossível de evitar. Assim, tenham atenção redobrada com os produtos de limpeza, que devem ser sempre guardados em local alto e fora do alcance das crianças.

E agora que vocês já sabem como evitar parte dos acidentes domésticos mais comuns com bebês e crianças é vez de dar algumas dicas de como agir caso um desses acidentes venha a acontecer.

Dicas básicas de primeiros socorros:

No caso de ingestão de produtos de limpeza: Caso a criança venha a ingerir algum produto de limpeza, não a faça vomitar, não dê leite e nem água. Leve-a imediatamente ao Pronto-Socorro, pois lá, provavelmente, será realizada uma lavagem gástrica.

No caso de quedas: 1) caso a queda seja de um local mais alto que a altura da criança, essa deverá ser levada para avaliação de um médico. Mesmo que ela aparente estar bem; 2) Se a queda for de um local que não ultrapasse a altura da criança e ela não apresentar alteração de comportamento, deve-se observar o seu estado geral nas primeiras 24 horas após a queda e não há necessidade de levá-la até um médico (caso ela venha a dormir, permita um sono vigiado, ou seja, acorde-a de tempo em tempo e veja se a reação dela é a mesma que ela sempre tem); 3)Caso, após a queda de uma altura que não é maior que a da criança, ela apresente algum sintoma estranho, como vômito, febre, agitação, sonolência excessiva, ela deverá ser levada para avaliação de um médico. Importante: sempre que houver uma queda o ideal é comunicar o pediatra de sua confiança e procurar manter a calma.

No caso de queimaduras: se houver uma queimadura por água quente, vapor quente ou algum líquido quente, coloque a parte queimada imediatamente em água corrente por 20 minutos até resfriar o local. Menos tempo que isso não adianta. Se cair por cima da roupa, não tente tirar a roupa, pois outras partes podem ser queimadas, coloque embaixo da água com a roupa e tudo.

Importante:  é indicado que o cuidador da criança, seja ele pai, mãe ou babá tenha algum treinamento ou conhecimento um pouco mais profundo em primeiros socorros, pois uma medida bem tomada e em tempo recorde, pode salvar uma vida. O socorro imediato e realizado de maneira correta é decisivo na vida de uma pessoa, seja para prevenir a ocorrência de seqüelas ou até mesmo para livrá-la da morte.

Andréa Porto da Cruz tem duas filha, é graduada em Enfermagem e tem especialização em Enfermagem Obstétrica e Gincecológica e em Educação para Profissionais da Saúde e possui mestrado em Ciências da Saúde. Fernanda Papa de Campos tem dois filhos, também é graduada em Enfermagem, possui especializações em Saúde Mental e em Metodologia do Ensino Superior e Pós-graduações em Gestão Estratégica e em Dependência Química. Ambas são sócias fundadoras da Nantu Consultoria, empresa especializada em dar treinamento  de primeiros socorros  para situações de urgência e emergência.

 

6 comentários

  1. Thaís Alvarenga

    Gostaria de contar um acidente que aconteceu com minha filha Maria Flor de 1 ano e meio esse final de semana! Minha mãe sem quere puxou ela pelo bracinho e resultado o braço deslocou saiu do lugar e ficou praticamente pendurado , só percebemos a gravidade quando chegamos no pronto socorro e o ortopedista teve que fazer uma redução ou seja colocar no lugar o osso! Foi algo tão traumatizante q estou ainda me recuperando do susto, e conversando com o ortopedista ele disse q isso é comum acontecer até os 5 anos qdo os ossos se firmam mais e que nunca jamais devemos erguer nossos pequenos pelo braço , acho legal vc fazer um post sobre o assunto!!! Adoro seu blog ,um beijo grande em vc e no Léo !

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pela sugestão Thaís! Sua dica já está na lista dos próximos posts. Bjss

  2. Eliana

    Muito útil as informações. …Obrigado.

  3. Thaís de Carvalho

    Olá Shirley tudo bem? Primeiramente adoro seu blog, acompanho todo dia , sou mãe da Maria Flor de 1 ano e meio, como seu post de hj foi sobre acidentes domésticos gostaria de relatar o que ocorreu com minha pequena.
    No último sábado por volta das 21 horas, minha mãe estava brincando com a Maria flor , e ela é muitoooo danadinha, aliás, terrivelllllllll,rs, e numa bagunça e outra minha mãe puxou ela pelo bracinho, e ela começou a chorar imediatamente, e eu vi que era um choro diferente , era de dor mesmo, não parava, na hora corri para o pronto socorro, e chegando lá o pediatra logo percebeu que tinha que reduzir o bracinho dela, ouseja colocar o osso do cotovelo no lugar! Só aí que vi a gravidade! E conversando com o ortopedista ele me explicou que isso acontece muito , é muito comum, e que até os 5 anos é muito frágil, portanto, nunca e jamais se pode erguer uma criança pelo braço!
    Acho legal vc quando possível fazer um post sobre o assunto, para alertar as mães sobre esse perigo, pq as vezes sem querer e sem saber a gente comete esse erro.
    Obrigada
    Um beijo pra vc e o Léo

    1. Shirley Hilgert

      Thaís, obrigada pelas palavras de carinho. Vou buscar informações e fazer um post abordando esse assunto. Ótima dica! Bjs e melhoras para Maria Flor.

  4. Bruna

    Sou médica e esquecereram de comentar como se devemos lidar com os cortes e arranhões. A primeira coisa a se fazer é lavar a área com água corrente. Enquanto lava observe o tamanho do corte. Pegue um pano limpo e coloque em cima do corte apertando por uns 10 minutos (sem tirar do lugar por esse tempo) que o sangramento vai parar. Se achar que o corte deve ser suturado, leve a criança a urgência, sempre com um curativo na lesão. E não se desespere antes de conversar com o médico. Até cortes grandes podem ter resoluções bem simples. Pergunte ao médico se é grave ou não antes de se desesperar.

Deixe seu comentário