Sobre o tempo que nos falta depois que temos filhos

Captura de Tela 2014-06-02 às 21.10.25O nascimento do Leo me trouxe coisas fabulosas. Me tornou mais criativa, mais corajosa, mais paciente (só com ele, confesso) mais empreendedora, mais cheia de mil ideias. Mas, ao mesmo tempo, me tirou algo bem importante, algo que, sem ele, nada disso que eu citei na frase anterior pode ser aproveitado: tempo. Sim, o nascimento de um filho consome, suga, faz evaporar o nosso tempo livre, aquele que usamos para executar coisas necessárias ou para curtir coisas banais.

Hoje, por exemplo, eu havia planejado ir ao pronto socorro (uau! que programão!). Sim, ando tão sem tempo que estou com tosse, nariz escorrendo e afônica há semanas, mas não tinha tirado uma horinha sequer para correr para um médico e tentar dar jeito na coisa. Aí, ontem, tomei a decisão: amanhã deixo o Leo na escola, vou ao pronto socorro, tomo aquele monte de coisas que eles sempre me dão quando vou lá e volto nova. Quase como se fosse um tempo num spa. Mas quem disse? Leo acordou um pouco enjoadinho e a minha intuição de mãe gritou: aí tem! Levei-o normalmente para a escola, mas senti que logo iriam me ligar, então desisti do passeio no spa, digo, no pronto socorro, e voltei para casa.

E aí, o que aconteceu? Bingo! Pimba! Não deu outra! 10h30min me ligaram da escola. Leo estava com diarreia e mais enjoadinho que de costume e lá fui eu pegá-lo para passar o dia cuidando dele.

E cadê o tempo livre para eu me cuidar? Ir ao pronto socorro? Dar uma atençãozinha para a minha saúde? Foi utilizado para cuidar da saúde do filho, que óbvio, vem sempre antes da nossa em qualquer situação que a gente venha a viver (me arrisco dizer que até no avião, no caso de um acidente, por mais que a gente saiba que deve primeiro colocar as máscaras de oxigênio que cairão sobre nós, vamos, com certeza, colocar antes na prole).

E essa situação que eu vivi hoje é só um exemplo das infinitas em que que o nosso tempo passa a ser consumido pelas prioridades dos nossos filhos. A essa lista, eu poderia acrescentar, ainda, as vezes que deixamos de fazer os nossos programas favoritos para levar o filhote na festa de aniversário do amiguinho, as vezes que deixamos de sair porque o filhote costuma ir cedo para cama, as vezes que não lemos sequer uma página do jornal no domingo porque o filhote quer jogar bola ou pentear a Barbie, as vezes que deixamos de fazer a unha, de cortar o cabelo, de comprar uma roupa nova, de sair para dançar com o marido, de chamar alguém para trocar a capa do sofá, de pagar as contas antes do vencimento, de nos dedicarmos a coisas necessárias ou, simplesmente, de curtirmos coisas banais, como citei lá no início do texto.

Eu não sei se eu sou desorganizada, atrapalhada, enrolada, desmiolada ou burra, mas depois que o Leo chegou eu tenho a impressão de que, se o meu dia tivesse 40 horas, ele seria totalmente tomado e, dessas 40 horas, só restariam uns 20 minutinhos para mim. E olha lá! Quando eu vejo, parece que a semana se foi, o mês acabou e aquela penca de coisas que estavam na minha “to do list” seguem lá. Esperando por um sopro de segundos livres na minha agenda lotada.

Claro que não dedico 100% do meu dia ao Leo, eu também trabalho quando ele está na escola ou dormindo, e isso também me consome. Mas antes de ter o Leo eu também trabalhava, e sempre sobrava um tempinho para aquele livro tudo de bom que eu havia comprado na última ida à livraria, para chamar o encanador para consertar o vazamento, até para tomar um café com calma e paciência em plena quarta-feira à tarde.

E só para vocês terem uma ideia (vocês, que ainda não são mães, porque quem é está entendendo direitinho do que eu estou falando) já vi gente dizendo que sonha com o dia que será internada num hospital, por uma semana, só para poder descansar (e confesso que já pensei o mesmo. ontem, por sinal!). E também já ouvi mãe  falando que ter um filho é correr uma maratona todo santo dia e mãe dizendo que criar e educar é participar de uma eterna gincana (é gente, né fácil não).

E concordo com todas elas loucas aí de cima, porque ter um filho (ou, vamos além, ter dois, três, quatro, oito ou 12, como teve a minha avó!) é passar o dia, as semanas e os meses equilibrando os pratos, dando conta deles – os filhos – e ainda do marido, do trabalho, da família, de alguma amiga que está com problemas e raramente, muito raramente, ou quase nunca, dando conta de nós mesmas.

E só para deixar claro, eu não sou uma mãe revoltada e arrependida (talvez um pouco mais cansada e sobrecarregada hoje) e, se eu pudesse voltar no tempo, não deixaria de ter filhos, pois ter o Leo foi a melhor coisa que já me aconteceu na vida. Só não posso deixar de assumir aqui, para todo mundo, aquela verdade que vocês bem conhecem: depois que os filhos entram por uma porta o nosso tempo livre ou o tempo que dedicamos a nós mesmas sai pela outra. Isso é fato!

PS: e antes que vocês me acusem de não ter lembrado de algo importantíssimo, devo complementar dizendo que o antigo tempo livre também é, MUITAS vezes, ocupado com coisas deliciosas que só quem é mãe tem o prazer de experimentar. Ou seja, no fim, no fim, tudo vale a pena!

 

39 comentários

  1. Fernanda

    Oi, Shirley,

    eu quase nunca escrevo aqui, mas queria dizer que você tem uma leitora assídua!!! Amo seus textos, ideias, etc!!!
    Vida de mãe é isso mesmo, né?!!! E o dia que a gente tira pra fazer alguma coisinha para gente vem logo a culpa de que podíamos ficar mais um pouquinho com nossos pequenos!
    Um grande beijo!

  2. Estela

    Concordo em gênero, número e grau tudo que foi exposto nesse post, tem dia que sinto mal por pensar, meu Deus não tenho mais tempo para mim, mas quando olho a carinha do Gabriel, sinto que passaria por tudo isso de novo!!!
    Me separei do pai dele quando ele tinha apenas 3 meses de vida, sou jornalista e como todos dessa áreas, às vezes falta horas no meu dia!!!
    Por enquanto conto com a ajuda da minha mãe para cuidar do meu pequeno durante todo o dia, até que eu chegue em casa no final da tarde e assuma as tarefas que pertencem a ele, porém não me sobra mais tempo para quase nada, nem para aquele banho demorado, lavando os cabelos e depois podendo escová-los com aquele cuidado, tudo correndo contra o tempo para voltar correndo a cuidar do Gabriel, e quando surgem os convites para sair e me distrair um pouco com os amigos e conhecer gente nova, vem sempre a culpa de ter que deixá-lo mais uma vez em casa, além do constrangimento de me sentir abusando da ajuda da vó, pedindo que ela possa ficar mais algumas horas com ele!!
    Enfim ser mãe “sozinha” é mais difícil aindal!!!

  3. Larissa

    tenho que confessar que nesse ponto foi bom voltar pro escritório..lógico q sinto toda essa sobrecarga e falta de tempo.. mas consigo pelo menos almoçar e de vez em quando substituo o almoço pela manicure. se não fosse o trabalho, acho que nem isso eu faria!

  4. Dayana Maria

    Oi Shirley!
    Sou leitora do blog faz um tempo, mas é a primeira vez que comento. Meu filhote faz 1 ano mês que vem, por causa dele é a segunda vez que tento cursar Licenciatura em Química. Teve que desistir, pois o curso era a tarde, minha sogra e cunhada começaram a trabalhar o dia todo e não tinha com quem deixar Diesus (Nome estranho né? rsrsr Foi o pai (Dário) que escolheu), pois bem, comecei o mês passado, de novo,química agora a noite, ainda bem que é perto de casa. Mas LITERALMENTE não tenho mais tempo para mim, acordo de madrugada para estudar, para quando o dia amanhecer cuidar só do filhote, casa e comida. Sou louca por livros, séries e filmes, agora passo semanas para assistir a um filme e ler um bom livro. Se me arrependo de ser mãe aos 20 anos? NÃO e NÃO, apesar da correria (Faculdade,filho,marido,casa, comida) faria tudo de novo. Ser mãe é uma aventura deliciosa.
    Parabéns pelo Blog.

  5. Carol Novaes

    Demais! Sincero, verdadeiro e compartilhado por mim e por quase todas as mães que conheço! Parabéns !

  6. Gisela

    Sou muito sua fã! Você escreve com a alma, sempre me identifico com seus textos. Bjs

  7. Silviane

    OI Shirley!!
    Mais uma vez me vejo na obrigação de comentar seu maravilhoso post!!
    Puxa!! Me vi em cada linha!!
    O mais legal disso tudo é saber que não sou uma alienígena por não conseguir pagar uma conta em dia e não tirar a sobrancelha…
    As vezes acho que se eu tivesse o pai do Felipe ao meu lado as coisas poderiam ser diferentes, mas já vi em outros posts seu que talvez não também…rsrs
    Enfim, maternidade é só da mãe mesmo…
    Eu AMO ser mãe, mas adoraria ter um tempinho só pra mim…
    Minha irmã disse que a vida dela começou a voltar aos eixos qdo minha sobrinha estava fazendo 4 anos… Começou, porque ela ainda não consegue fazer um xixi em paz… rsrs
    Beijão

  8. Aline

    Nossa! Seu texto hoje caiu como uma luva pra mim! Quase chorei! Ainda vim pensando no caminho para o trabalho…como damos conta de tanta coisa?? É estressante, é corrido, é insano! Se eu tivesse que pensar para respirar, tinha morrido! Os dias voam e acabo ficando com a sensação de não conseguir cumprir com excelência todas as tarefas! Parece que fico “devendo” no trabalho, em casa, com o marido e com a filha! Parece que tudo fica meia boca!

  9. Diuliane

    Muito verdade… Ti leio sempre, mas quase nunca comento… Quase morri de rir: Achei que era só eu que sonhava com uma internação hospitalar!!!!
    Beijão

  10. Renata

    Oi Shirley,

    Também sou uma leitora assídua de seus posts… e sabe quando os leio? Quando passeio de carrinho com o mais novo pelo condomínio…. vou ali, lendo no celular mesmo, com uma mão empurrando carrinho e com a outra descendo a página…
    Agora, com relação ao tempo, concordo com a irmã da Silviane, nossa vida começa a entrar nos eixos quando os filhos estão de 3 para 4 anos… Aí sabe o que a gente faz? Acha que ficou muito monótono e tem outro filho… só para ficarmos mais doida… Foi assim com o nosso segundinho… Quando o mais velho fez 2 e meio, engravidamos do mais novo… e acho que quando esse tiver uns 2 e meio também vamos arriscar o terceiro… Enfim, acho que aqui em casa gostamos de viver perigosamente.
    Beijos

  11. Leila

    Com certeza só quem é mãe entende seu post de hoje… Quando falo tudo isso pra quem ainda não tem filhos me chamam de exagerada e que não sei organizar o meu tempo, aff. Bjs.

  12. Alessandra Dias

    Só tenho tempo de escrever aqui pq estou no trabalho, na hora do meu almoço, e relaxo um pouco lendo o seu blog… pq quando chego em casa é aquela maratona, e atenção dobrada para a filha que eu só encontro as 18:30h … snif!
    Perfeito seu texto como sempre! Outro dia coloquei um post no facebook que falava exatamene isso:

    ” Você ainda não tem filhos e vive reclamando que não tem tempo pra nada???…
    SABE DE NADA INOCENTE!!!

  13. Tatiana

    Mais uma vez me vejo em cada linha do seu post!!!!

    Ser mae é muito bom, ver aquele sorriso ao acordar, receber aquela abraço sincero… mas como vc disse, o único contra disso tudo é a vida virar de ponta cabeça, mais coisas pra fazer do que o numero de horas que tem o dia.. rsrsrs, nao fazer nada com a tranquilidade de antes, quase nunca ou praticamente nunca fazer algo pra nós…. kkkkk =P

    A 15 dias atras, confesso que pensei a mesma coisa que vc e que muitas outras maes por aqui…. estava muito ruim, garganta inflamada, nariz escorrendo e aquela tosse interminável, e pensei o único jeito de me cuidar é se eu ficar internada hehehehehe, pq nao tenho muita a ajuda dos meus pais ou marido pra ficar com a Maria Clara, para poder tomar um remédio e me cuidar nem que seja umas horinhas só… o unico tempo que tenho é a tarde (13-17) que é quando ela está na escolinha, mas vcs sabem como é neh? Essas horinhas acabamos fazendo aquelas coisas pendentes hehehehe!

    Parabéns mais uma vez pelo Post! =)

  14. Larissa

    Oi Shirley!

    Nossa realmente é assim mesmo! Agora por exemplo estou digitando com uma mão e segurando minha bebê que está mamando com a outra rs! Agente não se arrepende mais queríamos que existisse um jeito de ter um momento só pra gente… As vezes brinco que atualmente um banho de 15 minutos equivale a um dia de spa rsrs.

    Mas vale a pena principalmente quando vemos aquele sorrisinho lindo ou ouvimos mama… é gratificante!!!!

  15. Beatriz

    Pois é flor! Estamos em sintonia… Sim, 40 horas seriam poucas para tudo que temos para fazer!!! E isso não quer dizer que não é bom. Mas, sem dúvida, nos deixa exaustas!! Precisamos tomar um café qualquer dia, nem que seja por 20 mindinhos – combinado?
    Beijos
    Bia
    http://www.maedacabecaaospes.com.br

    1. Shirley Hilgert

      Siiiiimmmm! Vamos marcar esse café. Eu vou amar. Vc avisa quando vem a Sampa e a gente marca. Vai ser ótimo! Beijos!

  16. Tatiana Cali

    Eh assim mesmo !!!
    Sabe, a primeira vez que eu e meu marido saímos a noite depois do Lucas ele ia fazer 3 anos e foi dormir na casa da Avo. Deixamos ele cedo lá, era Dia dos Namorados. Fomos jantar fora… Delicia !!!
    Mas sabe que depois não sabíamos o que fazer ?!!! Kkkk. Não pensamos no cinema, no teatro, absolutamente nada !!! Estávamos tão acostumados a não fazer nada disso que esquecemos.
    Fim de tudo ?! Dez da noite estávamos em casa com um vazio enorme… Kkkkk.
    Loucos, não ?!!! Mas aproveitamos a noite para nos curtir e namorar sem o risco do moleque acordar…
    Bjs,
    Tati

  17. Nagela Cardoso

    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAH….juro que eu pensava que só eu era retardada ao ponto de querer passar 5 dias internada em um hospital. Que Deus me perdoe por isso, mas por vezes eu me pego pensando que seria ótimo pra mim!!!

  18. LUCIANA M VICCO

    Eu sou a mãe mais empolgada de um grupo de zap zap da escola do meu pequeno, e as mães são os meus guias graças a Deus, só sendo mãe para saber e entender, vou explicar por que, mudei de cidade ou melhor de estado estufei o peito e disse molezaaaaaa, para quem já morou fora muitos anos tendo de aprender o idioma e lidar com outra cultura…..toma e tomaaaaa, não tinha minha cria, não saberia que ele sentiria a mudança e menos não sabia que seria tão difícil explorar uma nova cidade com um ainda bebê recém completados 2 anos cheio de rotina só quem é mãe sabe e passa os TERRIBLES TWO, é Shiley me enquadro perfeitamente nesse momento SPA HOSPITAL seu hahahahah. afinal só hj depois de 4 dias com febre e garganta infeccionada que me dei ao luxo de ir para o PS hahahaahha rindo claro, dando um belo bom diaaaaa pois algo muito além de nós está aqui e posso dizer semanas antes do JM completar 3 anos ele mudou e como mudou, sem choro, sem birra boba falando e querendo falar para ser entendido rsrssrsr VIVA AS MAMÃES

  19. Viviane

    Shirley de Deus!!!! Parece que você baseou-se em mim para escrever este post!!!!!
    Principalmente os cafés de 4a feira rsrs.
    Me identifico muito contigo! Bjs e força pra nós!

  20. Eu ri tanto na parte das máscaras de oxigênio.. Sempre penso nisso quando entro em um avião..
    Mas é isso aí.. Um dia após o outro e vamos seguindo..
    Temos direito de tirar um dia pra reclamar né? Ou pelo menos 5 minutinhos… :*

  21. Maria Teresa Fantozzi Giorgetti

    Cara Shirley
    Descobri seu blog hj com este texto maravilhoso que vc escreveu mostrando o que é ser mãe de verdade com nossas angustias e alegrias! Como eu mesmo digo: Ser mãe é ter uma paixão sem remédio! Me identifiquei muito com vc!
    Serei , a partir de agora, sua fiel seguidora!
    Abraços

  22. natasha

    nossa Shirley, concordo plenamente em tudo que vc disse! depois que temos filho não dá pra fazer nada meeeeesmo! as vezes eu me pego até com fome, pq não dá tempo nem de comer!!kkkk mas aí eu fico feliz pq pelo menos pode ser que eu emagreça kkkk
    mas é assim mesmo, faz parte.. e é recompensador cuidar desses amor de nossas vidas! :D
    descobri seu blog esses dias quando pesquisei no google formas de aliviar os sintomas de qndo os dentes começam a nascer…e já no dia que comecei a ler não conseguia parar mais!! parabens pelo blog!!agora vou passar sempre por aqui ! bjo

  23. Andrea

    Eu estou grávida de gêmeos e leio sempre seus posts, ou melhor desde que uma amiga minha me indicou eu li seu blog inteirinho do começo ao fim. Confesso que bateu até um medo, porque de cara ter gêmeos…. Acho que não vai ser mole!!!!

  24. Juliana Dias

    Bom diaa..Shirley concordo plenamente em tudo eu também ando sobregarregada e cansada mas qndo chego em casa e vejo o lindo sorriso e ganho um grande abraço tudo passa bjss

  25. Kelly

    Olá Shirley!

    Leio seu blog há mais de um ano, mas nunca comentei. Hoje realmente não dava pra deixar passar…pq seu post foi muito meu…rsrs

    Sempre digo que quando desabafamos (dizemos a verdade) sobre o lado B da maternidade, as pessoas tem a impressão de que não amamos nossos filhos, ou nos arrependemos de tê-los…normalmente pessoas que não tem filhos.

    Nós amamos incondicionalmente, respiramos nossos filhos…mas temos também a nossa vida e uma saudade imensa de aproveitá-la.

    Te entendo perfeitamente! Penso exatamente igual sobre tudo que você escreveu (confesso que ainda não tinha pensado no hospital como local de descanso…rs), também aindo bem esgotada e cansada, e tenho a esperança de que dias mais tranquilos e normais virão com o passar dos anos.

    Beijos

  26. Carine Machado

    Olá,

    Concordo com tudo. E acrescento que as vezes da um desespero na gente, vontade de sair correndo, pra então fazer as coisinhas da gente. Mas claro, o amor por esses pitocos não existe, é inexplicavel…mas não podemos ignorar que também temos nossas vidas…
    Mas quero dizer, que a FORÇA DE VONTADE é algo, determinação… Meu pequeno Benjamin de 7 meses esta indo na academia comigo, foi a forma que encontrei…

    No fim das contas tudo se ajeita…FORÇA…
    Bjs

    1. Gessyka

      Eu Carine… me explica como vc consegue levar seu bebê pra academia? Vc deixa ele com quem pra malhar? Quero saber pq gostaria muito de voltar a me exercitar quando meu Pietro nascer. Abraço

  27. Cristiane

    É assim mesmo. Eu ando sentindo muita falta desse tempo livre, minha bebê tem 10 meses e ela roubou minha vida, é assim que eu defino ter um filho. É óbvio que é maravilhoso e não vejo minha vida sem ela, mas muda muuuuuuito mesmo.

  28. Grazi

    É bem assim mesmo!
    Eu sou mãe integral, mas estou procurando um trabalho para voltar a ter um pouco de sanidade! rsrs
    Amo ficar com meu filho, mas cuidar dele, da casa e dar atenção para o marido, cansa! Logo que meu filho nasceu eu tava muito neurótica com deixar a casa sempre limpa, roupa em ordem que um dia eu joguei toda a louça que tava no chão de raiva rsrsr, por ser sempre a última e não ter tempo pra mim. Hoje estou mais desencanada e faço tudo quando dá. Mesmo hoje tendo rotina com meu filho, acredito que ao voltar trabalhar e ele for pra escolinha a rotina vai ser muito mais regrada, quem sabe assim consigo uns minutinhos toda semana pra fazer a unha!
    beijos

  29. Danielle

    Concordo. Simples assim. Ufa! rs

  30. Livia

    Juro que achava que era a única que já sentiu vontade de ficar internada só pra descansar. Que alívio!!

  31. Adarita Mendes

    É exatamente assim, mesmo eu não trabalhando fora, me sinto assim também!!!
    E pior é que a maioria das vezes não somo compreendidas!

  32. Patricia

    Nossa me vi em cada linha… Realmente depois que minha filha nasceu meu tempo ficou escasso… Trabalho fora e quando pego ela na escola… Meu tempo é pra ela…Qdo dorme vou cuidar das coisas da casa…. É cadê o tempo pra mim? Mas amo ser mãe e não troco por nada

  33. Erika

    Shirley, parabèns pelo texto maravilhoso. A vida de mãe è essa maratona mesmo e o tempo voa demais. Sobre ficar internada pra desxansar um pouco, em abril eu fui internada com trombose na subclavia e pulmão por conta de um procedimento precisei ficar na UTI, fora o desespero de ta longe do filho confesso que teve um momento que pensei ja que estou vou aproveitar e desxansar.rs. Um beijo e parabèns pelo blog.

  34. Geane

    Texto perfeito!! Hj me sinto muito incompetente para cuidar das coisas banais do dia a dia que fazia num piscar de olhos … por outro lado, cada dia que passo me sinto mais capaz e integrada a essa função que Deus me permitiu: ser Mãe. Beijos a todas nós Mães!!!

  35. Jéssica

    Nossa muito bom!!! Parabénsss

  36. Amanda

    Adorei seu texto, muito verdade….minha bebe nasceu há 20 dias, e ainda estamos se adaptando a ela. E um amor incondicional, maravilhoso, mas é muito cansativo….tbm acho que as coisas irão melhorar quando eles estiverem com uns 4 anos…e depois vamos sentir falta deles pequenos o tempo passa mto rápido….temos que aproveitar cada fase!!!! Mas ser mãe e maravilhoso…e tanto amor!!

    1. Macetes de Mãe

      Que bom que gostou, Amanda! <3 Aproveite muitooo! Bjss

Deixe seu comentário