Fisioterapia respiratória em crianças: o que é e importância

Quando o Leo ficou internado, há alguns meses, uma das prescrições que ele recebeu foi a de fazer fisioterapia respiratória. Essa não havia sido a primeira vez que haviam feito esse procedimento nele, sempre com ótimos resultados, por isso, resolvi chamar uma colaboradora antiga do blog para falar um pouquinho a respeito e também elucidar algumas dúvidas.

Com vocês, o que a fisioterapeuta Raquel Escobar tem a dizer sobre fisioterapia respiratória, uma técnica bastante comum em hospitais e pronto socorros e que ajuda muito no tratamento de doenças respiratórias de crianças e adultos.

imagem fisioterapia respiratoria em criancas

Clique sobre a foto para verificar a fonte (creative commons).

Fisioterapia respiratória: o que é e importância

Por Raquel Vasques Escobar

Atualmente é cada vez mais frequente, por parte dos médicos, a solicitação de fisioterapia respiratória, principalmente para bebês e crianças. O crescente uso dessa técnica deve-se, principalmente, aos eficientes resultados obtidos através dela. Abaixo, falo um pouco sobre a fisioterapia respiratória em crianças e sua importância para garantir a saúde dos pequenos.

O que é fisioterapia respiratória?

A fisioterapia respiratória, também conhecida como fisioterapia cardio-pulmonar, é uma especialidade dentro da área de fisioterapia com crescente atuação. A sua realização pode ser preventiva e/ou curativa, e ela é usada tanto em ambiente domiciliar quanto em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Ela tem como função prevenir e/ou restabelecer alterações nas funções cardio-pulmonares decorrentes de doenças agudas (p.ex: Bronquiolite) ou Crônicas (p.ex.: Fibrose Cística).

 Por que as crianças precisam de fisioterapia respiratória tão precocemente?

Segundo a ASSOBRAFIR (Associação Brasileira de Fisioterapia Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva): “A crescente incidência de enfermidades respiratórias infantis está ligada em parte a evolução de germes responsáveis pelas infecções respiratórias e ao predomínio de infecções virais sobre as infecções bacterianas, e a outra parte a um conjunto de fatores ambientais que associam os hábitos de vida e poluição do ar. Devido as particularidades do sistema respiratório e a predisposição genética, as crianças estão sempre susceptíveis a infecções respiratórias. As mais comuns são a bronquiolite e as pneumonias.  Diversas doenças são responsáveis por um acúmulo de secreções bronquiais, sendo necessário recorrer a intervenção da fisioterapia respiratória cujo objetivo fundamental é remover as secreções bronquiais e expandir os pulmões”.

Como é realizada a fisioterapia respiratória?

As manobras de fisioterapia relacionadas aos cuidados respiratórios consistem em técnicas posturais, manuais e cinéticas dos componentes torácicos e abdominais.

Para que ela é usada?

  • mobilizar e eliminar as secreções pulmonares;
  • melhorar a ventilação pulmonar;
  • melhorar a oxigenação e trocas gasosas;
  • promover a expansão pulmonar;
  • diminuir o trabalho respiratório;
  • diminuir o consumo de oxigênio;
  • aumentar a mobilidade torácica;
  • aumentar a força muscular respiratória;
  • reeducar a musculatura respiratória;
  • prevenir complicações;
  • acelerar a recuperação;
  • melhorar o estado emocional do paciente.

Quais as principais técnicas de fisioterapia respiratória?

  • Drenagem Postural
  • Manobras de Higiene Brônquica
  • Técnicas de auxílio à tosse
  • Utilização de incentivadores respiratórios
  • Técnicas de reexpansão pulmonar
  • Técnicas de reeducação respiratória
  • Utilização de equipamentos de ventilação não-invasiva (quando necessário)
  • Aspiração de secreções nasotraqueais (quando realmente necessário)

Quem deve realizá-la?

A Fisioterapia Respiratória deve ser realizada por fisioterapeuta devidamente capacitado e preferencialmente especialista no segmento de fisioterapia respiratória.

Os pais podem aprender algumas técnicas?

Os pais são fundamentais para o sucesso da fisioterapia respiratória, mas, técnicas específicas devem ser realizadas preferencialmente pelo profissional habilitado e experiente, pois, a terapia consiste desde a avaliação da ausculta pulmonar prévia e condições clínicas a realização de manobras e técnicas que serão estabelecidas após esta avaliação. Ao término da terapia, reavaliação da ausculta pulmonar e quadro clínico geral da criança devem ser avaliados.

Importante ressaltar que não existe uma “receita de bolo” para o tratamento respiratório, a avaliação deve ser diária e o tratamento elaborado e conduzido mediante resultado dessa avaliação.

Como os pais podem ajudar?

Os pais devem participar auxiliando na realização correta das inalações prescritas pela equipe médica, no uso de incentivadores respiratórios, no encorajamento da tosse, na alternância de decúbito (drenagem postural), ou seja, a criança precisa e deve ser colocada em diferentes posições para auxiliar na ventilação pulmonar (deitada dos dois lados, barriga para baixo, cabeceira elevada), orientados da importância da realização de algumas técnicas de limpeza brônquica, sempre conforme orientação do fisioterapeuta.

A criança precisa ser conscientizada, sempre que possível, da importância da reeducação respiratória, da tosse e do controle de suas crises.

 

À disposição,

Raquel Vasques Escobar

Fisioterapeuta pós-graduada em Fisioterapia Respiratória e Pneumologia

Universidade Federal de São Paulo

CREFITO 78902-F

escobar.raquel@gmail.com

 

 

 

 

 

 

 

9 comentários

  1. Leilane

    Muito útil essa entrevista! Você sabe a partir de que idade pode ser feita essa fisioterapia?

  2. Ana Carolina

    respondendo, qualquer idade pode fazer. Trabalho em uma uti neonatal e todos bebês fazem fisioterapia, inclusive os prematuros. Apenas estes tem restrições, quando nascem com peso abaixo de 1500 g, a fisioterapia só pode iniciar após o terceiro dia de vida

  3. Núbia Tavares

    Fisio respiratória é incrível! MInha Luisa precisou fazer com 2 meses e meio por conta de uma gripe. Fizemos pra evitar que o catarro descesse e virasse bronquiolite. As sessões eram milagrosas! Era só a fisio terminar e ela vomitava quilos de catarro! Virei fã da técnica!

  4. Parabéns pelas orientações! A fisioterapia esta cada vez mais ganhando espaço com propriedade e bases científicas!

  5. lauane Ramos

    Existe alguma massagem que eu passa fazer na minha bebe em casa

  6. Grasiele

    Meu bebê está fazendo. Espero resultados!

  7. Taís

    Meu filho teve que fazer por várias vezes, vale muito a pena, ele melhorava absurdamente, durante a fisio vc sente o catarro soltar, realmente vale a pena.

  8. Aline

    Eu adoro. Sou fã desse procedimento.

Deixe seu comentário