Uma fase de cortes e mudanças

Eu tenho andado muito estressada ultimamente. Irritada, pavio curto mesmo. Por tudo eu estouro, perco a paciência, fico nervosa, choro. Coisa de gente doida, né? Não, coisa de gente sobrecarregada.

Como já falei aqui algumas vezes, desde que o Leo nasceu, eu nunca mais tirei férias. Foi trabalho 24×7 tanto cuidando do filho quanto cuidando do blog (e tudo que o cerca) e isso, claro, tem me desgastado.

Só que ultimamente, essa minha irritação com tudo que tenho para fazer, cumprir, entregar e dar conta tem me deixando ainda mais sensível. Claro que o fato do Leo estar de férias e de estarmos mudando de casa complicado um bocado as coisas, mas não é só isso. Tem algo mais.

DIGITAL CAMERA

Fonte da imagem: clique sobre a foto.

E quando tem algo mais, quando algo fica martelando na minha cabeça, quando algo não se encaixa, quando eu sinto que algo realmente está me incomodando, eu simplesmente não sossego. Aquilo fica lá me azucrinando até que a resposta para aquele sentimento negativo aparece e aí eu passo a entender melhor as coisas e relaxo, porque sei o caminho certo a seguir.

E foi o que aconteceu hoje. Hoje eu entendi que PRECISO abrir mão, preciso cortar, preciso deletar algumas coisas da minha vida. Preciso abrir espaço para aquilo que é importante de verdade, para aquilo que faz a gente ter vontade de acordar todas as manhãs e terminar o dia com um sorriso no rosto, aquilo que faz a vida ter sentido.

Falando assim parece meio filosófico e até um pouco sem sentido, mas é bastante simples. Hoje eu percebi o óbvio. A gente estressa, surta, se incomoda porque a gente quer abraçar o mundo, e num suspiro só. A gente assume tarefas que não vão acrescentar nada nas nossas vidas, tenta resolver problemas que sequer existem, sai por aí tentando ser uma super-mulher-responsável-e-perfeita 24h por dia, e isso é insano.

Hoje decidi que eu vou “passar a faca” em tudo aquilo que me pesa e não me acrescenta nada. E vou mesmo. Algumas coisas serão mais difíceis, mais complicadas, porque, talvez, a outra parte não entenderá perfeitamente o encerramento desse ciclo, mas outras serão bem mais fáceis do que eu mesma imagino.

E por que tudo isso? Simplesmente porque eu quero ter tempo de fazer aquilo que eu acabei de relatar para uma amiga: andar no parque, ler três páginas de um livro, sentar ao sol.

Se eu tenho o privilégio de viver uma vida com certa liberdade, afinal, optei por trabalhar em casa e fazer os meus horários, eu preciso de tempo para viver essa vida.

E para terminar esse post, sugiro que vocês também façam essa faxina em suas vidas. Eu aproveitei a mudança de casa para tentar implantar uma mudança de vida e sugiro que, quem puder, também faça o mesmo. Muitas vezes, não precisa muito, é só cortar aquela coisa que incomoda há meses e que suga a sua energia e o seu tempo. Por menor que seja o tempo dedicado a algumas coisas, se ele não é empregado naquilo que realmente vale a pena, ele é tempo perdido.

20 comentários

  1. Tatiana Galvez

    Amei! Tb tô precisando fazer uma “faxina” na minha vida!

  2. Elaine

    Que mãe não preciso abrir mão…. Boa sugestão….

  3. Ana Paula

    Adorei o post…Estou compartilhando…E incentivando outras a mamães a viver com liberdade, aproveitando a liberdade!

    Beijos!

    1. Patrícia

      Bem interessante! Tb vou pensar…

  4. Mariana

    Exatamente no mesmo momento, Shirley! Vamos abraçar a mudança, de casa e de vida, para sermos mais felizes. Beijos, Mari.

  5. Andrea

    Eu também fiz está faxina, mudei de país e estou tendo a gravidez mais tranqüila do que podia imaginar pois não tem ninguém dando pitaco na minha vida e como o fuso horário é grande não tem como as pessoas entrarem em contato. Estou amando estar neste momento de paz!!!!

  6. Rosamaria

    Realmente, Shirley! Se vc fez opção de ser autonoma, foi para fazer seu horário e muitas vezes se dar ao luxo de passear no parque nu.a quarta feira a tarde! Boa sorte! Bj

  7. Luciana

    Shirley, sempre acompanhei seu blog e relatos mas optei por ficar no anonimato, a distância sem comentar. Seu post de hoje com esse desabafo é extremamente verdadeiro e como se parece comigo.. estou vivendo uma vida de mãe-esposa em período integral e essa rotina massacrante cansa MUITO. Preciso muito ter a coragem que você teve de decidir cortar tudo o que é excessivo e faz mal e eu te admiro por isso. Boa sorte pra vc!

  8. lUCIANA

    Sou mãe de um menino de 04 anos ( que também está de ferias !!! ) Optei em trabalhar em casa e É PURA ILUSÃO pensar que vamos ter tempo pra nós…. Trabalho muito mais do que fosse uma funcionária de alguma empresa pois tem horario de entrar e sair, ter pessoas ao seu lado pra conversar e tem ferias determinadas….. Na verdade, a UNICA vantagem , no meu caso, é saber que no dia que meu filho estiver dodoi eu não preciso dar satisfação e justificar minha falta…ou num dia de chuva, simplesmente deixá-lo em casa dormindo no quentinho…. .. de resto, é pura ilusão…. trabalhar em casa tem que MUUUITA disciplina .. É isso são para poucas ( eu não consigo…)

  9. Aline

    Quanto sentimento, quanta verdade!
    Vou seguir seu conselho.
    Comecei cortando meu cabelão no sábado passado.
    E uma amiga que é psicólogo já havia cantado a pedra que até um simples corte de cabelo significa uma mudança importante de comportamento.
    Que assim seja.
    Que você tenha seus momentos de leveza e tranquilidade e possa ser feliz com as pequenas coisas.
    Você inspira muita gente.
    Gente como eu.
    Beijo!

  10. Carolina

    Ai, eu também me sinto sufocada com a rotina mãe-esposa-profissional, conta aí o que foi que vc conseguiu cortar pelo amor de Deus, pq eu penso na loucura que tá minha vida e não vejo escapatória, não sei por onde começar, sinto que estou presa em uma rotina insana e não sei o que fazer pra não surtar de vez!

  11. Jenny

    Está apoiadissima. Te entendo!!
    Reiniciei meu blog, dá uma passadinha lá!!
    Bjus

    http://www.papodemamaeamelia.com.br

  12. Antônia

    Shirley, se nós fossemos amigas não seria TÃO PERFEITO, cada relato seu é maravilhoso, porque calha com o que exatamente estou sentindo. Parece mentira! Eu venho me sentindo assim tbm, e é horrível. Quero voltar um pouco a atenção pra mim, cuidar do meu corpo e da minha mente. Ler um livro, voltar a cozinhar como gostava de fazer… O texto foi incentivador!!! Grande Bjo

  13. Bruna Barros

    Uma das coisas que aprendi na terapia é que eu não sou impressora: não preciso ser multifuncional. Delagar obrigações, reconhecer que tá cansada, precisar de tempo para si mesma, é importantíssimo!!

  14. FERNADA

    Oi…adoro esse blog..conheci a pouco tempo! Vc nao tem nenhuma dica para o choro na hora da escola….minha filha de dois ans entrou agira para escola e essa adaptação ta sendo bem dificil…as tias e monitoras sao otimas, mas ela nao quer saber de nada e de ninguem…so chora e nao come nem o lanche e nem o almoço…nao sei mais o que faço…

    1. Shirley Hilgert

      Fernanda, infelizmente, não tenho dicas para isso. O jeito é conversar com a Escola e ver com eles o que é o melhor a ser feito. abs.

  15. Karina

    Passei a noite passada em claro pensando nisso, olha que coincidência. No mesmo barco que você… E viva o desapego àquilo que não nos serve mais. Sem fardos ficará mas fácil, com certeza. Beijo!

  16. Mirela Sampaio

    Como uma coisa pode cair tão bem?!
    Tô assim… Tô nessa… Tô desse jeito…
    Olho pra mim e não me vejo. Sou tão animada e feliz, mas só vejo minha cara de irritada, sem tempo pra resolver as coisas, pra deixar tudo lindo, limpo e perfeito… E eu? Onde estou?

  17. Tatiana Gaspar

    Amei o post!!!
    E super apóio, mudar é preciso, certos cortes são necessários para seguir em frente ;)

  18. Ana Paula

    Tenho um filho de 2 anos e 9 meses e outro bebê de 11 meses, tb optei por trabalhar em casa, com intuito de ter mas tempo para meus filhos.
    Mas estou me sentindo exatamente como relatou e percebe que preciso urgentemente de ter tempo para mim.

Deixe seu comentário