Carta aberta ao meu e a todos os maridos

O meu marido diz que trabalha demais. Não duvido nem por um segundo disso. Não é raro ele trabalhar mais de 100 horas por semana, chegar em casa depois das 23h e trabalhar aos finais de semana.

Só que toda vez que ele fala que trabalha muito, e eu respondo que também trabalho muuuuuuiiiiitttoo, tenho a impressão de que a minha frase fica solta no ar, de que ele não entende exatamente o que eu quero dizer com aquilo e que, inclusive, desacredita um pouco (afinal, para muita gente, sou aquela mãe desocupada que não tem mais profissão  e que, ainda por cima, deixa o filho o dia todo na escola. Tenho certeza absoluta que o meu marido não pensa isso, mas também não acho que ele veja com clareza a realidade dos fatos).

carta aberta aos maridos

Photo Credit: Amir Kuckovic via Compfight cc

Entãoooooo…… tendo total conhecimento disso, dessa falta de informação clara, direta e detalhada sobre  quanto eu e tantas outras mães trabalhamos no período de 24h, resolvi fazer o post de hoje. Na verdade, eu vou contar aqui um pouquinho a minha história de mãe, mulher, profissional, esposa, etc… mas a intenção é que todas vocês se vejam nesse relato, com muitas coisas em comum e algumas nem tanto, e que sirva para abrir os olhos de tanta gente que acha que nossa rotina é mamão com açúcar, melzinho na chupeta ou brincar de casinha. Então… vamos lá!

Querido Otávio,

Resolvi escrever essa cartinha no momento que respondia um email seu e tentei resumir, brevemente, o que eu faço todo santo dia. Como resumir não é meu forte e como em se tratando de relatar a minha rotina isso também seria impossível, mesmo que eu levasse jeito para a coisa, achei melhor expressar meus sentimentos, impressões e opiniões aqui, um espaço amplo, sem restrição de caracteres e com total liberdade para eu botar a boca no trombone.

Sei que tem um tanto de gente que pensa que sou um tanto quanto desocupada, afinal, larguei a minha antiga profissão, não trabalho (só porque não bato ponto não quer dizer que não trabalho) e, ainda por cima, deixo o filho em período integral na escola, mas não é bem assim que as coisas acontecem.

O meu dia começa cedo, quando o Leo acorda e eu tenho que levantar, dar mamadeira, trocar a fralda, trocar a roupa, dar os remédios de rotina (que não são poucos), pentear o cabelo (mentira, nunca faço isso, eu só arrumo com os dedos mesmo) e escovar os dentes dele. Na sequência, me divido entre ler uma historinha, fazer um minhoca de massinha, jogar bola, escovar meus dentes, colocar uma roupa e pentear o meu cabelo (mentira, também não penteio, eu prendo e pronto). E aí, pausa para checar se a mochila da escola foi adequadamente montada na noite anterior (estava tão cansada na hora que não sei se fiz direito) e montar a lancheira, que, claro, vai cheia de coisas naturais e saudáveis, picadas e preparadas na hora, o que dá bem mais trabalho que tacar dentro uma barra de cereal e um biscoito.

Aí, cato a chave do carro (não sem antes dizer mil vezes: “não, não vamos ver Madagascar agora, de noite a gente vê” ou então “Toy Story fica para outra hora”), junto a mochila, lancheira, minha bolsa e alguma coisa que tenho que levar junto para lavar/trocar/devolver na rua e saímos porta afora.

Chegando no carro, óbvio, entramos na parte da história que o Leo não se decide se sobe sozinho ou não na cadeirinha e quando eu concordo com o que ele quer ele muda de opinião, o que me faz sair atrasada de casa, um tanto quanto irritada, e já pensando na desculpa que darei quando chegar na escola e eles não quiserem aceitá-lo porque das 9 às 10h é intervalo de lanche das crianças e aí não dá para entrar se não atrapalha os demais que já estão comendo (coisa que eu concordo, afinal, quero sempre matar a criatura que vem atrapalhar quando estou dando comida para o Leo).

Bom, enfim, etapa um do dia cumprida! Leo na escola e aí eu de volta à minha rotina do lar, que inclui, entre outras coisas: ir no mercado, ir na farmácia, ir na lavanderia, ir na costureira (toda semana! nunca vi!!!!), ir na antiga casa pegar correspondência, resolver alguma pendência com a proprietária da casa nova, pagar contas, mandar eletrodomésticos para o conserto (nunca vi como eles dão pau aqui em casa), me estressar com o pedreiro que faltou de novo, cotar as dezenas de serviços que ainda temos que fazer  na nova residência (eles não acabam nunca!!! parecem que se multiplicam), ir na C&C (já sou quase sócia do lugar), resolver alguma confusão do seguro de saúde, coordenar o trabalho da empregada e por aí vai!

Depois das coisas da casa atendidas, é a hora de me dedicar ao blog, de corpo, alma, cabeça, unha, carne, barba e bigode (mentira! eu sempre dou prioridade para o blog e as coisas da casa ficam para quando dá tempo. kkk!). E cuidar do blog significa, resumidamente: escrever posts, responder comentários, responder emails  de leitoras, buscar ideias para o Facebook, ter inspirações para o Instagram, não esquecer de compartilhar o post do dia em todas as redes sociais (Face, Insta, Google+, Pinterest e Twitter), responder emails de assessorias de imprensa, negociar com possíveis anunciantes, brigar com as pessoas que me ajudam a cuidar do blog (pobre Tamara), revisar textos de colaboradoras e colunistas, pensar em botar em prática novas ideias para o blog (tem coisa nova vindo aí!), fazer a minha parte no que diz respeito à loja Macetes de Mãe (mas confesso, o grosso aqui quem faz é a minha sócia), escrever textos para publicações que me convidam para escrever e por aí vai!

E aí, são 17h e preciso sair para pegar o Leo, dar o jantar dele, brincar, passear, ler historinha, ver filme, desfazer e refazer a mochila, desfazer a lancheira, dar mamadeira, dar banho e colocá-lo na cama de novo para só então…. o que fazer….????? Voltar a trabalhar. Sim, depois que eu coloco o Leo na cama eu volto a trabalhar. E sigo trabalhando até 11h ou meia noite, porque horário comercial aqui em casa não existe. Ou melhor, existe, mas dura umas 16h.

Ah, e isso tudo funciona assim, à perfeição e exaustão considerando-se condições normais de temperatura e pressão. Ou seja, filho saudável, eu saudável, Leo dormindo a noite toda, sem acordar, e todo mundo bem. Porque, minha gente, quando o Leo fica doente, a casa cai. Aí tenho que dar conta de tudo isso tendo a minha pequena ferinha doentinha em casa, o que é quase humanamente impossível.

E, ainda, esqueci de citar cinco coisinhas. No meio disso tudo eu ainda tomo café da manhã, almoço, janto, tomo banho e vou ao banheiro. Justo né! Mas juro que não gasto mais de 1h30min com tudo isso. Não mesmo!

Ps: Detalhe muito importante! E o Caê ainda nem chegou. Depois, aí sim, o circo vai pegar fogo!

———————

Bom, acho que a muita gente se identificou com essa história. E sei que tem tantas outras mães cuja rotina consegue ser ainda mais corrida que essa (dois ou mais filhos, sem empregada, andando de transporte público, etc…). Mas o que quis dizer e mostrar, com tudo isso, é que não é fácil e nem simples. Não é porque a gente não bate o ponto como os nossos maridos batem, ou não ganha o que eles ganham, que a nossa rotina é facinha. NÃO É NÃO. A gente trabalha sim, pra caramba, só que tem que, muitas vezes, repetir à exaustão para ver se as pessoas entendem.

56 comentários

  1. Gabriela

    Prepare-se pra chegada do segundo! Porque a vida da maioria dos papais nao muda em nada! Para nós mamaes, temos que respirar para nao PiRAR! Kkkkk

    1. Shirley Hilgert

      Menina, nem me fale!!! Medo desde já. Sei que vai cair tudo bem mais em cima de mim.

  2. Laliana Cardoso

    E verdade!!!! Deixei o meu emprego para cuidar da minha filha….e parece q vivo em funçao dela,tudo parou e muitos olham para vc,como se voce nao fizesse nada…so Deus mesmo para ver como uma mae es guerreira,q ama seu filho acima de tudo!!! Somos simplesmente Mae.

  3. keilaine lima

    adoreiiii belo texto.. exaustao total….somos guerreiras no quesito de ser mae, esposa, mulher, dona de casa e por ai vai a criterio de cada uma de nos.

  4. Fernanda

    Eu só acrescentaria o fato de que quando pedimos aos pais que fiquem com a criança por 1 hora e meia no final de semana, para que a gente possa ir ao cabeleireiro, eles pedem para deixar a criança dormindo porque não conta de tudo nem por uma hora. :)
    Beijos Shirley e anime-se porque dizem que no segundo tudo é mais fácil.
    Você vai nos contando…

  5. Helô

    OI, seria legal ver resumos de outras mães, com realidade diferentes, postados aqui;.. Sinto muito dizer mas a sua realidade não representa nem de longe a da maioria das mães… empregada doméstica em casa? Carro pra levar filho pra escola? Que sonho meeeu hehehe… Eu trabalho fora quase 12 hoias por dia, sem empregada, sem faxineira, tenho dois filhos, de 5 anos e outra de 8 meses… meu marido sai todas as noites, ta fazendo faculdade pra tentarmos melhoras de vida… eu faxino, cozinho, limpo, arrumo, guardo, lavo, passo… ajeito criança, dou banho em dois, janta pra dois, brinco com dois quando dá tempo… to me sentindo uma super mãe, mas to sempre triste, sempre… gostaria de dar conta de tudo mas nem sempre dá… fico devendo mais brincadeiras e mais comidinhas preparadas de forma saudável e na hora pra meus filhos… me sinto terrivelmente cansada pois a bebê ainda mama na madruga e acorda a cada duas horas… trabalho loucamente quase 12 hrs pois quase não consigo parar pra almoçar,,, e assim vai… loucura! sugiro que as mamães postem mais sobre suas rotinas loucas, pra ver que não estamos sozinhas nessa missão linda, e doida: ser mãe!

    1. Shirley Hilgert

      Helô, gostei da dica. Realmente, como eu disse no final do post, apesar da minha situação ser puxada, tem outras muito mais difíceis ainda. Beijos!

  6. Bianca da Silva Oliveira

    Olá um detalhe vc esqueceu do marido…ainda tem que cuidar do marido..kkkk

    1. Shirley Hilgert

      Ahahahahaha! Verdade! kkk!

  7. Lausiani

    Falou e disse Shirley!!!! é bem assim mesmo. Bjs

  8. Lorranny

    Me identifico com o relato ,mais aqui é puxado ,além de todo o serviço da casa , que faço sozinha ,tenho 2 filhos pequenos e dou aula o dia inteiro na educação infantil ,no fim do dia estou exausta ,mais super feliz !!!

  9. Flavia

    Eu tenho um filho de 4 anos e 9meses e uma bebê de 9 meses, concordo com tudo! E te digo, com conhecimento de causa: o circo pega fogo geral com a chegada do segundo filho, pq o primeiro vira outra criança, tomada pelo ciume e nós nao gastamos mais de 40 minutos com a gente mesmo, nunca estive tão cansada, mas tbm nunca estive tão feliz. Bjs amo seus posts.

    1. Shirley Hilgert

      Flávia, obrigada!!!! Beijos!

  10. Daniela

    Concordo com tudo, em gênero, número e grau! Mas meu marido já leu diversos textos semelhantes a esse (escritos por mim e enviados por e-mail) e certamente jogou na lixeira e ignorou os fatos. Minha conclusão é com base nas atitudes dele, que continuam as mesmas… E nos freqüentes comentários do tipo “eu trabalho”. Desisti de convencê-lo que ser mãe dá mais trabalho que ficar sentada numa mesa de escritório, mesmo que das 8h as 23h como já fiz diversas vezes.

  11. Vanessa Espindola

    Shirley, o bom disso tudo é saber que não estamos sozinhas kkkkk! Nossos maridos por mais que se esforcem nunca irão entender… é realmente um trabalhão!!! Estamos preparadas para todo tipo de adversidade, isso nos torna mães de verdade!

    1. Macetes de Mãe

      Verdade Vanessa kkkk!!
      É isso mesmo, estamos preparadas :)
      Bjss

  12. Ludmila

    Olá Shirley aff….a gente cansa só de ler nao é mesmo?! mas quando estamos no olho do furacao vamos que vamos…eu trabalho fora por 8 horas…mas o tempo gasto no transito fico 10 horas (sim 10 horas) longe da minha filhinha de 10 meses….ahhhh quase morro de saudades e de tristeza se penso nisso…..bom ela fica na casa da baba….come dorme e tooma banho e aprende muitas coisas longe de mim….. ahhh isso me deixa chateada demais…….tem horas que tenho vontade de largar tudo e ficar em casa dando conta de tudo….mas é difícil também……..tenho diarista a cada 15 dias e que passa e lava….bom enfim pego a minha filha vamos pra casa brincamos e ela mama e dorme outro dia mesma coisa…até que chegue o fim de semana e eu fico grudada nela hehehehhe……somo os dois assim la em casa entao fim de semana me dedico mto a ela…….dou o melhor de mim….e a noite tbm….e quero mto ter outro filho (a)….mas quando fico triste ou chateada que nao posso estar mais tempo com ela penso ainda que nao sou a unica mae e nem a primeira e nem a ultima a ter que fazer isso…e me conformo um pouco mais…..bjokas….

  13. noemi

    É gente não é fácil… E ainda não valorizam…. E aos 40 anos e com td isso, será q arrisco um segundinho????

  14. Arliane nascimento

    Amei o texto; super me identifiquei. Confesso que há 1 mês atrás mandei um email enorme pro meu marido contando sobre a rotina e expondo meus sentimentos. Resultado: ele chegou um pequeno mimo, e pediu perdão por está cobrando e sendo reclamão demais. Agora todas as vezes que ele chega do serviço ou nos fins de semana ele me ajuda com o baby.

  15. Marcela

    Quando eu trabalhava me cansava menos. O pior de tudo é a rotina! Faço praticamente a mesma coisa todo dia é isso cansa demais! N conversar com outras pessoas, saber novidades ou exercitar a mente é horrível. Lógico que existem momentos incríveis, mas ser q única a aturar birra para almoçar e jantar, tomar banho e outros, irrita demais.
    E para variar, o pai qnd ouve uma vez a pirraça da criança já se irrita ! Hhahhahaha e eu q ouço todo
    Dia e ainda tenho q lidar com isso? Fácil né?!
    O problema é, além do cansaço fisico, o cansaço mental.

  16. Mari

    A minha pequena ainda não chegou, mas eu já conheço essa rotina das mães, pq a minha mãe trabalhava o dia inteiro e fazia faculdade enquanto eu era muito pequena e ainda cuidava da casa, claro que ela tinha ajuda, da minha vó e tias, mas mesmo assim era puxado. Eu fico chocada com alguns pais que acham q trabalho de mãe não é trabalho de verdade e pouco valorizam as esposas/namoradas o que for. O meu marido é desses que diz q não vai trocar fralda, se eu precisar sair a criança tem q ficar quieta e arrumada, como se crianças fossem programadas que nem robozinhos.
    Vou mostrar esse texto pra ele pra ele ir se inteirando de como a nossa vida vai mudar em menos de 1 mês.

  17. Larissa

    Amei seu post e a amo seu blog! Muito bem escrito, com assuntos super interessantes e que todas temos dúvidas!
    Então, ganhei gêmeos em julho e estou de licença maternidade até fevereiro!
    A rotina aqui, apesar de prazerosa, é cansativa! Eles ainda estão naquela fase de troca fralda-come-dorme e fico em casa com eles o dia todo, tendo uma empregada para cuidar das coisas da casa e que me ajuda a dar mamadeira quando os dois choram de vez!
    Meu marido ajuda à noite, com 1 ou 2 mamadas, mas antes da 01h, pois ele fala que, se passar disso, vai ficar muito cansado… :-/
    Outro dia, os meninos tinham mamado 10h e eles queria acorda-los 11:30hoje da noite para dar nova mamada, pois “ia ficar muito cansado” para acordar no dia seguinte…
    E fui bem categórica com ele dizendo que, enquanto estou de licença, beleza… acordo quantas vezes forem necessárias! Mas que ele vá se acostumando com a rotina, pois, quando voltar a trabalhar precisarei MESMO da ajuda dele, ainda mais que saio de casa 6:10h…
    Maaaasssss, mãe é mãe… cada dia mais me convenço disso…
    Bjs e obrigada pelo conteúdo super interessante do blog!

  18. Jaqueline Oliveira

    Parabéns e, ao mesmo tempo, obrigada pelo texto, Shirley. Como foi confortante te ler e ver os comentários… É mesmo como disse Ludmila acima, a gente se conforma um pouco. Ver que outras pessoas passam por isso dá força pra fazer tudo sem fraquejar. Também deixei meu trabalho desde que meu filho nasceu (há seis meses) e tenho essa vida. No início, eu tive febre sem causa médica, era cansaço. Hoje aprendi a lidar com tudo. Um absurdo de trabalho e esgotamento físico, mas é verdade, nunca fui tão feliz. Agora entendi o que é dizer “mãe é mãe”.

  19. Tamara

    Adorei a minha mention! Hahaha!

  20. Adarita Mendes

    É incrível como cai tudo sobre a gente né?!
    Para os papais a chegada de um filho não altera quase nada,
    já pra gente a história é completamente diferente! Injusto!
    Belo texto! Parabéns!

  21. Thaís Penna

    Shirley, conheci ‘macetesdemae’ pelo instagram e me identifiquei de primeira. Quanto à sua publicação de agora, entendi cada vírgula usada no texto e, mais uma vez, me identifiquei.
    Sou jornalista e trabalho como assessora de imprensa de um atleta. Trabalho este que me permite fazer tudo de casa. Hoje, agradeço e muito por ter essa renda, mas agradeço mais ainda por poder fazer tudo de casa, isso faz com que eu aproveite cada segundo com o Samuel em casa. Mas o trabalho não pode ficar parado e é no momento em que ele dorme que fico por conta só de trabalhar, respondendo os jornalistas com quase 15 perguntas de cada um perguntando sobre a carreira do atleta, mas aí, no momento em que estou respondendo, lembro que tenho que deixar a papinha de fruta do Samuel pronta pq logo ele pode acordar. Aproveito também para ir ao banheiro, guardar roupa limpa dele, deixar o mamá de depois da papinha já pronto, esterelizar as outras mamadeiras e por aí vai. E a noite peço pra alguém em casa segurar ele pra mim pq eu ainda não estou de banho tomado, isso lá pelas 22h30. A minha sorte pra começar o dia seguinte, e que Samuel dorme a noite toda e acorda quase 7h da manhã. Não tenho o que reclamar do pai do meu filho, mas ele está terminando o curso dele em outra cidade, e aosfds que ele chega em casa, ele diz que está com dor nas costas de tanto ficar sentado assistindo aula. Pelo amor de Deus…trabalhar em casa, e trabalho triplicado. Cuidar da carreira, do filho e por aí vai. A unica coisa que sei é que, ser mãe, foi o melhor trabalho que arrumei até hoje!

    1. Shirley Hilgert

      Thaís, que bom ouvir comentários de pessoas sensatas que entendem a situação. Hoje, os comentários aqui no blog foram para matar. Dá vontade de perguntar se as pessoas só conseguem enxergar a vida sob o seu ponto de vista. Mas ver que tem pessoas sensatas me deixa mais animada. :-) Beijos! “Tamojunto”!!!

  22. Fernanda

    Tamo junto…
    Estou nesse barco e a minha segunda já está aqui e eu enlouquecendo, mas as pessoas me vêem como desocupada!
    SÓ cuida das filhas… melhor rir né.
    Beijinhos.

  23. Keka

    Li e amei seu relato! Não sei porque teve gente recalcada que falou o contrário porque além disso tudo que vc faz eu ainda trabalho fora e sinto que não vou dar conta! Mas damos! Vc está de parabéns!!! Aproveite até o segundinho chegar porque aí sim haha tempo rs

  24. Michelle Mariotto

    Shi,

    coincidência – ou não! – acabei de ler um texto que achei bastante apropriado como complemento do seu.
    Pena que não dá para colocar o link aqui…
    4 coisas que você jamais deve falar para mães que ficam em casa. No familia.com.br

    1. Shirley Hilgert

      Amanhã você me mostra. Ehehehe! bjs

  25. Louise

    De fato cada uma tem uma realidade diferente, mas no fundo o que passamos é a mesma coisa. Aqui em casa eu também deixei a profissão para cuidar do meu filho e garanto que trabalho muito mais hoje em dia. Fico chateada em saber que meu marido não compreende que eu trabalho tanto quanto ele. Que também fico cansada. Que ao contrário dele não folgo de 4 em 4 dias. Que jamais uso a frase: “ele está chorando porque quer você”. Que desde que nosso filho nasceu não tenho mais horário para mim, nem mesmo a 1 horinha de almoço do trabalho. Que tomo banho a hora que da, faço xixi a hora que da… que além de cuidar do nosso bebê 24hs por dia, 7 dias por semana, ainda lavo, passo, cozinho, faxino, cuido do cachorro, faço compras, limpo o quintal, sou mãe, profeasora, recreadora, resolvo oa problemas de casa, pago contas, levo ao médico… e quabdo ele chega em casa cansado, ainda sim me preocupo em dar carinho, em conversar, me preocupar em como foi seu dia, sem lógico estar com os olhos nas bagunças do bebê. Em suma: descobrir que ser mãe é estar ligada 24h.

  26. Renata

    Shi, acho que aí são dois preconceitos, quanto ao trablaho de mãe e ao home office! as pessoas não valorizam nenhum dos dois! aqui em casa sou funcionária pública e o marido é produtor, home office….já sofreu preconceito por isso! acredita??Temos diarista pra ajudar, e estamos ao lado do meu trabalho então as prinicpais coisas quem faz sou eu: refeições principais, banho, por pra dormir.. A tarde fica mais por conta dele. Quando eu chego em casa ele fica até de madrugada… E olha, trabalho 7 horas por dia…adivinha quem trabalha mais??

    COmentários sem noção aqui, vc só pode falar do que conhece mesmo, sua rotina…

    beijos!!

  27. Fabiana Moreira

    Adorei seu post!
    Fico mega irritada qdo meu marido chega e antes mesmo do oi solta “Estou exausto!!”, dá uma vontade imensa de berrar….rsrs
    Tenho uma ajudante 2x por semana, que sempre atrasa, que depois que vai embora vejo que os espelhos, portas e vidros continuam com as mariquinhas das mãos da minha pequena.
    Cozinhar e lavar é por minha conta. Alguns dias são bem estressantes, mas vou levando.
    Ele ajuda, mas daquele jeitinho pai de ser, sentado assistindo tv, vendo notícias no cel ou batendo papo com os amigos, e por aí vai…..( não generalizando, existem pais e pais)
    Esperei muito pela minha Sofia, mas confesso, minha vida está quase do avesso (pensar isso sempre faz com que me sinta horrível), só que tudo vale a pena, ela é meu presente de Deus, meu amorzinho, minha vida!

  28. Vanessa Sayão

    Pois é… Onde pensamos em ter “ajuda”, é onde vem as pedradas!!! Que isso meu povo, vamos ser solidarias umas as outras. O que talvez eu tenha de “regalia” a Shirley não tenha, como por exemplo ter meu marido em casa todos os dias. O dela trabalha em outra cidade, quando o bicho pega é ela e ela.
    é muito dificil qualquer rotina de mãe, ainda que trabalhe fora ou não, e sinceramente, acredito que as que não trabalhem fora, acabam trabalhando muito mais em casa.
    Beijos Shi, e estamos aqui para ouvir e desabafar quando precisar!!!

  29. Danielle do olival

    Vc esqueceu de mencionar fazer comida, lavar e guardar roupa… aqui minha filha e marido levam almoco todos os dias, entao tenho q arrumar lancheiras… e pego ela as 2 na escola o que me faz ter q leva-la em vários lugares comigo…
    enfim…. quem falar q mae q fica em casa não trabalha, deveria ter uma semana da nossa rotina …

    bjs e boa sorte!!!

  30. GUSTAVO

    Bacana o texto… aqui em casa é parecido, minha esposa largou o trabalho anterior, hoje temos dois filhos… mas eu ajudo bastante, geralmente dou café da manhã para eles, levo em algumas consultas, muitas vezes levo e busco na escola… e, de noite, brinco com eles.

    1. Shirley Hilgert

      Papai! Adorei saber dessa participação e cumplicidade. Que legal saber que há homens assim. Na verdade, meu marido ajuda muito (no momento ele está dando banho no Leo para eu trabalhar), o problema é que ele mora em outra cidade de segunda a quinta, e aí fico sozinha para dar conta de tudo. :-( Bjs

  31. Gabryella

    Super identificada! Com a diferenca que eu sim trabalho fora batendo ponto, cuido da casa, estou grávida e o meu marido acha que ele sempre está mais cansado que eu.
    Vida de mulher nao é facil e ja desisti de fazer os homens entenderem isso.

  32. kelly

    Olá Shirley. Adorei o post. Conta pra gente a sua rotina com os dois filhos. Aqui em casa tenho um menino de 2 anos e 2 meses e outro menino de 5 meses. Agora está acabando a minha licença maternidade. …e isso está acabando com o meu coração. .
    É uma choradeira todos os dias…a rotina em casa é uma loucura. ..mas ficar longe deles me deixa super triste. ..

  33. Silvia

    Concordo plenamente com você! Ontem foi dia de colocar a boca no trombone lá em casa! Me mudei há menos de dois meses e ainda não consegui colocar a casa em ordem! Tenho um bebê de quase 4 meses e que quer minha atenção todo tempo! Tem hra que fico doida! Rsrs… Meu dia é muito pouco produtivo…meu bebê não chora de fome nem pq tem alguma coisa errada… ele chora por querer meu colinho… por querer carinho… Morro de pena… Não consigo deixá-lo chorando! Acabei deixando-o mal acostumado… e não sei como consertar isso… E nem sei se quero! Se ele quer colo é pq ele se sente seguro ali… Não quero bater de frente com isso!!
    Meu esposo me ajuda muito e sem reclamar… mas não consegue ficar mto tempo com o Pedro e já fala q eu tô acostumando-o mal… que eu pego ele toda hra no colo… Ontem ainda tive que ouvi-lo dizer que preferiria mil vezes estar em casa com ele do que ter que trabalhar! Como se eu tivesse reclamando de barriga cheia… Eu não sei mais o que é dormir mais um pouco… acordo a noite pra dar de mamá e nunca consigo dormir cedo por conta de dar uma mascarada na casa ou até mesmo namorar… ver um filminho sem bebê… Pq é tão difícil pra eles ver que a gente já está dando o melhor que podemos e será que já não basta nossas próprias cobranças??

  34. raiza

    Pois é! Adorei o post ,relata a vida da maioria das mães. A minha e um pouco mais fácil por que moro com minha sogra ( minha casa ainda esta em construção ),então de vez em quando da pra pedir ajuda. Meu bb está com 2meses e 10 dias então inta rotina ainda é um obstáculo para adaptar ,tem as cólicas, as noites mal dormidas,aí casa p arrumar, a roupa e tudo mais referente a casa detalhe :sou maníaca compusiva por limpeza ,admiro muito as mães que optaram por trabalhar fora,e ainda mais as mães de tempo integral …..

  35. Adilza Oliveira

    Excelente texto!! Acho engraçado quando as pessoas perguntam para uma mãe, que fica em tempo integral em casa, se ela trabalha !! Muitas respondem não, pois algumas pessoas acreditam que só é trabalho se for remunerado e fora de casa!! Esse é um grande equívoco, o trabalho pode ser às vezes até mais estressante já que é feito de forma muito rotineira. Acho que toda mãe, trabalhando em casa ou não faz um grande trabalho, sou fã de todas. Confesso que sou privilegiada pois meu marido divide as tarefas de casa, ele é fantástico!!!

  36. MARCIA

    Faço tudo isto também, e como trabalho no meu escritório, levo a pequena de 05 meses, na parte da tarde, após despachar, kk, a de 04 anos para a escola,e muita vezes trabalho com a bebê no colo, atendendo os clientes, e após as 17:00 segunda jornada, normal?!!!! ser mãe, desde que elas estejam bem, a gente aguenta…

  37. Rafaela

    Estou passando por isso… mas já desisti de fazer com que meu marido entenda. Já ouvi que esse É meu trabalho e ele tem o dele e pronto. Me ajuda muito pouco e nos fins de semana diz que precisa descansar e euzinha aqui não descanso nunca, 24 horas mãe.

  38. Cris

    Ola Shirley. Belo texto. Eu tbm larguei td para me dedicar somente aos filhos. Tenho gêmeos de 1 ano e 5 meses. Por conta da crise meu marido esta trabalhando em outra cidade e nos vemos apenas nos fds. Então estou sozinha 24 hrs por dia durante 5 dias. Sem empregada, sem diarista, tendo q dar conta de td sempre. Está bem puxado tbm por aki. Ele me ajuda mas de vez em quando ouço um “eu trabalho” por aki tbm.

  39. Luciana

    Me identifiquei plenamente.E olha que trabalho meio período e tenho que dar conta de três crincas pequenas e as trefas domésticas. Minha vida é uma correria só de domngo a domingo. Sem pausa par descanso.

  40. Rita Sales

    Pessoal,
    Eu tenho 2 empregos e tenho que cuidar da casa e da BB! Sendo que trabalho em horário comercial em um e no outro trabalho a noite! Não tenho babá ou faxineira, sabe o que eu faço? Coloco o marido prá ajudar em casa! Se eu “dou” conta de trabalhar e cuidar da casa ele também dá! Então tem que ajudar! E se eu estiver muito cansada, a casa fica prá depois. Prefiro ficar com a minha BB do que gastar meu tempo precioso em casa , limpando a casa! Simples assim! Ahhh e esse lance do “ainda tem que cuidar de marido” prá mim não existe, pois ele também tem q ter esta responsabilidade! Agradar marido? Ele é que tem que me agradar!

  41. Patricia

    Eu posso melhorar sua vida: faça uma planilha com as tarefas semanais para a empregada, fique um pouco menos de tempo no blog e de uma dormidinha a tarde num dia e faça uma caminhada no outro, intercale, nesse tempo que economizou no blog, e você vai ver que todo esse seu cansaço vai acabar. Simples assim!

  42. Maressa

    Li esse artigo por acaso porque compartilharam no facebook. Li o texto, li todos os comentários, e o sentimento é de um nó na barriga tão grande… esse mesmo sentimento que tenho todas as vezes que leio textos do tipo, ou que ouço relatos do tipo, ou que leio postagens nesses mil grupos de mães do facebook, que diariamente recorrem a esses assuntos ou derivados dele. Resolvi então escrever sobre, e, após escrever no facebook, também resolvi comentar aqui por incentivo de amigas que leram minha postagem. Espero fortemente que não me apedrejem! haha ficam aí meus 2 cents sobre o assunto:

    Gente, não sei se estou exagerando, mas todos os relatos me lembram o quão machista ainda é nossa cultura em relação à maternidade/paternidade. Já estamos em 2015 e as coisas não parecem ter evoluído muito em relação à divisão e colaboração de tarefas domésticas, não é? Me choca DEMAIS ouvir um pai dizer que não vai trocar fraldas/dar banho/acordar à noite/cuidar do filho/ninar/dar comida/whatever… não choca vocês? Como assim? Ele vai ser pai e vai fazer o que, então? Por que o sociedade ainda considera ou ”tolera” a ideia de que é exclusivamente tarefa da mãe fazer isso tudo? E piora ainda mais quando ouvimos mulheres, mães, dizendo que têm que cuidar da casa, dos filhos E DO MARIDO. Ah, pára! Que mundo é esse onde os homens passam a infância sendo criados, mimados e paparicados pelas mães e, depois que se casam (ou juntam, ou namoram, ou etc.), continuam sendo ”servidos” pelas companheiras que fazem tudo como se eles fossem inválidos e não pudessem cozinhar uma janta, lavar uma roupa ou trocar uma fralda? Como se não soubessem arrumar uma casa, resolver compras, organizar a própria vida… pelos tristes relatos, eles só sabem largar tudo bagunçado e espalhado para nós mulheres, pobres serviçais, arrumarmos toda a bagunça depois. Eles até brincam com os filhos quando dá tempo, mas, se o bebê chorar, entregam para a mãe, é claro, pois só ela sabe como resolver o problema. Deve ser foda mesmo, hein…

    Outra ideia generalizada e super bem aceita é que a mulher pare a sua vida para ficar em casa cuidando exclusivamente do bebê e o homem continue sua vida como se nada tivesse acontecido. Por que o contrário não é bem aceito? Entendo a questão da amamentação e acho super mega ultra válido que a mãe tire lá uns 6 meses de licença-maternidade para se dedicar ao baby, amamentar, etc., mas há muitos casos onde a mãe não tem leite ou opta por não amamentar. Nesses casos, porque ainda assim é ela quem tem que largar o trabalho e ficar em casa com o filho? Por que o homem nunca cogita a possibilidade dele ficar em casa? Muitas respondem que é porque as mulheres ganham menos e blabla… pior ainda! Por que raios as mulheres já crescem com essa tolerância por ”aceitar ganhar menos e trocar o emprego pela maternidade em casa, já que o marido trabalha também e ganha mais”? Aliás, quem disse que eles ganham mais?
    Enfim, sou mãe também, um filho com 9 anos e uma filha com 1 ano e 7 meses. Longe de ter uma vida perfeita, mas sou muito grata por ter escolhido (sim, ESCOLHIDO, porque rolam várias opções na nossa vida e a gente sabe muito bem o chão onde está pisando quando faz essa escolha. Escolhemos as pessoas com as quais nos relacionamos e podemos sim, de antemão, ter noção de como ele/ela será na maternidade/paternidade, não acham?) um marido que divide absolutamente tudo comigo desde o começo e é um pai/mãe Maravilhoso com M maiúsculo. Digo pai/mãe porque aqui também sou mãe/pai, já que consideramos que as funções da maternidade/paternidade podem e devem ser exercida pelos dois igualmente. E torço para que, no futuro, talvez quando meus filhos tiverem seus filhos, nossa cultura tenha evoluído para que eles possam vivenciar uma maternidade/paternidade mais justa e equilibrada entre os gêneros.

    PS: Não estou criticando as mães que largam o emprego para cuidar dos filhos, please! Só fico triste toda vez que leio relatos exaustos, cansados, amargurados e repetitivos de mães que passam ou passaram por essa situação, e acabam carregando o filho e o mundo nas costas porque ”é assim mesmo, a vida da mulher muda completamente quando ela vira mãe enquanto a do homem praticamente não muda em nada”. Foda. Às que passam por isso, força aê! Minha solidariedade e meus desejos que tudo melhore um dia, não só para vocês, mas para todas as mulheres.

    1. Nina

      Obrigada por esse comentário maravilhoso! Quer ser minha amiga? hahahah
      Parabéns pela família, por ser quem você é, ter escolhido um parceiro do bem e consciente!

  43. Vanessa Ocampo

    Li e me identifikei com tudo rsrs, agora com o Caê poderia nos relatar como q está a rotina com essa dupla, sou mae de duas, Lavinia de 2 anos e Camilla de 8 meses e naum eh facil kkkk fiko no aguardo do teu post…bjuuus!

  44. Claudiane

    olá ,adorei seu post ….È como se você escrevesse um pouquinho que cada mãezinha sente.
    Ser mãe é o cargo mais lindo e adorável que se pode ter e principalmente mais duradouro por ser eterno.
    Sou mãe da Isabelle de 2 anos e do Enzo de 5 meses (fofos demais kkkkk) amo ser mãe integral mais sinto falta de algo que me realize como pessoa , gostaria de saber como faço pra escrever post’s como você e principalmente além de ajudar a tantas outras mamães posso ter uma renda extra né (já que não trabalho fora) .
    Muito obrigada flor por nos ajudar e inspirar !!! bjoooooooo

  45. Odi

    Tenho uma bebê de 09 meses e minha rotina é bem corrida tbm, aliás, não tenho rotina, minha vida é uma loucura, levanto as 07 da manhã junto com minha pequeno, me arrumo para o trabalho, tomo café, arrumo ela, trato o cachorro, carrego a bolsa da creche no carro e la vou eu deixá-la na creche pq as 08:00hs tenho q estar no meu trabalho, no meu horário de almoço tento dar uma organizada na casa, saio as 18hs do trabalho pego ela na creche, vou pra casa, separo as roupas sujas, dou comida para ela, brinco um pouco (quase nunca faço comida para nós) dou banho nela, dou mamadeira, normalmente entra 21 e 22hs ela dorme, meu marido vai dormir afinal ele levantas as 04 da manhã para trabalhar, e eu vou, arrumar a sala q ficou cheia de brinquedos, arrumar a bolsa pra creche no outro dia, tomar banho, ferver agua para deixar pronta para as mamadeiras noturnas (sim ela acorda várias vezes na noite para mamar, e agradeço a Deus quando é só para mamar pq as vezes que brincar e não tem quem faça dormir de novo) ah e tratar o cachorro de novo… para então deitar na cama e tentar dormir… ah faxinar casa só fim de semana e olha la, não tenho empregada, nem diarista, meu marido que me ajuda a manter a bagunça em ordem. mas eu nunca posso estar cansada afinal não levanto as 4 da manha…

  46. jaqueline morló

    Eu tenho gêmeos de 7 meses e um menino de 2 ano e outro de 6, sua vida é corrida então imagine a minha… e ainda meu mardo acha que não faço nada, me elogiar nunka… mas com sempre digo a ela vc só vai dar valor quando eu parar de cuidar da casa do filhos e o principal dele e de todas coisas dele. :/

  47. Fabiana

    Fique chocada com esse post, meu Deus, deixar o menino na escola, coordenar a empregada??? Parabéns senhora dona de casa, que tem escola e empregada e trabalha no blog? Desculpe, mas vc não sabe o que é trabalhar fora, bater ponto, cuidar da casa, você me parece meio fútil, oq vc faz todo mundo faz e ainda trabalha fora. Só isso, acho que algumas mulheres reclamam demais.

Deixe seu comentário