Filho em período integral na escola – sim ou não?

Tem uma hora em que a gente tem que decidir se coloca ou não o filho na escolinha/creche/berçario. E tem outra (que muitas vezes é a mesma) em que nos cabe decidir se ele vai ficar em período integral ou meio período.

Para muitas mães, aquelas que trabalham em período integral, optaram pela escola e não tem babá ou outra pessoa que ajude (avó, dia, pai), não tem muita dúvida: o filho vai passar lá o dia todo e pronto. Mas como é que funciona no caso de mães que tem uma maior flexibilidade de horários e podem ficar com o filho meio período (caso em que eu me enquadro)?

Bom, sinceramente, isso irá varia muito de situação para situação, de caso para caso e de momento de vida para momento de vida. E já explico por que.

Quando o Leo entrou na escolinha, com quase dois anos (ele tinha entrado antes, mas acabou não dando certo, por conta da sua saúde, e tiramos), ele entrou para ficar só meio período. Nessa época, ele ainda tinha a sua soneca da tarde e eu não estava grávida. Assim, ele ia para a escola de manhã e, à tarde ele ficava em casa, descansando por 2 a 3h, enquanto eu seguia trabalhando.

Mas aí o tempo passou, algo aconteceu (até hoje eu busco uma explicação, mas não achei) e, de um dia para o outro, o Leo abandonou a soneca da tarde. Uns dias dormia, outros não, quando dormia era uma briga para pegar no sono e eu me descabelava e trabalhava madrugada a dentro para dar conta das horas da tarde que não podia mais me dedicar ao blog (que é meu trabalho).

Levei essa situação desse jeito (cuidando do Leo à tarde e trabalhando de noite e de madrugada para compensar) até descobrir que estava grávida, ficar muito, mais muito cansada, e perceber que precisava colocar certa ordem na minha rotina para garantir a minha saúde e a do novo bebê que estava para chegar.

E assim, decidi colocar o Leo em período integral na escola. Quer dizer, o integral lá na escolinha dele é de 7h45min até 18h30min e o Leo fica só de 9 às 17h30min, mas eu considero isso integral sim, mas um integral reduzido. E, claro, me questionei se estava fazendo certo ou não, se não estava prejudicando o meu filho, se não iria me arrepender  depois, mas acabei seguindo o meu coração e ele dizia que sim, seria bom para nós dois o Leo ficar um tempo maior na escola, eu ter tempo para dar conta de tudo que envolve o meu trabalho, a casa, a nova gravidez e, no tempo que ficasse com ele, conseguir me dedicar de corpo e alma ao meu pequeno.

Lembro que, quando o Leo estava de férias e eu ainda decidindo se ele iria para a escola integral ou não no semestre que iria iniciar, sugeri para uma amiga essa alternativa. Ela trabalha como blogueira como eu, tem uma rotina insana como a minha, tem uma filha para criar e se desdobra em 20 para dar conta de tudo. E, claro, estava reclamando que não tinha tempo para mais nada. Quando ouvi isso, questionei por que então ela então não colocava a filha integral na escola, como eu estava pensando em fazer, e ela disse que não gostava dessa opção. Na hora, isso me gravou. Não cheguei a perguntar por que, mas fiquei pensando nisso por dias, acho que semanas, e depois voltei a tocar no assunto com ela.

Quando perguntei os motivos dela não querer escola integral para a filha ela simplesmente respondeu que sentia que isso não seria bacana para elas. Que ela queria passar mais tempo junto da filha, mas que super entendia a minha escolha e até apoiava, afinal, o meu coração mostrava como melhor alternativa outra opção.

Depois dessa nossa segunda conversa, realmente, acalmei meu coração. Senti sim que, para mim e para o Leo, nesse atual momento de nossas vidas, ele ficar mais tempo na escola é a melhor alternativa. Ele ama a escola onde está, sei disso porque acompanho tudo de perto, fico ligada em tudo que ele comenta, observo suas reações ao chegar e sair de lá e estou super segura quanto a isso. Além do mais, sinto que hoje, mesmo ficando menos horas com o Leo, o tempo que estou com ele estou com ele de corpo e alma, bem aquela coisa “dedicação total a você”. Aí não ligo computador, não trabalho e evito ao máximo pegar o celular. De manhã são quase duas horas que a gente aproveita juntos e, no final da tarde, são mais três. Nesses momentos, eu sou dele. Totalmente dele, e a gente passeia, brinca, desenha, lê e se diverte.

Hoje, para mim, esse é o arranjo perfeito, pois eu me dedico a cada coisa no seu tempo e sinto que estou fazendo o meu melhor em casa uma dessas horas (na hora que é de trabalho e na hora que é de ficar com o filho). Ou seja, eu fiz as pazes com essa minha escolha, porque ouvi o meu lado racional mas tomei uma decisão de coração, com a qual estou em paz.

Assim, se você é uma mãe que também tem um ou mais filhos em período integral na escola, mas no resto do tempo é uma mãe fofa, querida, presente, carinhosa e dedicada, não tem por que se culpar. A gente não precisa ser aquela mãe perfeita e tudo de bom todo o tempo. Se no tempo que estivermos com nossos pequenos a gente realmente estiver com eles, dando a atenção, amor, carinho e afeto que eles precisam e merecem, estamos fazendo muito bem a nossa parte.

E para ser sincera, já vi muita mãe encher a boca para dizer que é mãe em tempo integral e que não “terceiriza”a criação dos filhos (nem eu, cara pálida!) mas que, no fundo, vive irritada e insatisfeita com essa situação (lembrando que não é regra, é exceção, mas que tem, ah tem!) e desconta isso nos pequenos, que não tem que pagar o pato de forma alguma

Ou seja, aqui, o que vale é decidir o que é o melhor para cada mãe, cada criança e cada família, e com base naquilo que o núcleo está vivendo naquele momento, porque nem tudo é para sempre (como eu, que estava super satisfeita com o Leo meio período na escola mas que depois, sem ele dormir à tarde e eu estando grávida, tive que mudar o arranjo). Assim, se você achar melhor cuidar todo o tempo do filho, ótimo. Se acha legal deixá-lo com babá mas é uma mãe super presente, também está valendo. Nada de errado com isso! Se prefere escola meio período e resto do tempo se dedicar ao filho (e se isso funciona para você), perfeito! E se escola integral foi o que fez as coisas funcionarem, tudo certo e nada de culpa! Pois, o que importa, de verdade, é o amor, dedicação e cuidado que entregamos aos nossos  quando estamos com eles e não necessariamente as horas passadas lado a lado, se elas não forem bacanas e prazerosas.

51 comentários

  1. joanapaula

    Eu estou nessa situação estou sem ajudante mas não tenho coragem de bota minha filha na greche ela e muito bebe.

  2. Maitee

    Eu não tive opção pois voltei a trabalhar na empresa quando minha filha completou 7 meses… mas sou muito satisfeita com a escola. Minha filha é uma criança alegre, sociável, fala tudo, sabe muitas coisas… é uma graça! E temos tempo de manhã e a noite para ficarmos juntas! Cada família deve optar para o que funciona para eles. Não há certo e errado…

  3. Katherine

    Eu optei por começar a trabalhar em casa,pois além do meu salario não ser suficiente pra uma escola em periodo integral eu não queria que outra pessoa passasse mais tempo com meu filho do que eu!!
    Ele agora tem 5 anos e estuda a tarde…passo a manha toda com ele e a noite també’m…
    Cada um faz o que acha certo…mas pra mim isso jamais iria funcionar….só consigo pensar em por que eu teria um filho se eu iria vê-lo só por umas 4h por dia acordado????? Não daria certo pra mim….

  4. Jessica

    Cada um sabe de sua necessidade!!! Eu penso exatamente como a Katherine, não quero minha filha mais tempo em uma escola, do que ao meu lado!!! Eu trabalhei como professora em uma escola de educação infantil por 8 anos!!! Sempre foi minha paixão, mais dpois que minha filha nasceu…. Não tive dúvidas…. Msm sabendo Q em meio período eu levaria minha filha junto cmg…. Optei por ficar com ela!!! Mais cada um sabe de suas necessidades!!!! Sei Tbm Q não tem como todas as mães abrirem mão de seu empregos!!!

  5. Ana Maria

    Excelente seu texto!
    Faz a culpa parecer menor, e a gente consegue sentir paz com as nossas decisões!

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo carinho Ana Maria!!
      Bjss

  6. Priscila

    Eu acredito que em casa a gente não tem criatividade/imaginação para entreter as crianças como elas precisam e com os afazeres domésticos isso é ainda mais dificil. Prefiro poucas horas prazerosas do que muitas com atenção que os pequenos merecem.

  7. Daiandra

    O Leo é um lindo! :)
    Mães e a bendita culpa né…
    Sou mãe de primeira viagem de um bebê de seis meses. Decidi parar minha profissão por um tempo pra ficar com ele. Mas já fico pensando no que vou fazer quando eu voltar a trabalhar fora. Pois sei que esse momento vai chegar e eu quero, afinal, amo minha profissão também.
    Mas sobre essa discussão, acho que não adianta ser mãe em tempo integral se esse tempo integral não é de qualidade. Conheço mães que ficam com seus filhos o dia inteiro e sequer sentam no chão pra uma brincadeira ou faz alguma atividade focada no filho.
    Eu me esforço pra dividir bem meu tempo em casa. Pois como sabemos, serviço de casa não tem fim. Então se eu não me organizar, não consigo realmente dedicar parte do meu tempo para dar atenção só pro filhote.
    Então, cabe a nós mães decidir rever nossas prioridades e incluir “tempo de qualidade com o filho” na lista.

  8. Nagela Cardoso

    Meu filho fica em tempo integral, não tenho escolha e no fundo do meu coração, morro de culpa!

    Ps.: o site estpa atualizando o tempo todo, no meio da leitura, um sacooooo!!!

    bjs

    1. Maria Olívia

      Minha filha frequenta a escolinha/berçário desde os 5 meses e meio, por período integral, das 08h30 às 18h30. Não tive escolha. Como a Nagela, me culpo e meu coração dói quando ligo as câmeras e a vejo lá. Tenho vontade de largar tudo, pegá-la e levá-la pra casa! Mas, coloco minha cabeça no lugar e também procuro ponderar ao observar seu desenvolvimento e como se relaciona facilmente com todos. Me culpo, sim, como toda mãe, entretanto, sei que estou trabalhando para garantir seu futuro e sei também da qualidade do tempo que temos juntas no final de todos os dias e finais de semana. Fácil não é, mas acredito que possamos fazer ficar mais leve. Nós somos a melhor mãe que podemos ser, e isso basta! :)

      1. sueli

        Olá, também estou com esse dilema!!!! tenho um filho de 13 anos e agora chegou o Davizinho que tem 7 meses, e o coração sangra quando penso em coloca-lo em uma escola integral, mas como minhas amigas acima disseram cada um sabe de sua necessidade, financeiramente falando não tenho como sair do trabalho e ficar com os dois (o que é o desejo do meu coração) infelizmente criamos os filhos para a vida, eles só nos são emprestados, mas que dói, Dói….

        Obrigada Macete de mães, as vezes precisamos da experiência do outro para aceitarmos nossa situação e vermos que não somos as únicas pessoas a viverem aquele problema é bom desabafar e ver que isso é normal que todos passamos por isso.

        abraços.
        Sueli

  9. Carol

    Grande questão! Tenho um filho de 2 anos e ficava com ele em tempo integral (e nos curtíamos demais… todo dia brincadeira, passeios e pic-nic em parques). Qdo ele fez 1 aninho engravidei novamente e também me sentia MUITO cansada!!! Resolvemos colocá-lo na escolinha meio-período (ele com 1 ano e 7 e eu com barrigão de 7 meses). Foi ótimo para a adaptação dele e minha (apesar dos constantes dodóizinhos). Após o nascimento do meu novo príncipe, tive apoio dos meus pais e mantivemos meio-período, mas depois que minha mãe foi embora, optamos pelo período intermediário (das 11:00 ás 18:00) e está sendo perfeito!! Pela manhã brinco muito com eles, e após deixá-lo na escola, ainda dá pra malhar antes do almoço e dedico a tarde ao meu bebezinho (hoje com 4 meses). Sinto que é a melhor escolha para nós agora e meu coração está tranquilo com meu tempo com eles, e com o desenvolvimento deles!!! Concordo que não resolve ter tempo com eles, mas não ter paciência e entrega total. Boa sorte às mamães em sua escolhas!

  10. Fernanda Bavier

    Eu voltei a trabalhar quando minha filha unha 11 meses. Procurei uma baba pra minha filha, mas hj agradeço não ter encontrado ninguém que me trouxesse confiança e ter posto na escolinha.
    ela fica em tempo integral e é uma criança muito feliz e esperta. Tenho certeza absoluta que a escola ajuda muito.
    Pra mim o importante é saber que ela está sendo bem cuidada e muito desenvolvida pelas pros, que tem isso como profissão.
    Acho importante manter a individualidade pois as crianças crescem e deixam de precisar da gente.
    Eu sempre lembro que antes de ser mãe, sou uma pessoa, mulher, esposa e profissional… Mesmo amando a minha filha acima de tudo.

  11. Eliane

    Amei seu texto!!!! Estava nesse mesmo dilema e o texto parece que foi escrito para mim. È bom saber que tem mães com os mesmos sentimentos. Parabéns!!!!

    1. Macetes de Mãe

      Que bom que gostou Eliane!
      Muito obrigada pelo carinho :)
      Bjss

  12. Renata

    Trabalho o dia inteiro e fico com meu filho só de manhã e a noite. Não posso largar meu emprego… Não sinto culpa nenhuma. Ele adora o berçário e é feliz porque sabe que é amado! Cada um sua escolha… Adorei o que vc escreveu Macetes de mãe!

  13. Luana Pestana

    Nossa, seu posto foi um pedido concedido às minhas preces dessa semana. Decidi deixar minha bebê com uma babá e foi uma ótima escolha até agora. Mas, minha Valentinha completou 1 ano e meio e de repente o apartamento ficou pequeno pra ela… ela quer brincar, correr e fica enlouquecida quando vê outra criança. Acho que chegou a hora de mandar para a creche, se socializar e brincar bastante. A gente fica com aqueles receios de que vai pegar mais doencinhas (ela nunca teve uma gripe!), que vai passar mais tempo fora que com vc, mas acredito que ela vai amar. Agora estou mais corajosa pra pelo menos tentar… muito obrigada pelo post, querida! Beijo grande.

  14. Tatiana Gonzaga

    Meu filho de 5 anos estudo tempo integral desde os 10 meses… Trabalho o dia todo e não tive outra alternativa! Mas… quer sabe? Não me culpo e tb não acho o fim do mundo, não! Prefiro mil vezes deixá-lo na escola brincando, fazendo atividade, correndo com os amigos, do que dentro de uma casa/apartamento sendo cuidado por uma avó ou mesmo por mim (duvido que as mães q ficam com os filhos tenham realmente tanta atividade e energia pra gastar com o filho). Acho uma delícia ver como meu filhote cresceu bem, se relaciona bem com todos e AMA A ESCOLA e as professoras!

    Faça o que seu coração mandar! Vai com fé! <3

  15. Simone

    Eu ainda não tenho filhos, mas certamente não o colocaria numa escola, como sou pedagoga já trabalhei em várias, não confio e nem gosto da forma que muitos pedagogos e educadores tratam as crianças. Sem contar o valor altíssimo que cobram de mensalidade. Acaba que nem compensa eu trabalhar pra mandar todo o meu salário pra uma escola. Quando o dia chegar, diminuirei minha carga horária para poder me dedicar a esse filho ou filha em meio período e no outro, deixarei com minha mãe ou minha irmã.

  16. Flavia Franco

    Minha filha foi para a escolinha aos 4 meses (hj está com 5 meses). Ela adora e é super bem cuidada. A adaptação foi tranquila, muito melhor do que das crianças maiores! O desenvolvimento dela é excelente, e convive com todos, não fica só apegada a mim (o que muitas mães acham horrível). Não vejo como uma mãe exausta, frustada, reclamando que precisa financeiramente do marido pode ser uma boa mãe…eu trabalho, cuido de mim, da casa, do marido e da minha filha com todo amor! Não me anulei depois que ela nasceu, até pq qdo ela crescer e ganhar o mundo, eu fico como? Sem profissão, sem identidade? Não dá! ;)

  17. Tatiana Cali

    Aqui os dois ficam em horário integral! Claro que rola um pouquinho daquela maldita culpa que insiste em nos perseguir, mas na verdade, eu sempre gostei da filosofia do integral e não me arrependo!
    Bjs

  18. Angelina

    Entendo completamente sua decisão. Eu me lembro de quando eu estava grávida que eu mal conseguia dar atenção para o meu trabalho e quando chegava em casa só o que eu queria era dormir (imagina então se eu já tivesse filhos). Cada um sabe o que é melhor para si e para sua família. Coração tranquilo!

  19. Flavia

    Muito bom ler sobre esse assunto, coloquei meu filho no período integral há uns 2 meses por falta de opção, estou grávida de 6 semanas e já pensando em alguma coisa em que possa trabalhar em casa ou em algo que possa diminuir meu ritmo depois da licença maternidade.
    A culpa sempre fica um pouquinho no nosso coração, mas o importante é o que você disse, precisamos ser mãe por inteiro no momento em que estamos com eles.
    E cada uma deve escolher aquilo que te faz feliz, é o mais importante.

  20. Renata

    Super entendo sua opção, eu grávida era o pó! kk Mas como criança que estudou no integral uns 3 anos e implorou a mãe pra voltar a um turno só, e por acreditar muito na necessidade da criança ter liberdade de ter as tardes ou manhãs para brincadeiras não dirigidas, eu to fazendo um esforço enrome pra minha filha ir pra creche novinha, e pretendo evitar o integral usando apenas se houver períodos de muita ncessidade, e por tempo limitado. bjos!

  21. Renata

    *pra minha filha NÃO ir pra creche. corrigindo

  22. Louise Calixto

    Oi Shirley, acho este assunto do post super importante!!!
    Quando voltei a trabalhar minha filha tinha 11meses. Ficava de manha com o papai e com uma baba dando uma força. De tarde ia pra escolinha, ótima, umas das melhores da zona Sul do Rio. Lugar amplo e arejado, colorido e espaçoso.Professora atenciosa.
    Otrabalho estava ótimo e eu super feliz com isso, só que sentíamos falta uma da outra. Ela passava a noite agarrada no peito de saudade e eu ia pro trabalho como um zumbi…depois pegou uma pneumonia( dizem que pulmão é tristeza). Foi um ano assim, até que decidi sair do trabalho formal e retomar meu estúdio de estamparia. Foi a melhor decisão. Mantive a baba/ajudante pela manha. Ficava com ela toda manha dava almoço e buscava na escolinha. Ela gostava da escolinha mas eu achava estranho a disciplina: hora da areia, hora da bola, hora da musica. tudo muito programado. acho importante a criança ter ritmo e horário. mas uma criança de quase dois anos só precisa brincar livremente e se divertir. Até que uma amiga me apresentou um jardim escola da pedagogia Waldorf. Troquei de escola e foi a melhor decisão possível. Hoje vejo que uma creche pode ser maravilhosa mas deixar um bebe por 10 H em um ambiente muito diferente da sua casa por pessoas que nao lhe dão amor. Dão carinho e muita atenção mas amor é muito importante no cuidado de um bebê. Eles sentem isso. Estar bem com as escolhas é muito importante mas é preciso ter consciência delas. Beijos

  23. Alessandra

    Tenho duas filhas, uma de 6 anos e uma de dois. Atualmente não trabalho fora de casa, mas quando trabalhava deixava minha filha maior período integral na escola, e não foi uma boa experiência , além de ficar muito doente ela pedia pra ficar em casa, tive problemas com a alimentação e até com o desfralde, talvez por conta da escolha errada da escola! Até que quando nasceu minha segunda filha eu decidi ser mãe em tempo integral e deixei minha filha apenas meio periodo na escola e senti toda a diferença em sua saúde, alimentação e comportamento. Talvez tenha sido a escolha errada da escola ou porque ela gosta de ficar em casa ou as duas coisas juntas… Como mãe integral não me acho perfeita, aliás, muito longe disso! Muitas vezes perco a paciência , outras vezes estou cansada e mesmo sem pique para acompanhar nas brincadeiras ( minha menor vai para a escola somente ano que vem) mas procuro sim dar meu melhor, brincar, desenhar, ler, cantar, levar pra passear…e não me arrependo da minha decisão ! Acho que cada família funciona de um jeito e as decisões devem ser tomadas de acordo com as necessidades e desejos, só não pode ter culpa nisso!

  24. Hanna

    Eu também cuido da minha filha em tempo integral! Não conseguiria mesmo terceirizar a educação dela e como disse uma colegial acima me contentar com 4 ou 5hs diárias com ela! Tb estou grávida, está bem difícil, masuitas mães sempre conseguiram. Eu hei de conseguir! Trabalho em ksa Tb!! As vezes não concordo quando algumas mães que tem filhos em escolinhas defendem sua decisão dizendo “mas ele ta mto desenvolvido” ou “faz bastante atividades” etc etc.,Tb leio, me informo e faço diversas atividades com minha filha e o desenvolvimento não deixa a desejar. Até pq isso é responsabilidade minha! Não de escola!!

  25. Glaucia Boaron

    Eu sofri com o meu filho mais velho tendo que ir pra escola aos 04 meses e agora estou vivendo tudo novamente com minha bebê de cinco meses que já esta na escolinha há 20 dias. O consolo (se é que ele existe) é saber que passa ! No inicio parece que é uma parte da minha pele que esta ficando para tras, depois eles vao crescendo, demonstrando gosto pelos amigos, pela rotina da escola e aí a gente vai relaxando um pouco. A unica “dó que nao passa” é a de acordá-los às 06:00 da matina e levar pra escola nos invernos Curitibanos.. mas aí ja é um problema da cidade e nao somente de quem poe filho cedo pra estudar em periodo integral. Beijos

  26. Joelma

    O post rendeu mto Shirley!! :) quase não chego ao fim dos comentários!!!
    “Super lhe entendo” como vc fala. Ano que vem vou colocar meu pequeno no hotelzinho, por enquanto, meio período. Boa sorte, e como vc seguiu seu coração de mãe, vai dar tudo certo, ou melhor, ja deu! Parabéns pela gravidez!!!

    1. Shirley Hilgert

      Joelma, obrigada pelo carinho!!!! Bjs

  27. Pamela Greco

    É, não adianta a gente querer dar conta de tudo mesmo. Haja fôlego. Precisamos estar confiantes da nossa decisão. Achei super respeitável sua postura, Shirley, e compactuou. Antes de tudo é preciso que como mães e pais estejamos prontos e bem pra querermos ficar integralmente com nossos filhos ou optar por colocá-los na escola período integral. Só acho que 07h45 da manhã – e aliás as 07h como é prática comum – é muuuuito cedo para nossas crianças e bebês. Aí entra uma falha do nosso sistema de não entender o que é melhor pras crianças e respeitar seus horários e, portanto, os horários dos pais. Beijocas

    1. Shirley Hilgert

      Pamela, obrigada pela compreensão e carinho! Bjs

  28. Karina

    Shirley, meus dois meninos, hoje com 7 e 9 anos, estão no integral (7:30/17:00) desde os dois anos (quando foram para a escola). Não me arrependo. Os meus só foram com 2 anos. Tenho amigas que levaram pra creche com poucos meses. Não tem receita. O que funciona para um não funciona para outro. Boa opção é a que te atende. Acho seus posts muito interessantes rsrs. Já passei por esta fase e faço uma viagem no tempo quando leio.

  29. Luciana

    Tenho 3 filhos….2 meninas de 6 e 4 anos e um príncipe de 11 meses…os 3 ficam na escolinha em tempo integral…não tenho empregada….meu marido almoça em casa todos os dias…sou artesã…divido meu curtíssimo dia em procurar novidades na internet, procurar moldes, costurar, fazer almoço, lavar, passar, cozinhar…preparar o lanche pra chegada da turminha…atender meus pedidos que são muitos….depois das 8:30 da noite que é quando todos estão na cama que consigo me dedicar mais ao meu trabalho…pois o telefone não toca mais, ninguém bate a campainha….enfim…é um trabalho intenso de 24h por dia…mas amo ficar em casa e ter meu tempo pra fazer o que eu quiser…..o trabalho de casa é repetitivo e nunca acaba, mas adoro minha rotina totalmente sem rotina….beijossss

  30. erica

    Eu coloquei meu bb na creche aos 5 meses, ele sempre ficou bem, mas sempre ficava doente e desenvolveu uma rinite forte. Ha 6 meses me mudei de cidade e estou em casa com ele, meu marido trabalha o dia todo e estuda a noite eu não tenho carteira de motorista então td fica mais difícil p mim, e não tenho mais tempo pra nada, coisas novas como ir fazer a sobrancelha q antes eu fazia de 15 em 15 dias se tornaram um milagre, academia então? So se tiver uma q abra de madrugada e ainda assim teria q ser aqui no prédio p eu não correr o risco de sair na rua perigosa,… Enfim, hj sem trabalhar eu tenho menos tempo p mim do q qd trabalhava! Agora estou voltando ao mercado de trabalho e já vi uma escolinha período integral pra ele, sei q não vai ser fácil, mas creio q o convívio outras crianças,novamente fara bem a ele! Estou com a consciência tranquila. E la vamos noss correr atrás do futuro deles!

  31. julianna

    Apoio e entendo as mães que colocam integral, mas eu não coloco de jeito nenhum! Adoece demaaaaais, além de ficar em um ambiente “estranho” das 7 da manha às 18! ! Acho muito tempo longe do porto seguro deles que é seu lar. Minha filha agora com 2 entrou na escolinha mas só meio período e eu ainda deixo as 14 e pego as 17 kkkk não aguento mais que isso!! Só botei pra ela brincar mesmo e pronto! Vejo bebês de 4 meses em tempo integral, choram muito, ninguém pode passar em frente a salinha deles, é proibido, pq eles pensam que é a mãe e choram! Isso parte meu coração!!

  32. Gaby Pilon

    Shirley, parece que vc lê pensamentos e os nossos sentimentos! Minha pequena entrou na escola com 1 ano e 4 meses, se adaptou super bem e adora a escola, hj com 1 e 6, preciso colocá-la no período integral para que eu possa voltar ao mercado de trabalho… e com isso a culpa estava tomando conta do meu ser! “Onde já se viu abandonar minha cria o dia interior na escola”… Mas graças a Deus tenho amigas e seu blog, que nao me julgam pelas minhas decisões e me ajudam um bocado qdo preciso! Obrigada! Bjs

  33. Elis Regina Vasco

    Oi Shi
    Estou começando a procurar escolinha para o Rafa e claro que o blog está me ajudando muito.
    Gostaria de indicar um livro que amei… se conseguir ler e divulgar, acredito que ajudará muitas mamães!
    Chama-se “Vida de Equilibrista” – as dores e as delícias das mães que trabalham.
    Bjos e obrigada por tudo!

  34. Diana Rocha

    Adoro seu blog! Leio faz tempo e admiro muito sua lucidez e a maneira como você escreve. Esse post em especial me tocou, pois quando digo que coloquei meu filho em período integral na escola freqüentemente ouço: “coitadinho”… De fato eu acho que, para meu modelo de vida, foi a escolha certa! E estar segura dessa decisão, mas ao mesmo tempo aberta para mudanças, se for o caso, é o que me faz sentir bem para seguir minha vida de mãe e profissional. Parabéns pelo trabalho, Shirley!!!

    1. Macetes de Mãe

      Que bom saber disso, Diana!!
      Muito obrigada pelo carinho :)
      Bjss

  35. maisa

    Quero colocar meu filho em tempo integral, ele so tem 3 anos, más a escola dele so tem pela manha, entao quero coloca-lá em outra a tarde.. Ele estuda pela manha, dorme toda a tarde , e a noite ele nao dorme, e isto estar me levando a agir desta forma.

  36. DAIANE

    ESTOU EM UMA SITUACAO DELICADA, POIS NAO QUERO Q MINHA FILHA ESTUDE PERIODO INTEGRAL, QUERIA PASSAR MAIS TEMPO COM ELA, MAIS AQUI NA CIDADE ONDE MORO NAO TEM OPCAO, NOS PAIS SOMOS OBRIGADOS A DEIXAR OS FILHOS NA ESCOLA POR TEMPO INTEGRAL.

  37. Isa

    Oi Shirley,gostei muito do seu blog,pois estou na dúvida meu filho tem 4 anos e 6 meses já tem 2 anos na escola em meio período mas em 2016 vou ficar sem babá e estou lutando pra colocar ele no integral.mas fico pensando tantas coisas,se vai ser bom pra ele.e com isso sofro muito.

  38. Denise

    Era tudo que eu precisava ler hoje! Hoje meu bebê está no Berçário II – Período Integral, e esse sentimento de culpa sempre existe no meu peito, a diferença é que ele vai e vem…. rs…. A partir do momento que descobrimos que estamos grávidas várias pessoas resolvem opinar e julgar. E hoje ouvi uma besteira gigante sobre ser menos mãe, colocar na creche, a prof. que vai criar seu filho….. etc….
    Hahahaha! Não costumo me afetar com comentários alheios diante da minha situação. Mas é difícil ficar forte o tempo todo. Agora passou. Foi providencial ler tudo isso! Outra coisa; as vezes eu ficava culpada até do meu filho adorar ir para a escola! Obrigada! Obrigada! Obrigada! : )

  39. MARCOS

    NAS ESCOLAS DO ESTADO DE TEMPO INTEGRAL POSSO PEGAR MINHA FILHA MAIS CEDO TEM UMA LEI QUE ME AMPARA…

  40. Morgana

    Minha filha vai na creche apenas meio período e, começou a ir com 1 ano e 2 meses. Dia 9 de março ela completa 1 ano e 4 meses e estamos pensando em deixa-la em tempo integral. Realmente a culpa toma conta, mas com certeza temos que ter confiança em nos mesmos, pensando sempre no que é melhor para todos!

  41. Tamara

    Oi Shyrley, estou adorando seu blog, obrigada por dividir com a gte esse terrivel dilema da culpa…Fico impressionada comigo e minha capacidade de SEMPRE me sentir culpada por alguma coisa rsss…
    Hoje estava procurando alguma coisa pra acalmar meu coraçãozinho materno que decidiu colocar sua princesa na escola das 10:00 (ao invés de 13:00) as 17:15, pelo unico e principal motivo de tentar melhorar a alimentação dela…
    Desde outubro que ela não come arroz, nem feijão, e só aceita alguns tipos de alimentos…
    Vou fazer uma experiencia pra saber se com as outras crianças isso melhora.
    Tbem acredito que o tempo que vamos passar juntas, daqui pra frente, serão bem mais felizes, de qualidade, 100% dedicados a ela, já que vou ter essa folguinha pra cuidar de mim, da casa, do marido…
    Vamos ter fé que sim né? rssss
    Sua familia é linda1
    bjão

  42. Anna

    Minha filha fez 7 anos. Desde os dois fica na creche. E sim, me sinto culpada, me sinto mal, e as vzs deprimida. Nesse momento esta ha 40 minutos na sala com meu noivo que esta tentando faze-la fzr a tarefa. Ela anda cansada e eu tb. temos uma rotina estressante. Acordo as 05:30, ela as 05:40. As 06:30 saimos de casa. voltamos as 17:00, 17:30 pra casa. E tem tarefa pra fazer. Ela cansada não faz. Apesar de estar lendo, esta com dificuldades na sala de aula. E tirando cochilos na sala de aula. Já não sei mais o que fazer. Todod dia faço ela dormir as 21:00 pra ver se consegue descansar, mas acho que chega um momento na vida deles que brincam sim, mas se cansam demais tb e ñ dormem na escola pq não conseguem mais.
    Gostaria de ter a opção de não deixa-la no integral. E peço a Deus pra me ajudar a resolver isso

    1. Lilian

      Nossa, não deveria ter tarefas para fazer em casa no integral, podiam fazer tudo na escola!

  43. Erica

    Pior é decidir o que fazer com filhos de 6 anos em diante, não é mais creche e escola para o integral é uma bica. O jeito é ficar sem trabalhar.

Deixe seu comentário