Bebês e crianças – Dicas para um sono seguro e tranquilo

Mamães, no post de hoje da sua coluna Sono e Pós-Parto a consultora de sono e doula pós-parto Marcia Horbacio irá abordar um assunto bastante importante em se tratando de bebês e crianças: a segurança na hora de dormir.

Com informações precisas e dicas valiosas, a Marcia aborda o tema de forma direta, gostosa e muito clara. Boa leitura e bom proveito!

Promovendo um sono seguro para o seu bebê

Por Márcia Horbácio

Para o post de hoje, escolhi um dos temas mais importantes em se tratando do sono de bebês e crianças – a segurança – e abaixo, trago oito aspectos que vocês devem observar para garantir que a hora de dormir dos seus pequenos – e de vocês também – seja sempre tranquila.

Dica 1: A Academia Americana e a Academia Canadense de Pediatria recomendam que o bebê seja sempre colocado para dormir de barriga para cima, numa superfície firme, sem cobertores ou travesseiros que possam sufocá-lo. Se um cobertor for mesmo necessário, que seja um cobertor com furinhos, por onde o ar possa passar. E lembre-se que ambientes mais fofos, como sofás, colchões de água e poltronas também não são lugares adequados para o bebê dormir.

Dica 2: Um bebê superaquecido corre um risco maior de sofrer a Síndrome da Morte Súbita do Lactente, (a morte repentina de um bebê saudável), que é uma das causas líderes de morte de bebês entre 2 e 4 meses, principalmente nos países mais frios). Assim, sempre, certifique-se de que a temperatura do ambiente está entre 21 e 24 graus. Se está confortável para você, estará confortável para o bebê também. Com a temperatura entre 21 e 24 graus o bebê pode vestir apenas uma “camada” de roupas, como um pijama de um tecido de espessura fina (24 graus) ou mais grossa (21 graus). A mãe também deve ficar atenta à temperatura do corpo do bebê: se parecer quente quando ela tocar o pescoço, ele está super aquecido. Se estiver suado, com as roupas úmidas, também.

Dica 3: Se você tem um bebê que não gosta de tirar as sonecas no berço e está sempre dormindo de dia no carrinho, na cadeirinha de carro ou no bebê conforto, semi-sentado, tome muito cuidado para que ele não deixe a cabecinha “cair” para a frente, bloqueando a passagem de ar. Há vários casos de morte de bebês dormindo suas sonecas nesses lugares que não foram capazes de acordar a tempo de voltar a respirar. Se você realmente quer que ele durma assim, fique por perto, vigiando seu filho.

Dica 4: Quando instalar cortinas ou persianas, tome cuidado com as cordas e fios para ter certeza de que o bebê nunca poderá puxá-las, correndo o risco de estrangulamento. Deixa-as longe, enroladas para cima, numa posição que o bebê nunca possa alcançá-las. Também, verifique sempre se não há por perto fios elétricos (de uma babá eletrônica por exemplo), uma porta que dê acesso a um local perigoso ou uma janela que o bebê possa alcançar.

Dica 5: Quando estiverem viajando ou quando o bebê/criança for dormir em um lugar diferente, é importante inspecionar o cômodo onde ele ficará. Afinal, a casa do vovô, pode não ser tão segura quanto o seu próprio quartinho já que o vovô e a vovó não estão mais acostumados a terem uma criança em casa e a deixarem o ambiente 100% preparado para ela. Na creche/escolinha é a mesma coisa. É importante você visitar e inspecionar o local para ver se ele oferece segurança para o seu filho na hora de dormir. E aqui algumas dicas do que você deve observar ao inspecionar num ambiente novo: Certifique-se de que o colchão do berço é firme e está bem apertado entre a cabeceira e as grades; verifique se a distância entre as grades do berço não ultrapassa 6.5 cm (se passa uma lata de refrigerante na horizontal entre as grades, não é seguro); verifique se o berço não está muito próximo de cortinas que possam estar com as cordas baixas e possam ser alcançadas pelo bebê; verifique também a temperatura do quarto e lembre-se de perguntar aos donos da casa ou gerente do hotel se a temperatura é constante durante a noite (alguns condicionadores de ar gelam na madrugada); observe se a vovó não deixou bichinhos de pelúcia no berço ou cobertores e travesseiros (que sabemos não são seguros para o bebê); verifique se no novo ambiente tem grade na janela e, se não tiver, mantenha a janela trancada.

Dica 6: Os lindos bichinhos de pelúcia e os protetores de berço também não são indicados para berços, mini camas ou camas por representarem risco de sufocamento e, no caso do kit berço, também risco da criança usá-lo para escalar o berço e subir (inclui essa parte da escalada).

Dica 7: O famoso “charutinho” (enrolar o bebê para dormir) foi mais uma vez declarado seguro num estudo publicado neste ano no Jornal Pediatrics. Essa técnica, além de contribuir para um sono mais longo e profundo fazendo o bebê se sentir num ambiente parecido com o do útero materno, reduz o choro, diminui a agitação do bebê e reduz o estresse tanto para a mãe quanto para o filho. Assim, desde que feito de maneira correta (e já vimos algumas demonstrações aqui no Macetes), o “charutinho” não prejudica o quadril do bebê nem representa risco de sufocamento. (Se alguém quiser pesquisar o estudo completo, aqui está o título:  McDonnell E and Moon RY.  Infant deaths and injuries associated with wearable blankets, swaddle wraps, and swaddling.  J Peds 2014; 164:1152-56.)

Veja em detalhes como fazer o charutinho:

Dica 8: Ainda, além desses cuidados básicos, a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Brasileira de Pediatra recomendam que o bebê durma no quarto dos pais, em seu próprio berço ou moisés, nos primeiros seis meses de vida. Entretanto, como as famílias são diferentes e têm diferentes estilos de maternagem e paternagem, nós sabemos que não é sempre assim que as coisas acontecem. E uma alternativa que costuma ser bastante comum a esta indicação é a cama compartilhada que, embora não recomendada pela AAP e pela SBP, é reconhecida pelos seus benefícios à amamentação nos primeiros anos de vida do bebê. Então, como muitos pais praticam essa opção, coloco abaixo algumas recomendações para garantir a segurança do bebê que dorme em cama compartilhada.

  • O bebê deve estar numa superfície plana e firme, sem travesseiros ou cobertores.
  • O lençol deve estar colocado de maneira bem apertada no colchão.
  • O colchão deve estar bem justo na cabeceira e nos pés da cama.
  • Não deve haver espaço entre a parede e a cama onde o bebê possa cair.
  • Não pratique a cama compartilhada se você for fumante.
  • Não durma com o seu bebê se você ou seu companheiro tiverem tomado alguma medicação que causa sonolência.
  • Não faça coma compartilhada se você ou seu companheiro forem obesos.

 

Espero que tenham gostado das dicas e me coloco à disposição para tirar dúvidas. Para isso, utilizem o espaço para comentários abaixo. Será um prazer ajuda-las.

E, por mim, um lembrete mais do que importante: fiquem atentas à segurança do seu bebê para o sono da família toda ser tranquilo e feliz! Até a próxima edição da nossa coluna.

Colunistas MdM Marcia- sono. - NOVO 25.08cdr

 

17 comentários

  1. Geiza

    Muito bom o post!!!

  2. Thatiane

    Bom dia Marcia!
    Gostaria d ler um artigo sobre sonecas. Meu filho tem bastante dificuldade em dormir por mais d 30 min. Eu faço ele dormir balançando. ..mas to seguindo seus conselhos d qdo ele estiver quase dormindo sentar c ele. Ele fica bem…porém ainda não consigo coloca lo direto no berço sem ninar. Será q é por isso q ele só dormi 30 min?
    Ele vai fazer 5 meses na segunda.
    Obrigada

    1. Marcia

      Vamos providenciar em breve! Não perca os próximos!

  3. Rafaela

    Olá.
    Adorei o post, pois sempre temos muitas dúvidas.
    Gostaria de saber o porque da criança ter que dormir no quarto dos pais? Meu bebê tem 1 mês e desde o primeiro dia já dorme no seu berço, mas monitoramos com a babá eletrônica. E se mexe muito durante a noite, já tentamos fazer o charutinho mas ele fica mais irritado.
    Obrigada

    1. Marcia

      Rafaela, o lugar do bebê dormir é definitivamente uma escolha dos pais. Existe uma recomendação da Academia Americana de Pediatria e da Academia Canadense de Pediatria dizendo que comprovadamente o número de mortes por SMSL ( Síndrome da Morte Subita do Lactente) diminui muito quando os bebês estão no quarto dos pais. E a razão parece estar ligada ao fato de que os pais podem responder mais rapidamente aos bebês caso eles precisem de ajuda numa emergência. Não estou recomendando que seja assim para todos mas que os pais avaliem todos os prós e contras , conheçam o que se recomenda como seguro e assim possam saber tomar a decisão mais certa para suas famílias.

  4. Juliana Teixeira Cardoso

    Olá! Não sou fumante nem nunca fui, mas meu marido é. Existe risco de fazer cama compartilhada neste caso? Se sim, quais são os riscos?

    1. Marcia

      OI Juliana, segundo o site Parenting Science, da Dra. Gwen Dewar, antropóloga e autoridade quando o assunto é paternidade-maternidade, bebês expostos a cigarro, podem ter mais dificuldade de acordar de um sono profundo talvez por causa de uma mudança nos caminhos percorridos pela serotonina no cérebro ( estudo de Kinney 2009).

  5. Sarah Signer

    Discordo um pouco da recomendação de não fazer cama compartilhada se os pais forem obesos. Eu e meu marido somos obesos e fazemos cama compartilhada desde que o Gui chegou aqui em casa, já fazem 1 ano e 1 mês, hoje ele dorme no berço sem grade, colado à nossa cama, foi o jeito que fizemos quando a nossa própria cama começou a ficar apertada.

  6. Julia

    Ótimo texto. Mas só tem dicas para nenéns, e não para crianças. Minha filha tem quatro anos já e toda noite é uma crise existencial enorme para dormir.

    Quando der, fica a dica para mais um super texto!

    Ps: é uma dica, não uma reclamação (não quero que você se sinta mal e chore) ;-D

    1. Marcia

      Oi, Julia, tudo bem? No caso da sua filha, um trabalho com ela tem que ser feito mais na base do convencimento, de estórias onde apresentamos novas regras de sono da casa para ela entender que você está implementando um novo hábito. Batalhas para dormir são comuns e podem ser eliminadas com muita conversa , paciência e um firme propósito de mudar padrões.

      Até o próximo texto!

  7. Paula

    Olá Márcia. Minha bb tem quatro meses e meio e já tem um mês e meio que tiramos a mamada da madrugada. Mas ela acorda diversas vezes durante a noite, coloco a chupeta e ela volta a dormir. Alguma dica pra ajudá-la a dormir melhor?
    Obrigada.
    Abraço.

    1. Marcia

      Paula, existe uma teoria que alguns experts do sono acreditam que quando a criança dorme de uma maneira, vai precisar da mesma maneira para voltar a dormir se ela acordar no meio da noite. Se ela dorme com chupeta e você devolve sempre que ela acorda, você pode estar alimentando essa associação entende? Vou dar dicas interessantes sobre como diminuir essa dependência logo, fique ligada nos nossos posts!

  8. Caroline

    Olá Márcia!! Meu problema é o mesmo da Tathiane do segundo comentário lá em cima. Minha filha de 5 meses tira umas 5, 6 sonecas por dia, mas de apenas 30 min!! Sempre!! Já tentei diversas formas e lugares diferentes, mas sempre ela acorda…não parece cansada, fica feliz, mas cerca 1h, 1,5h depois tenho q fazer dormir de novo, a noite já dorme no quarto dela e acorda uma vez pra mamar. Você vai escrever sobre esse assunto das sonecas curtas? Abraços de Pelotas, RS

  9. Gilvana

    Olá, qria ajuda para desmamar meu bebê, já tem 1e 2meses, mas mama à noite e durante o dia também, quando tento desmama-lo, acontece alguma coisa ele gripa, não sei o quer, fico triste se ele chora, tô sofrendo mas que ele, me ajudem….

  10. Filipa

    Boa tarde e obrigado pl dicas… estou tendo um problema, pois comecei a fazer o sono do bebe em cama partilhada, desde que o faço o meu bebe de 1 mês, não quer outra coisa e ganhou o vicio da mama, ou seja, mesmo depois de mamar so dorme se for na nossa cama e a mamar nao sei o k fazer!!!!

  11. Rosemary

    Gostei muito do post!
    Única coisa que me deixa “chateada” nessas postagens é o fato de, por eu morar no sul do Brasil, as temperaturas serem muito mais baixas. Difícil colocar um bebê pra dormir com temperatura de 23 ou 21 graus… Talvez no verão apenas. Eu uso um saquinho de dormir e preciso usar cobertores… Os quais tento prender o máximo no colchão. Uma coisa bacana do saquinho é que o bebê não consegue chutar os cobertores nem ficar em pé no berço. E um dos modelos que tenho o zíper é invertido, fazendo com que o bebê não consiga abrí-lo. Morro de medo de morte súbita, então a gente vai tentando proteger da forma como posso… :-)

  12. Tatiane

    Ola, se existir alguma recomendaçao para pack and play, eu gostaria de saber. Meu bebê dorme nele do meu lado na cama, eu uso um edge para elevar um pouco a cabecinha dele por causa do refluxo. Pretendo deixa-lo no nosso quarto ate os 6 meses, sendo assim no pack and play.
    Obrigada desde ja! Abs!

Deixe seu comentário