Uma gravidez sem tempo. Mas sem peso na consciência.

Já comentei em outro post que estou sem tempo para curtir a gestação do Caê e que as coisas estão sendo bem diferentes do que foram na gravidez do Leo. Se quando eu estava grávida do Leo eu vivia 24h a experiência da sua espera, tendo tempo para mil cuidados e mimos para mim e para ele, agora está sendo quase que uma maratona, com momentos que eu até esqueço que estou grávida.

gravidez sem tempo

Photo Credit: contrasto_gp via Compfight cc

Contar história e cantar para o bebê que ainda não chegou, passar horas aplicando creme hidratante e massageando a barriga, bater altos papos falando de como estou ansiosa para conhecer o seu rostinho, tudo isso virou lembrança de um passado remoto e que muito pouco (na verdade quase nada) tem a ver com o meu momento atual.

Mas eu estou com peso na consciência por causa disso? Estou me sentindo culpada por essa falta de tempo e atenção que tenho dedicado ao Caê? Estou lamentando isso que estou vivendo? De forma alguma. E quer saber por que? Pela simples certeza que eu carrego de que hoje estou bem mais preparada para ser mãe do que estava quando o Leo veio ao mundo. E, no fundo, é isso que interessa.

Estou sem culpas e “nóias” porque eu tenho uma forte intuição de que as coisas para o Caê serão muito mais fáceis do que foram para o Leo. Se o Leo precisou aprender a viver no mundo aqui de fora, precisou também me ensinar a ser mãe, esperar eu estar mais preparada para função, e creio que isso não deve ter sido nada fácil para ele.

Olho para o Leo e tem horas que chego a me emocionar pensando no que ele passou. Além de ter sofrido bastante pela sua APLV, ele tinha ao seu lado uma mãe que, por mais que tentasse, era muito insegura, tinha medo errar, não sabia direito o que fazer e em meio a todo o caos do primeiro filho, em muitos momentos, se perdia e demorava para se achar.

Sei que as coisas não serão fáceis tendo dois filhos em casa (ah não vão ser mesmo! E isso confesso que me assusta). Mas sigo achando que elas continuarão sendo mais difíceis para o Leo, que terá que se acostumar com uma nova realidade, a dividir os pais e as coisas, a dividir a atenção de toda a família. Já para o Caê, sinto que a vida será apresentada de forma mais branda, com uma mãe que já sabe o que está por vir e que, por isso, não vai cair em desespero tão facilmente, vai se sentir mais segura para seguir seu coração e que, acima de tudo, aprendeu a amar, de forma intensa e verdadeira, e que só tem a chance de fazer isso agora porque já houve alguém que abriu espaço para que isso acontecesse.

Se desde já tenho menos tempo para o Caê do que tinha para o Leo, pelo menos, estou mais preparada para ser sua mãe e isso, na minha opinião, vai compensar todas as faltas decorrentes de ser segundo, terceiro ou quarto filho.

E se o coração de mãe está em paz, não há o que se temer.

19 comentários

  1. Flávia

    Shi, sua maturidade e forma de ver as coisas me inspiram demais! Parabéns por ser a mulher forte que você é! Estou esperando meu primeiro filho e aprendendo muito com você! Obrigada por compartilhar conosco tudo de uma forma tão objetiva, clara e sem “mi mi mi”. Beijos

  2. Flavia Enelise

    Todas as mães que já tiveram mais que uma gestação me falam que a segunda é mesmo diferente. Passa até mais rápido! E também estou sentindo isso, e olha que agora estou grávida de gêmeos… duas menininhas! Estou bem mais prática, mais econômica (não só pela necessidade mas porque na primeira exagerei em tudo!), mais segura e mais confiante. Mais cansada também… afinal ter um bebê em casa (a minha filha fará 2a em fevereiro) e carregar dois na barriga, além de trabalhar o dia todo, não é moleza não, mas vamos seguindo. Só que às vezes, confesso, me acho segura e confiante até demais…. hahahaha…. na minha cabeça a ideia é de que tudo será como foi com a mais velha, que não me deu trabalho algum (além do trabalho “normal”)…sequer teve cólicas….! Bem, espero que eu não tenha muitas surpresas “desagradáveis” rs!

  3. Edjane Oliveira

    É exatamente assim, Shirley. Em compensação, com o segundo filho a gente consegue curtir muito mais e perceber coisas que, no primeiro, a passou até batido. Tem momentos que curto coisas da minha segunda filha que não lembro da primeira. São experiências diferentes. Parabéns pelo post. http://www.conversinhademae.com.br

  4. Vanessa

    Oie…tenho um filho de um ano e 10 meses e outro de 3 meses.. A gestação di 2 voa..somos muito mais práticas e menos medrosas sim…depois do parto é sim muito mais difícil para o mais velho. E a mãe? Fixa dividida entre dar atenção devida pros 2…sim tem sentimento de culpa…claro q tem….no meu caso sempre acho que to deixando o mais novo largado… Bj

  5. Flavia Botelho

    Parabéns pela calma, tranquilidade e paz de espiríto. Obrigada pelo depoimento, estou vivendo a segunda gravidez também e às vezes esqueço que estou grávida, foi bom poder “ouvir” suas palavras, em acalmou….
    Com certeza seremos mães mais tranquilas para o segundo filho.
    Beijo!

  6. Thais

    Querida, aparece que esse relato é meu. Exatamente como foi na gravidez do meu segundo(hoje com 1 mês). Tenho uma teoria: com o primeiro filho pegamos eles e depois pensamos. Com o segundo pensamos primeiro e depois pegamos.
    É muito bom ser mãe pela segunda vez, é muito melhor ser mãe de dois meninos. Boa sorte. Bjs

    1. Macetes de Mãe

      Que bacana Thais!
      Obrigada!!
      Bjs

  7. Lourdes

    PARABÉNS!!!
    Não sou mãe, e não estou grávida, mas amo ler seus depoimentos, suas explicações e desabafos.
    Acompanho a página pelo face há mais ou menos um ano, e com certeza você inspira a vontade de ser mãe, a segurança e confiança de que situações adversas fazem parte. Obrigada e mais uma vez parabéns.

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo carinho Lourdes!!! :)
      Bjss

  8. Joyce

    Segundo filho é muito mais fácil. A rotina com dois filhos é mais pesada, mas muito menos angustiante, sabemos fazer as coisas e se não sabemos aprendemos com mais facilidade, com menos medo. Tenho uma menina linda de 2 anos e um menino lindo de 3 meses.

  9. Fabrina

    Quero acompanhar tu-do..!

  10. Zel

    Olá!!! Ser mãe de um filho já é maravilhoso…ser mãe de dois é mágico! Tenho o Pedro com 7 anos…e a gora a Sophia com 4 meses….e digo q tudo é uma questão de acomodar os sentimentos! Aliar amor, cumplicidade e paciência vai lhe trazer a tão sonhada paz! É simplesmente delicioso ver o amor nascendo entre eles….e o resto…ahhhh…o resto se ajeita!!!! Bjs e boa hora!!!!!

  11. MERE

    adoro esse blog…nossa como nos ajuda com dicas …parabéns….

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo carinho Mere! Bjs

  12. Eloisa

    Shi,
    Tambem estou gravida do meu segundo filho e assim como vc tive dificuldades na amamentacao (por qlqr motivo meu leite nao era suficiente, minha filha tinha a pega correta, mas nao se satisfazia apenas com o seio). O que vc acha que podemos esperar na amamentacao do segundo??? Desde ja agradeco!! Eloisa

    1. Shirley Hilgert

      Eloisa, estou esperançosa. Acho que agora a gente já sabe que problemas acontecem, de todos os tipos, e não vamos nos desesperar no primeiro desafio. Se o pediatra estimular, também será de grande valia (eu troquei o meu, não sei como será agora, mas estou bem esperançosa nesse sentido também). Por fim, contar com uma consultora em amamentação pode ajudar. Eu já conversei com uma que irá me visitar no segundo dia na maternidade. Bjs

  13. Marina Dias

    Olá Shirley, me identifiquei muito com seu texto, minha filha está com 1 ano e 10 meses e estou gravida de 22 semanas, não tenho tempo nenhum para curtir a nova gravidez, por conta do trabalho,casa,filha e etc…as vezes me culpo muito,mais depois que li seu texto me senti mais aliviada…vamos ver como vai ser após o nascimento…preparar o terreno eu estou até preparando, mais muitas surpresas estão por vir! Bjos…

  14. Alice

    Ai que lindo! Que saudade de quando estava grávida

  15. Janiele

    Que lindo, me emocionei, também estou grávida!

Deixe seu comentário