Sem essa de mãe perfeita. Eu sou uma mãe real.

Eu tenho amigas que tiveram filhos de parto natural humanizado. Outras de cesárea agendada. Tenho amigas que fizeram cama compartilhada. Outras que colocaram seus bebês no próprio berço desde a primeira noite em casa. Tenho amigas que amamentaram até quase 4 anos. Outras que não conseguiram amamentar nem até 2 meses.

Photo Credit: Phil Romans via Compfight cc

Photo Credit: Phil Romans via Compfight cc

Sabe o que todas essas minhas amigas têm em comum? Elas são ótimas mães, amam seus filhos mais do que tudo e, para eles, elas são o máximo.

Uma coisa que percebi depois que me tornei mãe é que vivemos buscando o modelo perfeito de maternidade, aquele em que vamos minimizar os erros, passar por menos perrengues e criar crianças mais felizes e adultos mais preparados. E, atrás desse modelo perfeito, a gente tenta de um tudo: lê dezenas de livros, visitas todos os sites, ouve a opinião das amigas, da família e o escambau mas, no fundo, esquece de prestar atenção no que há de mais simples e mais importante: o que o nosso coração tem a dizer.

Aprendi que o modelo perfeito de maternidade não existe. Por exemplo: tenho uma amiga que largou tudo para se dedicar 100% aos seus três filhos e outra que trabalha fora 9, 10 horas por dia. E ambas são ótimas mães porque cada mulher é a melhor mãe que pode ser dentro das suas limitações. Essa coisa de mãe perfeita só existe em rede social! Dentro das nossas casas, o que temos são mães reais, amadas e admiradas apesar das suas pirações, da sua falta de paciência e dos gritos que escapam de vez em quando.

Se eu soubesse que a maternidade perfeita não existe e que todas nós erramos todo santo dia teria sofrido menos quando o Leo nasceu. Teria aceitado que ter medo é natural, que não saber o que fazer é a coisa mais comum do mundo e que sentir vontade de fugir de vez em quando só prova que somos normais.

Agora está para chegar o meu segundo filho. Dentro de duas semanas, no máximo, ele deverá estar por aqui. E sabe o que tem de melhor nessa segunda experiência? O fato de eu não ser mais ingênua a ponto de achar que não vou errar. Como gosto de dizer, se não há ser humano perfeito, por que haveria uma mãe perfeita? Isso é uma cobrança que nós mesmas nos colocamos e que só a experiência irá nos provar como é inútil. Por isso, abrace a ideia de ser uma mãe real e, acima de tudo, #ConfieNoSeuJeito. Isso irá fazer de você a melhor mãe que seus filhos poderão ter e uma pessoa muito, mas muito mais feliz.

E vocês, também acreditam nisso? Já entenderam que a perfeição não existe? Conseguiram aceitar e perdoar suas falhas? Compartilhem aqui como é que vocês encaram essa questão maternidade perfeita x maternidade real e possível. Vou adorar saber o que vocês tem a dizer.

Baby Dove acredita que não existem Mães Perfeitas, apenas Mães Reais, e incentiva que cada uma #ConfieNoSeuJeito.  Acompanhe aqui, pelos próximos meses, tudo que eu tenho a dizer sobre isso. Sobre essa maternidade real que eu sempre defendi e apoiei.

publi-incentivo

 

 

 

63 comentários

  1. andrea

    como ser uma mãe perfeita com 3 pequenos ?
    tenho um de quase 7 e duas de quase 3 … impossível !
    me culpo sempre por acreditar em coisas q raramente consigo praticar.
    enfim, dou o meu melhor e faço o impossível para que eles estejam sempre bem e com muito amor, o q não falta aqui em casa é abraço e beijo.

  2. Daniela Dias

    Nossa como estou muito aliviada em ler esse texto, voltei a trabalhar e me cobro muito por não poder estar o tempo integral com a Lavínia ela é o meu Bem maior a melhor coisa do mundo, amo incondicionalmente mas sempre tenho a sensação de estar errando em algo, fiquei até mais feliz agora kkkk e mais aliviada.

  3. Glauciele

    Eu amo esse blog,leio sempre que posso rsrsrsr pq tenho duas meninas lindas uma de dois ano e uma de cinco meses…Me indentifico muito com todos os post…

    Amo ser mãe…

    Beijos

  4. Elisangela de Assis Peneluca

    AMEI! Sempre leio as materias e muito me agrada ler isso, pois sei o que é estar 100% para um filho, e o quanto isso me traz felicidade e medo, uma mistura de sensações,mas amo meu filho e por ele sou capaz de tudo.

  5. Barbara

    Sou mais uma mãe real…larguei meu trabalho para cuidar do meu filho, e pretendo mudar até de área quando voltar a trabalhar só para ter mais tempo pra ele. Fiz isso pois acreditei ser o melhor q poderia fazer por ele no seu primeiro aninho. Se podia dar meu melhor numa empresa, dar meu melhor a ele seria muito mais gratificante. Mas diversas vezes me pego pensando em quanto de mim estou renunciando, as vezes me sinto perdida, me sentindo pequena, insegura sobre quem sou, sem identidade… Como dizem algumas amigas: “Não nasci para ser dona de casa e mae em tempo integral”. Me sinto desvalorizada e diversas conversas. Acabo nao me importando pois esses pensamentos ocorrem uma vez por mês rs. Mas são pensamentos reais, e me sinto culpada por tê – los. Não me sinto a vontade de falar sobre isso pq acho q as pessoas não entendem…
    Sei que é um momento da minha vida que doei pra ele e não vou me arrepender. Assim como as dores de parto, as dores e dificuldades de amamentar, as inseguranças nos primeiros dias em casa, essa fase também vai passar. E meu Deus! Como passou rápido.

    1. Cecília

      Olá Barbara, super me identifiquei com seu comentário. Fiquei feliz em saber que nesta maré não sou a unica a navegar. Deixar a profissão, amigas, vaidade de escanteio me fez descobrir uma outra Cecília, de até onde somos capazes. Realmente passará rapido e esta fase pequeno de meu filho eu não perco por nada e olha que nem de longe fazia o meu perfil rsrs Felicidades!!!!

  6. Juliana

    Olá
    Como mãe de primeira viagem,minha filha completa dois meses amanhã,esse texto vem aliviar as muitas cobranças que me faço. Realmente descobri que na teoria tudo é muito lindo, mas que na rotina diária o que vale é o equilíbrio diante de cada situação.
    Obrigada pelas dicas

  7. Caroline

    Amo este blog!!!! Me indentifico muito com seus textos. Voltei a trabalhar recentemente e por mais que saibamos que somos todas maes, sempre bate uma insegurança sobre as decisoes que tomamos. Mas sei que o mais importante e o amor e isso com certeza nao falta!!!!!

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo carinho, Caroline!!!
      Bjss

  8. Paula farias

    Olá ! Como você nos ajuda com seus textos ! Obrigada por dedicar um pouco do seu tempo à nós mamães.

    Beijos e boa hora ! Que Deus abençoe vocês !

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo carinho, Paula!
      Bjss

  9. Ludmila

    Ahhh além de sermos humanas e nao podermos ser tudo o que queríamos temos que levar em conta que cada criança é um ser humano diferente…entao as vezes o que para uma mae suuuperr funciona para a outra com seu bebe nao faz o menor sentido nao é??entao somos todos humanos e errantes e mutantes( estamos em constante aprendizado e evolução) e SIM eu queria ser melhor perfeita e poder fazer tantas coisas que nao consigo como todas….as mamaes…..mas o que precisamos dar mesmo é AMOR ao nossos bebezinhos lindos…… (mesmo maiores são bebezinhos ne)…. bjokass e boa sorte com o CAÊ….

  10. Lislei

    Concordo com vc, eu tenho 3 filhos um de 15 um de 10 e uma de 6 e acho que medo a gente sempre vai ter, a cada sim que a gente diz pro filho e a cada não também sempre tenho a dúvida de que será que sou dura demais ou será que to deixando solto hein duvida cruel rsrsrs. Mas aprendi a confiar muito em mim e me cobrar menos, afinal como vc disse somos seres humanos e seres humanos não são perfeitos. Bjs

  11. Flávia Lima

    Essa nova campanha da Dove ficou o máximo. Não me canso de assistir esse comercial.

  12. Jaqueline

    Nossa…como precisava ler isso nesse exato momento…idealizamos tudo e acabamos nos esquecendo de nossa humanidade, de nossa capacidade de errar e de acertar, importa que amamos e se erramos é, com certeza, tentando fazer o melhor!

  13. Thaíse Christoni

    Lindo! Alguns dias atrás, publiquei um texto com a mesma ideia: SOMOS TODAS BOAS MÃES.—-> http://bit.ly/17F7l07

  14. Camila

    Realmente essa é uma cobrança muito exagerada e sem propósito! As vezes tenho muito medo de fazer tudo errado com meu filho que esta para nascer, mas sigo sempre o que VC disse: escuto meu coração! Por um mundo com menos teoria e perfeição e mais realidade e amor!

  15. Thayssen

    Fico bem mais aliviada em ler esse texto hoje. Tenho um bebe de 18 dias. Nunca imaginei que a amamentação seria algo tao dificil pra mim. Depois das inumeras rachaduras e a dor da alma, estou desistindo, infelizmente é mais forte que eu. Nao quero chorar todas as vezes que dou o peito, queria que fosse algo gratificante e nao aterrorizador. Obrigada Macetes de Mãe por me fazer se sentir menos frustada e culpada. :)

  16. Alessandra Dias

    Não existe mãe perfeita… mas blogueira perfeita eu não tenho dúvidas. rsrs. Parabéns Shi! Mas um texto maravilhoso e confortante….

  17. Alessandra Dias

    Corrigindo.. MAIS um texto.. rs

  18. Karina Souza

    Desabafo:
    Shirley, desde que engravidei, acompanho sua página… Foi aqui que sempre tirei minhas dúvidas e confiei em produtos e fornecedores indicados por você.
    Meu filho começou a ir para a escolinha nesta semana, e na expectativa e ansiedade de iniciar essa nova fase, procurei por produtos para montar o material escolar de meu filho.
    Foi assim que encontrei a Taglab, empresa de etiquetas personalizadas, onde encomentei etiquetas para roupas e utensilios. Isso foi em 06/01.
    Bom, hoje, dia 28/01, sem meu produto em mãos e sem conseguir contato com essa empresa (caso relatado por inumeros clientes na pagina da empresa no Facebook), venho alertá-la de onde seu nome está sendo associado. Temos confiança em suas sugestões, e me preocupa, por gostar tanto do seu trabalho, que o mesmo esteja associado a uma empresa que ludibria as pessoas.
    Eles nem ao mesmo respondem e-mails ou atendem o telefone para darem uma satisfaçao ao cliente… E lá se foram quase R$160,00, uma frustação enorme e as roupas de meu filho sem a identificaçao pedida pela escola!
    É somente um desabafo… espero que outras sugestoes não me surpreendam de maneira tão negativa, como essa Taglab.
    Continuo seguindo e admirando o seu trabalho…

    1. Shirley Hilgert

      Menina! Que coisa horrível! Eu tenho o contato da Taglab e vou mandar o a sua mensagem para eles agora. Uma empresa que eu super indico e que já me atendeu super bem é a Fabee Store. Eles fazem esse tipo de produto e não tem risco nenhum, nunca tive problemas. Dá uma olhada.
      Nossa, vou agora tentar falar com a TagLab. Estou assustada.
      obrigada pelo alerta!

  19. Karine

    Adoro seus posts, sinto-me acalentada, pois com minha primeira filha que está prestes a completar 1 ano e meio quase pirei com tanta insegurança e sentimento de culpa por vários motivos. Mas com palavras como a sua cada vez mais sinto que Deus protege as mamães e os filhinhos, pois a perfeição não existe mesmo e nos desdobramos para fazermos o que há de melhor para nossos pequenos..Que seu segundo filho te traga muito mais alegrias e certeza de que ser mãe é uma bênção. bjs

  20. Gabriela

    Amei o texto, concordo. Temos que acordar a cada di a e tentarmos ser melhores não só como mães mas como pessoa e disso que o mundo precisa de muito AMOR e errar faz parte!

  21. Dayani Siqueira

    Adorei esse texto. Eu deixei meu emprego para me dedicar 100% ao meu filho. Não me arrependo e so pretendo voltar a trabalhar depois que meu filho completar 1 ano. Uns apoiam e outros criticam minha decisão, mas cada uma tem seu jeito e todos os jeitos são validos. :)

  22. Daiane

    Tudo que eu precisava ler… Obrigada por compartilhar!!

  23. Heloá

    Com uma mocinha de 19 dias e muito bom ler isso!! A Alice está me ensinando muita coisa sobre maternidade … E saber que não vou ser perfeita.. Mas posso ser real e confortante!!!
    O que me deixa mais culpada e o sono que sinto ao amamentar de madrugada!! Nessa hora conto com o papai conversando comigo.. Ou segurando meu braço… As vezes amamento até em pé pra não cochilar com a pequena no colo!!!
    Mas sei que e normal.. Afinal eu não devo ser a única mamãe que sente sono amamentNdo de madrugada né????

  24. Juliana

    O que eu mais precisa hoje era ler o seu post, me aliviou muito! Hoje cheguei em casa, como sempre, só eu e minha princesa de um ano, (maridão tb médico trabalha até mais tarde). Brinquei com ela e depois entrei na rotina diária para iniciar o sono da noite! Ela estava meio irritada, chorando …. Dei o banho e ela foi se acalmando ! Qdo fui trocá-la percebi que dei um mal jeito na coluna ( tenho hérnia de disco) e não conseguiria ficar com ela no colo para terminar a rotina do momento do sono! Precisei colocar ela chorando no berço, e chorando muito, para eu conseguir ir até a cozinha e fazer a última mamadeira do dia ( normalmente eu faço a mamadeira com ela no colo, mas o mal jeito não me permitiu). Só sei que ela chorou como se fosse uma eternidade! Cheguei com a mamadeira e no berço dei (não consegui ninar ela hoje) e percebi que ela adormeceu logo depois e cansada de tanto chorar ! Me senti péssima …. Mas hoje era o que eu podia fazer! Agora ao ler seu post percebo que sou o que posso ser: uma mãe real, que tenta sempre que possível acertar e fazer o melhor ! Bjos

  25. Élem

    Humrum! Aproveito aqui pra citar o ótimo texto O Lado B da maternidade. Nos culpamos por expectativas nossas e somadas a elas, a dos outros também. Além de mãe espera-se da maternidade algo sobre humano, santo, livre de falhar. Acho que se alguma mãe for assim (eu não sou), mais “mãe” que humana, deve estar fazendo da maternidade um grande sacrifício.

  26. Cynthia

    Sabe, que isso eu disse hoje para o meu marido, bem isso, que muitas mães esquecem de seguir o seu coração. Aqui são 4, um de 9, um de 7, uma de 4 e uma de dois meses, é filho pelo ladrão, se eu alimentasse a culpa não teria tempo para curti-los, com o meu mais velho eu era chata pra caramba, mas fui aprendendo a desapegar e entender que nem tudo o que é certo para o outro é certo para mim.
    Beijo no coração e boa hora pra ti.

  27. Cristina Tabosa

    Pois bem, nunca pensei em ser uma mãe perfeita, mas uma mãe q pensa na realidade dos filhos no futuro. Criei filhos dando muito amor, atenção, assistência, mas preparando-os para a vida. Dando o melhor na educação e lições de honestidade e bondade. Hj, estão com 28, 29 e 31 anos, tds com curso superior, honestos, com seus empregos e, acima de td, com amor e humildade para com as pessoas. Não fui uma mãe perfeita, mas o resultado para mim foi perfeito. Graças a Deus!

  28. angelica

    Simplesmente amei o texto!
    Minha pequena está com 2anos e por mais que eu a tenha planejado e me sentia preparada para ser mãe, minha confiança em mim mesma caiu por terra logo quando ela nasceu.
    Por mais sugestões e desafios que apareçam sinto que sou a maior crítica de mim mesma do que os outros, pois sempre tem um” faça isso ou aquilo” ou “no meu tempo eu fazia assim”… mas acima d tudo descobrimos que temos mais a aprender do que ensinar com esses anjos em nossas vidas!
    Amor maior não ha e é tão intenso que chega a doer!

  29. Jane

    Ufaaa, que alívio ! Pensei que estava equivocada. Sigo meu coração e viu continuar seguindo. Tenha uma boa hora, que Deus abençoe sua família. Beijos

  30. Naruma

    Amei esse texto, meu bebe tem um ano e três meses e sempre acho que sou uma mãe horrível, que ele merecia sempre mais. Mas ele é a minha vida, minha inspiração , é tudo acordar e ver aquele rostinho pronto pra me amar independente as minha escolhas no dia. Apesar das piradas de vez em quando ( a vontade de fugir que é passageira)
    AMO SER MÃE.

  31. Ana Suelen

    Tudo que precisava ouvi hoje. Nosso meu bebê de 4 meses vai para o berçário. Nossa como tem pessoas que me condenam, mas não neste momento não posso parar de trabalha. Mamãe perfeita não existe. Amor ao nosso filho isso sim é o que existe.

  32. Gabrieli

    Como ser mãe perfeita, mulher perfeita, dona de casa perfeita e profissional perfeita?
    Pois não tem como, sou todas elas e nenhuma é perfeita.
    Acho que se você seguir seu coração e tiver pelo menos a intenção de fazer o seu melhor
    em tudo ja esta valendo.

  33. Karine Giroto

    Sabe gente, somos todas Mães Perfeitas. Perfeitas para nossos pequenos. Nossos medos, nossos erros, nossa impaciência fazem parte dessa perfeição. Como curto ser Mãe!

  34. Ana Ribeiro

    Realmente ainda no consigo me perdoar por minha quase sempre falta de paciencia. E bem dificil lidar com isso, e numa fase nao muito confortavel da nossa vida, parece que esses perrengues se tornam mais frequentes.
    Hoje surtei, mas logo a dor no coraçao vem e o pedido de perdao tambem apos uns gritos que nao tinham necessidade.

  35. Fabiana Peixoto

    Nossa não ha nada melhor que ser mãe. Tive varias emoções na minha vida mas a de dar a luz sem duvida foi a mais linda…Sou mãe da Isabella e pra mim ela é tudo. Amo e protejo. Quero poder curtir cada momento de vida dela enquanto puder, meu sofrimento sera quando tiver que voltar ao trabalho…Esprero ser pra ela o que minha mãe é pra mim e peço a Deus que ela seja pra mim o que sou pra minha mãe… Não sou mãe perfeita mas sim uma mãe realissima.

  36. isabela

    Nossa, tudo que eu precisava ler nesse momento!!! Meu filho acabou de fazer um ano, mas desde os 11 meses, seu comportamento mudoy, não cpme direito, não dprme direito, grita o dia inteiro quando quer uma coisa… A treva!!!! Só que sei aparentemente são os dentes saindo, sei que ele morre de dor, Tadinho! Só que voltei aquela fase de não dormir direito, não comer, não me arrumar, enfom ele me demanda demais e a paciência muitas vezes falta. Me sinto a pior das mães… Amo.mei filho mais que tudo na vida, ele foi o meu melhor presente!!! Por isso mesmo me culpo por estar tão impaciente e tão cansada… Ler esse texto foi um bálsamo para minha alma, vc não faz idéia. Parabéns, que deis abençoe o Leo, e que o Cae venha cheio de saúde!

    1. Macetes de Mãe

      Olá, Isabela!Que bom que o texto lhe fez bem :)
      Obrigada pelo carinho!
      Bjs

  37. Ladjane Vitorio

    Sou mãe a 35 dias e já vejo que não tem isso de mãe perfeita. Já to até na neura de voltar a trabalhar e deixar minha princesa em casa. Devemos fazer nosso melhor sempre, nem sempre acertando mas, sempre aprendendo. Beijos mamães

  38. Ladjane Vitorio

    Sou mãe a 35 dias e já vejo que não tem isso de mãe perfeita. Já to até na neura de voltar a trabalhar e deixar minha princesa em casa. Devemos fazer nosso melhor sempre, nem sempre acertando mas, sempre aprendendo. Beijos mamães

  39. Esther Caroline

    Ótimo texto…. amei…. já fui assim, me enlouquecendo buscando uma perfeição padrão para amar, criar e educar meu filho. Hoje entendo e compreendo que sou um mãe real, que às vezes grita, que às vezes surta e que muitas vezes pensou em fugir… mas a cada dia que olho pro meu príncipe percebo que ele é a maior riqueza que Deus poderia me dar e que para ensiná-lo a ser um homem de bem só preciso confiar em Deus e seguir Seus Princípios… e no mais #ConfiarNoMeuJeito….. Ninguém é perfeito…. mas somos reais…. o caminho é o AMOR!!!!

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada pelo carinho Esther!
      Isso mesmo <3
      Bjss

  40. Mozarina

    Concordo plenamente!
    Não existe ser humano perfeito, consequentemente não existe mãe perfeita!
    Eu sempre acreditei nisso, prova disso é o amor incondicional e admiração que tenho pela minha mãe, que teve 5 filhos nunca leu blog algum ou qualquer livro sobre o assunto e para mim ela é a melhor mãe do mundo.
    Bjs

  41. Ju Beltrao

    Ai gente, chorei, chorei, pq nos cobramos muito. Especialmente eu, que não consegui amamentar meus dois tesouros, Davi com 2a10m e Daniel com 5 meses, por ter uma baixa produção de leite. Já li tantos artigos, mas esse me tocou muito, desde quando foi publicado, por ser tão palpável e real . Compartilhei com muitas amigas. Obrigada, mais uma vez ao macetesdemae.

  42. Melissa

    Não sei se eu erro…mas tento fazer o meu melhor dentro das minhas limitações como ser humano…meu filho tem 1 ano e meio e ainda não está andando…mas, eu tenho a mais absoluta certeza que ele é uma criança normal…super ágil, engatinha q nem um foguete, anda apoiado nos móveis e percebo q ele é super cauteloso em seus movimentos p não se machucar…ele não é impulsivo…mas, já estou até perdendo a vontade de ir a festinhas e encontros pois, todos ficam perguntando e me questionando : – Nossa, mas pq ele ainda não anda??
    Eu não forço, eu estou o deixando desenvolver naturalmente, não quero estressa – lo, a vida já é muito cheia de cobranças…ele não merece com 1 ano de vida já ficar sendo cobrado!!
    Uma coisa eu tenho certeza, eu só quero ser uma mãe perfeita em 1 aspecto dar todo o meu amor e carinho intensivamente e incondicionalmente…pq a mãe q não consegue isso não pode se considerar MÃE!!!!!

  43. Katia Maria Conti De Souza

    Estas informações são de extrema importância obrigada por tudo bjks

  44. Marla Gass

    Minha filha tem seis anos. Há uns três, me libertei do que chamei de culpa judaico cristã ocidental. Vivemos uma cultura do culpa, uma sociedade que cobra de nós, mães, absolutamente TUDO o que acontece com nossos filhos. E, na boa, não é assim.
    Além disso, assumi para mim mesma que eu vou errar, que eu vou me perder no tempo, na bronca, de vez em quando. Mas que isso não é um crime. Manter na minha filha a certeza de que ela é amada é minha preocupação número 1, ao lado da preocupação em ser feliz. Não há nada que um filho precise mais do que uma mãe feliz. Sim, eu #ConfioNoMeuJeito.

  45. Valcilene

    Parabens ao texto, sempre que consigo leio suas postagens … minha menina tem 1 ano e parei de trabalhar para cuidar dela, as vezessinto falta de trabalhar e sei que muitas pessoas me condenam por isso, falam ate que se nao podem deixar de trabalar que eu estou errada … mas cionfio no meu coração e sei que os beneficios que minha filha tem por eu estar em casa são maiores que o dinheiro que eu receberia. Esse texto me deixou mais tranquila. E uma boa hora pra vc … bjo!

  46. Patty

    A maternidade me ensinou a não julgar! Não olho mais uma mãe pensando se estão certas ou não suas atitudes..
    Nunca me senti culpada, mas realmente já estou cansada de ouvir radicais crucificando a escolha dos outros.
    Amamentação, escolha do parto, ter ou não ter baba, etc.
    Até tipo de fralda (pano ou descartável) virou polêmica!
    Serei a melhor mãe que eu conseguir ser. Se errar, foi tentando acertar…

  47. Kelly

    Adorei o post, o MATEUS completa esta semana 7 meses, ele mudou radicalmente minha vida, nunca imaginei que seria uma leoa, mas enfim a maternidade nos molda e realça os sentimentos mais profundos… Eu larguei tudo pelo meu filho, um emprego de quase 15 anos para ficar do seu lado e vivenciar todas as fases do MATEUS, e nunca estive tão feliz…. Ser mãe é tudo pra mim #confionomeujeito

  48. Marília

    Tenho 29 anos, o Arthur tem 1 ano e 3 meses, vivo em meio a muitos conflitos, medos, duvidas, erros e um amor infinito no peito.
    Ele veio para me ensinar que apesar de muita dor, existe esperança, existe uma vida que merece minha luta…
    Sou profissional, estudante, esposa, dona de cada e mãe! Mãe real!
    Adoro o blog… Boa sorte e saúde para você e sua familia…

  49. Ana Paula

    Amiga… Adorei o texto! É exatamente isso… Fiquei feliz em saber que me citou no texto! Há cada dia aprendemos mais! Cada filho é único, sempre teremos dúvidas, ficamos mais experientes mas nunca saberemos tudo! Bjs e que venha o Caê!!!

  50. Shirley

    Bom Dia, estou perdidinha, pois minha filha fez 1 ano agora em janeiro, e queria muito ter um cardápio pra ela, você poderia me ajudar? Desde café da manha até a janta, e detalhe ela toma Leite Ninho.

    1. Shirley Hilgert

      Shirley, o ideal é o pediatra passar essa informação para você. bjs

  51. Tina

    WSou uma mae solteira de uma menina linda de quase tres anos.
    Ontem mesmo chorei para minnha mae, pois voltei a estudar, trabalhar para sustentar e de quebra, seu pai decidiu ser “pai” agora… ou seja, ainda com pouco tempo tenho que dividi-la com quem nunca participo de nada de sua vida… mas, ontem especificamente abracei minha maee desabafei, pois no fundo me culpo por tudo, pelo pai irresponsavel, pelavida perfeita “papai, mamae, gato, cachorro e papagaio” que eu nao pude fornecer no momento e o final da conversa com ela disse que daria tudo para que Deus me amparece. Hoje quando cheguei no trabalho, pela manha, sem procurar… leioe me deparo com esse post lindo, maravilhoso…. chorei na hora que terminei de ler, pois tive certeza que era Deus falando comigo….
    Era isso que eu precisava escutar…
    Eu sou uma otima mae, e dou todo o possivel e o impossivel para ver um sorriso no rosto demi nha filha…proteçao, paciencia, amor, carinho, mesmo depois de matar um leao por dia…
    Eu nao sei quem realmente escreveu esse post… mad, saiba que me ajudou de maneira tao significativa que vpu abençoar todos os dias… obrigado pelas palavras que me confortaram quando meu coraçao se apertou…
    Obrigado de coraçao maezinha, pelas palavras postadas…
    Um grande abraço, dessa mae que te admirou em cada palavra

    1. Macetes de Mãe

      Olá Tina!
      Emocionante saber que o texto te ajudou, fico muito feliz!
      Fique bem :)
      Bjss

  52. Pamela

    Não, não existe mãe perfeita exatamente porque não existem pessoas perfeitas. Você colocou muito bem! É preciso estar aberta pros medos, pros desafios, pra imperfeição e principalmente: conectar. Deixar fluir aqueles sentimentos e insights que surgem em nossa caminhada. Do resto, a gente encontra uma rede de apoio que nos motive, que nos acolha, e nos informamos sobre como sermos pessoas melhores sempre: mães, pais, profissionais, pessoas… :D Adoro essa descoberta contínua de si mesmo!

  53. Flavia Matias

    Olá a todos.
    Hoje tenho um menininho de quase 7 anos e confesso que sofri demais nos primeiros anos. Sempre trabalhei fora e achava que nunca compensaria essa minha ausência. Hoje sei que isso não atrapalhou em nada nossa relação e sei que ele compreende isso. Meu filho é super companheiro e sabe que todo sacrifício que enfrentamos será para um bom futuro pra ele.

  54. Bianca

    Olá,

    Tenho o Michel de 1 ano e 5 meses e a Nalu de 3 meses. Na gravidez da minha caçila, sempre fiz planos, que conseguiuri dormir, cuidar da casa, de mim, mais nao foi bem assim. São gênios completamente diferentes, horários e formas de dormir típco de cada um, e eu nessa história não como, não durmo, nao me arrumo. Mais nem por isso deixo eles de lado. Estou ali todo momento, cuidando, e pricipalmente amando.
    Decidi ter filhos pra poder estar presente, e esse papepl executo muito bem.

  55. Sofia Freitas

    Olá! Acompanho vc desde Q engravidei… É esse texto cabe no meu caso como uma luva… Após vários diagnósticos de infertilidade, pude, meio Q sem esperar, conceber meu milagre!!! E, diante de uma gravidez de alto risco, começaram cedo as frustrações. Sangramento constantes, incerteza. Colo do útero aberto com 22 semanas de gestação. Decúbito completo. E, apesar de passar os dias sem me levantar da cama p assegurar a vida do meu bb, com 28 semanas ele nasceu… Prematuro extremo. Dois meses de UTI. Como não sentir culpa por isso tudo??? Como não senti-me frustrada por não ser capaz de levar a gravidez até 40 semanas??? Depois, graças a Deus, a alta do meu príncipe… Mais culpa, mais frustração por não conseguir amamenta-li como sempre sonhei… Bem, meu pequeno grande homem completou um ano de vida!!! E hj sou uma mãe mais trabquila, q tenta diariamente aceitar com leveza Q eu não sou super, e Q há coisas Q apenas não podemos mudar. E tento ser a melhor mãe do mundo do meu jeito! Do nosso jeito! Hj Vitor e completamente saudável é perfeito, então eu devo ter feito alguma coisa certo né??? Beijos!!!!

Deixe seu comentário