Dicas para organizar as visitas a um recém-nascido

Estou naquela fase de receber várias visitas em casa, para conhecerem o Caê. E aí me deu a ideia de escrever esse post, com dicas para organizar as visitas ao recém-nascido.

Bom, para começar, acho importante dizer que eu vejo essa “organização” da visitas dividida em 3 fases: aquela antes do bebê chegar, quando se decide junto com o companheiro como vocês vão querer fazer, aquela que diz respeito às visitas da maternidade e, por fim, aquela que diz respeito às visitas que a gente recebe em casa.

Photo Credit: Emery Co Photo via Compfight cc

Photo Credit: Emery Co Photo via Compfight cc

Na fase anterior à chegada do bebê:

Sugiro você conversar com o seu companheiro e discutir com ele o que vocês dois acham melhor com relação às visitas: se é receber na maternidade, se é receber em casa, se é receber nos dois, se é receber só depois de um mês em casa.

E as minhas sugestões aqui são:

Receba suas visitas na maternidade. Lá você contará com a ajuda de vários profissionais e tudo será mais fácil (até porque o bebê ainda dorme muuuiiito). Além disso, se precisar que alguma visita que já está por lá há muito tempo vá embora, delicadamente uma enfermeira pode pedir que as visitas deixem o local com alguma desculpa como dar banho no bebê ou algo assim. É só combinar antes com elas.

Quanto às visitas em casa, sugiro que se libere a visita para os mais íntimos, aos finais de semana, que você conta com a ajuda do marido, e que a visita dos demais fique somente para depois que o bebê completou 1 mês.

Outra dica que eu acho legal é você definir uma pessoa que irá avisar a família sobre a sua decisão quanto às visitas. Ou seja, se vocês decidiram que irão aceitar visitas da família na maternidade e depois, dos parentes mais distantes, apenas após 30 dias, essa pessoa poderá passar o recado. Essa pessoa pode ser sua mãe, sua irmã, uma prima… enfim, alguém que você tenha intimidade para pedir que assuma esse papel (ou pode ser você mesma).

Já se você é tranquila e não se importa com as visitas, é só deixar rolar, sem regras e sem avisos. Mas aqui também um alerta: se é seu primeiro filho, você pode achar que as coisas serão tranquilas, que você tirará de letra e liberar um caminhão de gente para ir visitá-la. Só que a gente nunca sabe como serão as coisas, então, cuidado. É melhor restringir antes e liberar depois se tudo correr bem.

Na maternidade:

Aqui a própria maternidade estipula os horários de visitas, mas você também pode restringi-los um pouquinho mais, se quiser descansar, se dedicar ao bebê, etc…

Os primeiros dias com um bebê são muito delicados. Vocês ainda estão se conhecendo, o bebê não sabe mamar, provavelmente seu leite ainda não terá descido (lembre-se, pode levar de 3 a 4 dias para descer) então vocês precisarão de alguns momentos de calma e intimidade, para tudo fluir bem e naturalmente. Se for o caso, reserve a manhã para isso. Diga que prefere não receber visitas nesse período e libere-as somente à tarde.

E depois que as visitas chegarem na maternidade, use e abuse das enfermeiras se você precisar de momentos de paz e tranquilidade e peça para elas, delicadamente, darem uma desculpa e pedirem para as visitas encerrarem o passeio já que o bebê terá que fazer isso ou aquilo (como eu disse acima, é comum isso acontecer).

Em casa:

Em casa, na minha opinião, as coisas ficam mais complicadas, porque nem sempre se tem ajuda, o marido já voltou a trabalhar e, em outros vários casos, ainda há um filho mais velho para se dar conta. Ou seja, sugiro, nesse caso, restringir as visitas em casa, nos primeiros 30 dias, somente para as pessoas mais próximas. E outro detalhe muito importante: estipule dias e horários para as visitas. Minha sugestão: finais de semana, das 14 às 16h. Se você falar esse horário, pode ter certeza que terá visitas até 18 ou 19h. E se não estipular horário nenhum, poderá ter visitas até tarde da noite (principalmente daqueles que nunca viveram essa experiência) e isso não é bacana, porque no fim do dia a criança está bem mais irritada e com o movimento da casa tudo tende a piorar (lembre-se que essa é a hora das fatídicas cólicas).

E outra dica útil: use e abuse das redes sociais e grupos para dar o seu recado. Você pode, já no aviso de nascimento do bebê, dado via Facebook, e-mail, Whatsapp, etc…, avisar que as visitas estão liberadas nos dias tal e tal, hora tal e tal. E se o papai puder assumir essa responsabilidade, melhor ainda, pois muita gente vai responder com felicitações, perguntas, etc… e aí ele pode retornar, já que você estará bem mais ocupada.

Tenho certeza que receberei centenas de críticas a esse post. Já sei disso. Mas quer saber? Não estou nem aí. Não estou aqui dizendo que as pessoas precisam fazer dessa forma. Se alguém quer receber visitas sem nenhum tipo de restrição, ótimo. Fico feliz por essa pessoa. Tenho certeza que ela está bem, segura, preparada, e que um amontoado de visitas falando, questionando e palpitando não fará a mínima diferença na vida dela. Mas nem todas as mães e bebês são iguais e, a grande parte deles precisa sim do seu tempo, do seu momento de intimidade e conexão, e com muita gente junto isso não é possível.

O que mais me preocupa nas visitas desenfreadas é o quanto isso pode atrapalhar a amamentação. Isso mesmo! Pode atrapalhar sim. No início, o bebê não sabe mamar, o leite não jorra do peito e a mãe está insegura. E para uma pergunta mal feita, um comentário exagerado atrapalhar as coisas, será pá pum. Sei que nada pior que um bebê chorando e alguém falando coisas como: ele está com fome. Isso acaba com a auto estima da mãe e prejudica e muito a amamentação.

 

 

31 comentários

  1. Vanessa

    Se alguém criticar, será porque nunca passou por isso! Concordo com cada vírgula que você escreveu! Estou na mesma fase que vc, meu bebê está com 2 meses (completados hoje, inclusive), e meu mais velho com 2 anos e 5 meses. Na primeira vez, logo no primeiro dia na maternidade, vi que essa parte das visitas não seria fácil, pois muitas pessoas não tem o mínimo de bom senso, por mais que não seja por mal. Dei a luz às nove da manhã, não tinha dormido nada na noite anterior e lembro que recebi a visita de uns parentes distantes do meu marido às oito e pouco da noite… 5 pessoas que eu não fazia ideia de quem eram, falando muito alto no meu quarto, pegando o bebê no colo e por aí vai! É exatamente isso que vc falou, eu tentando amamentar, tentando jantar, tentando descansar… E eles não se tocavam! Minha mãe que chamou a enfermei discretamente e ela arranjou uma desculpa qualquer para todos saírem. Aquilo me traumatizou de um modo, que dessa vez agora avisei meu marido que só queria receber visitas de pessoas próximas e que o “restante”, após um mês, até a gente se adaptar. Foi tudo muito mais tranquilo!

    1. Fer

      Quando minha filha nascer meu filho mais velho terá 2 anos e 5 meses. Optei por questões pessoas fazer cesariana, e confesso estar um pouco preocupada com essa questão de visitas, principalmente por não contar com a ajuda de ninguém além do meu marido quando a bb chegar!

  2. Clariane Carneiro

    Bom dia!

    Concordo plenamente! Quando as pessoas vão entender que o nascimento não é fácil para o bebê, e estar em casa, em paz, sem uma multidão de blá, blá, blá, só irá ajudá-lo a ficar calmo e tranquilo, a mãe ganha privacidade, e as visitas podem esperar! isso não é um circo gente!!!

    Grande beijo, adoro suas dicas!!!

  3. Bete

    Ótimas dicas! Adorei… Eu particularmente sofri muito com visitas, e como foi meu primeiro filho não tinha experiência, mesmo pedindo licença p amamentar as pessoas ficavam em cima p ver como eu ia fazer, como o bebê ia mamar, p especular nossa foi um tormento! Mas graças a Deus essa fase passou, e com certeza no próximo será tudo diferente!
    Bjos e obrigada pelas dicas!!

  4. Dalva

    Não estou grávida ainda mas já decidi que visitas em casa só depois de um mês e olhe lá. Fico pensando que estar trocar a camisola/roupa de ficar em casa, estar descabelada, com sono, com a casa provavelmente bagunçada e ainda ter que ficar fazendo sala pra visita é demais pra minha cabeça… hahahaha E também acho que visita na maternidade é só para quando você é bem íntimo da pessoa. Me dá nos nervos só de pensar em 50 pessoas entrando e saindo o tempo inteiro, eu ali exausta e tendo q ser simpática (qnd vc é íntimo vc pede pra sair e todo mundo entende). Fica parecendo que sou antissocial (e devo ser mesmo rsrsrs) mas acho que é um momento mto íntimo e, cá entre nós, as pessoas terão a vida inteira para conhecer a criança. Uma coisa que já cogitei tb foi fazer o tal “chá de apresentação” aos três meses. Acho que é legal para minimizar a qtde de visitas e diminuir a possível chateação alheia com as restrições. :)

  5. bianca

    Eu fiz desse jeito. Fui mt criticada, chamada de fresca e rd mais. Mas nao me arrependo! Meu pós parto foi tranquilo e curti demais meus filhos… Sem estresse.

  6. miriam

    Concordo com essas dicas. Sou mamãe de primeira viagem e tive o exemplo da minha irmã mais velha o qto ela teve cólicas e dor com aquele amontoado de gente no quarto em volta do bebê. .. ai tadinha foi uma confusão só! Até depois disso visito minhas amigas só em casa msm e combino antes pq realmente a rotina com um novo bb não é facil. Vou tentar me organizar assim tb. Obrigada!

  7. Verônica

    Concordo com as dicas, e ainda coloco minha experiência, pois minha filha nasceu prematura, não quis visitas na maternidade, pois minha filha ficou internada na UTI Neonatal e minha estadia na maternidade, foi um tanto confusa, me dividi entre as idas à UTI e ao lactário extrair o leite, fora que meu clima não era de receber visitas. Quando minha filha teve alta, restringimos as primeiras visitas aos mais intimos e só liberamos os amigos e parentes mais distantes após os três meses, pois os cuidados com um recém-nascido prematuro são bem mais restritos, principalmente pela questão das vacinas e do baixo peso, que pode influenciar na imunidade. Me senti muito bem e recebi o apoio e carinho de todos pelos meios eletrônicos, fui feliz assim!!

  8. Mônica ZC

    Totalmente apoiada. No meu primeiro filho sofri com visitas que ficavam a tarde toda na minha casa. Agora no segundo, com mais experiência, as coisas serão diferentes. ;)

  9. Antônia

    Amei as dicas! Se tivesse lido algo parecido quando esperava minha primeira filha!! Mas minha irmã está grávida e já encaminhei para ela o linck deste post. Beijinhos

  10. Luciana

    Concorco com as restrições. Afinal o mais importante é a saúde e bem estar do bb e da mae.
    Uma questão interessante é a visita de outras crianças pequenas. Os pediatras não recomendam contato com crianças pequenas nos primeiros meses. E os amigos com crianças pequenas não entendem muito isso.
    Uma regra q tb criei é uma visita por dia (uma familia). Pq ao contrário A casa fica cheia e o bb muito agitado.

  11. julia

    Vc está certíssima! As pessoas não tem um pingo de noção, acham q é festa, q a gente tem q ficar aturando visitinha, conversinha fiada, palpites, etc. Já deixei avisado q no próximo bebê, visitas só depois de 40 dias. E se acharem ruim, azar, é um a menos pra encher o saco!!!!

  12. Ana Paula

    Sabe que vi uma solução para as visitas em casa e pretendo fazer? Marcar um almoço na casa da vovó (ou alguém próximo) depois de 30 dias para todos aqueles que manifestaram o desejo de visitar em casa. Um almoço de apresentação mesmo. Vc recebe todo mundo de uma vez e assim as visitas em casa podem diminuir consideravelmente…rs.

  13. Suelem

    Eu tentei fazer isso com o meu primeiro filho. Pedi para todos os familiares ir na maternidade, pois em casa no primeiro mês não gostaria de receber visitas. A conclusão é que quase não recebi visitas na maternidade e minha casa ficou a casa da maria Joana cada um chegando no horário que bem queria e ficava o tanto de horas que gostaria. E no final se eu falava alguma coisa eu era muito metida rs. Fala sério.
    Vamos ver nesse próximo filho como vão ser as coisas

  14. Beatriz

    Comigo foi relativamente bem tranquilo, com parentes proximos indo à maternidade, mas tinha uma razão maior…. minha pequena nasceu justamente na véspera do Natal, então o pessoal tá mais preocupado em arrumar a própria casa pra festa. As visitas em casa também foram tranquilas, quer dizer…. teve um pessoal que chegou aqui às dez da noite… SIM! Mas ela tava terminando de mamar, mostrei rapidinho e a levei pro quarto pra dormir.

  15. Germana

    Ótimas dicas!! Infelizmente passei muito tumulto com as visitas para minha filha… muita gente não tem noção do que eh ter um recém nascido em casa! Acrescento ainda como dica, um chá de apresentação… Com hora marcada e tudo! Fazendo assim, pode-se reunir um bom grupo de pessoas e se evita o pinga pinga de vistas!

  16. Eva

    ah shirley, dificilmente consigo postar aqui, na metade do post a pagina recarrega sozinha e eu perco tudo :( Resumindo o que eu ia dizer, Adorei suas dicas. Se eu as tivesse visto qd solteira teria poupado muitas amigas de visitas inconvenientes.
    Bj
    adoro seu blog

  17. liliane

    Shirley, concordo com todas as suas dicas porém na prática isso não funciona muito bem e não é só na minha família. Por experiencia própria eu não estipule visitas nem na maternidade e bem em casa. Mas preciso dizer (por se tratar de mae de primeira viagem) que cada um me ajudou muito com dicas e conselhos. Porém, eu acho certo seguir o wue você está falando mas infelizmente vivemos numa sociedade que qualquer coisinha buraco motivo. Ninguém vai entender que você está sendo prudente está sim uma chata e egoísta. Você pode não concordar, mas a maioria das pessoas pensa assim.

  18. Gabriella Vinha

    Ótimas dicas sim, pena que não li este post na época que Sofia nasceu. Visitas é sempre bom, mas algumas realmente perdem a noção.
    Vai um bando pra sua casa, fala alto, ri alto e ficam até a hora q querem, ou seja, bem tarde. Eu tive visita todos os dias, durante um mês inteiro e a maioria a noite! Simplesmente não falava nada pra não magoar por ser familiares… Estava cansada, com dores por ter tido uma cesarea…
    E realmente frusta muito quando vc ouve: “essa neném está com fome, da complemento… Ela está perdendo peso!” Eu tinha leite, sempre muito, ela mamava bem, mas queria sempre mais… ouvi muito que meu leite era fraco, que nao sustentava… Amamentar foi se tornando aversivo demais, principalmente com algumas pessoas perto de mim.
    Resultado fui “obrigada” a dar fórmula e então Sofia não queria pegar mais meu peito… E nessas horas que falavam mesmo que meu leite estava secando, e não estava. Eu chorava muito ao ver o leite pingando e ela n pegando o meu peito.
    Bem… Foi um desabafo… Desculpe o texto enorme… Mas seu post é perfeito e muito útil! Pq é muito difícil ser mãe de primeira viagem e não saber como agir em várias situações…

  19. Leo

    Eu deixei bem claro visita so depois de um mes, no primeiro mes so meus pais e meus sogros mesmo assim com horários e visitas rápidas.

  20. Júlia

    Quem não tem filho pode não ter noção do cansaço e sensibilidade que atinge a recém-mãe, por isso colocar as regras bem claras ajuda a ninguém sair chateado da história. Super concordo com suas dicas e acho que cada um tem a liberdade de ser mais ou menos “aberto” às visitas. A vida é sua, certo?! bj

  21. Bruna

    Apesarde ser mãe de primeira viagem, estipulei horários para as visitas e se eu tivesse muito cansada, desmarcava na boa. A rotina com o bebê é intensa. E o pequeno precisa de paz.

  22. Lis

    Já estou no meu terceiro filho(Miguel tem14dias) e sempre sofro com as visitas. Teve dia q tinham 7 pessoas ao mesmo tempo aqui em casa, dia em q os amigos vem com os filhos doentes( dizendo q é alergia e não gripe), gente q vem na hora da janta com fome e agente por educação oferece e as pessoas jantam e demoram quase duas horas p irem p casa. Ufa! Esse período está sendo bem difícil até pq meu peito feriu e ainda tenho q fazer sala

  23. Claudia Rezende

    Shirlei, apoio totalmente mesmo sem ter filhos ainda. Nessa fase vale o bom senso e muita gente não tem, às vezes a família inteira não tem. E mais do que tudo isso, não é bom para o recém nascido ficar em contato com tanta gente “estranha” ao mesmo tempo, não está vacinado enfim obrigada por compartilhar e este site é seu e o não to nem aí é bem vindo

  24. Claudia Rezende

    Shirlei, apoio totalmente mesmo sem ter filhos ainda. Nessa fase vale o bom senso e muita gente não tem, às vezes a família inteira não tem. E mais do que tudo isso, não é bom para o recém nascido ficar em contato com tanta gente “estranha” ao mesmo tempo, não está vacinado enfim obrigada por compartilhar e este site é seu e o não to nem aí é bem vindo

  25. Evelyn Camargos

    Olá, amei suas dicas, sou um pouco chata, é meu primeiro filho, e queria uma dica para aquelas visitas “vizinhos” que não sai da nossa casa nem pedindo, tenho vizinhos assim e sei que quando meu bebê nascer vai ser pior, porque eles não vão sair daqui, vão dar palpite em tudo, conversei sobre restrições em casa ela disse que se eu não quiser visitas vou ter que me mudar de casa… realmente não sei bem o que fazer.

  26. Samaya Amaral

    Quando tive minha filha recebi a visita de uma tia que chegou gritando em casa e a bebê tinha acabado de dormir, então pedi que ela falasse mais baixo. Não é que a mulher ficou uma arara e não fala comigo até hoje! Minha filha está com quatro anos… É cada uma que a gente passa que não dá pra acreditar.

  27. Ana Luiza

    Muito bom texto! Esse é um assunto que muito nos preocupa, pois queremos proteger o bebe e fazer com que tudo dê certo! Ao mesmo tempo, não queremos magoar as pessoas. Meu marido tem lido tbm para se preparar para essa nova aventura! Já estamos combinando como faremos e ele já começou a dar o recado! rsrsrs Obrigada!

  28. Renata Paim

    Concordo plenamente com cada palavra do post! Ainda não sou mãe, mais todos estão bem avisados quanto as visitas, é um momento muito delicado no qual todos estão se acostumando com uma nova rotina na casa e infelizmente algumas pessoas não tem nem um pouco de educação quanto a isto!

  29. Vanessa

    Olá!!!
    Eu simplesmente amei seu post!!!!!
    Tenho uma menina de quase 8 anos e agr um bebê que fará 1 mês amanhã.. Eu era super desencanada com visitas, com minha filha não tive problemas, recebi muitas desde o dia que cheguei da maternidade.. Já agora com meu filho, no início foi assim, até que com 10 dias, meu filho foi internado com Bronquiolite!! E o pior foi saber que isso é um vírus, o virus da gripe de algum adulto, ou seja, visitas!!!
    Super inconveniente, a pessoa sabe que está gripada, e vai visitar um recém nascido.. Não adianta não pegar, o virus fica no ar, e o pior é você ver a pessoa gripada, e nao poder dizer, ‘Ei, nao podia ter adiado a visita??’ Agora estamos em casa, depois de 14 dias internado.. E as visitas?? Até os médicos suspenderam!!
    E eu, ainda sou chamada de fresca por alguns…
    Sou mesmo, e para o bem do meu filho, posso ser pior!! Defendo como uma leoa.. Quem quiser falar, que fale!!
    Concordo com vc em tudo que escreveu!!

  30. Andrea

    Ótimas dicas. Queria uma ajuda quanto a viajar com o bebe novo para a casa dos avós que moram longe. Aqui em casa já tenho uma rotina porém preciso de uma ajuda para colocar em prática a rotina na casa dos avós que será muito complicado pois não sei como continuar essa rotina com tanta gente querendo pegar e brincar com meu bebe. Se alguém já passou por isso e puder ajudar… obrigada ;)

Deixe seu comentário