Exames importantes e necessários durante a gestação

Quando estamos grávidas, a gente praticamente faz exames todos os meses. Começamos com o exame de sangue para identificar a gravidez, e depois não paramos mais: é ultrassonografia, exame de urina, exame de curva glicêmica, exame para identificar a bactéria streptococcus e por aí vai.

Mas quais são exatamente os exames que temos que realizar ao longo dos 9 meses, para que eles servem, por que eles são importantes, em que períodos o obstetra deve solicitá-los?

Exames que voce deve fazer durante a gestacao (2)

Photo Credit: stuandgravy via Compfight cc

Fique por dentro de tudo que é obrigatório lendo esse post. Vai servir para você garantir a sua saúde e do seu bebê.

No primeiro trimestre:

  • Ultrassom Transvaginal:assim que deu positivo, é hora de fazer este exame para confirmar a gravidez, quantos embriões são e se está tudo bem. É como o ultrassom transvaginal que se faz nas consultas ginecológicas de rotina.
  • Hemograma total:para checar se há algo que possa prejudicar o bebê, como infecções ou anemia, e seus tratamentos possíveis.
  • Tipagem sanguínea:confirma o seu tipo sanguíneo e o fator Rh. Quando a mãe é Rh negativo e o pai Rh positivo, o filho poderá ter Rh positivo e ser incompatível com a mãe. Na primeira gravidez isso não é problema, mas depois o organismo da mãe cria uma espécie de registro que faz o Rh positivo um inimigo. Em uma nova gravidez, se o bebê for Rh positivo de novo, isso fará o seu corpo produzir anticorpos que podem causar problemas como anemia e deficiência mental. Nesses casos, a mãe deverá receber uma espécie de vacina na 28ª semana e nas primeiras 72 horas depois do parto. A partir da segunda gravidez, você deve fazer o exame Coombs Indireto, que detecta a presença dos anticorpos.
  • Sorologia para Rubéola e Toxoplasmose:você é imune se já tiver tido essas doenças ou tiver tomado vacina, senão, precisa evitá-las (com vacina e outros cuidados). Essas doenças podem prejudicar seriamente o desenvolvimento do bebê e até levar a morte.
  • Sorologia para Citomegalovírus e para Sífilis:as duas doenças podem ser transmitidas para o bebê e prejudicar seu desenvolvimento. Há tratamentos possíveis na gravidez caso o resultado dê positivo.
  • Sorologia para Hepatite B C e HIV:as doenças também prejudicam o bebê e, sabendo essa sorologia, o bebê e a mãe recebem cuidados especiais para evitar que haja transmissão para o bebê.
  • Tolerância à Glicose:para detectar o diabetes, que pode prejudicar o desenvolvimento do bebê e o organismo da grávida quando não controlado. O exame é repetido por volta da 24ª semana ou se houver suspeitas.
  • Urina 1 e Urocultura: detectam infecções que podem causar problemas na gestação e até partos prematuros.
  • Papanicolau: serve para detectar câncer no colo do útero e outras infecções.
  • Ultrassom Morfológico do 1º Trimestre:feito entre a 11ª e 14ª semana, avalia o desenvolvimento do bebê e possíveis malformações. É nesse momento que é feita a translucência nucal, que mede uma prega localizada na nuca do feto. É assim que se identifica o risco do bebê ter Síndrome de Down.

No segundo trimestre

  • Ultrassom Morfológico do 2º Trimestre: o ideal é fazer na 22a semana, mas pode ser entre a 20ª e 24ª para ver se há problemas físicos, cardíacos e renais que têm mais chance de serem tratados quando descobertos precocemente

No terceiro trimestre

  • Ultrassom Obstétrico do 3º Trimestre: entre a 34ª e 36ª semana é feito o último ultrassom obrigatório que avalia o desenvolvimento do bebê, a quantidade de líquido amniótico e a maturidade da placenta, que quando não estão nos padrões adequados podem adiantar o parto.
  • Cardiotocografia – no comecinho do trabalho de parto este exame é feito para detectar a vitalidade dos batimentos cardíacos do bebê, a sua movimentação e as contrações uterinas. É similar ao ultrassom comum.
  • Exame de Streptococcus B ou exame do cotonete: é feito para identificar a existência da bactéria Streptococcus B na vagina da mãe. Sua presença durante o parto, quando este é normal, pode trazer prejuízos sérios para o bebê, ocasionando até a morte, por isso a importância da realização desse exame no fim da gravidez. Esse exame é realizado entre as semanas 35 e 38 e mais detalhes sobre ele você pode obter nesse post aqui.

3 comentários

  1. Cláudia

    Senti falta do exame de HTLV, que também é importante, pois é transmitida ao bebê através da amamentação. ;)

  2. Viviane

    Parabéns pelo texto, estou na décima segunda semana de gestação e o post foi muito útil!! Obrigada!!

  3. Cassia

    Ola, fiz o ultrasson transvaginal porém não foi possível ver o embrião apenas o saco gestacional, pela data da última menst. estou de 5 semanas, a médica disse que é normal e que deve estar bem no comecinho, o bom seria fazer com 7 semanas, vou refazer, mas fiquei muito ansiosa, achei que já ia ouvir meu bebê! Isso é comum?

Deixe seu comentário