A criação de filhos e o excesso de mimimi

Ando pensando muito ultimamente sobre uma coisa: como estamos vivendo uma fase cheia de mimimi em se tratando de criação de filhos. É um tal de isso não pode, aquilo faz mal, tal coisa é proibida, se fizer cria trauma, se não fizer também e por aí vai.

Parece que de todos os lados vem cobrança, por acertarmos sempre, não deixarmos nada de lado, não esquecermos nem um mínimo detalhe da tal maternidade perfeita, que anda se criando por aí.

maternidade imperfeita

Photo Credit: matheuslotero via Compfight cc

Sim, se prestarmos bem atenção, vamos perceber que, em se tratando de maternidade e criação de filhos, alguns comportamentos e padrões passaram a ser exigidos ultimamente e quem não se enquadra neles passa a sofrer ferrenhas críticas.

Ou seja, não basta você se cuidar a gravidez todinha para ter uma gestação saudável, precisa parir de forma natural, sem anestesia e se possível através de um parto humanizado. Também não basta você amamentar até mais de 1 ano, quiçá 2, você também não pode nunca, jamais, em hipótese alguma dar uma papinha industrializada para seu filho.

E olha que quem vos fala isso é uma pessoa que teve um parto natural e nunca deu uma papinha industrializada, mas também é alguém que não cobra isso dos outros, que entende que cada mãe tem sua forma de maternar e entende quem opta por caminhos diferentes do dela.

Ou seja, o que mais vejo crescer por aí são mães prontas para exigirem de outras mães os seus próprios “padrões de qualidade” em maternidade. E se não os encontra, também prontas para apontar o dedo na cara e dar a entender que por tal fato elas são “menasmãe” ou “menasmain”, duas expressões que vulgarmente querem dizer mães menos qualificadas que as demais.

Gente, onde é que está escrito que há um modelo perfeito de maternidade e que quem não o cumpre é menos, ou “menas”? Onde está escrito que a mãe que fez uma cesárea vai ser uma mãe pior do que aquela que teve o filho de parto normal? Ou que aquela que amamentou só por 3 meses não é uma mão tão boa quanto aquela que deu o peito para o seu filho até 2 ou 3 anos?

Claro que aqui não quero dizer que a gente tem que sair por aí fazendo tudo de qualquer jeito, deixando de buscar o que é o melhor para nossos filhos (ou pelo menos o que nós julgamos se o melhor). Óbvio que não é isso. O que quero dizer é que se a gente escorregar de vez em quando em uma ou outra coisa, isso não matará nossos filhos e nem vai fazer da gente uma péssima mãe.

Pode ser que você não tenha tido seu filho de parto normal, mas a emoção e o amor quando ele veio ao mundo foram os mesmos de quem pariu da forma mais natural do mundo. Pode ser que você não amamentou por meses e meses, mas sempre ofereceu a mamadeira transbordando de amor e atenção. Pode ser que você não tenha condições de largar seu trabalho para viver ao lado do seu filho 24h por dia, mas, com certeza, os minutos que você está ao lado dele são os mais importantes do seu dia.

Gente, só quero dizer com esse post que cansei de tanto mimimi. Cansei de tanto “tem que ser assim, tem que fazer assado, se não você é menas”. Eu não sou menos coisa nenhuma. E nenhuma mãe é. Posso ter minhas falhas, vocês podem ter as suas, mas só estamos tentando dar e fazer o nosso melhor.

Quem muito aponta o dedo, quem muito “caga regra” (com o perdão da palavra) deveria ter mais empatia, que é a capacidade de se colocar no lugar do outro, vestir as suas sandálias, e aí sim perceber que cada história é uma história e nenhuma é melhor que a outra.

E para finalizar, o meu abraço apertado e o meu “tamojunto amiga” a todas as mães imperfeitas assim como eu.

56 comentários

  1. Marcela Oberziner

    Sabe leio alguns blogs sobre maternidade e o seu e o Mãe de Guri são os melhores. Vejo alguns outros com essa vida construída e idealizada! A gente sabe q não é verdade aquilo, tem algum que só faltam dizer que com meses o filho já está falando perfeitamente! Poxa eu acho que meu filho fala muito mal pra idade dele, mas a professora diz que não, diz até que o que tem melhor vocabulário na turma dele, e não fico jogando isso na cara de ninguém! Mas me deixa pra baixo saber que ele ainda usa fralda, chupeta, e o objeto de transição, que é um cobertor que já ta acabadinho. Ver outras mães com aquele olhar de juri de tribunal, como se tivesse sequestrado alguém! Pra mim ele SÓ tem 2 anos e 9 meses, e não JÁ tem. Eu já tentei tirar a fralda mas como estava no fim da gravidez e logo depois meu bebê nasceu foi difícil, não tenho ajuda, minha mae mora longe (em outro estado também) e por mais que minha sogranse esforce ela é mt ocupada. Mais amor por favor e menos julgamento, concordo com você e acho que o problema ta ficando pior pq quem nem filhos tem, nunca trabalhou de baba nem cuidou de irmãos ou sobrinhos, também ta querendo ensinar. UFA, que desabafo! E pra quem quer muito ensinar, só digo isso: Pedro usa fralda XG e Tiago usa P!

    1. Nathalia

      Ótimo desabafo! Ótimo texto. É exatamente o que sinto! Nossa já é tão difícil ser mãe, nós mesmas já nos contamos tanto para sermos perfeitas, ainda vem essa enxurrada de palpites nada construtivos que só nos deixam mais inseguras! Sou mãe de primeira viagem e como tenho sofrido com isso… Bjs!

  2. Elaine

    Parabéns amei o seu post ouço muito isso vc não pode fazer isso ou aquilo com a sua filha e ainda mais porque sou uma mãe super nova de só 17 anos aí já viu né

  3. Gisele

    Concordo plenamente com vc, Shirley. O que se idealiza em termos de maternidade e a prática, de fato, são dois planetas a anos luz de distância um do outro. Eu idealizei não dar chupeta e nem remédio pra combater a cólica, porém no dia a dia esses dois itens foram essenciais para a paz de espírito minha e do meu filho. Assim como seu Léo, ele teve APLV, não ganhava peso, tive que complementar com mamadeira e leite especial. Tempo depois meu leite secou, quando ele tinha 3 meses. Enfim, isso foi só o começo…até aqui, 3 anos de vida completos dia 12/05/12, me vi entre a cruz e a espada infinitas vezes e sei que será assim até o fim dos nossos dias como mãe e filho.

    O que deve ser levado em consideração sempre, muito além dos mimimis ou até da recomendação médica, é a INTUIÇÃO DA MÃE. Cada uma sabe o que é aplicável ou melhor pro seu filho e assim dá o melhor de si para o seu pleno desenvolvimento.

  4. Márcia

    “Tamojunto” Shirley!!! Bjs

  5. Samira

    Como sempre mais um texto ótimo. A verdade é que no dia a dia a coisa é bem diferente. Escuto várias mães dizendo: “nossa mais você faz isso, ou faz aquilo, ou NÃO faz tal coisa, que chega uma hora que cansa mesmo! Afinal na hora do vamos ver é você com você e acabou! Bjão

  6. Simone

    Ótimo texto! Tive parto cesárea, não tive leite pra amamentar, mas garanto que AMOOOOOO minha filha de paixão e dou minha vida por ela! Uma coisa não tem nada a ver com a outra e, sinceramente, tenho pena daqueles que não conseguem perceber que o amor de mãe é algo muito maior que as regras que querem nos impor! Enquanto o povo fica se preocupando com a vida alheia, eu encho de amor e beijos minha baixinha!

  7. Lauriana

    Acho que o índice de mimimi aumentou desde que mais casais decidiram não ter filhos… Mais mulheres decidiram não ser mães… Aí inventam um jeito de julgar, com muito preconceito. Eu já estive do outro lado: achava um absurdo uma pessoa querer ter filhos, se submeter a uma cirurgia cesariana ou passar horas a fio para parir um filho… Amamentar eu achava uma cena obscena, enfim… O mundo dá voltas, muitas… Muitas… Vaaariaaaassss… E eu me vi grávida, que enjôo não era frescura, que cesariana não e procedimento cosmético e que amamentar e dar amor. E que ser mãe não e uma colcha de veludo… Tem um ditado chinês que diz… O dedo que aponta dobra pra dentro. Cuidado com os julgamentos. Ser mãe e cuspir pra cima.

  8. Débora Amado

    “Tamojunto Amiga”

  9. Carine

    O que se fala acerca de maternagem, criação de filhos e etc não é baseado em opinião de senso comum, é ciência. Há um alto investimento para que se mantenha a pesquisa em prol do bem estar das pessoas. Se cada um vai fazer o quer, para que continuar investindo em universidades?
    Seus filhos não vão querer ter ensino superior, não é?
    Afinal de contas é tudo bobagem e o que mais importa é que cada um faça o que quer com o “seu” (entre aspas mesmo porque ele não é seu) filho, que tenha o direito de cometer todos os erros, aqueles que alguém estudou para provar que não era adequado.
    Uma coisa é não ser possível (parto normal, amamentar…), outra é optar por não fazer isso simplesmente porque é a sua opinião.
    Seu filho tem apendicite mas você não vai fazer a cirurgia porque a sua intuição manda dar um chazinho?
    -Ah, mas daí é diferente. ..
    Não, é igual!
    A ciência já provou que é uma infecção e que precisa de intervenção cirúrgica, assim como provou que amamentação é mais saudável para a criança!
    Simples assim!
    Não é mimimi, é pesquisa!
    Claro que no dia-a-dia é diferente, mas só não sabe o que fazer, não faça filho.
    Mas enfim…são os filhos de vocês…cada um deve saber o que está fazendo…

    1. Juliana

      Desculpa, mas nao concordo que levantar alguns assuntos seja “mimimi”.
      O aleitamento materno por exemplo, há alguns anos nao se dava tanta importancia, hoje se sabe atraves de ESTUDOS, ciencia que evoluiu que é necessario SIM e que faz diferença.

      A cesarea também. O problema que alguns atropelam quem pensa diferente. é ignorante e semeia as brigas e discussoes que nao levam a nada.

      Ninguem é perfeito. mas muitas vezes um mimimi é necessario.. porque maternidade é isso. é uma busca pelo melhor aos nossos filhos. nao é guerra de quem faz melhor.

      1. Ana

        Desculpa mas o que exatamente difere na saúde de um bb nascido de parto normal e um de césarea levando em conta que ambos não tiveram complicações e estão perfeitos? aff
        Olha a cagação aí.

    2. Angelica

      Concordo com vc! Todas essas informações que temos hoje em dia não existiam no passado! Por isso tantas mães de antigamente dizem “ah, mas no meu tempo não tinha nada disso” . Mas não existiam estudos acerca do assunto. Ou não eram tão acessíveis como são hoje na era digital. Então se temos a informação na mão, temos obrigação de fazer escolhas conscientes. Acho que a partir do momento que decidimos ser mães, estamos aceitando o desafio de criar nossos filhos da melhor maneira possível. Claro que ninguém é perfeito. Mas também não dá pra ser irresponsável por preguiça!

  10. Lúcia

    Adorei!

  11. Andressa

    Oi Shirley, como sempre adorei o que vc escreveu e concordo totalmente… infelizmente li um texto publicado no dadada sobre parto e fiquei triste demais, o seu texto veio como um consolo pelo terrível julgamento e negativismo da colega do outro blog…. Parabéns a você!!!!!

  12. Mariana

    Amei seu post! Vc simplesmente disse tudo…perfeito! Me senti muito mais humana é digna como mãe! Amo seu blog desde antes de ser mãe! Parabéns! Continue fazendo esse trabalho maravilhoso! Sucesso!

  13. Elem

    Ter filhos nos torna MÃES não seres humanos perfeitos.
    Ótimo texto! Parabéns.

  14. Aline

    Que bom saber que existem mais mães imperfeitas como eu mas que fazem o melhor que podem!!

    Tamojunta amiga!!!!

  15. Márcia

    Perfeito!!! Já ouvi muita coisa e já vi muita cara feia, e isso que minha filha tem apenas 3 meses!! Tive um parto humanizado, porém meu trabalho de parto foi desumano, mas não lembro das 11 horas com raiva, ou conto com pesar! Lembro e digo que foi lindo, ver aqueles olhinhos esbugalhados… minha pequena mamou apenas 20 dias por questões de saúde, e no meu desespero de mãe comprei complemento, sem indicação, sem aval, apenas meu marido e eu decidimos o que seria melhor, e foi a decisão correta! Depois disso ouvi muita coisa, de médicos, enfermeiras e conhecidos, me culpei, me senti um lixo de mãe, mas parei e pensei a mãe sou eu! Eu decido o que é melhor pra ela, até onde eu puder!

  16. paola

    Vc me representa.

  17. Flávia

    Noooooossa! Disse TUDO! Super concordo com vc! Já fiz tanto só pq tinha medo das críticas…Hoje em dia me arrependo sim e digo que o melhor o que faço é criar meu filho do jeito que eu quero! Depois que eu comecei a fazer isso tudo ficou bem mais natural e, ao mesmo tempo, o Teteu parece bem mais feliz, até!;)

    Beijos

  18. Patricia

    Nossa fiquei extremamente aliviada com o texto. Achei que era uma das poucas que pensa da mesma forma. Cada mãe é unica e perfeita em si independente de como age,do que defende ou acredita. O importante mesmo é fazer tudo com muito amor e não levar o que os outros falam e fazem como regra. Afinal cada bebê é diferente e o que vale pra um nem sempre cabe a outro.

  19. Mariana

    Oi Shi. Super concordo com tudo que você escreveu e digo mais: as mães que julgam quase sempre são mulheres inventadas. Ou seja, elas mesmas fingem perfeição e escondem suas escorregadas pra não “passar vergonha”.
    Eu não tenho vergonha de dizer que fiz duas cesáreas e amamentei somente até o final da licença maternidade. Não me dou com bombinha e fico extremamente cansada com trânsito pra ainda chegar em casa e fazer ordenha manual. Enfim… Não sou a mãe perfeita, mas sou a melhor mãe que posso para minhas Marias. Bj. Parabéns pro Leo.

  20. luana

    Oi como é bom ver os seus posts, Amoooo demais. Tento todo momento fazer o melhor para o meu filho, faço tudo de uma forma que seja talvez não a melhor mas a suficiente para vê-lo feliz.Não cabe a ninguém nos julgar por isso ou aquilo, cabe cada um entender a sua história e fazer dela uma história cheia de amor carinho e atenção. Obrigada de coração Beijos meu e do meu Kaio pra Você, Cae e Léo.

  21. LU

    Sinceramente não sei como sobrevivemos até hj, com nossas mães nos alimentando com o que tinha na época, usando mel na chupeta… E por aí vai… Nasci de cesarea e não fui amamentada, minha mãe não pode, éramos gêmeas!! Acho que nem 8 nem 80, mas não sabemos o que se passa dentro da casa de cada um pra julgar! Amamentei até os 9 meses e ela não quis mais, e eu não forcei pq já achava que tava bom pra ela e nunca pensei em amamentar até 2 anos! Larguei meu trabalho e cuido dela o dia todo, não me arrependi por 1 segundo, cansa? Sim, mas é o melhor que eu posso fazer pra ela e sinto pelas que não podem ficar em casa. É tanto “não pode isso, não aquilo, eu não fiz assim” … Seria tão mais fácil se cada um cuidasse do seu gramado e não o do vizinho…. Eu leio vários blogs e já até desisti de alguns pq cansei de ser tão imperfeita kkkk… Parabéns Shirley pelos filhos lindos, pelo blog e por tb ser imperfeita como nós, meras mortais!!!! Beijo Lu.

  22. Francisca

    E está assim com tudo! Depois de atormentarem as maes, esse povo “cagaregra” está infernizando as mulheres que usam tampax ou absorventes ou mesmo as que escolhem nao menstruar (como eu) pra usar o tal “copinho” de menstruacao. E coitada da mulher que diga que tem nojo ou que nao gosta do contato com o sangue menstrual!!! Estado Islâmico é um anjo perto dessas mulheres!!!! rssrs
    Falando sério: há um verdadeiro terrorismo hoje em dia, todo mundo se ofende por tudo e certos grupos mais radicais nao perdem tempo em julgar os demais. Minha mae pôde me amamentar só até os 3 meses, e temos uma relacao de amor super profunda. O que importa é o AMOR. Só isso!

  23. Marcia Evangelista Costa

    Muito boa a matéria, tive minha bebê de cesárea, não amamentei devido à cirurgia de mamoplastia redutora, por isso faço uso de mamadeira desde que nasceu, minha filha não pegou chupeta, nem objeto de transição, não é fã de colo e é muito independente (só tem 4 meses)…confesso as vezes que fico chateada quando ouço que a independência da minha filha é devido ao fato de eu não amamentar….mas como já dito nos post anterior….amo muito filhota, e apesar de todos os detalhes ela é o bem maior e o melhor de mim…

  24. Bianca Maya

    Amei o post! Sempre decido por coisas mais naturais e não industrializadas pro meu bebê e achava que nunca daria nada de diferente, mas na rua ,sem opções pois a programação não era demorar acabei cedendo e dando batatinha frita e suco de caixinha pq as outras opções eram impossíveis. Fiquei receosa mas deu td certo e nem por isso fico dizendo oq as outras mães devem fazer! Mas no momento em que fiz essa opção na rua ,diversas mães me olhavam jungando…e na boa me senti péssima, agora sei que é pior sofrer olhares do que meu filho sofrer com fome!… #mamãelivre #mamãecomdefeitos #amomeubebê

  25. Bruna

    Nossa Shirley, esse post disse tudo e veio bem d encontro ao qie tenha passado. Meu bebe tem 15 dias e eu nada d leite, aos 10 ele ja teve que começar com formula por nao ganhar peso, dormir, nada direito. Nao aguento mais algumas pessoas falando que meu filho vai ser doente por quase nao mamar no peito, como se tivessem bola d cristal! Eu quase nao mamei pelo mesmo motivo e sempre fui muito saudavel, eh uma coisa que machuca tanto a gente e as pessoas ainda fazem questao d falat que vc nao eh boa mae, como se a escolha fosse minha!

  26. Helen

    Nada além de perfeito!!! É isso aí!!!!

  27. Tatiana Cali

    Ameiiii !!!!
    Simples assim e pinto final!
    ?
    Bjs,
    Tati

  28. Tatiana Cali

    ?????
    Não da para editar o “pinto final”!
    Buaaaaaa! Rsrsrs.

    PONTO FINAL !!!

    Bem melhor assim! Rsrsrs.
    Bjs,
    Tati

  29. Aline

    Ufaaaaaa….
    Muito necessário!
    #tamojunto

  30. tiele

    É isso aí! Acho que mãe já tem muito trabalho pra ficar pitaqueando a vida de outra mãe!
    Eu sempre digo “cada um cuida da sua vida!”
    Bjos

  31. Thaís

    Santo desabafo!
    Obrigada Shirley por esclarecer e divulgar a realidade, o dia-a-dia, a verdade. Perfeito. Todas nós estamos tentando acertar, sempre. Nosso amor pelos nossos filhos é o ponto de partida. Obrigada por compartilhar com a gente suas verdades. Bjoss

  32. Carla Brazil

    Tanto junto Shirley!!
    Sabe o que me irrita também, é aquele papo de quantas atividades extras seus filhos fazem ?quando respondo uma, me olham com cara como se não fosse desse planeta…
    Parece uma competição … As crianças hoje em dia não tem tempo de brincar… Balé , judô, natação, música, circo, arte, robótica …
    Criança precisa brincar, assistir um desenho ou mesmo não fazer nada…
    Tenho um menino de 7 e uma menina de 4 , ela faz natação uma vez na semana e ele como já sabe nadar escolheu judô … O resto da semana brincam …
    Bjs!!!

    1. Ludmila

      é vdd é um tal de atividade extra a da escola minha filha tem 1 a 6 m e ainda nao vai pra escola mas eu quando era criança so fazia aula de musica e brincava brincava mto mto mto….ate escurecer ate cansar de tanto brincar mesmo…..e era mtooo bom…pq…pq nos relacionavamos com outras crianças aprendiamos a conviver em grupo…se vc queria brincar de algo mas a maioria de outro o jeito era aceirar e entrar na brincadeira pra nao ficar de fora……nao é caro brincar ne……e a criatividade?? niguem precisava escolher nossas brincadeiras nos mesmos escolhíamos e executava tudo……tinha brinca sim mas nunca nada violento……eu acho que criança tem que brincar….e brincar…uma aula na semana é mais que o suficiente……..

  33. Vanessa Beck

    Isso ai! Tamo junta!!! Adorei seu texto!

  34. Francine

    Tbm cansei disso td!! Tão bom ler seu desabafo… e me sentir desabafada tbm!! Rsrs
    Levo na vida que nada que é radical faz bem… e essa história de perfeição com maternidade não existe!!
    TAMOJUNTO com ctz!! ??

  35. Aline Cristina Silva

    Sensacional! Você verbalizou tudo o que eu venho sentindo ultimamente! Também estou cansada de ver mães ” perfeitinhas” querendo me dizer como tenho ou não que criar o meu filho…. E olha que ele ainda está na barriga….. Hehe não existe manual de instrução, nem regras em se tratando de maternidade/paternidade e filhos….. Existe o bom senso e sabedoria adequados para cada momento de vida de cada um!

  36. Juliana

    Alguns mimimis são necessários para alertar outras mães. Há publicidade demais em itens desnecessários. Há assuntos controversos sendo virilizados na internet.

    Felizmente há algumas que conseguem pensar. Outras choram, se sentem cobradas e acham que tudo é mimimi.

    Em alguns países a cesárea é vista como doença. Se uma gestante diz que quer cesárea é encaminhada a ala psiquiatrica para se tratar. Já o Brasil, país de terceiro mundo, onde as pessoas acreditam mais no willian bonner.. aí complica!

    Alguns assuntos não são cobranças, são ALERTAS de outras mães.

  37. Cristiane

    Acertou em cheio nas suas reflexões… Cada mãe é única e não existe vilã e mocinha na maternidade!
    Adoro o seu blog, você me serve de inspiração.
    Tenho um blog também que fala sobre universo materno. Vai lá conhecer… Vamos trocar figurinhas! Um beijo. Cris
    http://www.maemadura.com.br

  38. Roberta

    Nossa Shirley chorei. É tanta cobrança as vezes disfarçada, tanto palpite não solicitado, tanto julgamento por vezes velado que cansa… cansa mais que criar o filho de fato. Cheguei à conclusão que vou fazer o que é melhor pra nós, sem regra mas com cuidado, sem rigor mas com carinho e acima de tudo com a única preocupação no amor. As pessoas falam pra mim: ahh mas assim vc vai acostumar ela mal. E dai criatura, é vc que cuida? que troca as fraldas? que da banho? que tenta decifrar o choro? Que

  39. Regiane

    Eu não sou mãe ainda, mas estou querendo. Vejo que há muitos assuntos legais para discutir, mas falta justamente a empatia, como você mencionou. Progresso na ciência existe por toda a parte. Agora a gente não desce goela abaixo das pessoas todo tipo de progresso e pesquisa científica. Discussões que poderiam ser ricas acabam criando desinformação e até aversão ao assunto.

  40. Isadora

    Achei um baita deserviço esse texto.
    Tanta gente tentando desconstruir e construir uma nova era de possibilidades mais naturais e as próprias mães reclamam disso?
    Mimimi e esse texto super mal escrito e reclamão.
    Uma série de estudos, as pessoas ganham voz, mas não, você ta preocupada com seu ego e com o “menas main”.
    Cada um realmente faz o que quiser, mas eu simplesmente ficaria quieta perante a tanta informação e novos valores. As crianças vem ao mundo a hora que querem, a mãe amamenta o quanto a criança quiser.
    Cesária e mamadeira é pra quem ta ocupado demais pra ter filhos e quer se livrar de algumas responsabilidades. E outra, é pra quem tem grana.
    Quer encher seu filho de pó químico feito por uma máquina, mas apaga esse texto que ta feio.

    1. Caroline

      Como reconstruir uma era de novas possibilidades quando as pessoas que defendem as mesmas usam argumentos ignorantes e preconceituosos como os que você usa?
      É por causa desse tipo de discurso de ódio igual o seu que muitas mães entram em depressão e passam a vida se culpando e sofrendo.
      Desejo que você possa sempre amamentar todos os seus filhos e que graças a isso eles possam ir pra Harvard, descobrir a cura do cancêr e outras coisas mais… Afinal seu leite deve ser algo extraordinário, vc deve se alimentar somente de orgânicos, meditar antes de cada mamada e benzer os peitos com agua benta não é? E desejo que ningguém te julgue jamais pelas suas dificuldades ou pelas suas escolhas…
      Enquanto isso outras pessoas como eu que amamentei muito menos do que gostaria mas o tanto quanto pude vão continuar fazendo o que podem ou querem fazer: uma mamadeira cheia de pó químico feito por uma máquina e dada com muito amor.

    2. Gisele

      Chora mais projetinho de mãe insignificante! Vem com discursinho ofensivo e quer ter razão?
      Leite em pó nunca matou ninguém sua massinha burra de manobra!
      Dou leite em pó meeeesmo, e se reclamar coloco nescau kkkkkk

  41. Rita Peruquetti

    Realmente…muito mimimi…Vi essa semana um ensaio de aniversário de 1 ano sendo feito com “Smash the fruit”…Ah gente! Fala sério….Criança come frutas desde os 6 meses de idade…Não é novidade nenhuma deixar a criança fazer farra com as frutas quando faz 1 ano! Tudo isso só pra falar que não dá açúcar pra criança de forma alguma? Tudo o que é proibido demais torna-se de maior interesse pra criança no futuro… Pensem nisso antes de serem super neuróticas com relação à esse nutriente!

  42. Maria Ivone

    Também fico incomodada com esse padrões, rótulos, eles restringem, irritam. Compartilhar experiências é ótimo, mas ninguém precisa ficar impondo o que é certo ou errado pra nenhum mãe. Cada ser humano é único por natureza, respeitar essas diferenças nas relações é primordial.
    Eu já presenciei olhares e comentários bem desagradáveis sobre atitudes de outras mães e isso é muito constrangedor. O mundo anda cheio de juízes.

  43. Raquel

    Tamu junto! Fiz cesárea e faria novamente. Amamentei aos trancos até os 3 meses mas sonhava em ter meu peito jorrando leite! Não deu! Dei o meu melhor, fiz e faço de tudo pelo meu príncipe que tem 4 meses. Amor eterno e único!!!!

  44. Izabel

    Acho que eu tenho sérios problemas porque eu não consigo visualizar a diferença de parto normal pra cesarea, serio mesmo gestamos o bebe como todas, sentimos todos os desconfortos a unica diferença é o local que sai uns mais abaixo outros mais acima, certo que a cesarea não tem as dores, contrações enfim, mas o parto normal não tem os pontos a sonda e nem os proximos 15 dias caminhando igual uma velha de 200 anos toda curvada e encolhida por causa dos pontos, amamentar logo após a cesarea tb é puxado só o fato de se ajeitar na cama para poder amamentar é uma maratona e os pontos se repuxando, então pra mim é tudo a mesma coisa sem contar todo o resto de alimentos organicos e comida feita em casa, fala sério acordo as 05:50 e só volto pra cas as 19:00, jura que vou ter tempo de ir na feira e chegar em casa e fazer comidinha saudavel, não tenho nem tempo de comer uma fatia de pão e tomar um café, isso que nos finais de semana eu tiro o sabado pra lavar as 55 maquinas de roupa, limpar a casa passar as roupas da bebe e tentar sair pra pagar alguma conta ou ir no supermercado, a vida não é facil e muito corrida o pouco tempo que tenho que é ficar com minha filha e dar atenção pra ela.

  45. Marina

    É cada coisa que você lê. .. como se tivesse sido opção minha cesaria?! No parto normal eu morreria pela pressão alta… mamadeira…. não tenho leite… mato meu filho de fome?! Acho os extremos exagero, mas não se pode condenar quando as atitudes foram tomadas sem muita opção…

  46. REGINA

    Andei pensando sobre esse texto, e não acho cuidado e zelo ser chamado de mimimi
    pari de forma natural em um parto humanizado não por mimimi, mas por me informar e querer o melhor para o meu filho, amamentei não por mimimi mas por saber que seria a melhor forma e a MAIS SAUDÁVEL de alimentar meu filho, não dei papinhas industrializadas por saber, que isso é um veneno, eu não tomo veneno vou dar para meu filho???? como vc mesmo diz no texto vc não deu para seu filho, mas se vc não acha tão ruim assim pq não oferece ao seu filho?O q vejo são mães atras de uma tela de computador cheias de informações, sobre parto normal mas marcam uma cesa luxo, por comodismo, não dão o peito pq doi ou incomoda, vejo mães envenenam bebes por preguiça de dar uma coisa natural, pq dá trabalho, tem q largar o celular, toma muito tempo.
    O q vc mais ve são mães atras de uma tela de computador, opinando, mas não vejo maes nas ruas arrancando papinhas das maos de outras maes dizendo não dê isso ao seu filho, pq opinião é uma coisa cada um pode ter a sua nao é mesmo????? (pq isso mata) e mata mesmo.
    o mimimi existe em qualquer situação, bastar vc ter um filho que chegaram mil e uma formas de palpites, O q vejo são mulheres querendo ter filhos, e não querer ter trabalho, desde quando que filhos não da trabalho??? tive um filho não um rato de laboratorio! se eu mimimi intitula certas mães a “menasmaes” eu sou uma super mãe sim e serei até quando estiver ao meu alcance!

  47. REGINA

    nessa pagina não aceitam opiniões contraditórias ao da Dona da pagina???????
    tinha feito um comentário que sumiu!!!

    1. Macetes de Mãe

      Olá, Regina!
      Seu comentário não apareceu, não deve ter sido enviado.
      Comente novamente.
      Bjs

  48. Lu

    Disse tudo, porém se contradiz totalmente quando diz q teve seu filho de parto natural e q nunca deu papinha industrializada. Parabéns!

Deixe seu comentário