Fimose: será que meu filho tem?

Como sou mãe de dois meninos, um assunto sobre o qual eu não poderia deixar de me informar é fimose. E como busquei entender melhor do que se trata esse problema, resolvi compartilhar com vocês, aqui, algumas informações. Afinal, esse é um tema que ainda gera muitas dúvidas nas mães e que, teoricamente, é algo bem simples de ser resolvido, mas que se tratado corretamente, pode ocasionar algumas complicações.

Fimose

Photo Credit: vgm8383 via Compfight cc

Fimose: será que meu filho tem? As únicas mães que ficam livres dessa dúvida são aquelas em cujas religiões é feita a circuncisão logo que o bebê menino nasce, como o judaísmo. Pois é, a circuncisão nada mais é do que a retirada da pele que cobre o prepúcio e faz parte das tradições e rituais de muitas pessoas no mundo. Para quem é de outras crenças, nada melhor do que a informação, então vamos lá.

Se você é mãe de menino, sabe que é normal que, ao nascerem, uma pele fininha cubra a ponta do pênis. Em nomes corretos, essa pele se chama prepúcio e cobre a glande. Alguns meninos têm essa pele mais fechadinha, outros mais flexível, mas ela deve sempre permitir a passagem do xixi sem problemas e sem causar dor. E é isso que costuma ocorrer mesmo, sem que haja anormalidades.

Até por volta de um ano e meio é perfeitamente normal se o prepúcio cobrir a ponta do pênis. Mas se até os três anos a pele não tiver “descolado”, ou seja, não tiver ficado flexível a ponto de ser puxada para baixo sem dificuldade, pode ser um problema. Explicando de um jeito simples, é como se a ponta da pele que não desce tivesse um anel mais rígido e sem elasticidade, que impedisse os movimentos. Por ser complicado mover a pele, a higiene fica mais difícil, dando espaço para irritações e infecções. Em alguns casos mais graves e raros, quando a pele cobre muito a cabeça do pênis, pode ocorrer inchaço e dores, inclusive na hora de fazer xixi.

O que você deve fazer caso esteja preocupada se o prepúcio do seu bebê está se desenvolvendo normalmente é levá-lo para uma consulta com o pediatra. Não tente puxar a pele para baixo e nem passar pomadas ou medicamentos sem que isso seja prescrito pelo médico. Esses são, sim, procedimentos normais para o tratamento da fimose, mas se forem feitos do jeito errado podem piorar a situação.

E aí você se pergunta se não deve fazer a cirurgia logo que o bebê nasce e resolver toda essa expectativa logo. Bom, nem todos os médicos recomendam, mas você pode conversar com o seu. Já se for detectado o problema da fimose, a cirurgia também nem sempre é a primeira opção, mas caso seja a indicação, fique sossegada porque ela é simples e rápida. A internação não dura mais que um dia e a recuperação é em média de 10 dias. Se seu filho já for maior, cuide para que ele não faça muitos esforços no primeiro mês, como jogar futebol ou andar de bicicleta, atividades que podem machucar a regiãoo

O bom de tudo isso é que, além de ter tratamento que não é muito complicado, também não é nada desesperador ou urgente se você descobrir que seu filho tem fimose. Tirando casos mais graves, que os médicos saberão identificar, o ideal é apenas tentar fazer a cirurgia antes da criança entrar na puberdade, por volta dos 10 anos.

 

 

 

9 comentários

  1. Carla

    Só não podemos esquecer que todos os meninos nascem com uma fimose fisiológica, ou sejaé mesmo fechadinho. No meu pequeno que esta com 6 meses começo perceber que tem aberto um pouquinho com a limpeza que faço no banho.
    Acompanho sempre teu blog. Parabéns. :)

  2. Sabrina

    Ola
    Não é somente mãe de meninos que tem que ficar de olho até ter minha filha e passar pelo problema( e quase uma cirurgia ao 3 meses)

  3. Sabrina

    Ola
    Não é somente mãe de meninos que tem que ficar de olho… até ter minha filha e passar pelo problema( e quase uma cirurgia ao 3 meses de vida da Lara) nunca havia ouvido falar da ”fimose feminina” ,seria possível fazer um post sobre este assunto?Sinéquia…

    1. Tatiana

      A minha tem o problema desde os 7 para 8 meses, quando percebi. Fiz tratamento com hormônio, mas voltou a ficar coladinha… ela está com 18 meses e agora só acompanho e estou esperando crescer mais para voltar a tratar.

  4. Tatiana

    Minha filha também tem sinéquia, já fiz o tratamento com hormônio mas o problema voltou… seria bom um post sobre o assunto para orientar mães de menina, já que o problema é mais comum do que se pensa.

  5. Bruna

    Olá,
    Gostaria de esclarecer que fazer ou não a circuncisão logo após o nascimento não é só uma questão religiosa. É também uma questão cultural. Moro nos EUA e aqui, na região onde estou, em torno de 80% dos pais de meninos optam por fazer a circumcisão logo ao nascimento, independentemente de suas religiões (isso inclui católicos, protestantes, etc). Esse número varia muito de estado para estado. Sou brasileira e católica e tive um filho aqui nos EUA. Meu marido e eu optamos por fazer a circuncisão no nosso filho logo após o nascimento após ter discutido os prós e contras com os amigos e os médicos. Optamos por fazê-la porque apesar de não haver necessidade clínica alguma, a circumcisão é menos traumática ao nascimento e pode diminuir os riscos de alguns problemas no futuro (fimose, infeccões, etc).
    Além disso, meu marido (brasileiro e católico) é circuncisado. Senti que ele gostaria que nosso filho “se parecessem com ele” ;). E aqui, não ser circuncisado é ser “diferente” (ao contrário de no Brasil). Nosso filho querendo ou não é americano e provavelmente crescerá neste país. Nada contra ser “diferente,” mas consideramos este fato para tomar a decisão. O procedimento foi muito rápido. A cicatrização também. Seguimos todas as orientações de cuidados dadas pelo pediatra. Meu bebê nos deixava trocar as fraldas sem demostrar dor ou muito desconforto. Não nos arrependemos.

    1. Lia Gomes

      Bruna, a questão não é se vc se arrepende ou não, mas o que seu filho vai achar de sua decisão de amputar tecido orgânico saudável sem o seu consentimento, e sem nenhuma REAL justificativa.
      Já que vc está nos EUA, dê uma lida aqui para se informar melhor sobre a circuncisão de neonatos:

      http://www.circumstitions.com

      E pra quem não entende o inglês:

      http://www.fimose.org/mitos

    2. Pedro

      Não se arrependem ? o corpo é de quem ? meu deus…
      amputar a principal zona erógena de um garoto sem o consentimento dele é no minimo um ato bárbaro, perda de sensibilidade, cicatriz…
      você não imagina o mau que fez ao seu filho
      ser ”diferente” ? você se preocupa mais com o que os outros vão achar do que com a satisfação do seu filho ?
      falo por experiencia própria, preferia um bilhão de vezes ter morrida durante a minha postectomia do que ter que conviver com a depressão que os malefícios dela me causaram.
      lamento pelo seu filho, e por todos que não puderam escolher.

  6. Chris

    Boa noite!
    Sou fã do seu blog, sempre leio e adoro suas publicações.
    Tenho um filho de 1 ano e 8 meses e ele terá que fazer cirurgia de orquipexia ( testiculo fora do saco escrotal). Vc ou alguma mamãe leitora tem informações a respeito?

Deixe seu comentário