Colar de âmbar

Muitas leitoras me escrevem perguntando sobre o colar de âmbar. Eu pessoalmente nunca usei, mas fui descobrir mais sobre ele para contar para vocês.

Uma das coisas mais curiosas é que faz pouco tempo que se fala desse colar aqui no Brasil, depois que algumas celebridades, como a modelo Gisele Bündchen e a atriz Bárbara Borges começaram a usá-lo em seus filhos, mas ele é uma tradição de muitos e muitos anos na Europa e supercomum. Mais uma daquelas coisas que mostram como a maternagem é algo cheio de referências culturais não é mesmo?

colar de ambar1

Imagem de arquivo pessoal. Sua reprodução não está autorizada.

Este mês, por coincidência, conversei com uma amiga jornalista que acabou de voltar da Alemanha e ela me contou que por lá é tão básico que qualquer farmácia ou loja tem à venda, bem fácil de encontrar. Lá também não é superbarato, custa entre 10 e 15 euros. Já aqui dá para comprar ela internet e ele tem um status – e preço, em média de R$ 100 – de semijoia.

Onde o colar é tradição, é usado para aliviar as dores do nascimento dos dentes. Dizem que diminui o inchaço, a vermelhidão das gengivas e deixa a criança mais calma. Algumas mães até usam elas mesmas um colar também para acalmar os ânimos delas mesmas nas crises dos dentes.

A explicação está nas propriedades terapêuticas do âmbar, uma resina fossilizada encontrada no Balcãs, a península europeia que inclui países como a Grécia, a Bósnia e a Bulgária. Inclusive, a resina precisa vir daí para ter esses efeitos positivos. De acordo com o que se acredita na Europa, a resina, ao ser esquentada pela temperatura do corpo do bebê, libera doses bem baixas de uma substância chamada ácido succínico, que tem propriedades antiinflamatórias e analgésicas.

Se lá os adeptos da medicina natural usam muito o colar, por aqui, além de não ser comum, ele não é recomendado por entidades médicas e que cuidam da segurança infantil. O motivo é que, além dos benefícios do uso não serem comprovados cientificamente, há um receio de que as contas do colar se soltem e o bebê possa engasgar ou mesmo se enforcar com o cordão.

Caso você decida usar, além de ficar atenta para nenhum acidente ocorrer com seu bebê, vale um alerta de que tem muita gente por aí que vende gato por lebre, com colares de contas que não são de âmbar verdadeiro. O legítimo tem uma temperatura agradável, nunca é gelado, e também não fica embaçado ou pegajoso se você pingar uma gota de álcool ou acetona.

 

 

 

3 comentários

  1. Bruna Lima

    A mibha filha de 9 meses começou a usar há 4 dias, mas confeção que ainda não pude perceber diferença. Mas ainda espero que ajude com o nascimento dos dentinhos!

  2. Bruna Lima

    A minha filha de 9 meses começou a usar há 4 dias, mas confeção que ainda não pude perceber diferença. Mas ainda espero que ajude com o nascimento dos dentinhos!

  3. Débora Pereira

    Olá Shirley!

    Acompanho seu blog e muitos outros, como o Vida Materna. Lá a Michelle dá outras dicas sobre o âmbar, como , por exemplo, usar pulseira ao invés do colar.

Deixe seu comentário