Dicas para seu filho respirar bem neste inverno

É só o frio se aproximar, junto com o tempo seco que costuma acompanhá-lo, para nossos pequenos começarem a ter problemas respiratórios. Isso é fato e aqui não é diferente. Quando o primeiro friozinho bateu à porta, Caê pegou um resfriado que evoluiu para uma bronquiolite e o deixou três dias internado no hospital e mais sete dias fazendo fisioterapia respiratória em casa (Tadico! Não tinha nem 4 meses quando isso aconteceu).

Nos dias que estive no hospital recebi algumas dicas simples e muito eficazes para evitar os problemas respiratórios comuns nessa época do ano.

foto destaque

Photo Credit: Photos By Zoe via Compfight cc

A primeira delas é manter as crianças sempre hidratadas, seja aumentando a frequência das mamadas (no caso de quem ainda mama no peito) ou oferecendo mais líquidos durante o dia.

A outra é manter a casa sempre bem limpa, livre de poeira e ácaros, e umidificada (o ideal é que a umidade relativa do ar não seja menor que 30%). E isso torna-se ainda mais importante quando se utiliza aquecedores de ar nos dias e noites de temperaturas mais baixas, já que eles tendem a diminuir a umidade relativa do ar.

A terceira é realizar inalações diárias com soro fisiológico assim que for percebida alguma dificuldade respiratória (nesse caso, vale a pena bater um papo com o pediatra antes, para ver qual é a orientação dele).

E, por fim, e talvez a mais importante dica, é criar o hábito de “lavar” diariamente o nariz dos pequenos, também com soro fisiológico, várias vezes ao dia.

Mas só isso pode evitar problemas respiratórios? Ou então tratá-los? Pode, sim, e vocês já vão entender por quê.

No caso da hidratação, ela é importante porque nosso organismo necessita de água para produzir a  secreção nasal, que garante o correto funcionamento do principal mecanismo de defesa das vias respiratórias: os pelinhos que ficam dentro do nosso nariz e que filtram o ar.

Já a limpeza e umidificação do ar se fazem necessárias para evitar a proliferação de microorganismos nocivos ao sistema respiratório e a incidência de alergias, também muito comuns nessa época do ano.

A inalação, por sua vez, melhora a dificuldade respiratória porque, ao ser inalado, o soro fisiológico abre os brônquios.

E, por fim, a lavagem nasal com soro fisiológico é importante porque ele fluidifica a mucosa nasal e, assim, auxilia na remoção de micro-organismos e poluentes que costumam causar problemas respiratórios e alergias. Explicando melhor: a mucosa nasal, quando bem hidratada, mantém a frequência correta dos batimentos ciliares (os tais pelinhos do nariz dos quais já falei acima), que filtra o ar e impede partículas poluentes de atingirem a parte interna do sistema respiratório e, assim, provocarem infecções, congestão nasal, crises de asma e rinite e até lesões pulmonares.

E agora que expliquei tudo isso para vocês, aproveito para falar de um aliado no combate aos problemas respiratórios: os produtos da linha Sorine.

Sorine é, na verdade, soro fisiológico – cloreto de sódio 0,9% – e um produto super seguro para bebês e crianças a partir de qualquer idade.

Entre as suas apresentações, a minha favorita é a Jato Contínuo, que não possui conservantes, justamente por ter uma embalagem cuja válvula de aplicação faz com que o líquido saia normalmente, mas evita que o ar retorne para dentro da embalagem e entre em contato com o produto. Além disso, sua válvula permite aplicação em 360 graus, ou seja, ele pode ser utilizado com a criança de pé, sentada ou deitada, o que torna a aplicação muito prática. Por fim, outro benefício dessa apresentação é o fato dela ser segura para crianças, já que o seu bico de aplicação é larguinho e não se corre o risco dele entrar no nariz das crianças e machucá-las.

foto sorine

O Sorine Jato Contínuo do Leo já fica do lado da cama, para ser usado todas as manhãs, quando acorda. E há outro no banheiro, para a hora do banho e ainda um na mochila da escola.

Apesar dessa ser a embalagem preferida por aqui, Sorine ainda possui as seguintes apresentações: conta gotas e válvula spray.

Bom, espero que as dicas do post de hoje sejam úteis e que ajudem a manter a saúde dos pequenos por aí. Por aqui, levamos ao pé da letra as orientação recebidas no hospital e nossos pequenos não passam mais do que algumas horas sem uma boa lavagem da mucosa nasal. E posso garantir, tem ajudo bastante.

Confira, nesse vídeo do Canal Macetes de Mãe, dicas para manter os pequenos aquecidos nas noites frias de inverno:

publi-incentivo

5 comentários

  1. Vanessa

    Oi Shirley, ;)

    Uma dúvida que ainda tenho é se é aconselhável limpar o narizinho também com cotonete. Já ouvi pediatra dizer que sim e outro que não. Alguns dizem que danifica os “pelinhos” do nariz. Será?
    Bj

  2. Flavia

    Oi shirley…o sorine q vc menciona no texto (jato continuo) pode ser usado a partir de quantos meses?

  3. Luciana

    Gostaria de saber se pode usar o sorine ou ate mesmo o rinossoro no nariz do bebe todos os dias ….meu bebe tem 2 meses .
    Obg

    1. Macetes de Mãe

      Olá, Luciana!
      Você deve entrar em contato com o pediatra do seu bebê, ele poderá te informar direitinho.
      Bjs

  4. Amanda Barrios

    Ótima dica do Sorine Jato Contínuo! Comprei, testei e aprovei!

Deixe seu comentário