Sobre ter um bebê pequeno em casa e experimentar uma certa melancolia

Ninguém duvida que é uma delícia ter um bebê novinho em casa. Abraçar aquela coisinha redonda e cheirosa é muito gostoso, ver aquele sorriso banguela é encantador, acompanhar o desenvolvimento dia a dia é de se apaixonar. Mas essa também é uma das fases mais complicadas da maternidade, aquela em que, que apesar de tudo de bom que se vive, também traz sentimentos bastante contraditórios.

Eu falo sobre isso com propriedade porque é exatamente o que estou vivendo. Todos os dia, experimento o prazer de conviver com todo o encantamento que o Caê me proporciona, mas também vivo um período de grandes e intensa privações, que me fazem surtar de vez em quando.

bebe novinho em casa

Photo Credit: modenadude via Compfight cc

Quando falo em privações, me refiro a privação de sono, privação de descanso, privação de vida social, privação de tempo e até privação de comida. Sim, pois muitas de nós optamos por fazer dietas, muitas vezes rigorosas, seja por causa das fatídicas cólicas ou por conta de alergias (coisa que eu vivo na pele atualmente).

E esse monte de privações, mês após mês, é de pirar. Essa é a verdade. Tem dias que eu surto, entro em parafuso e tenho vontade de chorar (e choro, efetivamente). Isso costuma acontecer depois de uma noite que eu levantei 6 ou 7 vezes porque o Caê chorou, depois de eu estar há mais de 120 dias sem comer aquele monte de coisas que adoro (e que levam leite, por isso não como), de estar sem sair para bater um papo com uma amiga ou de ter que me virar nos 30 para dar conta de coisas básicas nos curtíssimos intervalos entre uma mamada e outra.

Gente, sendo sincera, não é fácil. Claro que ninguém disse que seria, eu mesma sabia que não seria, pois é meu segundo filho (e confesso que com o Leo foi ainda mais difícil, infinitamente mais difícil), mas como tem horas que dá vontade da gente jogar a toalha. Como tem horas que dá vontade de gritar “quero um tempo para mim, quero dormir pelo menos 5 horas seguidas, quero passar umas horas fora de casa sem me preocupar em voltar correndo porque tenho que dar de mamar”.

Sei lá, acho que a falta de sono tem me deixado meio zureta, mas o que sei é que esse iniciozinho de maternidade nos traz sim uma certa melancolia, uma saudade forte daquela vida “normal” que a gente tinha antes do bebê chegar, uma carência de sermos nós mesmas e não só uma extensão do nosso bebê.

É claro que todos esses sentimentos não ofuscam em nada o amor que sentimos pelos nossos pequenos, mas é importante a gente assumir que eles existem e nos perdoarmos por sentir isso de vez em quando (ou todo santo dia). Afinal, somos de carne e osso, ficamos abaladas quando dormimos mal, sentimos falta dos nossos programas e comidas favoritas e sentimos saudade, acima de tudo, de nós mesmas.

Viver quase que exclusivamente para uma criança, como acontece no início da maternidade, é uma doação sem fim. E temos sim que aceitar isso e levar as coisas adiante. Mas também temos que ter o direito de querer e poder chorar de vez em quando. Afinal, como diz o ditado, não choramos porque estamos sendo fracas, mas porque fomos fortes por muito tempo. E dar conta desse turbilhão de emoções e demandas que é ter um bebê novo em casa é sim ser bastante forte.

 

66 comentários

  1. Bru

    Sei bem o que é isto tenho uma bebe linda de dois meses e tem tinha que dá vontade de chorar o dia inteiro e sinto meu marido tão distante de me e isto me abala ainda mais,ir ao terreiro de casa virou diversão pois já não saímos mais rsrs

  2. Elisa

    Me sinto igual! Minha fofura tem 2 meses e é exatamente assim: um misto de muito amor com muito cansaço! O que eu acho pior são as pessoas que não entendem essa doação 100% do seu tempo. Tive que ouvir da minha sogra que eu quero ser fodona por não querer contratar ajuda! Não quero ser fodona, só quero ser mãe eu mesma da minha filha e se isso as vezes significa ainda estar de pijama ao meio dia não quer dizer que eu precise, ou queira, ajuda. Esse tb foi um comment com um Q de desabafo!!! Rs bjss

  3. Micheli

    Me identifico completamente com o este texto. Tenho vivido a mesma realidade e os mesmos sentimentos. Parabéns traduziu perfeitamente esta fase!!!

  4. Juliana Ortiga

    Bom dia Shi, é fácil não é mesmo não. Lendo seu texto voltei a uns meses atrás quando meu Enzo nasceu, hoje ele tem 1 ano e ainda é muito difícil.
    Não dorme a noite toda, faz birra e manha pra quase tudo. Ainda não tenho vida social pois minha mãe mora em outra cidade e minha sogra não liga muito. É complicado quase sempre choro e sinto falta de muitas coisas que muita gente é normal. São muitos sentimentos juntos e misturados que dão um nó na gente e muitas das vezes sobra pro coitado do marido que não tem culpa é que me ajuda e muitooooo com o serviço da casa e do Enzo. Mas só de fds pois durante a semana ele sai cedo e qndo chega o filho já está dormindo. É confesso que neste momento estou chorando pois sei que não estou sozinha nesta. Grande beijo adoro seu blog desde quando ainda estava grávida.

  5. Manuela

    É exatamente assim q me sinto amiga. E meu bebê já está completando 6 meses. Mas a dedicação ainda é total. Tem dias q sinto falta de sair um pouco de casa sozinha, de dormir umas horinhas a mais, de um descanso pras costas, pois minha bebê só dorme no colo… Exausta! É como me sinto. E meio depressiva sim as vezes. Bjs.

  6. Cintia

    Tenho muita vontade de ter um segundo filho. Mas, como passei por esses momentos difíceis e cá entre nós, demoram demais para passar, tenho medo de partir para um segundo baby.
    Tive depressão pós-parto, sofri demais…
    Meu filho tem 1 ano e 8 meses e ainda não dorme todas as noites.
    Ai que medo de começar tudo novamente… ??

  7. Monica

    Disse tudo! Meu filho tem 5 meses e também faço dieta alimentar..no começo achei que seria fácil mas depois de tantos meses tem dias que também surto! São tantas privações e ainda ter que ficar sem comer uma porção de coisas( no meu caso além de leite e derivados não ingiro peixes, frutos do mar, glúten e mais uma série de alimentos !) torna tudo mais difícil. Um desabafo justo!!

  8. Juliana

    Como é bom ler isso é não achar que sou ingrata!! Sou bem ativa e as vezes me incomoda não poder fazer outras coisas, mas amo ficar com meu bebê!!
    Hoje ele está com 12 dias e chorei 10 dias seguidos!! rs

  9. joyce

    Com certeza a dieta é o que mais maltrata. Ainda mais quando eles entram em crise e não sabemos ao certo o que foi. Ainda bem que é uma fase. Logo passará para todas. Bj

  10. Paula

    Texto perfeito! Que bom saber que tem alguém igual. Consola! Com certeza a falta de algumas horas seguidas de sono me desequilibra fisicamente e emocionalmente. Perco o rumo e desconto nas pessoas que mais amo, que tenho mais liberdade de ser quem eu sou! Muitas vezes me sentia numa solidão sem fim, e foram esses blogs, esses relatos e comentários que me impulsionava e me impulsiona. Obrigada!!!

  11. Flavia

    É tudo que estou passando e sentindo no momento, meu bebê está com 2 meses, tem refluxo e talvez APLV, estamos investigando e por conta disso ele não consegue dormir nadinha à noite e juntando que não posso comer quase nada, cada dia que passa me sinto mais angustiada, carente de mim mesma, de marido, do convívio social, mal consigo sair pra fazer feira porque tenho que voltar correndo e pra completar ainda tenho uma filha de 5 anos que constantemente me cobra atenção, diz que eu só quero agora ficar com o mais novo.

  12. Gisele

    Um desabafo muito sincero. Posso ate voltar no tempo e me arrepiar lembrando do meu inicio com meu filho. Hj tem 2 anos e as vz bate uma vontade d sair sem ter hr pra voltar ou dormirrrr ateeee o corpo querer acordar sozinho aháháhá !!!
    Força Shirley, vai passar e vai valer a pena todo esforço. Vc sabe disso !!!

  13. maisa

    Pura verdade! Mas o amor é infinitamente maior do que todos esses sentimentos :)

  14. Melissa

    Monica disse que é um desabafo justo! Eu acho justíssimo!
    Meu Erich tem quase 5 meses. Hoje não tenho dificuldade em relação aos primeiros dias. Ele dorme a noite toda (salvo raras exceções), é um bebê alegre e só reclama quando está com sono. Um anjinho. Mas nos primeiros dias, tive um baby blues bem forte. Mas quem disse que as crises de choro duram só no baby blues? O desenvolvimento deles e os saltos de desenvolvimento os deixam mais chorões, com comportamento diferente, o que mina novamente e repetidamente a confiança da gente.
    É uma delícia ter um serzinho desse, saber que fomos nós que fizemos, acompanhar o passo a passo do desenvolvimento. Mas acredito que não tem quem não surte.
    Bom mesmo é ler posts como esses, que deixam claro que não existe a maternidade perfeita, porque choramos sim, nos sentimos inseguras sim, há momentos em que não sabemos o que eles querem sim. Mas tudo faz parte da mágica! É uma delícia ser mãe, mesmo com tudo isso! Adoro seu blog, Shi! Beijos!

  15. Cris

    Meu único filho faz 1 ano esse mês. É verdade que esse início é difícil mesmo e não é todo mundo que tem coragem de assumir. Ao meu redor sempre tentaram me convencer de que maternidade era bom demais ou ruim demais.
    Mais de que era ruim do que bom. E de uma certa maneira isso foi bom para mim. Pois me preparei para o pior, principalmente em relação a gravidez, que também me assustaram muito. Mas sempre acreditei que uma experiência, seja ruim ou boa, não vale para todos. Minha obstetra disse no dia do nascimento do meu filho em relação a minha cicatrização: “a cada dia que passa você melhora mais, o dia seguinte vai ser sempre melhor”. E foi, não só em relação a minha recuperação, mas sobre a maternidade. Cada dia que passa alguma coisa melhora.

  16. Monique

    Bom dia!

    Eu ate hj me sinto assim, e meu filho ja tem dois anos. A gente se dá por inteiro. Claro que os primeiros meses e infinitamente mais dificil, mas mesmo quando crescem ainda tem todo o processo pra fazer qualquer coisa que seja. Exemplo: pra ir ao cinema, que e um dos meus programas favoritos, preciso dias antes ver se a mae ou a sogra podem ficar ja que ir com ele e impossivel. Rs. É muito dificil, mas mesmo com tudo isso nao desanimo pra ter o segundo nao viu?

  17. Adriana

    Adoro o que vc escreve, parabéns pela ajuda que vc dá a tantas pessoas…Nos culpamos tanto por esses sentimentos, peço perdão a Deus e penso ser o cansaço falando por nós…Mas somos humanos e não super heróis e ainda mais complicado ainda somos mulheres, tem hormônios, marido, peso, cabelo, refluxo,sono, o segundo filho, a volta ao trabalho, etc…Ufa….mas ainda bem q temos pessoas como vc que compartilha e nos informa…Obrigada…

  18. daiana

    Meu filho vai fazer 4 meses estou tentando fazelo pegar mamadeira mais está difícil choro todos os dias pois o mês que vem volto a trabalhar. Ta muito difícil o que peço a Deus é que cuide dele a todo momento. Esse texto me vi nele muito bom poder saber que nao estamos sozinhos.

  19. Bruna

    Bom dia Shirley, mais uma vez me encontrei totalmente em um post seu. Tenho um bebe d um mes, e os primeiros dez dias era eu e ele chorando o dia inteiro. Minha gravidez nao foi planejada e pra mim foi muito dificil aceitar ela, fiqei muito mal durante toda a gravidez e depoia dele nascer veio esse turbilhao em cima d mim. Amamento pouco pq quase nao tenho leite, ele toma complemento mas nao larga o peito tambem e sempre tem alguwm pra falar algo sobre isso (le-se familia do meu marido). Eu perdi totalmente toda aminha anterior, e vai d trabalho ate ter que pausar faculdade e isso da uma frustaçao muito grande,me senti culpada por pensar assim, mas agora vejo que e algo normal e que tambem em algum momento as coisas começam a melhorar, agora, por exemplo, ele ja esta dormindo 3,4 horas seguidas e eu ja pareço menos zumbi kkkkkkk

  20. Marina

    Tudo o que eu precisava ler! Minha filha tem 5 meses e nunca imaginei que fosse difícil assim! Só ouvia as pessoas falando o quanto era maravilhoso e etc. Amo minha filha mais que tudo, mas, sim, sinto falta de dormir, de sair de casa despreocupada, de poder tomar uma cerveja no boteco a tarde, de ser eu, e não a mãe de alguém. Obrigada pelo texto! Ninguém nunca admite nada e estava me sentindo culpada e achando que estava com depressão rs. Só estou cansada! Beijos

  21. lara

    Só verdades , hoje o meu filho vai fazer 6 anos e nunca mais tive coragem de ter outro . ..se é egoísmo ? Sim deve ser . ..mas foi tão difícil que não me atrevo a passar pelo mesmo…preciso de dormir, de viver, de tempo para mim… e se tivesse outro não amamentava . .. é é isso…

  22. Bruna

    Por aqui bebe de 4 meses… Sentimentos ambuguos: amor profundo e cansaço, sensação de que nunca mais terei o controle da minha vida…. O pior é a falta se sono!! Essa noite acordou de meia em meia hr por conta da gripe.

  23. Adriana

    Me sinto exatamente assim. Amo estar com meu bebê q foi muito esperado, mas estou exausta. Queria sair de casa, me arrumar, dormir, comer, tudo normal como antes rs.
    Boa sorte para nós.

  24. Ana

    Como é bom saber que vc nao e a única a sentir essas coisas! Amo demais meu bb(muitooo mesmo),mas nos sentimos cansadas mesmo! Graças a Deus agora com 2 meses ele já esta dormindo bem melhor(só esta acordando 2X na noite) ! Infelizmente nao amamento mais (meu leite secou e tive muito estresse familiar). Apesar de tudo isso, agradeço todos os dias a família linda q estou construindo com meu esposo(e ele me ajuda muito com o João)
    Bjus adoro suas postagens, faz eu nao me sentir tão sozinha

  25. Isolete dozol

    Que bom que vc escreveu isto. Sou avó e mãe da Mari. Vejo minha filha com sentimentos de culpa e falo e falo, mas mãe é tb suspeita. Vc falando de um jeito tão sincero e objetivo, foi ótimo. Obrigada.

  26. Carol

    Oi! Acho que toda mãe se identifica um pouco com isso! Faz parte das coisas que ninguém te conta!
    Minha filha está com 1 mês e meio e os primeiros 15 dias foram mto difíceis pra mim! Tem hora que vc quer devolver eles! Mas ao mesmo tempo se sente culpada pq ama seu filho! Passei dias desejando que o tempo voasse pra ela ficar maior … Não entendia as pessoas que me diziam que essa fase é uma delícia!
    Agora já consigo curtir minha pequena …pra não me arrepender depois de não ter aproveitado essa fase!

  27. Glaucia

    Oi meninas!! Tbm estou nesse clube! Tenho um bebê de 9 meses, e eu percebo que não estava nem um pouco preparada para isso. Ser mãe e um trabalho de 24h, claro o amor e enorme mas o cansaço tbm é! Dar papinha a ele tem sido um desafio, ele ainda acorda uma vez a noite, tbm faço dieta por ele não tomo leite e nem derivados, nada que seja feito com leite, então as vezes qd bate aquela vontade de comer um pudim pra relaxar, não dá! As vezes eu tbm surto com o marido, que ajuda bastante, mas não e fácil, bate muita saudade da vida antes de ser mãe. Estamos todas no msm barco!!!! Eu tenho fé que logo tudo se encaixa…Deus nos ajude!

  28. katiuscia carolina

    Post perfeito. As vzs me culpo por me sentir assim mas graças a Deus q nao estou sozinha
    Pra mim o simples fato de nao poder marcar uma pedicure faz enlouquecer..fora q até um numero um é difícil pra quem cuida sozinha do bebê (meu caso)
    Bkos Shirley

  29. Daniele

    Olá Shirley acompanho seu blog e muitas vezes me identifico com a suas opiniões sugiro que vc faça um post sobre a sua dieta alimentar !! Pois a restrição é muito difícil precisamos de ideias

  30. Diana

    Nossa, será que não fui eu quem escreveu isso há uns dois anos?? Fase muito difícil, sem dúvida! Ainda bem que alguém me entende!! Perfeito, Shirley! Você, como sempre, me fazendo sentir um pouco normal! Você não tem idéia do quanto esse blog foi e tem sido importante para mim. Força e muito obrigada pelo trabalho que você faz!

  31. Rose

    Obrigada mais uma vez por colocar em palavras os meus sentimentos. Tb estou no meu segundo filho. Ele ja está com 10 meses, mas ainda ando zumbi. Esta com bronqueolite, as noites sao sofridas. Morro de saudade de mim!!!
    Mas, é como eu falo pros meus filhos: a sorte deles é que eles são lindos e eu apaixonada por eles. Senão eu pedia as contas!!! Kkkkk
    Beijo, coragem e força pra nós!

  32. Elis Regina Vasco

    Acho que isso não eh só no começo não. .. Pode até ser pior… mas eh em outras fases também.

    Eh o lado B da maternidade…

    Me identifiquei muito!

    bjoss

  33. Andréa

    Nossa… parece q meus pensamentos e sentimentos foram lidos. Nunca imaginei q felicidade e frustação podessem andar lado a lado (sou feliz e realizada como mãe, mas como mulher estou 100% frustada). Me olho no espelho, qd tenho coragem de me olhar, e me vejo sem identidade. enfim, vivendo um dia de cada vez p ñ enlouquecer.

  34. Fernanda

    A mais pura verdade, já até me chateei muito por causa de mães que, sei lá parecem que fingem, estar super mega felizes. Eu sou sincera e em nenhum momento da primeira fase da minha maternidade eu escondi minhas frustrações, melancólicas, e as vezes até arrependimento mesmo. Porém, amoooooo minha filha e sou grata a Deus por ela.

  35. Anelisa

    Meu Joaquim esta com 6 meses, ainda sinto essa vontade gritante de chorar muitooooooo e colocar toda angustia para fora… aff!!! Um misto de sentimentos, melhor fase da minha vida (meu primeiro filho), mas a mais dificil de todas.

  36. Aryadne

    Por isso eu adoro seu blog, sinceridade e verdades que muitas de nós insistimos em esconder.

  37. Claudia

    Lendo seu textos voltei no tempo e me lembre de quantas vezes me vi na mesma situação .. Tinha dias que minha vontade era fechar a porta e ir sem olhar Pr traz e voltar só depois que tudo estivesse mais tranquilo e as crianças dormindo ..mas sabe tudo passa e passa muito rápido .. As noites não dormidas bom essas só amenizao pq depois de ser mãe não me lembro de dormir com toda aquela tranqüilidade de antes.. Agora todo resto voa… Logo eles andao .. Logo eles vão pra escola .. Logo fAculdade .. Um dia eles te Olhão e dizem mãe to indo .. E quando vc menos espera tudo volta ao início e vc nem sabe que fazer com tanta liberdade .. Tanto tempo livre .. Portanto acalmem se esse início logo passa .. Que saudade dessa época ..talvez se disse hj iria aproveitar mais .. E me estressado menos

  38. Layla Soares

    Boa tarde.Realmente nao e facil sinceramente acho que so fui curtir mesus filhos de verdade depois de um bom tempo, os primeiros meses para mim nao foram bons sofri muito e uma mudanca muito grande na vida, hoje gracas a Deus sou realizada com meus filhos mas nos primeiros meses por vezes me vi chorando com tantas coisas acontecendo parecia que tudo ia me engolir kkk, mas a boa noticia.disso tudo e que.passa, pra mim passou e hoje estou no ceu…

  39. Germana

    Exatamente assim! Adorei!

  40. Joana

    Me indentifiquei demais com esse texto, tenho uma bebê de quase 3 meses e tenho vivido tudo isso, engraçado que quando estamos grávidas por mais que as pessoas falem a gente nao imagina como é difícil, só pensamos em abraçar e beijar nosso neném…
    Acho que por isso amamos tanto essas
    pessoinhas pq só com muito amor pra aguentar.
    Saudade de mim também.

  41. Rosana

    Nossa, me senti assim mesmo… E vejo que muitas mães teem medo de assumir isso, como se significasse que não amam tanto os seus filhos. Mas uma coisa não tem nada a ver com q outra. Acho até que esse amor extremo é que nos faz ter tantos conflitos

  42. Tatiana Cali

    Perfeito!
    É exatamente isso! E o melhor de tudo é que está fase passa! ?
    Bjs,
    Tati

  43. Carlos

    Pai tb sofre da mesma melancolia. É diferente mas sofre. Conclusão: – Melancolia dentro de casa é uma doença transmissível e quase sempre autocontrolavel ! Passa com o tempo,,,logo logo se esquece e arranja outra fonte de melancolia…
    Parabéns pelo texto !!
    Carlos Starling

  44. Tatiana

    Eu também to sozinha cuidando da minha bebê que acabou que fazer 3 meses. Somos só eu e meu marido. Ele me ajuda demais e é um paizão. Deixa comida pronta pra mim, arruma as coisas e faz as compras. Mas nem sempre eu consigo almoçar, pentear meu cabelo, fazer uma unha ou a sobrancelha. Tem dias em que simplesmente esqueço de tomar banho, e tudo isso mexe com nossa autoestima.
    Mas eu não sinto tanta falta de vida social não. Sempre fui mais reservada. E como optei por trabalhar em casa há mais de 2 anos, também não sinto falta de trabalhar fora.
    Mas com relação às emoções, realmente me identifico, às vezes bate uma tristeza, mas pelo fato de não ter uma família presente, participativa. Minha mãe nem foi ao hospital no dia do parto, nem depois,pra ver a neta. Quando vejo amigas com a mãe babando pelos netos, ajudando e possibilitando que elas façam suas coisas, ou até mesmo apenas presentes, curtindo o bebê, aí realmente as emoções ruins vêm à tona. Não que ela desgoste da neta. Ela liga perguntando, mas depois de 5 minutos está falando dos próprios problemas, não é uma avó presente, como mãe também não era muito emotiva ou carinhosa.
    Eu não tirei licença, assim que minha filha completou 15 dias eu já estava trabalhando. Aí me divido entre trabalho, coisas da casa, que cansam mesmo com a ajuda do marido. Mas o que mais dói é a solidão. Mas não a solidão de não poder beber um chope com as amigas. E sim a solidão da ausência da família, de uma não visita. Ou um comentário do tipo “Nossa, como vc está acabada. Que cabelo é esse? Tá muito magra! Assim, o marido arruma outra…”, como se fosse nossa culpa estar assim. O que mexe ainda mais com nossas emoções.
    Nessa fase, tudo fica mais difícil, algumas pessoas não entendem. As que já são mães simplesmente fingem que com elas foi um mar de rosas, que foi tudo mágico e fácil. Não é, embora em momento algum eu direcione isso pra minha bebê. Ela é a minha maior felicidade, um sonho. Minha maior alegria. Acho que dá mais trabalho lidar com os outros… rs

  45. ezileide

    Oi Sherly,
    Felizmente passa, no meu caso q tenho um bebe de 10 meses com APLV grave e no momento em que estamos ainda tentando desensibilizar o seu organismo com o neocate exclusivo. A vida fica realmente muito louca, surtamos, choramos, mas ainda mem podemos dar o luxo de ficar em crise por muito tempo. Família, marido, filha ( 6 anos) estão ali pra dizer : enxuga as lágrimas e seja forte, pois dependemos de vc. Ou melhor sem vc a cs nao funciona e assim ssguimos sem o direito de ficar doente ou prolongar esses sentimentos.

  46. Priscilla

    Exatamente !! Tenho uma filha linda de quase 3 meses e
    muita privação! Sinto muita saudade da vida antes do parto (isso me faz sentir culpada)… ao mesmo tempo q é muito gostoso estar c ela (isso gera confusão no coração sa gente)!
    Adoro seu blog, q me ajudou e me ajuda muito! Pela primeira vez escrevo um comentário.
    O que aconteceu c o Caê? Vc disse num post q ele ficou internado no hospital? Tadinho… Melhoras!
    Parabéns pelo blog!!

  47. Anna Luiza

    Shirley, desde a primeira vez que entrei no blog, me identifiquei com o seu relato de maternidade sem mistérios (ou o labo B, como alguns chamam). Seu jeito de descrever a verdadeira realidade de gerar e cuidar de um bebê me confortou muitas vezes, pois em alguns momentos me sentia uma péssima mãe por querer ter uma vida normal (leia-se antes da maternidade) com tempo para dormir, tomar banho, comer e até ir ao banheiro sem ter que sair correndo para amamentar ou acalentar o meu filho. Assim como você, tb tive que fazer dieta restritiva de leite e derivados por 5 meses e hoje, graças a Deus, meu filho melhorou da APLV. Muito obrigada por ajudar, nós mães (principalmente de primeira viagem), neste momento tão único e delicado de nossas vidas.

  48. Ca

    Olá, amei seu blog! Vc faz dieta de leite pq ele tem aplv? Vc não come leite, derivados e o Q cobren traços ?
    E vc descreveu bem o Q sinto Tb… Ainda mais minha filha Q tem colica o dia todo e mal dorme de dia…

    1. Shirley Hilgert

      Não como leite e derivados para evitar desenvolver nele uma alergia (o irmão teve, aí a chance dele ter é grande). Mas traços eu não estou evitando. abs.

  49. Fabricia Prado

    Bom dia Shi!

    Nossa! Me identifiquei super! Estou passando exatamente por esta fase! Que bom saber que tudo isso é normal e que não sou a única a passar por isso, que não estou sozinha nessa.
    Meu pequeno vai completar 3 meses, (também se chama Caetano) :) e, às vezes acho que vou enlouquecer e surtar.
    Choro, choro, choro e na maioria das vezes melhoro depois que choro. Ponho pra fora, desabafo de alguma forma. Mas não é nada fácil, e os homens parece que não entendem o que a gente sente e o que a gente passa, né?

    Um dia tudo isso passa? Até quando vai essa fase de privações? Quando ele for pra escolinha? Daqui 1 ano? Rsrsrs.

    Adoro vc e o seu blog!
    Beijooo com carinho! :)

  50. Perla

    É incrível como você conseguiu traduzir tudo que estou sentindo nesse momento, Meu sonho sempre foi ser mãe e Deus me presenteou com um menino lindo que hoje está com 6 meses, eu o amo mais que tudo na vida, mas realmente há certos momentos que sinto saudades de mim!!! Estava até me sentindo culpada com isso, mas aqui vi que muitas mamães compartilham desse sentimento comigo, acho então que é normal, afinal são mudanças muito grandes que acontece conosco e em certos momentos parece que não vamos aguentar, mas como dizem: somos mães, somos fortes, somos guerreiras, e no fim tudo dá certo!!!!!!
    Amei seu blog!!!!
    Bjsssss

  51. Alessandra Azeveof

    Nossa Shirley, chorei lendo esse texto. Estou passando exatamente por isso. Minha bebê nasceu há 27 dias e estou em estado de encantamento. Mas, essa saudade de mim, essa melancolia…torna esse momento realmente difícil. Que bom que você compartilhou, que alívio saber que não estou sozinha!!
    P.S. Acompanho seu blog desde que descobri que estava grávida e é uma grande referência para mim. Aqui em casa estou sempre dizendo, “a Shirley faz assim, diz assado”. Minha sincera gratidão. Abraços

  52. Thais Pinheiro

    Vc falou tdo! Meu bebe tem 7 meses e cuido dele durante semana sozinha,sinto mta melancolia as vezes,uma sensaçao d solidao absurda! mas tb percebo q a cada dia melhora! o inicio c ele qdo lembro chega a dar frio na barriga! bom saber q é normal!

  53. Luciana

    OLA!!! MUITO bom o post!!!!! Nos sentimos assim mesmo. Mas o pior é voltar ao trabalho exausta e nao querendo voltar e ter que retornar pois seu salário faz muita diferença em casa e deixar nosso bebe …. mesmo cansada ainda é melhor do que deixa los….

  54. Suzanne

    Nossa enquadrou perfeitamente no seu resto. É exatamente isto que sinto. Sou mãe de primeira viagem e já quase pirei muitas vezes com algumas noites sem dormir, choros inexplicáveis, não aceitar a mamadeira e tantas outras coisinhas mais. Sinto muita falta da minha vida social pois era muito baladeira mas depois da gravidez só programinhas familiares e olhe lá. Minha mãe mora em outra cidade e não tenho com quem deixar meu bebê a noite se quisermos sair, ele fica em casa com a babá no período que estou trabalhando mas quando saio do serviço tenho que ir direto pra casa pra ela poder ir embora. Então minhas saídas são de casa para o serviço e do serviço para casa e isto realmente deixa a gente muitas vezes melancolia sim.

  55. Maria Carolina

    Tenho um bebê de 3 1/2 meses, que amo mais que tudo! Estou perdidamente apaixonada! Mas confesso que sinto saudade de mim! Essa pessoa que eu era (sou?) antes de ele nascer. Uma pessoa leve, livre, cheia de atividades, que só aparecia em casa para tomar banho e dormir…

  56. anônima

    Nossa,sei bem o que é isso. Tô com um bebê de 3 meses e 20 dias e, apesar de amá-lo muito, sinto uma saudade gigantesca da minha vida de antes: sair pra tomar um chope com o marido, sair pra bater um papo com as amigas, sair sem ter hora pra chegar e sem precisar planejar… as vezes me questiono se não deveria ter esperado mais antes de ter um filho, mas aí eu vejo o sorriso do meu bebê e agradeço a Deus por ter me dado um servindo tão perfeito desses. É difícil, muito difícil. Mais difícil ainda por que há um código secreto nas outras mamãe que teimam em sustentar que a maternidade é totalmente perfeita. Nós mulheres recém mães temos que parar de agir competitivamente e passar a sermos cúmplices umas das outras. Beijos.

  57. Pri

    A minha bebê tem somente 20 dias e realmente é muito difícil. Só quem passa por essa experiência é que entende o que estamos passando. É um momento lindo porém muito difícil. Tem dias que estamos super bem e disposta, mas tem dias que minha nossa, é muito Ruim emocionalmente.

    Força mamães, eu espero que esse esses dias ruins se transforme em aprendozado logo logo…e que em um futuro breve consigamos ficar centradas e cada vez mais forte para cuidarmos de nossas vidas e de nossos filhos.

  58. Odi

    Pensei que só eu me sentia assim, tenho uma bebê se 5 meses, no inicio achei q teria depressão pós parto pq os primeiros meses foram muito cansativos e eu que achava que daria conta de tudo e que não precisaria de ninguem me peguei chorando ligando de manhã cedo para minha vir me ajudar pq eu precisava dormir um pouco, mas graças a Deus isso passou, minha bebê se acalmou e começamos a curtir essa fase, mas realmente tem dias q da vontade de sumir, ainda mais depois q voltei ao trabalho, passo o dia longe dela e me sinto mal por as vezes precisar deixá-la com alguem pra mim conseguir fazer alguma coisa em casa, meu marido trabalha muito e as vezes não pode me ajudar como eu gostaria e acabo me magoando com isso, tomar um bom banho é dificil, lavar e escovar cabelo é um luxo, uma vez na semana se eu tiver sorte, as vezes tenho vontade de chorar e me sinto mal por isso, achando q eu deveria estar mais feliz pela minha filha, eu estou, eu sou completamente apaixonada por ela, mãe coruja assumida, mas eu sinto falta de mim e do tempo que eu passava com meu marido.

  59. Fernanda Lesiw

    Realmente… difícil conciliar td junro com o turbilhão de hormônios.. palpites e mais palpites.. meu segundo bb esta a caminho e logo vou passar por essas sensações de novo !! Ansiedade só de lembrar…..

  60. Jackeline Talon

    Adoro seu blog pq estava justamente a procura de uma mãe humana que falasse abertamente dos perrengues que a gente passa sem se sentir culpada e sem aquele clima de nossa como vc pode reclamar.
    A maternidade é sim algo maravilhoso, mas tbm enlouquecedor. Sem dormir uma noite inteira, nos dedicar exclusivamente pra um serzinho, ter q dar conta da casa do marido.. enfim são tantas cobranças que a maior parte das pessoas não entendem.
    Tô na fase do nascer dos dentes do meu pequeno e tem horas que parece q viu surtar coma as crises de choro. Achei de depois da fase cólicas nada seria tão enlouquecedor doce ilusão. Rsrsrs
    Obrigada por escrever a maternidade Real e nos ajudar a sentir menos culpadas.

    1. Macetes de Mãe

      Olá, Jackeline!
      Muuuito obrigada pelo carinho!
      Fico muito feliz em saber que te ajudei de alguma forma <3
      Bjs

  61. roberta dos santos

    Estou vivendo isso novamente: vivi com a Helena, a quase três anos atrás, e agora com a Veronica, que tem um mês de vida. Está sendo bem mais fácil e tem coisas que a gente tira de letra, mas tem outras vezes que a gente surta. Tem que ter amor e coragem pra seguir em frente!

  62. Tais Rocha de Souza

    Identificação total!

  63. Ana Santos

    Shirley, gosto muito do seu blog, sinto que passei a ter mais paz desde que passei a lê-lo. É como se eu conversasse com cada pessoa que comenta. Tenho um bebê de 8 meses que me faz rir e chorar, as vezes acho que não viu suportar mais e na maioria das vezes meu esposo não entende o que eu sinto. É muito difícil. Obrigada de coração!

    1. Macetes de Mãe

      Olá, Ana!
      Fico super feliz com seu comentário, obrigada pelo carinho <3
      Tudo vai ficar bem, fique tranquila.
      Bjss

Deixe seu comentário