Tendinite pós-parto

Há algum tempo, uma amiga me mandou uma foto do seu pulso imobilizado e eu tomei o maior susto. Achei que ela tivesse caído ou coisa assim. Mas aí ela explicou que não era nada disso e que, na verdade, tratava-se de uma “tendinite pós-parto” e que o ortopedista havia dito para ela que isso está se tornando cada vez mais comum.

E não é que está mesmo? Pois no dia seguinte, recebi um email de uma leitora relatando a mesma coisa. Ela contou que desenvolveu uma tendinite 3 meses após o nascimento da filha e que os médicos que ela consultou deram todos o mesmo diagnóstico: Tenossinovite De Quervain ou tendinite gestacional.

Tendinite

Photo Credit: swambo via Compfight cc

Mas o que é essa Tenossinovite De Quervain? O que a causa? Quais seus sintomas e o que pode ser feito para resolver o problema?

O termo tendinite é usado para descrever a situação em que algum tendão, principalmente das mãos, inflama. Isso em geral é causado por movimentos e esforços repetitivos que fazemos com essa parte do corpo e dói muito. Principalmente ao fazer esses mesmos movimentos.

A tenossinovite de Quervain, também conhecida como tendinite gestacional, afeta os punhos da mulher e pode ser causada por conta das alterações hormonais que o corpo sofre nessa fase. O problema pode aparecer bem cedo, já no primeiro trimestre da gestação, ou depois do bebê nascer, mas é fato que o problema piora depois do parto.

Isso por que o movimento de carregar o bebê, segurá-lo para amamentar, para ninar ou dar banho pode forçar a área já inflamada e sensível. E se tendinite já é um problema bem chatinho de tratar normalmente, para as grávidas e mãe fica um pouco mais complicado, pois um dos tratamentos para alívio da dor é o uso de anti-inflamatórios, que não podem ser usados nessa fase.

O que pode ser feito então é fisioterapia e a imobilização com talas e faixas, mas para algumas mulheres em que o caso é mais grave chega até a precisar operar! Claro que não é para todo mundo, mas é uma possibilidade que existe sim. Tem gente que fala que não consegue nem segurar um copo de água ou colher, imaginem o tamanho da dor. Para chegar ao diagnóstico, ortopedistas costumam pedir que sejam realizados exames físicos e radiografias. E muitos dos exercícios de fisioterapia podem ser feitos em casa e devem ser seguidos à risca para melhores resultados.

Depois que a mulher passa a trocar menos fraldas, segurar menos o bebê no colo ou na posição de amamentar a dor costuma diminuir, além da possibilidade de se tomar outros medicamentos depois de parar com o aleitamento. Mas algumas dicas podem ajudar a prevenir e aliviar os sintomas da tendinite:

  • Na hora de amamentar, apoie os braços de maneira adequada e confortável. Seu pediatra pode ajudar a indicar uma posição correta.
  • Faça movimentos circulares com os punhos de tempos em tempos e várias vezes ao dia, para relaxar os ligamentos
  • Se o seu médico liberou atividades físicas e exercícios, procure fazer
  • Aproveite qualquer tempinho para deixar os braços e mãos relaxados, nem que por cinco minutos, entre segurar seu bebê, trocar fraldas e amamentar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

19 comentários

  1. Marcella Martins

    Eu fui mais uma mãe que desenvolveu esta tendinite o pior é que cuido sozinha da casa e da minha bebe. Desenvolvi além da tendinite um calo no tendão que até hoje não diminuiu. Fiz 20 sessões de fisioterapia e nada de melhora. Foi muito mesmo. Tenho que tomar muito cuidado ao dar banho na minha bebe pois minha mão esquerda que está com o calo as vezes falha. Faço de tudo por ela. Como amamento não tomo nenhum remédio para a dor. Faço muita compressa e uso sprays para o alívio. Minha bebe já está com quase cinco meses. O meu jeito foi me adaptar e me acostumar com a dor

  2. Vivi

    Nossa! Isso dói demais, desenvolvi durante a gravidez, e após 3 meses que minha filha nasceu eu operei. A melhor coisa que fiz, acabou as dores

    1. Annamari

      Vivi, por favor, como eh a cirurgia? E o pos operatorio? Demora a recuperacao? Minha bebe ta com 4 meses e me preocupo com o pos operatorio… Obrigada!

  3. Sophia

    Eu desenvolvi isso no final da gravidez e durou até eu para de amamentar que foi entre o 9º e 10º mês de vida do meu filho… Eu tinha dores horríveis e precisei ficar imobilizada com tala, principalmente para dormir… Do mesmo modo que ela apareceu ela foi embora, vi uma reportagem na Globo News que dizia que muitas mulheres sofriam disso e que era um problema totalmente psicológico, resumindo, era a insegurança da mãe com tudo novo que estava acontecendo… Como eu disse, do mesmo jeito q veio foi, sofri e sofri muito com a dor, tinha medo de derrubar meu filho no chão pq perdi total a força no punho direito… Meu filho vai fazer 2 anos e nunca + sofri disso !

    1. Priscila

      Problema psicológico tem o jornalista que preparou a matéria! Tive tendinite lá pelo sétimo mês de gestação e até o quarto mês do bebê, a ponto de sentir minhas mãos queimando de dor de madrugada. Não pude amamentar e tive que tomar um monte de analgésicos e antiinflamatórios para resolver esse problema. Uma amiga fisioterapeuta que me alertou para esse problema, quando me queixei dos incômodos, e então fui ao médico. Nem poderia imaginar…

  4. Thais Alves Pinto Toloi

    Eu tive logo que meu filho nasceu não conseguia segura-lo no banho foi muito doloroso mas sem saber que isso era comum acontecer tive muito medo de ir ao médico pois não poderia pensar na possibilidade de parar de amamentar por causa disso não procurei ajuda aguentei a dor por uns seis meses depois foi melhorando até acabar.

  5. Rayanna

    Eu preciso comentar esse topico, leio muito os textos, mas esse me fez lembrar a DOR INSUPORTAVEL E INDESCRITIVEL que eu tive….
    Era uma dor horrivel que tinha vezes que eu não conseguia segurar o meu Ramon no braço, e eu morava sozinha, pense como foi dificil, era uma dor no tendão do polegar, chega estalava…. Jesuuus… MAS com o tempo realmente foi passando, não desejo essa dor a ninguém, rsrsrs
    um beijo.

  6. Virgínia Freitas

    Olá meninas! Tive antes da gravidez e era uma dor horrível. Operei e nunca mais tive nada. Sem dor, sem remédios e a minha alegria voltou. Bjs

  7. Regina

    Eu tive este problema é, rapidamente, a dor evoluiu e eu não conseguia nem pentear o cabelo ou escovar os dentes. Fiz a cirurgia quando meu bebê estava com 5 meses. Foi muito simples. Precisei ficar 5 dias sem movimentar o braço, mas depois disso, vida normal e sem nunca mais sentir dor!

  8. Karina

    Nossa eu estou passando por isso é já tem um ano, não fui ao médico pq não tive tempo, e foi logo depois que ganhei meu filho que começou uma dor que vai e volta no pulso, às vezes eu vou espreguiçar de manhã esticando os braços e ai sinto a dor parece q vai torce meu pulso, no início doía mais hoje não dói muito mas ficou um Caroço nos dois pulso. Tenho q ir no medico urgente pq quando bate alguma coisa em cima desse carroço eu quase morro de dor.

  9. Telma

    Comecei a ter dores nas mãos e braços na gestação e meu médico disse ser Síndrome do Túnel do Carpo, ou tendinite gestacional, na amamentação sentia muitas dores nas mãos e hoje minha filha está com quase 3 anos, ainda sindo dores, tenho que dormir com talas nas duas mãos para amenizar o incômodo noturno, e muitas vezes não consigo fazer tarefas simples, como abotoar o cinto da cadeirinha da minha filha, faço tratamento, tomo remédios, melhora se parar voltam as dores novamente

  10. Samantha

    Também passei por isso e até então não conhecia outras pessoas que tivesse tido esse problema.
    Minhas dores começaram assim que meu filho nasceu, no pulso direito.
    Com 15d eu já havia falando com a gineco e a suspeita era flebite. Fui pro vascular, que disse que isso já estava em processo remissivo e não era para doer tanto. Tomei remédio, mas não melhorou. O dignósticou mudou para tendinite de De Quervain, que se confirmou no Ultrassom. Quando fui fazer esse US na mão direita, meu pulso esquerdo já começa a doer tb. Tudo isso com 1,5m após o parto.
    Fui piorando mesmo com fisioterapia e com a ajuda da babá (que contratei para me ajudar a poupar minhas mãos). Para piorar, fiquei com gatilho nos tendões das duas mãos depois de começar os exercícios da fisioterapia.
    Por falta de força e sensação de queimação na mão, deixei de dar banho no meu filho e não raspava fruta de jeito nenhum. Era impossível.
    Quatro meses após parto, minhas mãos travaram completamente. Levantei cedo para amamentar, mas quando fui pegar o bebê, minhas mãos não responderam. Entrei em total desespero. Chorei horrores. No dia seguinte eu tinha retorno no ortopedista e no pediatra. Eu sabia que ambos mandariam eu parar de amamentar para me tratar. Chorei copiosamente 2d.
    É verdade, stress faz o leite secar. Eu tinha muito leite. Conseguia extraí leite após a mamada. Após esses dois dias, eu mal tinha leite para 1 mamada completa.
    Enfim, fiz fisioterapia intensiva para sair da crise, que ajudou, mas a dor a dificuldade de trabalhar com as mãos estava lá.
    Enfim, minha MENSTRUAÇÃO voltou passados 7m do parto!
    Uns 15 dias depois disso, as minhas dores (que eram constantes e pioravam durante a noite devido ao repouso) começaram drasticamente a melhorar.
    Os médicos disseram que não tinha nenhuma correlação. Sinceramente, no meu caso tinha tudo a ver!!!
    Faz 3m que estou sem dor. Do jeito que ela veio, ela se foi.
    Voltei a dar banho no meu amorzinho. As mamães devem saber o quão maravilhoso isso foi para mim.
    Coragem e força às mamães que ainda estão com dor. Ela vai passar, mas peçam e aceitem ajuda!!!!

  11. samantha

    Também passei por isso e até então não conhecia outras pessoas que tivesse tido esse problema.
    Minhas dores começaram assim que meu filho nasceu, no pulso direito.
    Com 15d eu já havia falando com a gineco e a suspeita era flebite. Fui pro vascular, que disse que isso já estava em processo remissivo e não era para doer tanto. Tomei remédio, mas não melhorou. O dignósticou mudou para tendinite de De Quervain, que se confirmou no Ultrassom. Quando fui fazer esse US na mão direita, meu pulso esquerdo já começa a doer tb. Tudo isso com 1,5m após o parto.
    Fui piorando mesmo com fisioterapia e com a ajuda da babá (que contratei para me ajudar a poupar minhas mãos). Para piorar, fiquei com gatilho nos tendões das duas mãos depois de começar os exercícios da fisioterapia.
    Por falta de força e sensação de queimação na mão, deixei de dar banho no meu filho e não raspava fruta de jeito nenhum. Era impossível.
    Quatro meses após parto, minhas mãos travaram completamente. Levantei cedo para amamentar, mas quando fui pegar o bebê, minhas mãos não responderam. Entrei em total desespero. Chorei horrores. No dia seguinte eu tinha retorno no ortopedista e no pediatra. Eu sabia que ambos mandariam eu parar de amamentar para me tratar. Chorei copiosamente 2d.
    É verdade, stress faz o leite secar. Eu tinha muito leite. Conseguia extraí leite após a mamada. Após esses dois dias, eu mal tinha leite para 1 mamada completa.
    Enfim, fiz fisioterapia intensiva para sair da crise, que ajudou, mas a dor a dificuldade de trabalhar com as mãos estava lá.
    Enfim, minha MENSTRUAÇÃO voltou passados 7m do parto!
    Uns 15 dias depois disso, as minhas dores (que eram constantes e pioravam durante a noite devido ao repouso) começaram drasticamente a melhorar.
    Os médicos disseram que não tinha nenhuma correlação. Sinceramente, no meu caso tinha tudo a ver!!!
    Faz 3m que estou sem dor. Do jeito que ela veio, ela se foi.
    Voltei a dar banho no meu amorzinho. As mamães devem saber o quão maravilhoso isso foi para mim.
    Coragem e força às mamães que ainda estão com dor. Ela vai passar, mas peçam ajudar!!!!

  12. Janete

    Eu também tive essa tendinite. No meu caso, foi causada porque segurava meu bebê sempre na mesma posição, o que sobrecarregou o tendão da mão esquerda. Ficou um caroço também. O que me curou foi fisioterapia e acupuntura. Fiz umas 40 sessões. Só quem tem para saber a dor que é!

  13. vanessa

    Eninas…realmente passa depois de um tempo?? Nao aguento a dor. Minha bb esta c 3 meses. Ja pensei em operar…sei la….

  14. Adriana

    Vanessa, tbm estou assim…vou esperar passar e ir tomando paracetamol quando não aguentar a dor!

  15. Elisa

    Boa noite meninas, realmente minha filha hj esta com 3 meses e comecei a sentir assim q nasceu e realmente é uma dor horrível, sensação horrível de Q vou deixa-la cair, sinto aa vezes como se até estalasse e aguentei até hj e fui ao médico fiz exames e foi constato os médicos se referem até como (tendinite da mamãe) e no meu caso estava tão inflamado q tive q imobilizar o q tmb n é muito bom pq está sendo horrível p pegar p tudo, mas enfim se for p melhorar q seja..

  16. Andrea jeanine Eckert

    Eu estou com tendinite e síndromes do túnel do carpo. Derrubo tudo nada fica na minha mão. Tenho medo de derrubar meu filho surgiu quando estava com 3 meses agora está com 10 esperei todos me diziam que vai embora a dor. Fiz uma neurôniomiografia e foi contatado que é dor crônica somente cirurgia dia 11 agora de março opero depois da cirurgia venho dar mais informações no meu caso é nos dois braços mas vou operar 1 depois de 6 meses o outro

  17. Ana Paula

    Tenho essa tendinite também, faz 2 anos que estava esperando “passar/ir embora” como algumas mães disseram, mas nada, dói muito, principalmente no frio. Então prefiro fazer a cirurgia do que passar com essa dor. Mães se sentirem essa dor procurem um médico.

Deixe seu comentário