Confissões de uma mãe imperfeita

Não é porque eu tenho um blog sobre maternidade que eu sou uma mãe perfeita, que eu faço tudo certinho. Na verdade, estou longe, beeeeem longe disso.

E hoje resolvi escrever sobre isso aqui. Confessar as minhas imperfeições, dar a minha cara a tapa e também servir como consolo para muitas outras mães que terminam os dias se culpando por uma ou outra coisa que fizeram errado, longe do perfeito e do ideal.

mae imperfeita

Photo Credit: Fairy Heart ♥ via Compfight cc

Sim, nos somos humanas, nós falhamos, nós jogamos a toalha, nós optamos pelo caminho mais fácil. Muitas e muitas vezes. E isso não nos faz péssimas mães, porque eu aposto que tem um tantão de outras coisas nas quais a gente é super bacana, a gente arrasa, a gente samba de salto na cara da sociedade e isso faz com que no fim das contas, no frigir dos ovos, tudo entre num equilíbrio e termine bem.

E então, para você parar de se sentir a mãe malvada, a “menas mãe”, aquela que sempre deixa a desejar, estou aqui para mostrar que eu também tenho os meus pontos fracos e que eles não são poucos. Quer ver?

Eu deixo o Leo comer na frente da TV. Quando a gente vai ao mercado, eu deixo ele pegar um pacote de balas se ele for querido, se comportar, não der escândalo e me deixar fazer as compras até o fim sem perder a sanidade (ps: evito ir no mercado com ele porque detesto dar essas maledetas balas). Eu já deixei o Cae dormir sem tomar banho porque a visita saiu tarde, ele estava dormindo bonitinho e eu não quis acordar. Eu também já deixei o Cae dormir com cocô na fralda porque não quis trocar no meio da madrugada e correr o risco dele acordar. Eu já devia ter trocado algumas das mamadeiras do Leo, que estão bem velhinhas. Na verdade eu já devia até ter tirado a mamadeira dele (mas estou com preguiça de brigar por isso). E pior que a mamadeira, eu já devia ter tirado a chupeta (essa eu odeio com todas as minhas forças, mas sinto que se tentar um embate agora, tirando esse acessório da vida do pequeno, quem sairá perdendo sou eu). Eu sou uma pessoa cuja paciência vai até a página 15, então, algumas vezes, perco as estribeiras e acabo soltando uns gritos (Cae ainda está livre disso. Mas também, o tadico só tem 6 meses. Quem gritaria com um bebê de 6 meses?). Eu adoro quando o Leo diz que quer dormir na casa da avó. Eu fico feliz quando as férias acabam. Eu já quis que o Cae tivesse uns 2 aninhos para eu ter mais liberdade (na verdade, eu já desejei, e mais de uma vez, que os dois já fossem adultos). Eu sonho, sonho, sonho, sonho com liberdade. Eu lembro com saudades das viagens que fiz antes de ter filhos. Eu já senti que tenho muito menos autoridade que deveria ter. Eu já fui num restaurante e desejei ter a babá da mesa ao lado. Eu já dei o iPhone para o Leo brincar e me deixar almoçar em paz. Eu já tive vontade de sair andando porta a fora – sem filhos – e só voltar uns 3 dias depois.

Essas são algumas das minhas confissões de mãe imperfeita, das quais eu não me orgulho, claro, mas que fazem parte da minha história como mãe. Elas apertam o meu calo, mostram as minhas fraquezas, mas também não me resumem nem me representam como mãe. Eu sou sim muito mais do que isso, muito mais do que essas imperfeições. E é nessa outra parte, na parte da mãe bacana, responsável, amável e zelosa que eu me me inspiro todo santo dia, para tentar sempre fazer mais e melhor. Para me superar e deixar uma imagem marcante e bacana na memória dos meus filhos.

E quer saber? Acho que estou conseguido. Os braços do Leo em torno do meu pescoço, dizendo “Eu te amo”, ou ele falando para o pai “Minha mãe é muito legal”, ou ainda o sorriso largo do Cae e seus bracinhos balançando eufóricos quando ele me olha me fazem ter certeza de que não estou muito longe do caminho e daquilo que na essência eu busco: ser a melhor mãe que meus filhos podem ter, mesmo com minhas falhas e imperfeições.

 

E quem nunca errou, quem nunca falhou, que deixe o primeiro comentário criticando esse post. Tem meu total apoio para fazer isso.

56 comentários

  1. jheni

    Super concordo! Já fiz muitas coisas que foram citadas e ainda outras, mas também tenho meu lado “super mãe”. Acho que se todas nós adimitissemos tudo isso, essa maternidade seria mais leve! Beijos!

  2. Ana Flávia

    Olá Shirley! Adorei seu texto… principalmente agora que estou de 35 semanas de gestação e minha filha mais velha está com 1ano e 11 meses… Escolhi ficar em casa com ela assim q ela nasceu, então sou mãe e dona de casa em período integral!!! Te entendo perfeitamente e me identifico mto!! Com essa barriga não consigo dar toda a atenção que ela quer, não consigo mais cuidar da minha casa como eu gosto, as vezes quero sumir… Mas tento me consolar pensando ser apenas uma fase que logo passará e que não sou a única no mundo com medos e receios… Obrigada por partilhar esse desabafo /texto… Bjinhus

  3. Cristiane

    SEM COMENTÁRIOS….Abstenho-me totalmente de comentar kkkkkk. Apenas uma constatação: Impressionante quando ficamos menos críticas – conosco e com as outras – depois do primeiro filho….

  4. Elisa

    Ola Shirley, adorei o seu texto. Eu também estou longe de ser uma mãe perfeita, mas faço tudo o que está ao meu alcance para minha filha de 1 ano e meio. Estou esperando um menino agora e confesso que com a gravidez de 18 semanas estou menos paciente e cansada. Ela começou a escolinha meio período na semana passada, meu coração está apertado e me sinto culpada por deixá-la, mas ao mesmo tempo eu preciso desse tempinho para mim e para fazer alguma coisa tranquila nem que seja ir ao mercado. Parei de trabalhar para dedicar à maternidade e não tenho nenhum arrependimento. O que me faz mais feliz é acordar com um beijo dela e vários abraços.

  5. Marivone

    ADORO a forma como vc escreve!
    Já fiz e faço muitas dessas coisas e vivo arrasada por não ser a mãe perfeita, por estar exausta o tempo todo.Mas é como dizem: junto com a maternidade nasce também a culpa rs…

  6. Adriana

    Adorei e me emocionei, as pessoas esquecem que somos mães, mas também humanas…Na minha minha primeira filha me cobrava mais e queria provar pras pessoas q era uma boa mãe. Hoje sei que sou e não preciso provar nada pra ninguém!! Parabéns pelo seu blog, vc nem imagina o bem q faz!! Bjss

  7. Rose

    Apenas uma coisa a falar “Estamos Juntas”, os meus erros podem não ser exatamente esses que você listou, podem ser mais leves, ou muito piores, mas uma certeza eu tenho, de que ele recebe muito amor e carinho, e na medida do possível, faço o melhor por ele, faço o meu melhor e dou o meu melhor pra que ele seja feliz e saudável.

  8. Letícia

    Exatamente isso, sem tirar nem por uma vírgula sequer.
    (Mãe de uma menina de 7 anos, que hj está doente, e de uma bebê de 2 meses que fica o dia todo no peito) ?

  9. Clarissa Resende

    Muito bom! Eu não tenho nenhum pudor quanto a algumas coisas. Aqui um de 2a3m e una de 5 meses. Já deixei de trocar fralda de cocô também. Eu sinto saudades TODOS OS DIAS da minha autonomia antes de ter filhos. Eu DETESTEI amamentar. Eu detesto os primeiros 6 meses kkkkk

    1. KATIUSCIA

      Clarissa seu nome é lindo! Minha filha também se chama Clarissa, tem 4 anos e eu a amo mais que a mim mesma. Ela é meu tudo… apesar disso também não gostei de amamentar, de mal dormir, de mais um monte de coisas dos primeiros meses após a chegada dela. Mães normais. Como qualquer serhumano imperfeito…

  10. Jailma

    Já deixei o o Chico dormir sem tomar banho, também ja desejei muito que ele fosse maior, liberdade então nem se fala. O Francisco nasceu que minhas 24h diárias são dele o que significa que há quase 9 meses não tenho vida social, não encontro minhas amigas pra uma cervejinha gelada…e estou começando a sentir falta disso mas confesso que sofro só de deixa-lo em casa pra ir ao mercado. Enfim, tô longe de ser a mãe perfeita mas se comparar a alguns exemplares que conheço, sou a melhor mãe que o meu filho poderia ter.

  11. Lorranny

    Amo ser mamãe.. Tenho um de dez anos e um de quatro… de tudo que passei depois de ser mãe, amamentar foi o pior… detestei, achei um saco e não é bonito #prontofalei.

  12. Leticia Furoni

    Não existe e nem nunca vai existir mãe perfeita… confesso que sou um pouco perfeccionista, e preferi acordar meu filho e trocar o cocô a deixá-lo com a fralda suja, sempre levo meus filhos no supermercado junto comigo, aliás vou a todos os lugares com eles, e até q tenho paciência, e nao compro as maledetas balas… mas minha filha quer os maledetos salgadinhos…. as vezes me rendo… e cometo um milhão de outras faltas… as vezes me vejo como uma criança brigando com outra criança qdo nao consigo fazer com q eles me obedeçam… e liberdade??? Ahhhh….. a liberdade…. sonhei com ela algumas vezes….. mas chorei de arrependimento depois, por me sentir culpada, afinal meus 3 filhos são a razão d minh vida…. nos culpamos sem termos culpa…. essas somos nós mães… amamos com todas as nossas forças, damos nossa vida pela de nossos filhos…. e ainda somos capazes de nos sentirmos péssimas qdo ainda não tiramos a mamadeira do pequeno…. somos ou nao somos complicadas???? O que importa mesmo é que o amor sempre fala mais alto, e se é que realmente erramos alguma vez, foi por amor, foi tentando acertar… E qual o problema de as vezes querermos sair correndo e largar tudo e voltar depois de 3 dias??? Não há problema algum nisso… nao devemos nos sentir culpada por isso… afinal nós nunca o faríamos…. se fizermos aí sim poderíamos sentir culpa….. um abraço a todas as mamães…

  13. Dainele

    Shirley, queria te agradecer por esse relato. Já passei por algumas dessas coisas também, e me questionei muito se estava no caminho certo. Agradeço por não seres a blogueira perfeita, que faz tudo “certo”, pq essa mãe não existe, é irreal… Obrigada por se aproximar tanto de nós. Um beijo grande

  14. janaina

    A minha filha de 1 ano e 11 meses, dorme comigo, por comodidade, por gostar, por preguiça….afe…. também come assistindo TV, fica dias sem tomar banho por causa do frio…. e por assim vai

  15. Ana

    Mais mães que detestaram amamentar!!! Oba, não sou só eu!! Tb achei um saco!
    Shirley, excelente texto, parabéns! Todas nós assinamos embaixo.

  16. Luciana

    Fui eu quem escreveu esse texto? ? obrigada por compartilhar!

  17. Cristina

    É isso aí!!! Eu confesso que fiquei feliz quando o pediatra, meu amigo de anos, vendo meu estado deplorável, me autorizou a dar uma mamadeira à noite (dada pelo meu marido) para que eu pudesse dormir umas horinhas a mais! Estava um bagaço, um caco, uma doida varrida de não conseguir dormir mais que duas horas e isso foi a minha salvação!!!! Meu filho passou a dormir melhor, engordar e eu passei a produzir um leite de melhor qualidade para ele!!! A diradura machista da mãe perfeita=mulher-trapo velho imposta pelas próprias mães tem que ter fim!!! A maternidade real não é um mar de rosas e, não raramente, precisamos harmonizar a rotina fazendo uso de recursos práticos, ainda que não ideiais…

  18. Daniela

    Adorei muito mesmo

  19. Elyan

    É tão bom saber que não sou a única no mundo!!! Seu blog me ajuda muitoooo… Mãe de primeira viagem, estou com um bebê de quase cinco meses… Tem dia que penso que vou ficar doida! Minha mora em um estado 8hs distante de mim e tenho que aprender e fazer tudo praticamente sozinha. O Davi faz pirraça quase todos os dias pra dormir, minha casa está longe do que eu entendo como ideal, minhas roupas pra lavar estão transbordando do cesto… E tem dia que coloco roupa sem passar no baby… Vergonha total! Sou mega perfeccionista e me faz sofrer. Mas ler seu texto me traz um certo “alívio”. Obrigada por compartilhar e tirar um pouco do meu “peso”.

  20. Fabiana

    Já esqueci de dar Adtil! Já enrolei ela com chupeta na madrugada pra poder dormir mais…. Já deixei chorar enquanto me recupero…..

  21. Roberta

    Adorei!

  22. Alessandra

    Obrigada por se expor dessa forma, nos mostra que não estamos sozinhas, todas passamos, cada uma da sua forma, por momentos difíceis que muitas vezes nos levam a culpa. Mas passa é uma fase, estou no meu segundo filho, a primeira tem 19 anos. Parece até o primeiro.

  23. Daniela Torres

    Sensacional. Adorei as confissões e me enxerguei em muitas delas. Quem nunca?!?
    Estou com uma bebê recém nascida em casa e um de 3,5 anos. Já vi que o caminho para uma rotina estruturada como eu tinha até algumas semanas atrás será árduo. Mas a gente consegue, mesmo com as imperfeições de mães normais!

  24. Liliane

    Amo seu blog! E isso mesmo! Somos maes, somos humanas, temos imperfeicoes!!!! Tem dia que da vontade de fugir …..

  25. Rejane

    Realmente amamentar não tem todo esse glamour… não gosto nem um pouco.. é necessário e eu faço com livre demanda mas dóiii.. os primeiros dias são assim os piores… mas olhamos para aquelas carinhas e tudo passa mas não quer dizer que sejam bons.. as mulheres tem medo de ser honestas.. se soubessem que falando a verdade estariam nos preparando melhor para encarar de frente a maternidade…

  26. Marcela Braga

    Hahaha, estou me vendo nessas situações. Meu filho hj está com três anos, eu tbm já desejei que ele tivesse maior idade kkkk.
    Mas essas loucuras são tão boas, que estou na batalha pra engravidar outra vez! Amo esse blog, ele diz exatamente como nos mães somos. E,quer saber, #estamosjuntas

  27. Kelly

    Sempre me emocionou com essas matérias sobre a maternidade, pois diz tudo o que realmente acontece na pratica. Ser mãe não é um conto de fadas, nós sabemos muito bem disso.
    Sou mãe de uma menina furacão de 1 e 4 meses que é minha vida; Mas a mamãe aqui está exausta rsss

  28. Daniela

    Excelente texto! Não somos perfeitas, aliás, ninguém. A maternidade não é um mar de rosas e sabemos muito bem. Sair andando e voltar daqui 3 dias… Ah! nem te conto kkk

  29. Sivia

    Eu tbm odiei amamentar… E os três primeiros meses eu tbm não gostei… Nos periódo de TPM fico muito nervosa e confesso que já gritei com meu bebê… Hj ele está com 7 sete meses… Gente! Como é difícil ser mãe…

  30. Mayara

    Que lindo ler que outras mães não gostaram de amamentar. Pra mim qdo tirei minha filha do peito foi libertador. Que delícia assumir isso!

  31. Staianes Domingues

    Como é bom ler isso. Me sinto frustrada quando outro faz meu bebê dormir em 5 minutos e eu não consigo fazer em meia hora. Mas acho o máximo quando ele chora qnd saio pra trabalhar e qnd ele sorri pra mim de madrugada parece um “muito obrigado” da parte dele.

  32. raiza

    Bom deixar dormir de coco, e sem tomar banho e super normal e até implorar para o filho dormir um pouco p vc descansar ou por a casa em ordem. Sentir saudades da vida sem filhos , sinto todo dia

  33. Marcia

    Nossa, tudo é normal nesse texto!! Tbm sinto saudades de ser livre.

  34. Larissa

    obrigada demais pelo depoimento… tbem sinto tudo isso e faço me sentindo péssima… entrando em depressão… querendo fugir. Mas ver você falar é tão reconfortante que me dá esperança e força para continuar… hhh tbem odiei amamentar. Graças a Deus posso falar isso aqui. Obrigado

  35. Carolina Del Roveri

    Oi!!! Vc escreveu exatamente o que sinto! Que bom não estar sozinha!!!

  36. tatiana Lithien

    Lendo seu blog hoje parecia que eu escreverá o texto, salvo os detalhes específicos. vivo me sentindo culpada por várias coisas, principalmente por trabalhar e ter pouco tempo com eles.
    Não tirei também a chupeta do meu mais velho devido a chegada da pequena (três anos e cinco meses respectivamente ) , negocio balas e carrinhos pelo bom comportamento no mercado ou no shopping. Uso comida infantil pronta muitas vezes durante a semana, ambos já dormiram sem banho só pela tranquilidade de terem ido dormir sem stress, ou cedo como eu precisava.
    E sim, amo quando eles querem sair com a dinda ou dormirem na casa da vovó.
    Parabéns por ser comi eles e tantas outras mães, normais. Esforçadas e normais.

  37. Lilia

    Adorei tudo que vc escreveu! Ontem mesmo quando tentava tirar um cochilo a tarde, todos insistiam em ficar na cama comigo (um de 1 ano, um de 4 e o marido). Aí falei: sou chata, brigo, grito, sou exigente e mesmo assim vcs querem ficar sempre comigo. Como explicar isso? O de 4 anos responde: é por que a gente te ama! Então não deve estar tudo tão errado assim….

  38. Bárbara

    Que alívio senti ao ler seu texto! Apesar de ser mãe de uma linda garoto na de dois anos e dois meses e amar essa condição. .. te confesso que às vezes tenho vontade de sumir. … essa fase dos dois anos estão me enlouquecendo e me sinto observada e julgada por todos os lados pois além de mãe sou professora. . Aí jogam a pedagogia na minha cara….rs…Bom saber que não estou só em minhas falhas…. sou ótima mãe. ..mas tbm sou humana e não tenho que me chicotear quando minha filha dormir sem escovar os dentes. … adoro seu blog. … bjo

  39. Ana

    Ai! Como é bom ver que outras mães são assim TB. Porque muitas não falam a verdade, mas no fundo fazem isso TB. Já aconteceu essas coisas que citou comigo TB, e me sentia culpada. Amei o post!

  40. Marcela

    Falhar como mãe e ser “menasmae” seria se vc delegasse a educação dos seus filhos. Ou se vc não mudasse nem um pouco a sua vida em função do bem estar deles, ou fizesse eles de acessórios fofinhos, tão descartáveis Qto uma bolsa. Ou pior ainda: fizesse tanto drama com a maternidade que Transformasse a vida de todo mundo em volta em um inferno. Sob esse ponto de vista, eu nunca falhei. Agora, pegar um atalho, negociar, recompensar, deixar a criança quieta e dar a ela privacidade não é erro nem falha. E fazer o melhor possível.

  41. Parabéns ótimo texto… E todas nós somos antes de tudo “mães reais”…

  42. Débora

    Parabéns Shi! Texto incrível, todas nós somos imperfeitas. Acertamos em alguma coisa e erramos, ou não fazemos como gostaríamos em outra. Meu maior sonho também é sair de férias sozinha por uns dias, mas que coração aguenta??? Parabéns pelo texto e por nos inspirar sempre. Afinal, todas queremos ser nossa melhor versão. Super beijo, Débora

  43. Ingrid

    É bom ler essas coisas!!! As vezes fico me punindo por falhar!

  44. Ingrid

    É bom ler essas coisas!!! As vezes fico me punindo por falhar!
    Parabéns pelo texto e coragem!

  45. Camila

    UFA! Que bom ler esse texto e saber que aí do outro lado tem uma mãe real, eu me senti a monstra quando dei chupeta pra minha bebê de dois meses, quando comecei a dar uma leitinho pra complementar a mama então, me senti a pior das mães. No fundo não podemos ser perfeita, na verdade somos perfeitamente imperfeitas e criamos nossos filhos com o maior amor do mundo e no fim é isso o que realmente conta!
    Bjus

  46. cristiane

    rsrsr…eu dei uns gritos quando a minha filha tinha 6 meses…no auge da exaustão…affff…

  47. Lourena

    Lendo esse texto percebo que não sou a unica a passar por essa sensação de não está sendo boa mãe.
    #somosasmelhoresmãesquepodemosser.

  48. ezileide

    Somos antes de mães, pessoas com uma vida antes dos filhos é mais do q normal sentirmos saudades e as imperfeições precisamos lidar com elas e se for para um minuto de tranquilidade ou por um momento raro de paz vale a pena. Q tenhamos leveza para nos perdoarmos, afinal a cobrança maior para a busca do q achamos q é o certo vem de nos mesma. Parabéns pela coragem das palavras pois mesmo sendo muito verdadeiras ainda existem muitos conceitos formados do q é certo ou errado. Muito triste vê pessoas acreditarem q seus filhos são melhores oy sua criação é melhor. O mundo precisa de pessoas como vc real.

  49. Leticia Furoni

    Gostaria de saber pq vc nao publicou meu comentário, falei algo q te chateou? Um abraço!

  50. Juliana

    Shirley, creio que ninguem nunca cobrou isso de você, mas na nossa cabeça de mãe estamos sempre nos autopunindo. queremos ser perfeitas, la no fundo queremos.. mas vale a pena repetir um mantra interno do tipo “estou fazendo o melhor que posso”. e o resto é o resto.

  51. Karine

    Alívio em saber que acontece com mais gente….eu só queria uma noite inteira de sono …. Meu filho tem 1a8m e até hj não tive uma…. Se me estresso e dou um piti meu marido me culpa e fala que estou deixando ele doente… Então é melhor manter esses sentimentos só comigo… Tenho um trabalho que me permite um pouco de liberdade, mais sou mãe e dona de casa tb… Tb me canso e muito… Só outra mãe para me entender, ninguém mais entende…

  52. Priscila

    Nossa como me identifiquei . Como mãe de dois as vezes acho que vou enlouquecer RS. ..tenho vontade de sumir as vezes mas quando preciso viajar a trabalho 3 dias me deixam morta de saudade dos meus pimpolhos.
    Tem uma frase de uma certa propaganda que adoro e acho a coisa mais certa. “Não existe mãe perfeita existe mães reais ! “

  53. Bárbara S

    Shirley
    Enfim um post sobre maternidade real.
    Pq hj em dia existe pressão e cobrança sobre todas as coisas!
    Independente do tipo de parto quer seja por escolha ou necessidade recebemos críticas.
    Se foi cesárea é pq a mãe foi medrosa n quis sentir a dor.
    Se foi humanizado em casa é pq ela é “alternativa” ou doida!
    Quando vc n consegue ou não quer amamentar seja qual for o motivo tem um zilhão de pessoas p dar opinião.
    E por aí vai…somos bombardeadas de todos os lados até mesmo p outras mães com infinitos conceitos sobre a maternagem idealizada e muitas vezes isso nos causa sentimentos de angústia e tristeza e nos deixa inseguras sobre a nossa capacidade de criar nossos filhos.
    Hoje li outro post no site paizinhovirgula.com que diz o seguinte: ” Não existem pais e mães perfeitas. O que existe é o melhor pai (ou mãe) que eu e você podemos ser. Entender isso é essencial para nos livrarmos da eterna frustração de nunca conseguir ser aquilo que desejamos. Só conseguiremos ter compaixão com os nossos filhos quando tivermos de nós mesmos.”

  54. Isis

    Olá!! Sou mãe do Pedro, que tem dois anos, e dos gêmeos Beatriz e Rafael, que estão crescendo na minha barriga (estou de 28 semanas).
    Vivo com essa culpa de nao ser a mãe mais perfeita. Agora que minha gestação é de risco, o remorso só aumentou… Rss…
    Esses dias estava com muita dor em tudo e travada. Mal conseguia andar de tanta dor. Meu marido estava trabalhando e eu estava sozinha em casa com o Pedro, pedindo a Deus que ele dormisse logo porque eu não tinha condições de ficar brincando. Então, Deus mandou um anjo! Minha mãe ligou, perguntando se o Pedro poderia ir passar a noite com ela. Falei q sim na hora. Ela veio buscá-lo e foi uma felicidade enorme para todos. De repente, vi eles saindo pelo portão e fiquei chorando… Aos prantos… Nao me lembro de ter chorado tanto na vida. Eu tava com a sensação de que havia abandonado ele… Mas ele estava super bem!
    Esses sentimentos acabam conosco… Mas sei que sou uma boa mãe. E venho tentando, errando e acertando todos os dias! Bjos a todas!

  55. Eva

    Oi. Eu me sinto um lixo quando brigo e perco a paciência. Eu me odeio quando isso acontece, vejo tantas pessoas pacíficas e eu não, parece que nunca vou prestar sempre serei ruim como mãe pra sempre será?

Deixe seu comentário