O risco da contaminação de bebês por herpes

Fui ler meus emails outro dia e cheguei em um em que uma das leitoras do blog sugeria que eu falasse sobre um tema que é bastante importante, o da contaminação dos bebês pelo vírus da herpes.

Isso pode acontecer durante o parto vaginal e, embora não seja supercomum, alguns casos acabam bem mal, até com a morte do bebê. Sei que é assustador dizer isso, mas é mais um motivo para eu ter ido atrás de informações que são preciosas para quem está grávida ou quer engravidar.

O vírus da herpes genital é “irmão” do vírus da herpes labial e do vírus da catapora. Como o da versão da doença nos lábios, ele é um vírus que fica pra sempre dentro do organismo da pessoa infectada e pode aparecer conforme baixas na resistência do corpo. No caso da herpes genital, a primeira vez que ele aparece costuma ser a mais forte e depois as reincidências ficam mais leves.

Herpes

Photo Credit: euthman via Compfight cc

Os sintomas são primeiro ardor e depois bolhas e ínguas no pênis e na vagina dos adultos. Da primeira vez que ele aparece pode dar também febre e dores musculares. O vírus é transmitido por relação sexual, mas a pessoa pode contrair o vírus mesmo sendo virgem.

Nos adultos, o herpes genital, além de incômodo é perigoso pois abre portas para outras infecções. E quando a mulher tem o vírus, ela pode transmiti-lo para o bebê durante o parto ou mesmo na gravidez. Não é o mais comum, na maioria dos casos, a mulher que tem o vírus gera bebês saudáveis, mas isso pode não ocorrer. Se a mãe estiver com lesões na hora do parto, aí aumentam muito as chances do bebê ser contaminado, chegando até a ser um dos casos em que pode se recomendar a cirurgia cesariana.

Se você sabe que você ou o pai da bebê ou ainda seu parceiro sexual (caso não seja o pai do bebê) tiveram sintomas como os da herpes genital, o melhor a fazer é avisar o seu médico para que ele possa avaliar a melhor atitude a ser tomada. Caso você nunca tenha tido os sintomas, ainda assim pode ser portadora do vírus e ele é facilmente detectável com exames de sangue. Muitos médicos pedem já na rotina que a gestante faça este teste para tirar a dúvida.

Sobre os riscos para o bebê, eles são muitos e bem diferentes dependendo da fase em que ocorrer a contaminação. Se for no comecinho da gestação, pode ser até que ocorra um aborto por conta disso. Também há risco de microcefalia (quando cérebro é muito menor do que o normal) e deficiências mentais. Quando a gravidez já passou dessa fase, os riscos são de meningite, encefalite e hepatite no bebê. Além disso, o bebê já nascido pode ter as mesmas bolhas e lesões e, se não for diagnosticado e tratado precocemente, existe um risco bem real de morte.

Ou seja, herpes é coisa séria. Vale a pena conversar com seu médico para ficar tranquila e segura quanto a isso tanto na gravidez como no parto.

4 comentários

  1. Elisa

    Depois de anos sem lesoes ativas fui ter pouquinho de novo justamente na gravidez (baixa a imunidade, né…). Decidimos eu e a obstetra de entrar com a medicacao profilaxia nas últimas semanas de gravidez mesmo o risco sendo baixo. Deu tudo certinho, tive meu parto natural e foi lindo.

  2. Thalita Zuchelli

    Olá pessoal! Bem, sou gestante e tenho p herpes labial desde pequena. Na verdade acredito q tenha pegado da minha mãe, já que ela tinha o costume de dar selinhos em mim. E ao longo do tempo, ele vai e volta. Quando sinto uma coceira nos lábios ja passo a pomada e as vezes nem chega a dar bolinhas. Nunca tive herpes genital, mas vocês acham que mesmo assim há possibilidade de passar para o nenem?

    1. Shirley Hilgert

      Thalita, veja com o seu Obstetra. Ele poderá responder essa dúvida. abs.

  3. girlene

    Olá, já tive herpes outras vezes antes da minha gestação agora estou gravida de 15 semanas e apareceu novamente, só que nunca falei isso com o meu medico só vou ter uma nova consulta na segunda estou muito preocupada de transmitir para o meu bebe o que eu faço meninas?

Deixe seu comentário