Sobre nem tudo serem rosas no primeiro ano de vida do bebê

Certa vez, postei na fanpage do Macetes de Mãe que não via a hora do Caê completar 6 meses, pois aí estaria mais espertinho, estaria comendo, estaria interagindo mais e eu me sentiria mais segura. Muita gente entendeu o que eu quis dizer e concordou, mas um número significativo de pessoas também criticou. Comentaram que, agora, eu dizia isso, mas que depois estaria me lamentando que o tempo havia passado muito rápido, sentindo falta de tudo que ficou para trás, querendo viver de novo o que tinha ficado no passado.

primeiro ano de vida

Photo Credit: Sinthonia via Compfight cc

Na verdade, eu entendo o que essas pessoas que criticaram tentaram dizer, mas eu não concordo. Sei, claro, que com certeza sentirei saudade de um monte de coisas (ou alguém aí duvida que bebê é uma coisa deliciosa?), mas não sou daquelas pessoas que fica vivendo o passado e se lamentando pelo que ficou para trás. Pelo contrário, sou daquelas que sempre acha a nova fase mais bacana e gostosa que a anterior e considero isso uma maravilha, pois assim eu vivo o presente e não fico presa ao passado.

E além de curtir as fases novas mais ainda que as anteriores, outra coisa que me faz não sofrer com a passagem do tempo é que, para mim, nem tudo são rosas no primeiro ano de vida do bebê. Na verdade, eu considero os primeiros 12 meses uma fase bem, bem, bem desafiadora e não tenho medo, receio ou vergonha de admitir isso para ninguém.

Para mim, a festa de 1 aninho do bebê é mais do que uma comemoração para celebrar o primeiro aniversário da criança. Ela é, também, ou até principalmente, uma forma de marcar e celebrar uma conquista da mãe, que passou por um período importante, desafiador e nem sempre fácil.

Leo me deu muito trabalho no primeiro ano de vida por ter APLV, refluxo oculto e dormir muito, mas muito mal. Agora, com Caê, as coisas também não são muito diferentes. Eu não sei o que é dormir mais de 3h seguidas (e isso que ele já tem 7 meses), sofri demais com os problemas respiratórios que ele apresentou e vivo insegura por conta do pouco peso que ele costuma ganhar mês a mês. Ou seja, dizer que está sendo um mar de rosas esse primeiro ano do meu pequeno é mentira.

E sei que isso não acontece só por aqui. Converso com muitas amigas que tem bebês novinhos e também escuto desabafos de leitoras e muitas delas falam que sim, o primeiro ano é barra, é difícil, é exaustivo, é uma fase em que se testa os nossos limites. Ficar sem dormir, passar por problemas de saúde, aprender a lidar com um serzinho que a gente ainda não conhece, tudo isso e muito mais não é fácil. E quem vive sabe disso.

O problema, é que nem sempre a gente pode admitir. Muitas vezes, parece que se a gente abre a boca para dizer que as coisas não são fáceis a gente está dizendo que não ama nossos filhos o que, nem de longe, é verdade. Justamente por amarmos tanto nossas crianças é que muitas vezes sofremos tanto, porque o amor é proporcional à dedicação, à preocupação e à entrega.

Como disse, eu não tenho vergonha de admitir que comemoro sim quando meus filhos completam um ano de vida. Acho que a fase mais rica e cheia de novidades de suas vidas está ficando para trás, mas está ficando também para trás a fase mais difícil e desafiadora que a gente vive junto.

Aí tem gente que vai dizer que sempre é difícil e sempre será desafiador. Não duvido nada disso, mas acho que o  pior  já passou. Depois de um ano, eles já dormem melhor, eles já estão com a saúde mais fortalecida, eles já estão um tantinho mais independente da gente e a gente pode, aos poucos, voltar a pensar em todo o resto que foi deixado para trás, incluindo nós mesmas.

Sei que muita gente vai discordar desse texto, mas sei também que tantas outras pessoas irão entender direitinho o que eu estou querendo dizer. Acima de tudo, amamos nossos filhos, mas isso não nos impede de admitir que as coisas nem sempre são fáceis e que torcemos, sim, para que fiquem para trás os momentos mais desafiadores e que a gente possa curtir a maternidade com mais calma e tranquilidade.

57 comentários

  1. Debora giocondo

    Concordo plenamente! Tenho um baby de quase 7 meses, e não e fácil tdo isso! Tenho um hoppi harri em casa de brinquedos, e mesmo com tdo, nada está bom! Não dorme nem 2 hrs seguidas desde que nasceu, vive né dando sustos, e concerteza deixei muita coisa de mim pra trás! Lavar o cabelo e ostentação! Hehe! Acima de tdo amo ele tanto, que deixo de fazer o meu, e fazer em 1 lugar só pra ele! Isso e o que importa! Mais amor por favor! <3

    1. SAMARA

      Super concordo!!! Após o primeiro ano tudo melhorou. Tenho um filho de 1 ano e 10 meses.

    2. Luana

      Adorei seu comentário!….Lavar o cabelo é ostentação, essa é ótima…Engraçado que achei que isso só acontecia lá em casa!….rsrsrsr!Sigamos em frente, vai passar toda essa fase de desafios que achamos que não daremos conta.O meu bb tem 09 meses e 03 deles foram de muitas cólicas.Avante companheira, sigamos em frente!Grande abraço!…

    3. Camilla

      Eu estava me sentindo um ET ultimamente! Meu bebê tem 2 meses e está sendo muit cansativo pra mim. Sei que está no início e ainda tem muito por vir. Mas é exaustivo! Sofro uma cobrança excessiva por ser Pediatra. Todos me tratam como se eu tivesse obrigação de saber tudo, adivinhar cada choro e não tenho o direito de ter dúvidas! Sei que quando ele começar a interagir, o esforço será mais recompensador. Por enquanto, me sinto amando e sobrevivendo!

  2. Vanessa

    Shirley, eu penso e sinto exatamente como vc!! O primeiro ano é sim mto desafiador e por isso penso que muitas mulheres juram que não terão mais filhos.. depois engravidam novamente. Apoiado!! Texo aprovado! ;) abç

  3. juliana

    poxa…muito vdd. Tenho 3 filhos, Um de treze e agora tive dois seguidos. A menina esta com 1e9meses e o bb com 4 meses. To taooooo exausta. Tem 3 dias q nao durmo, eles estao gripados e acordaram a noite toda. To me sentindo um zumbi, sem a menor possibilidade de fugir da situacao. Mas, sei q passa. E os amo com todas as minhas forças.

  4. Vanessa

    Concordo plenamente com vc… sou mãe de um garotão de 9 meses e que também já passou por muitas e boas… pior são as pessoas que não entendem esse momento que estamos passando e só sabem fazer cobranças…

  5. Suzy

    Shirley sinto da mesma forma. Acabei de ter meu segundo bebê, e agora então, entendo muito melhor o quanto é bom quando passamos do 1º ano. Na minha primeira filha foi um ano em que eu achei que nem fosse conseguir. Hoje nem lembro mais todas as dificuldades, e só sei que foram muitas, porque estou passando de novo com o segundo filho.
    Também não sou de viver de passado… a gente guarda as lembranças dos momentos bons, mas segue vivendo o que é bom do tempo presente, porque a vida é assim, pra frente que se anda.
    Bjs flor.

  6. Fernanda

    Texto mais que aprovado. Curtir cada fase no seu tempo sem ficar vivendo do passado. O primeiro ano é realmente barra pesada. Usaria adjetivos mais pesados se me referisse aos 3 primeiros meses…rs. E nem por isso amo menos minha linda filha. Só tenho coragem de falar.

    Parabéns pela personalidade e pelo blog.

  7. Hapoenan

    Eu sempre me identifico com seus textos!!

  8. Erika Pena

    Eu entendo bem perfeitamente. Amo meu filho incondicionalmente, mas não canso de dizer que os três primeiros meses foram horripilantes!!! Hoje, com 11 meses, curto ele muito mais e me descobro através dele.
    Só quem passe entende né!!

  9. Larissa

    Assino embaixo de tudo o que vc falou também, minha filha está com 6 meses, parece que não sai dos picos e dos saltos de desenvolvimento. Durante um curto período de tempo chegou a dar intervalos de sono de 3 e 4 horas. Hj dorme apenas 1:30 por ciclo de sono e muitas vezes só consegue dormir literalmente com a boca no peito a noite toda e olha que eu me rendi à chupeta após seis meses e nem mesmo assim… Ela acorda querendo sentar toda hora… Está sendo difícil, me dedico integralmente a ela nem babá eu tenho pq morro de ciúmes que outra pessoa cuide dela. Semana passada ela ficou internada com rotavírus e isso acabou comigo, fiquei mais debilitada que ela é acabei ficando resfriada. Estou morrendo de medo dela ficar gripada ou de pegar outra doença enquanto a imunidade dela está baixa e pra completar ela está muito incomodada com os dentinhos de cima que estão na vez pra nascer… As discussões com o marido são frequentes agora por conta dos cuidados com ela, vivo estressada, amo demais a minha filha e só estou conseguindo manter a minha sanidade em razão desse amor que não tem tamanho. Se vou sentir saudade dela bebê? Com certeza! Por isso estou aproveitando cada minutinho com a minha princesa, mas ao mesmo tempo quero que ela cresça, se desenvolva, fique mais forte, mais independente e claro que durma mais de 2 horas seguidas rs

  10. karina

    Exatamente isso! Só quem realmente passa sabe e entende o que você está dizendo….meu bebe tem 7 meses e cada noite também é uma novidade e simmmmm também mal posso esperar para ele completar um ano….sei que a saudade dele pequenino sempre terei…mas do fundo do meu coração preciso urgente que as noites se tornem noites novamente…pq eu necessito dormir! rs****

  11. Patricia

    Perfeitamente o que eu vivo. Tenho um de 4 anos que só dormiu com 2 anos e meio e agora um de 7 meses com APLV, refluxo, alérgico a soja e algumas frutas. Como não dizer que essa fase não é estressante? Festa de 1 ano é comemoração para os pais como sempre digo.

  12. Daniela

    Super concordo! é minha primeira (e unica filha rsrsr) e é uma batalha por dia. Torço para que chegue logo 01, 02 anos… amo mais que tudo minha pequena.. mas a privação de sono, somado a todos os papeis que desempenhamos por vezes são incompativeis… De fato somos guerreiras

  13. Vanessa

    Nos primeiros 20 dias queria colocar ela de volta na barriga de tão loucura q foi, mas depois as coisas foram se encaixando, mas ainda é loucura, uns dias mais outros menos. Com 4 meses e na batalha para fazer ela dormir durante o dia, sempre tem alguma coisa… rs

  14. Simone

    Concordo plenamente! Sem medo de me acharem “menas” mãe!

  15. Luciana

    Concordo e torço pelos 3 anos ou mais… Noites sem dormir, doenças d+, birras no “terrible-two”. Amo meus filhos mas não é nada fácil. Quem não sente cansaço sono e vontade de sumir, por pelo menos algumas horas, é mulher-maravilha e ajoelho aos teus pés. No mais, apesar de todo amor, somos feitas de carne, osso, sangue e sono! Muito sono!

  16. Gabrielli

    Concordo com você, o primeiro ano é muuuito complicado, além das privações de sono que sofri, também sofria com os problemas respiratórios do meu filho, bronquiolite com 6 meses e laringite com 10 meses, sinto sim falta daquele bebe gorduchinho e risonho, só que celebro sempre a fase seguinte.

  17. Cris Lopes

    Parece q fui eu q escrevi este texto !!! Tudo muitooo fato !!! Meu filho tbm passou por tudo q o teu primeiro passou, sempre digo q depois d um ano tudo melhorou muito, e não lamento o tempo passado, aproveito cada fase !!!

  18. Debora

    Te entendo, apoio e acrescento: cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é, ou melhor dizendo, de ter o bebê que tem. Acho que ainda paira um certo receio infundado na cabeça de muitas mulheres de falar sobre a luta que travamos na maternidade. É maravilhoso? Claro que é! Mas… Esse “mas” carrega muita coisa importante a ser dita é considerada… Somos mulheres, não seres perfeitos de luz. Sejamos sinceras e honestas, se não podemos ser com o mundo todo, ao menos que sejamos entre nós! Beijos pra você é um abraço companheiro ?

  19. Evelyn

    Concordo plenamente!! ?

  20. Maria Carolina Gonçalves de Faria

    Concordo plenamente com você! Não é uma fase fácil mesmo. Minha filha completou 1 ano e um mês e há 06 meses não durmo mais que 3 h por noite. Estar de pé no trabalho tem sido um milagre diário. São muitos os medos … mas creio que isso tudo será esquecido e superado com o tempo mesmo. Comungo com sua percepção.

  21. Joelma

    Ai, Shirley. Eu já te admirava e indicava seu blog antes de ser mãe mas agora que sou… parece que sou eu escrevendo. Concordo demais com você. Gosto do jeito que você escreve e dessa cara de “gente como a gente” que você poe no blog. Super beijo, parabéns!!!!!

  22. Telma

    Também concordo com tudo. Parece até que fui eu a autora deste texto super verdadeiro. Justamente como me sinto. Meu bebe completa um ano neste mes. Me identifiquei muito com seu texto. Parabéns!

  23. Alessandra

    Gostei demais do texto e concordo plenamente. Minha filha tem apenas 22 dias e confesso que não imaginei que seria assim tão difícil. Ela é tudo pra mim, mas realmente é uma mudança radical que quando eu ouvia alguém comentar imaginava um pouco de exagero. Mas essa fase passa ainda bem.

  24. antonia

    amei o o texto! eu me senti super-identificada.

  25. Heloá

    Eu também entendo direitinho… Estou a beira da loucura desde que minha filha nasceu… sempre esperando o próximo mês que as pessoas falam q vai ser mais fácil. . E esse mais fácil nunca chega…
    E olha que as minha filha dorme muuuuuuuuito bem ( de 8 a 10h seguidas) e nunca fica doente …. (teve uma bronquiolite com 3 meses mas se recuperou em poucos dias )… eu estou quase louca de tanta coisa que deixei pra trás pra cuidar dela. .. Não me arrependo. . Mas não vejo a hora de poder voltar a viver …

    1. Geisa

      Eu tive depressão pós parto e até hj sofro com isso. O primeiro ano é punk, a falta de tantas coisas que vc deixa pra trás piora tudo e ter um pai pouco compreensivo então… Nem penso na possibilidade de um segundo filho,sei que não tenho emocional pra passar por tudo isso de novo.

  26. Marisa Souza

    Artigo perfeito!!!! Me identifiquei! É realmente uma fase extremamente difícil e contraditória pois amamos nossos filhos mas nos colocamos em último plano!!! Fico feliz por saber que vai melhorar!!!??

  27. Sandra

    Concordo totalmente. Tenho um filho de 5 anos e outro de 6 meses. O primeiro ano é um grande desafio, exaustivo. Temos motivo de sobra pra comemorar o primeiro aniversário!!!

  28. Sayuri

    Super concordo e ainda acrescento: engana- se quem pensa q com o segundo, terceiro, tudo é mais simples. Com minha primeira filha sofri muito com as noite mal dormidas, desejei muito q o tempo passasse logo e ela começasse a dormir melhor. Qd meu segundo nasceu achei q eu conseguiria lidar melhor com isso, q eu tentaria técnicas diferentes e q, por ser o segundo, eu tinha mais experiência e blá blá blá, ele dormiria melhor. Estava completamente errada. Semana q vem ele fará um ano e eu ainda acordo de 3 em 3 horas a noite… E tem dias q até acordo de hora em hora!!!! Enfim, concordo c vc e acho q essas coisas “reais” sobre a maternidade devem ser ditas sim p q as futuras mamães já se preparem p o q vão enfrentar.

  29. Kelly

    Nossa! Concordo muito! Acho que muitas mães são hipócritas e não querem assumir que é sim difícil o primeiro ano… Tem mãe que é sortuda e o bebê dorme a noite toda já no primeiro mês de vida…mas essa não é a realidade da maioria.
    Hoje eu sou mãe e assumo que ser mãe é o sentimento mais confuso que pode existir..vc sente um amor infinito, implora para que seu bebê durma e quando ele dorme, vc sente saudade dele rs…

  30. Aline

    E disse tudo mais uma vez!!!

  31. Patrícia Sato

    Shi, concordo muito com vc!!!

    beijos

    Pati Sato

  32. Deborah

    Perfeito! Concordo com tudo!! Tenho uma bebê de 7 meses e cada vez que penso que as coisas vão melhorar começa uma nova fase, uma nova dificuldade. No começo foram as cólicas, o puerpério, a dificuldade da amamentação, a mudança drástica na rotina da casa, a falta de tempo pra fazer qualquer coisa, inclusive ir no banheiro, etc. Depois vem a volta ao trabalho, a separação mãe e bebê, as noites mal dormidas + acordar cedo pra trabalhar, a procura da escolinha “perfeita” e a correria continua (e aumenta). Agora estamos passando pela fase da angústia da separação e as noites estão ainda piores. Antes acordava umas 2x por noite, agora acorda umas 6 e aos berros! Não posso soltar ela pra trocar de roupa que chora!! Isso que ainda não vieram os dentes, não começou a engatinhar ainda e sei que vamos passar por muitas coisas ainda! Agradeço muito por ela ser saudável e obviamente, a amo mais do que tudo, mas quem disse que tudo são flores ou é muito sortuda ou está mentindo, de fácil tem é nada!!!!

    1. Camilla

      Me vi no seu relato sobre o início do bebê em casa! Meu filho tem 2 meses e ainda não consegui lavar o meu cabelo como antes. Fazer unha, passar um creme ou fazer uma refeição completa é um luxo que ainda não tive. As pessoas não entendem e te cobram uma postura de felicidade plena imediata. Eu amo meu filho! Mas está muito difícil ser mãe!

  33. Elisa

    Concordo totalmente!! Sem contar que não podemos expressar o quanto é difícil que já vem alguém dizer que é depressão .PELO AMOR DE DEUS!!!! Só penso que quem não admite vai saber quando tiver os seus, também curto cada fase sem achar que vou sentir falta dos momentos de crise rsrs.

  34. Eliane

    A definiçao mais sincera que já lí…”amor é proporcional à dedicação, à preocupação e à entrega”

  35. Sheila

    Com certeza você tem razão. Meu filho está com 3 meses e tbm tem refluxo oculto. Desde o dia em que ela nasceu não sei mais o que é dormir. Ele sempre muito agitado não dorme direito. Tenho de estar alerta 24 hrs por dia. Não me arrependo de nada mas o cansaço é inevitável. Só peço à Deus pra esse refluxo passa logo.

  36. Tatiane

    Concordo Totalmente! Sou mãe se trigêmeos, dois meninos e uma menina que estão agora com 7 meses. Falo o tempo todo que não vejo a hora de completarem 1 aninho para ficarem mais independentes e isso nem de longe quer dizer que não os ame ou que não queira cuidar deles, apenas quero vê-los se desenvolver, engatinhar, andar, falar…e que venham as novas fases!!

  37. Crístia

    Sim, sim… o primeiro ano de vida do bebê é cruel… e graças a Deus por existir um blog como seu que torna público, (e não íntimo) é que todas as mães desamparadas e solitárias pensam e têm medo de admitir… Eu mesma, só comecei a me sentir “normal” ao “descobrir” o seu blog… sentia um cansaço, uma exaustão que não me faziam achar tudo uma maravilha … é que ninguém haviame preparado para as nuances “preto e branca” da maternidade… Graças a Deus que ainda existe sororidade materna… Hoje me sinto na obrigação de preparar as mães de primeira viagem para essa emocionante e intensa experiencia mas que exaure, suga , e às vezes quase enlouquece a gente rsrs….

  38. Tamiris

    Bom ler esse relato hehehe… Meu bebê é aplv, 11 meses, temos péssimas noites de sono, no começo foi bem difícil, hoje com a alergia estabilizada tem uma vida quase normal (fora os cuidados com a alienação dele), estou grávida de uma menina agora, nasce em julho, terão 1 ano e 1 mês de diferença e confesso até então não tinha achado difícil, mas comecei a pensar que vai ficar, acredito que não esperar um mãe de rosas me fez levar esse primeiro ano muito melhor do que eu mesma imaginava… Não fiz planos, não comparo meu filho e dou o máximo de mim a ele, vivo como um zumbi, não tenho tempo pra mim praticamente então seu relato me fez ver uma luz, mais um ano quem sabe eu volte a ter vida, acho essa uma das tarefas mais difíceis da maternidade, conseguir achar o meio termo entre o cuidado com filho, casa, marido e com a gente mesma… Por aqui tenho um filho muito bem cuidado e tenho muito orgulho e o resto… Ficou para o resto é o que mais preocupa.

  39. Myrian

    Tenho um filho de 7 meses e concordo que nem sempre é fácil. Meu filho também não dorme mais que 3 horas seguidas à noite e durante o dia cochila 30 minutos e quando muito 1 hora. Faz tempo que não sei o que é dormir à noite toda!!! Mas apesar de toda correria e cansaço amo infinitamente meu filho!!!

  40. Joyce

    Amo seu blog. Aprendo muito aqui.

    1. Shirley Hilgert

      Obrigada! :-)

  41. Nelya

    Concordo em gênero, número e grau!

  42. Kassia

    Perfeita colocação.

  43. Danielle

    Tenho um de 2 aninnhos que não dorme direito à noite. Estou um zumbi, pois não sei o que significa 3h de sono seguido. O problema é que poucas mães admitem as dificuldades, por medo do julgamento que é imediato. Amo meus filhos, mais que tudo vivo pra eles. Mas não é fácil.

  44. Priscila Nunes

    Concordo! Me identifico! Comemoroooo 1 anooo!!!

  45. Sara

    Ótimo texto,uma verdade !!!
    Meu bebê teve cólicas muito fortes durante quatro meses foi horrível em novembro vai fazer um ano e estou pensando se faço festa ou não rs bjs …

  46. Marilia

    Muito bom!! adorei, me identifiquei muito em cada palavra que vc falou!
    uma bela verdade, que nós mães vivenciamos!beijos.

  47. Karina

    Perfeito!!! O texto traduz exatamente o que tenho sentido nesses 4 meses de vida da minha baby. Tbm nao vejo a hora de chegar nos 6!
    Parabens pelo blog

  48. Rakel

    Super concordo!!! Parabéns pelo texto!!!

  49. Elaine

    So lii verdades…

    Amo seu blog😍

    1. Macetes de Mãe

      Obrigada!! <3

Deixe seu comentário