A amamentação ainda é um tabu porque existe ignorância

Vocês devem ter acompanhado a polêmica que rolou nas redes sociais envolvendo um post absurdo feito por uma mãe criticando outra que amamentava uma criança em cima de um bicicleta. No seu post ignorante e preconceituoso, essa mãe falava que amamentar em público era coisa de “pobre fazendo pobrice”. A história tomou proporções gigantescas, com mais de 13mil compartilhamentos desse post do dia 31 de outubro até hoje e fez com que muita gente se pronunciasse nas redes sociais contra a infeliz afirmação e a favor da amamentação.

amamentando bebe

Photo Credit: blinzelblinzel via Compfight cc

Achei, é claro, o comentário da lunática uma coisas sem pé nem cabeça, de uma ignorância e falta de informação sem precedentes, mas no fim, achei que teve um lado muito positivo, pois acabou fazendo com que muita gente, muitos sites e muitos blogs voltassem a sua atenção para o ato de amamentar. O que foi ótimo.

E o que vimos através disso tudo? Que ainda há muita desinformação, ainda há muito preconceito, ainda há muito julgamento envolvendo a amamentação. E tudo isso vindo de outras mulheres, outras mães, que inclusive também amamentam ou amamentaram.

A amamentação é um ato que deveria ser celebrado, respeitado, difundido e apoiado. E não o contrário. Não tem cabimento, nos dias de hoje, a amamentação ainda ser vista como um tabu. Não tem cabimento, nos dias de hoje, uma mulher ter que se esconder num banheiro para amamentar, ter que se cobrir com um paninho para alimentar seu filho ou, pior, ter que encarar os olhares e críticas preconceituosos porque decidiu encarar de frente aqueles que não acham esse ato algo natural.

Para mim, a cena da mulher amamentando na bicicleta é linda. Como é linda a cena da Gisele Bundchen amamentando enquanto é maquiada e arrumada para uma sessão de fotos ou como é linda a foto da capa da revista Nova na qual a atriz  Carolina Ferraz alimenta o seu bebê sem pudor e com muito orgulho.

Como já se brandou por aí, amamentar não é uma questão de classe social. Amamentar é uma questão de força de vontade, de entrega, de amor, de doação e, infelizmente, de coragem para encarar o preconceito e o julgamento alheios.

Amamentar é vida. Amamentar é força. Amamentar é orgulho.

E que um dia, se possível em breve, em vez de se criticar e julgar uma mulher que amamenta em público, possa se sentir empatia e admiração por esse ato. O ato que permite que a vida prossiga, com saúde e muito amor.

E aqui, para quem não viu a história ainda, o famoso post que gerou toda a confusão. Que ele sirva para abrir os nossos olhos, corações e mentes. Por menos preconceito. Por mais amor e respeito.

pobre fazendo pobrice

> Confira, nesse vídeo, 10 dicas para aumentar a produção de leite:

https://www.youtube.com/watch?v=f1kEh9raUms

 

11 comentários

  1. Denise

    Fiquei de boca aberta ao ler o q essa coitada escreveu…

  2. Liana

    Oi Shirley! Desculpa escrever para “criticar” mas tenho uma sugestão: onde vc escreveu “Amamentar é uma questão de força de vontade…” Coloque “amamentar, além dos fatores orgânicos, é uma questão…” pois, é claro que não se compara a esse raciocínio burro de que amamentar é coisa de pobre, quem não amamenta porque não consegue, independentemente da entrega, do amor, da doação, também sofre preconceito e também precisa de coragem para enfrentar os julgamentos alheios.
    Beijos!

  3. Viviane Ferreira

    Quanta ignorância julgar quem amamenta…. e quantas palavras desnecessárias foram usadas para criticar a mãe amamentando a pequena!!!
    Fiz “pobrice” em museus, teatros, parques e na hora em que meu filho queria mamar, pois apenas quem amamenta sabe que não tem como impedir a criança de se alimentar na hora em que ela quer o peito, ainda que, já se alimente de outras coisas…Fui “vaca leiteira” por dois anos sem arrependimento algum, e foi maravilhoso!!!!

  4. kelly

    O comentário da pessoa foi totalmente inadequado. Porém, acho desnecessário amamentar tanto tempo, acho que cada um sabe o que é melhor para seu filho.

    1. Pedro

      Ok Doutora. E seus estudos e seu empirismo dizem q o necessário é…???

      Desnecessário é não mamar.

  5. Patricia

    Como queria ter sido eu quem escreveu esse texto! Tudo exatamente como eu penso!
    Parabéns!

    1. Pamela

      Oi????

  6. Manoela

    Oii Shi! Primeiramente, quero dizer que lhe admiro e sou fã do seu blog, mesmo ainda não sendo mãe e estando na fase de “tentar”. Por enquanto, sou meio mãe de meus amados afilhados. E um deles tem me preocupado bastante. Sou, obviamente, total e completamente a favor do aleitamento materno em livre demanda enquanto for da vontade da criança e da possibilidade da mãe. Tenho uma afilhada de 2 anos e 5 meses que ainda mama no peito. É claro que muitos criticam a mãe dela, mas eu a defendo, pois sei como é importante e reconfortante para ela as mamadas. O problema é que a alimentação complementar da pequena anda deixando muito a desejar. Ela simplesmente mal come, só mama. Resultado disso é que, em menos de um ano, ela está tendo que fazer tratamento com ferratina pela segunda vez, pois seus níveis de ferro estão alarmantemente baixos. Ela está visivelmente abaixo dos níveis de crescimento para a faixa etária dela. Tem mais de meio ano que simplesmente não ganha peso algum e as costelinhas dela já estão visíveis. O filho da minha vizinha tem 1 ano e 9 meses e já é muito maior que ela (em altura e peso). Eu amo minha afilhada de todo o coração, como se fosse minha e sei que, obviamente, sua mãe também e que ninguém a ama mais que ela, mas ela ainda é uma adolescente e não sei como poderia ajudá-la, ou aconselhá-la, sem parecer intrometida ou ofendê-la. É que eu e meu marido estamos realmente preocupados. Ela é namorada de meu primo, também adolescente. Queríamos poder ajudá-los, e especialmente ajudar nossa afilhada,  claro. Alguns médicos até sugeriram que ela fizesse o desmame, mas ela nunca consegue por dó da pequena que chora pedindo o “titi”. E nem acho que deveria tirar o peito, apenas entender que só o peito não basta. Ela tem bem o entendimento de responder, quando a criticam, que seu leite não virou água e que ainda faz bem pra filha, mas parece achar que só isso basta. Quando ficamos com com a pequena conosco para passear e passar o final de semana conosco ou algum dia da semana conosco, é uma dificuldade fazê-la comer coisas saudáveis, ela só pede por “refri” (sendo que nem temos aqui em casa, para evitar dos afilhados e sobrinhos verem e pedir) e batata-frita. Levamos um baile até convencê-la a comer uma fruta. Feijão e legumes então, nem se fala! E, claro, quando ela come são quantidades irrisórias. E quando falamos pros pais dela, eles não levam a sério. Dizem que não tem problema, pois eles se criaram comendo isso e “estão aí vivos”. Não queremos de forma alguma tirar a autoridade dos pais ou ensinar lhes a criar a filha, mas também nos preocupamos com ela, e acho ser dever de todos cuidar das crianças. Socorro, Shi!! Como proceder num caso tão complicado?

    1. Shirley Hilgert

      Ai amiga, esse caso é complicado mesmo. Entendo totalmente a sua preocupação, pois está interferindo na saúde da pequenas, mas tem que se ter cuidado ao abordar o problema. Você já tentou conversar com a mãe? Mostrar alguns textos que falam da importância de uma boa alimentação? Sei lá, talvez se ela se informar a respeito pode mudar de opinião. Fora uma boa conversa, não consigo pensar em outra sugestão a dar. bjs

  7. Janaina Amaral

    PS a revista com a publicação da Carolina Ferraz é a MarieClaire. ;)

  8. Cíntia Ferreira

    Olá! O que ocorreu com essa mãe que fez ela odiar a amamentação dessa forma, gente?…rs
    Infelizmente, essa pessoa não é um caso isolado. Tem MUITA gente que pensa assim, principalmente, pela má orientação dos profissionais de saúde que, na primeira dificuldade, já colocam goela abaixo leite NAN no recém nascido e diz que é “quase” igual o leite materno. Vale a ressalva: esses leites artificiais fazem de tudo para se parecerem com o leite materno por que o leite materno é o melhor alimento que existe para o bebê! Simples assim. Temos que falar sempre do quanto a amamentação deve ser incentivada. Eu como mãe de uma bebê de 1 ano (que ainda mama. Yes!) sou prova viva do quanto dar de mamar faz bem. Minha filha é saudável, linda e feliz!!!!!!! Quer coisa melhor para calar a boca desse povo?

Deixe seu comentário