Como falar com crianças sobre pedofilia e assédio sexual

O tema desse post é desagradável e pesado, eu sei. Mas é muito importante. E embora sequer pensar em algum tipo de assédio sexual a alguma criança, ainda mais em nossos filhos, seja muito, muito ruim, pior ainda é fingir que isso não existe no mundo, se calar e não ensiná-los como podem se proteger.

Sim, minha motivação para este post veio de tudo o que aconteceu após o caso do Masterchef Junior e dos comentários absurdos de alguns homens a respeito de uma menina de 12 anos. E também depois que eu vi todas aquelas mulheres comentarem sobre o primeiro assédio que sofrerem, na campanha do Think Olga, e descobrir que a idade média em que se passa por isso é de 9 e 10 anos, ou seja, crianças. E, pior ainda, muitas mulheres – e alguns rapazes – estavam falando sobre aquilo pela primeira vez na vida, ou seja, na época não comentaram com os pais, nem depois com amigos.

Aí que o que a gente pode fazer? Como mães e pais, temos que falar com nossos filhos sobre isso sim. Para, em primeiro lugar, protegê-los, e também tentar mudar essa história, diminuir esses casos e melhorar a sociedade como um todo.

Existe uma enorme e cruel contradição nos abusos sexuais contra crianças: eles são praticados muitas vezes por adultos em quem elas confiam, sejam da família ou amigos – pode ser um amigo, um tio, um vizinho, um primo e, embora o mais comum seja que o assédio seja cometido por homens, também a mulheres envolvidas em casos assim. E são pessoas em quem nós, os pais, confiamos também. É por isso que a gente ouve histórias tão tristes e difíceis de acreditar. Afinal, como pode aquilo ocorrer embaixo do nariz da gente, a gente não perceber? Ou por que a criança não nos falou nada?

Crie uma relação de confiança pela com seu filho – Para mim, depois de tudo que li, uma das chaves da proteção está justamente aí, em fazer com que a criança saiba que ela pode falar conosco sobre tudo. Que ela deve falar. E, quando ela falar, é importante ouvir, dar atenção e nunca, jamais, deslegitimar o que ela disse. Nunca se deve falar frases do tipo “você não está inventando isso?”, “você deve estar confundindo”, “fulano não faria uma coisa dessas”, “cicrano gosta de você, não te faria mal”… Tire essas frases da sua conversa pra ontem. Claro que criança imagina, fantasia, isso faz parte do desenvolvimento delas. Mas se ela disser “fulano me bateu”, “tal pessoa fez uma coisa esquisita”, dê ouvidos. Pergunte mais, entenda o que aconteceu, de preferência sem demonstrar muita preocupação ou raiva em um primeiro momento.

Fale sobre privacidade e sobre o corpo – explique para seu filho desde cedo que o corpo dele é algo muito valioso e que ele precisa cuidar muito bem dele. Não só da higiene ou da alimentação, mas explique que há partes do corpo que são “íntimas” e que por íntimas o que se entende é que só ele (ou o médico ou você) podem tocar e pedir para ver. Que se alguém ficar insistindo em ver ou tocar ou fizer isso, ele precisa contar para você. E, inclusive – sim, eu sei que é a parte mais dura – pessoas muito próximas como tio, primo, vizinho também não podem pedir para tocar ou ver. Ele deve contar para você qualquer pedido ou coisa que acontecer e ele achar estranho ou não se sentir bem. Sem medo, sem ter vergonha. Explique também que é errado se alguém mostrar o corpo para ele (é que assédio não é só o ato sexual ou a carícia física. Pode ser alguém mostrando as partes íntimas, se masturbando ou pedindo para que seu filho faça algo assim).

Fale sobre o que pode parecer legal, mas é errado – Um dos jeitos que pedófilos fazem para atrair as crianças é oferecer coisas que elas gostem, como doces, guloseimas ou brinquedos. Explique que se alguém dizer coisas do tipo “se você me mostrar tal parte do corpo” ou “se você fizer tal coisa” ganha um presente não é legal e ela não deve fazer a troca. Até porque, o nome disso é suborno ou chantagem e é importante que eles não se deixem levar por situações assim para nada na vida.

16 comentários

  1. Flavia Campos

    Nossa! Q post delicado…

    Troquei meu nome para me preservar, mas já sofri abuso sexual quando criança. Eu tinha 9 anos e o meu tio pedia para eu dormir com ele e tocava em meu corpo, eu sinceramente não sabia se aquilo era certo ou errado, mas nunca tive coragem de contar para ninguem.

    Hoje com 29 anos, cuido muito e fato muito deste assunto com meu filho, tem videozinhos que falam na linguagem da criança sobre o assunto, gosto sempre de mostrar para o meu filho, sempre no banho pergunto para ele se alguem tocou nas partes intimas e falo sempre com carinho que ele não pode ver e nem mostrar a intimidade dele para ninguem, só a mamãe e o papai podem tocar para limpar, e logo ele vai aprender a fazer isso só.

    Adorei o post e MUITAS crianças sofrem caladas.

    Alertem seus filhos mamaes!!!

  2. Graziela

    E muito complicado esse tipo de assunto para qualquer pessoa falar com uma criança, mais infelizmente tem que ser comentado , qualquer abuso e anormal, só de imaginar isso já fico affff, mais tem que ser explicado para nossas crianças se protegerem mesmo. Parabéns pelo bog adoro.

  3. Flavia

    Shi,

    Estou sempre por aqui, preservei o meu nome, porque morro de vergonha de falar sobre o assunto, mas quando eu tinha uns 9 anos, vivia sendo tocada nas partes intimas por um tio mais velho, naquela idade, eu não sabia ao certo se era correto ou errado aquele ato, hoje eu sei e falo muito com o meu filho.

    Explico quem pode pegar nas partes intimas dele, que não pode ver ou mostrar para ninguem, e que ele sempre tem q me contar caso algo estranho venha a acontecer….

    Muito delicado falar deste assunto!!

    Mães, as pessoas que abusam, são pessoas proximas e queridas da familia, infelizmente….

    Este meu tio era super adorado por todos!!!

    Nunca deixo meu filho dormir na casa de parentes só, por ter medo tbem!!

  4. Nagela Cardoso

    Olá Shirley!!

    Post Fantastico, existe inumeros videos em linguagem infantil onde alertam a criança sobre este tema!!!

    converso sempre com o meu pequeno sobre isso.

    Bjão

  5. Flavia Sampaio

    Parabens pelo post…

    Sofri abuso pelo meu tio quando criança, eu tinha 9 anos e ele tocava as minhas partes intimas, nunca tive certeza se aquilo era certo ou errado, tambem nunca tive coragem de falar para ninguem.

    Sempre converso muito com o meu filho sobre o tema.

    Estejam sempre proximos de seus filhos, o periodo moda ao lado e as pessoas que fazem isso são sempre proximas e queridas aos olhos de todos.

    *Preservei o meu nome e endereço;

  6. Lilian

    Assunto sobre pedofilia me revolta e muito, mas infelizmente temos q ler essa notícias.
    Eu ensino p minha filha q se algum dia, alguém falar p ela “- não conta p sua mãe”, ou, ” – é um segredo nosso”, pode ter certeza q essa pessoa é má.

  7. Carol

    Conheço uma história da prima da minha mãe que era avó cuidava da neta e ela sempre explicava pra neta de 4 anos que não devia deixar ninguém ver se é tocar as partes íntimas além da avó, claro tudo de uma forma carinhosa mas direta com a neta, um dia ela teve consulta e levou a neta na pediatra quando médica foi examinar a menina não deixou ela ver a vagina a médica assustada perguntou pra avó o que estava acontecendo e a menina que respondeu minha vovó falou que errado e ninguém pode tocar aqui. A médica deu parabéns pra vovó. Achei interessante e bacana essa história, como a neta ouviu a avó e como alertar nossos filhos pra poderem ficar esperto e ter grau confiança dessa criança com avó.

    1. Macetes de Mãe

      Muito interessante, Carol!
      Obrigada por compartilhar conosco :)
      Bjs

  8. J

    Minha filha sofreu abuso aos 3 anos de idade e graças a Deus ela me contou. Isto Pq estava machucada e perguntei se alguém tinha feito algo com ela. Foi o namorado da minha cunhada e a mesma não acredita. Consegui que ele fosse preso, mas como não havia prova material (semen) e não havia nenhuma outra testemunha além dela que era muito pequena os advogados do estado não proceguiram com o caso e ele foi solto. Moro nos EUA. E aqui somente os advogados do estado são competentes para tal assunto. Temos uma medida protetiva de que ele não pode se aproximar de qualquer pessoa de nossa família.
    A única coisa que eu posso dizer neste momento é que devemos proteger nossos filhos sempre estar vigilantes, estas pessoas podem estar em qualquer lugar. E infelizmente não tem idade, então olhos sempre atentos, Pq depois que acontece parece um pesadelo.

    1. Macetes de Mãe

      Que triste :( Infelizmente isso existe.
      Não consigo imaginar a dor.
      Mas vocês vão ser fortes e superar isso. Bjs

  9. Sarah Cristina

    É horrível passar por situação dessas…
    Eu sei pq já passei 😢
    Tinha 7 anos apenas e um tio meu fazia coisa comigo e com minha prima.
    É horrível só de lembrar.
    Hj com 24 anos sempre fico em alerta com meus filhos!!!!

    Mudei meu nome pra me preservar

    1. Shirley Hilgert

      Sarah, você toparia escrever sobre isso e me mandar por email para eu publicar no blog? Claro que eu não identificaria seu nome. A ideia é contar como acontece para alertar outros pais e mães, para eles ficarem cientes e poderem identificar quando algo está errado com seus filhos. Se puder fazer isso, agradeço demais. Acho que iria ajudar muitas famílias. Pode mandar seu relato para shirley@macetesdemae.com

  10. Aline

    Boa tarde!Acompanho seu blog ha 3 anos,desde a minha gestação,mas há tempos não comentava.Também omiti meu nome pois o que vou relatar agora,nunca contei a ninguém.
    Tenho 26 anos e durante a minha infancia fui abusada diversas vezes,e todas por homens da família ou muito próximos,pessoas em quem meus pais confiavam muito.Eles eram super protetores,mas ainda assim nao conseguiram evitar os abusos.O primeiro foi aos 4 ou 5 anos,por um vizinho,que me fez pegar em seu genital e o esfregou o mesmo em mim.O segundo aos 8 anos,quando um tio avo tocou meus seios.E o terceiro,aos dez anos,quando acordei com o marido da minha tia me tocando.Tudo isso bem embaixo do nariz dos meus pais.Eles fizeram de tudo para me proteger e ainda assim vivi esses horrores.So nao foi pior porque Deus evitou.Adulta,soube de varias amigas que passaram por coisas parecidas.Hj sou mae de uma menina de 2 anos e nao confio em ninguem,nem no meu esposo,que é um ótimo pai.Sempre converso com ela sobre o assunto.É terrivel.E

    1. Macetes de Mãe

      Olá!
      Que triste :( Mas que bom que você foi forte e venceu tudo isso.
      Obrigada pelo seu relato, pode ajudar muitas mamães.
      Bjs

  11. Analu

    Parabéns pela delicadeza em debater um tema tão importante e tão difícil. A filha de uns amigos dos meus pais abusaram e mim quqndo eu tinha 6 anos. Ela deveria ter uns 12 anos e sempre sofro quando vejo este tema, pois ele reflete pelo resto da vida.

    Meu nome foi alterado pra me preservar.

    1. Macetes de Mãe

      Olá!
      Muito obrigada pelo carinho!
      Imagino seu sentimento :(
      Bjs

Deixe seu comentário