Mãe tem nervos de aço

Mãe tem nervos de aço quando encara as dores do parto. Mãe tem nervos de aço quando aceita ser cortada para colocar no mundo uma nova vida. Mãe tem nervos de aço quando passa meses dormindo mal, sem ter tempo para comer ou ir ao banheiro e carregando nos braços um peso que nem sempre as suas costas aguentam.

Mãe tem nervos de aço quando luta para amamentar, quando encara as dores do peito rachado, quando tem que encarar os fato de não conseguir alimentar seu filho com seu próprio leite.

Mãe tem nervos de aço quando faz de tudo para seu filho ganhar peso, quando passa semanas ensinando seu filho a comer (tarefa nem sempre fácil), quando amamenta até 2 anos ou mais mesmo encarando todo o preconceito da sociedade.

Mãe tem nervos de aço quando passa dia e noite cuidando de cólica, de febre, de dor de ouvido. Mãe tem nervos de aço quando tem que enfrentar o diagnóstico de uma doença grave e encontrar forças para lutar contra ela (não imagino outra situação onde mãe tenha mais nervos de aço que essa).

Mãe tem nervos de aço quando tem que enfrentar o preconceito por ter um filho especial (e enfrentar a ignorância alheia), quando tem que lutar para inserir seu filho na sociedade e fazer com que ele seja aceito e seja feliz.

Mãe tem nervos de aço quando o pai simplesmente vai embora e deixa com ela a responsabilidade de criar, cuidar, zelar, educar e suprir toda a necessidade de amor, afeto e atenção.

Mãe tem nervos de aço quando cuida do filho, da casa, do marido, do seu trabalho e não tem ninguém para cuidar dela mesma.

Mãe tem nervos de aço quando vê seu filho sofrer a primeira decepção, encarar a primeira derrota, lutar sua primeira batalha.

Mãe tem nervos de aço quando vê seu filho crescendo e pronto para ir embora, pois nenhuma mãe está preparada para viver longe do maior amor que já experimentou na vida.

Mãe tem nervos de aço do amanhecer ao pôr do sol, porque ser mãe é lutar pequenas ou grandes batalhas diárias, para fazer com que seus filhos tenham aquilo que de melhor a vida tem a oferecer.

 

 

8 comentários

  1. Carmen

    Não pode haver mais verdades juntas. Temos mesmo nervos de aço.

  2. Priscila Aparicio

    Entre outros fatos. Que nos fazem não só se sentir mãe, mas ser mãe.

  3. A mais pura verdade. O último parágrafo é perfeito – deveria virar imagem de Instagram ;)
    Temos todas nervos de aço mesmo.
    Obrigada pelo texto e boa semana!

  4. Hellen Catherine Furlanetto

    Lindo! Lindo! Lindo!
    Este post me emocionou!
    Me identifico muito com os textos que vc escreve, Shirley!
    Desejo a vc tudo de bom e ainda mais inspiração para continuar nos emocionando/confortando!
    Abraço carinhoso!

    1. Macetes de Mãe

      Muito obrigada pelo carinho, Hellen <3
      Bjss

  5. Flavia

    Perfeito…obrigada por compartilhar conosco, esse lindo texto!

  6. Crístia

    Por tudo isso, ser mãe é a maior aventura nessa terra: a mais avassaladora, a mais profunda, enriquecedora, transformadora e revolucionária. Senti que ao ter contado com essa dádiva de Deus , deixei para trás um pouco de mim,. E em meu lugar nasceu também alguém : mais humana, mais altruísta, mais paciente com o mundo e suas mazelas… Senti a sutil diferença – a maternidade- que diferencia, de verdade e sem pejorativo, homem e mulher, Senti a força pragmática de tantos bordões acerca da maternidade que, enfim, começaram a fazer sentdo, sobretudo esse: “Mãe é um ser sagrado”.

  7. Paula - mãe do Pedro Kalel

    Conclusão, a mulher que deseja verdadeiramente ser mãe precisa ter nervos de aço.

    Parabéns pelo texto.

Deixe seu comentário