Relato de acidente – Engasgo com adesivo

No primeiro dia deste ano, tomamos um susto daqueles. Estávamos numa casa de praia, com amigos, e o Caê estava no meu colo, comendo pipoca. Claro que como pipoca é perigoso para bebês e crianças, eu dava só pedacinhos mínimos da parte branca para ele, que eu tirava com a unha e oferecia para meu pequeno depois de ter certeza que não tinha nenhuma casquinha grudada.

Mas num determinado momento, Caê deu uma voltinha engatinhando, brincou com alguns brinquedos do irmão e das amiguinhas e voltou. Assim que ele voltou, ele começou a tossir e se mostrou engasgado. Na hora, eu pensei: Que M eu fiz? Devo ter deixado passar alguma casquinha da pipoca e ele engoliu. Imediatamente, virei o Caê e fiz a Manobra de Heimlich, ele tossiu bastante, mas nada saiu.

criança engasgada

Photo Credit: Vermin Inc via Compfight cc

Caê começou a chorar, a salivar muito, a tossir e a fazer ânsia de vômito. Seguia engasgado. Mas além de uma saliva grossa, nada saia. Na hora, eu só me culpava e culpava por ter oferecido os pedacinhos de pipoca que para mim pareciam inofensivos. Só imaginava uma casquinha invisível descendo pela garganta dele e, pior ainda, indo parar no canal que leva ao pulmão.

Acho que uns cinco minutos se passaram naquela babação, choro, tosse e ânsia de vômito. As pessoas da casa pararam o que estavam fazendo e vieram acompanhar o que estava acontecendo. Meu marido também veio, pegou o Caê, virou-o de barriga para baixo, bateu nas costas, mas nada acontecia. Nesse momento, eu bem assustada, já estava planejando pegar o carro e correr para algum posto de saúde próximo, pois como estávamos perto de Riviera de São Lourenço, não tinha hospital a uma curta distância.

Eu não soltava o Caê e seguia dando tapinhas nas costas dele. Ele salivava muito e tossia. Fazia ânsia atrás de ânsia até que num determinado momento vomitou. E assim que vomitou, saiu junto com um resto de saliva grossa um pequeno adesivo plástico da personagem Moranguinho, que ele deve ter encontrado no chão na hora que deu uma voltinha engatinhando e brincou com as coisas das crianças mais velhas.

Eu, é claro, só levei brinquedos que eram seguros para ele. Meus amigos também evitaram levar brinquedos pequenos, já que sabiam que haveria bebês na casa. Mas a cartela de adesivos passou despercebida. As meninas brincaram com eles, um deles ficou perdido no chão, o Caê achou, colocou na boca e engoliu.

Por sorte, muita sorte, ele não aspirou e não foi parar no canal respiratório. E por sorte ele também conseguiu expelir na hora que vomitou. Agradeço a Deus que nada de pior aconteceu. Mas deixo aqui o meu alerta, para todos terem muito cuidado com adesivos ou pedaços de papel que possam ser engolidos e causarem engasgos sérios.

Meu pequeno ficou bem assim que conseguiu colocar para fora o adesivo que tinha engolido, mas o ocorrido ainda me assusta. Desde esse incidente eu estou com atenção redobrada a tudo que o Caê possa colocar na boca, por mais inofensivo que possa parecer.

 

5 comentários

  1. Káterin Grondona

    Que susto Shirley. A minha filha engasgou com aqueles curativos adesivos redondinhos. Colocaram o adesivo na perninhas após vacina e quando estávamos indo para casa, ela no bebê conforto, começou a engasgar. Coloquei a mão na boquinha dela e saiu o curativo. Fui no posto de saúde alertar para não colocarem mais esse tipo de curativo. Foi um susto danado!!!

  2. Karla

    Nossa! Essa semana passei por uma também!
    Começaram as aulas na escolinha e as professoras pediram pra colar a etiqueta com o nome na chupeta.
    Coloquei e no primeiro dia, não sei como, minha filha de 1 anos recém completados, tirou a dela e colocou na boca. Nossa! Começou a fazer que ia vomitar, chorar, salivar. Quando abri a boca, vi a pontinha do adesivo, que era compridinho.
    Coloquei a mão e puxei.
    Ela chorou, mas graças a Deus, ficou tudo bem!
    Criança tem o dom de fazer do mais simples uma arma.
    Temos que ficar atentas!

  3. Taisa

    Aqui também já aconteceu isto, mas o o inofensivo adesivo da vacina!!! Ainda bem que ela não engoliu e só ficou no céu da boca mas até achar foi um sufoco só. Pensei que era a garganta fechando com alergia da vacina.

  4. Silvia

    Uma tampinha de cerveja jogada no chão quase causou uma tragédia na minha casa e na minha vida no almoço de natal, meu bebê de 1 ano e 7meses, colocou na boca e engasgou, qd percebi, virei ele de costas, bati nas costas e nada, até q desesperada pela falta de folêgo dele, eu enfiei o dedo na garganta dele e toquei a tampinha, mas não conseguia tira-la da garganta dele, devido a baba muito grossa q ele começou a expelir, meu desespero durou uns 5 minutos, onde eu mantinha a boca dele aberta, para ele ter um canal para entrada de ar, e tentava tirar a tampinha com o dedo….a mão inteira dentro da boca dele, até q ele começou a ficar mole e expelir sangue junto com a baba…..a família toda gritando e chorando, e não dava tempo de chamar nenhum tipo de socorro, o problema do engasgo é esse, é muito rápido, então na minha fé eu roguei a Deus em pensamento q salvasse meu filho, e nesse momento consegui segurar firme a tampinha e tirar praticamente da traquéia dele, o sangue q ele expelia era meu, os dentinhos dele cortou meus dedos, isso foi o de menos, qd cheguei com ele no hospital, a médica emocionada pelo ocorrido me disse que meu filho nasceu de novo, que eu havia dado a vida a ele pela segunda vez, que ele havia corrido sério risco de asfixia. Hoje isso parece um pesadelo que eu vivi, algo surreal, e todos os dias agradeço à Deus por tudo ter acabado bem.

  5. Suellen

    Quando meu primeiro filho tinha 8 meses, já ficava em pé com apoio e saia se aventurando pela casa, um dia eu ouvi um barulho estranho de engasgo e ele começou a tossir, corri desesperada e vi ele com um pedaço de papel, tipo celofane na mão – que ele arrancou da cadeira (era o forro de baixo) – e outro pedaço menor que ele quase engoliu. Graças a Deus consegui tirar, mas o susto que levei foi horrível!!

Deixe seu comentário