Quais vacinas protegem da meningite?

Há alguns dias, recebi um email de uma leitora contando sua experiência pessoal e sugerindo que eu abordasse esse assunto aqui no blog. Ela contou que sua filha teve meningite e que, por esse motivo, ela acabou descobrindo que existe uma vacina, chamada ACWY, que protege contra outros tipos de meningite que a vacina que é dada na rede pública de saúde não protege.

Assim, ela pediu que eu falasse sobre isso aqui no blog, informasse outras mães e pais sobre isso, e esclarecesse as reais diferenças entre essas duas vacinas.

vacinas contra a meningite

Photo Credit: Fotos GOVBA via Compfight cc

Achei a sugestão super pertinente, até porque nem eu sei muito bem a diferença da vacina ACWY (que só existe na rede privada) e da que é dada nos postos de saúde. Então, optei por pedir para a dra. Fernanda Freire, pediatra e autora do site Seu Pediatra, para abordar o tema e esclarecer todas as dúvidas. E aqui está o seu texto a respeito, super esclarecedor e muito útil.

Boa leitura!

Quais vacinas protegem da meningite?

Por Dra. Fernanda Freire

A meningite é uma doença que assusta todas as mães, mesmo as que não sabem direito o que é meningite querem proteger seus filhos de todas as maneiras possíveis. Mas nem sempre as mães conhecem todas as vacinas que existem e por isso hoje vamos comentar aqui um pouco sobre as vacinas para meningite. Assim, na próxima consulta com o pediatra, você pode fazer mais perguntas e tirar suas dúvidas sobre as vacinas.

Primeiro, vamos relembrar o que é meningite e qual a causa da meningite.

Como o cérebro é um órgão muito importante, ele precisa de uma proteção especial. A meninge é uma membrana que protege o nosso cérebro e a medula espinhal e serve para evitar que qualquer infecção que a gente tenha possa prejudicar o cérebro.

A meningite é a inflamação dessa “capa” que protege o cérebro. Por estar muito próxima ao cérebro a inflamação da meninge pode ser perigosa e por isso as mães ficam assustadas, e com razão.

Temos que lembrar que existem várias causas de meningite. A meningite pode ser causada tanto por vírus, como por bactérias, e também por fungos ou outras doenças que não são infecciosas.

As meningites por vírus, em geral, tendem a ser menos graves que as meningites bacterianas e apenas os sintomas são tratados. Muitas vezes a criança nem precisa ficar internada. Já as meningites bacterianas precisam de tratamento imediato,  com internação, e o paciente recebe antibiótico na veia. Os casos mais graves podem deixar sequelas. Por isso a preocupação em proteger as crianças o máximo possível.

Quais as formas de prevenção que existem? Qual vacina protege contra a meningite?

Higienizar as mãos com frequência, evitar compartilhar comida, pratos e talheres são medidas que ajudam a interromper a disseminação de muitos vírus e bactérias. Também é importante evitar mandar crianças com febre para a escola.

Quanto às vacinas, há opções que ajudam a proteger contra a meningite, mas, infelizmente, não existem vacinas para todos os vírus e bactérias.

Qualquer vírus pode causar meningite. Os enterovírus são mais comuns e não tem vacinas específicas contra a meningite viral. Outros vírus como o da caxumba,  da catapora também podem causar meningite. Nesse caso, a mãe deve apenas manter a carteira de vacinação sempre atualizada.

Já as meningites bacterianas são causadas principalmente pelo pneumococo, meningococo e hemófilo (Haemophilus influenzae do sorotipo b). As outras bactérias também podem causar meningite mas são menos frequentes.

A vacina contra o hemófilo já está no calendário nacional de vacina há muito tempo e, por isso, diminuíram muito os casos de meningite por essa bactéria. E para quem não lembra, ela está na vacina tetravalente (junto com a vacina contra o tétano).

O pneumococo causa infecções nos pulmões e no ouvido, mas também pode causar meningite. Existem 92 sorotipos de pneumococo, e tem vacina contra os tipos mais frequentes. No calendário nacional existe a vacina contra o pneumoco, a pneumocócica 10, que protege contra 10 tipos, é dada com 2 e 4 meses e um reforço aos 12 meses, segundo a última atualização do calendário esse ano.

Na rede particular é dada a pneucocócica 13, que protege contra 13 tipos. Para as crianças acima de 2 anos, existe outra vacina que é a pneumocócica 23, que protege contra 23 tipos, e o pediatra pode recomendar em casos específicos.

Os principais sorogrupos de meningococo são A, B, C, W135 e Y, sendo o sorogrupo C atualmente o mais frequente. E, por isso, há poucos anos colocaram a vacina contra o Meningococo C também no SUS. A vacina é tomada com 3 e 5 meses e reforço aos 12 meses.

Mas existem na rede privada outras 2 vacinas contra outros tipos de meningococo, que ainda não tem previsão de serem distribuídas pelo SUS, mas que é bom os pais saberem que ela existem e conversar com o pediatra sobre elas:

  • Vacina Mengocócica ACWY – que além de proteger contra o tipo C (que é a do SUS), protege contra o tipo A, W e Y. Ela pode ser tomada a partir de 1 ano de idade.
  • Vacina Meningocócica B – chegou no Brasil em 2015, ainda está em falta em muitas clínicas. Os bebês tomam a vacina com 3, 5 e 7 meses e depois um reforço com 12 meses. Quem já está com mais de 1 ano, toma apenas 2 doses da vacina.

Converse com seu pediatra sobre as vacinas que você pode dar no seu filho e pergunte a opinião dele em relação às vacinas que estão disponíveis só na rede privada.

Beijos,

Dra. Fernanda Freire (facebook.com/seupediatra)

 

Deixe seu comentário