Se eu pudesse melhorar uma coisa em mim, como mãe, o que seria?

Você, em algum momento, já desejou ser uma mãe diferente para seus filhos? Posso confessar uma coisa? Eu já. Muitas vezes. Em muitas e muitas situações eu olhei para mim mesma, como mãe, e quis ser diferente, fazer diferente, agir de outra forma. Mas e por que é que não o fiz? Porque não é tão simples assim.

Uma das coisas que eu mais gostaria de mudar em mim, não só como mãe, mas como ser humano, é a minha ansiedade. Eu sou uma pessoa para lá de ansiosa e isso, é claro, se reflete na forma com que eu crio os meus filhos. Eu sou uma pessoa cuja paciência vai só até a página 15. Minha calma também não é grande coisa. E essas duas características, com certeza, eu gostaria de mudar.

melhorar como mae

Claro que tendo consciência disso eu tento, tento e tento de novo, sempre buscando melhorar, mas nem sempre é fácil. Na verdade, é bem complicado. Isso porque, o “eu mãe” é simplesmente uma extensão do “eu pessoa” e aí, todas as nossas características são carregadas para o nosso papel de mãe e não é porque um filho nasceu que essa chavinha irá virar.

O que quero dizer, é que não basta eu querer ser uma mãe mais calma, tranquila e paciente se a Shirley não é essa pessoa. Claro que vale tentar, vale buscar ajuda, vale se esforçar, mas as coisas não melhoram do dia para noite.

Por outro lado, ter consciência de que algo pode ser melhorado em nós, e que isso irá trazer benefícios para nossos filhos, já é meio caminho andado. A partir desse primeiro estágio, de consciência, nós damos o ponta pé inicial e, depois disso, com muita boa vontade, perseverança e autoconhecimento podemos seguir em frente, buscando nos tornar mães melhores e mais preparadas para criar nossos filhos.

E você, já parou para fazer esse exercícios? Já se perguntou qual característica sua que, se melhorada, tornaria seu papel de mãe mais fácil e mais prazeroso? Que mudança em você a tornaria uma mãe melhor?

Não precisa muito. Não há necessidade de grandes mudanças. Basta tentar identificar qual a sua dificuldade (não gosto de chamar de “defeito”) que mais a atrapalha no exercício da maternidade e aí investir as suas forças em tentar melhorar isso.

É um belo exercício a se levar adiante. Que não é fácil de ser realizado. Mas que se bem executado trará benefícios imensos para todo mundo. Vamos tentar?

 

4 comentários

  1. Carla Marques

    Eu gostava muito de ter mais paciência e disponibilidade mental para brincar com a minha filha e ensinar-lhe coisas.
    Todos os dias estou com ela, a brincar, pelo menos uma hora mas, sinto que me falta inspiração para a cativar nas brincadeiras e alguma orientação para a estimular mais, a falar por exemplo.
    A minha filha tem 2 anos e torna-se cada vez mais interessante brincar com ela e interagir mas ela passa a vida a testar os limites, a trepar aos móveis, a abanar candeeiros e a televisão e às vezes gostava de ter mais paciência e menos vontade de a colocar a ver televisão para eu ir fazer outra coisa qualquer.
    Então era isso que gostava de mudar em mim: a paciência e a disponibilidade mental para estar sempre bem disposta e motivada para estimular a minha filha convenientemente.

  2. Kécia

    Com certeza gostaria de ser mais paciente! Mas é isso aí… não somos perfeitas como pessoas… Pq seríamos como mães?!

  3. Eu também gostaria de ter uma paciência infinita… Mas fiz sim esse exercício de reflexão e acabei escrevendo um post de “resoluções de ano novo”.
    Para quem se interessar, está aqui:
    somelhora.com.br/index.php/2015/12/29/mae-que-quero-ser-2016/

  4. Andreia

    Gostaria de ter mais paciência e levar a maternidade com mais leveza. Eu acordo e já embalo na rotina e quando vejo, o dia acabou e eu não aproveitei o quanto gostaria a companhia com a minha filha.

Deixe seu comentário