Crianças com dificuldades para respirar – quando é hora de levar ao médico

Uma dúvida que é muito comum a todas as mães é: “Qual é a hora de levar uma criança com desconforto respiratório ao médico? Até que ponto é normal um certo desconforto e a partir de que momento é necessário procurar ajuda de um profissional da saúde?”.

Eu vivi muito esse problema de desconforto respiratório com o Caê (fruto de uma bronquiolite que ele teve) e, apesar da minha experiência, sempre ficava com dúvidas. Me perguntava: Será que vai melhorar  e não é necessário levar ao médico ainda? Ou será que é melhor ir já, para evitar que piore?

Enfim, para responder a essas dúvidas que, com certeza, não são só minhas, chamei uma especialista no assunto, a Fisioterapeuta Raquel Escobar, Fisioterapeuta pós-graduada em Fisioterapia Respiratória e Pneumologia pela Universidade Federal de São Paulo e Consultora materno infantil para medidas preventivas.

No seu texto, Raquel explica direitinho quais são os sintomas que significam que os pais DEVEM procurar a ajuda de um médico.

Boa leitura!

criancas com dificuldade para respirar

Photo Credit: Shawn M. Kent via Compfight cc

Crianças com desconforto respiratório – quando é hora de levar ao médico

Por Raquel Vasques Escobar

>>> Leia também: Gripe, resfriado e problemas respiratórios em crianças – como prevenir e tratar

Com as alterações constante de clima e temperatura, problemas respiratórios comumente vivenciados nas estações de outono e inverno estão se tornando cada vez mais frequentes em todo o ano, independente da estação.

Nos últimos meses, presenciei muitas crianças com desconforto respiratório, apesar de, inicialmente, parecer ser apenas um resfriado. Mas, o fato é que em bebês e crianças a evolução de quadros respiratórios  são rápidas, tanto para melhora como para piora, então, por isso, os pais não podem descuidar de jeito nenhum.

Crianças (e pessoas em geral) com dificuldade em respirar dão sinais de que não estão recebendo oxigênio suficiente e, esses sinais são um alerta de que se deve procurar ajuda médica o quanto antes.

Esses sintomas são:

  • Nariz obstruído (entupido) e criança respirando pela boca com frequência maior que a habitual. E isso associado a dificuldades para mamar ou se alimentar devido desconforto para respirar.
  • Aumento no número de respirações por minuto. Respiração curta e muito rápida pode indicar que uma pessoa está tendo dificuldade para respirar ou não recebendo oxigênio suficiente
  • Batimento de asa de nariz (quando a borda do nariz faz movimento para fora e para dentro, imitando asa,  tentando colocar ar com esforço, aumento do trabalho para respirar)
  • Retrações da musculatura, que podem ocorrer:  logo abaixo do pescoço, local que chamamos de fúrcula,  parecendo que a região afunda durante a inspiração;  na região intercostal, músculos entre as costelas também com sinal de esforço
  • Ao levantar a roupinha da criança percepção de que não existe sincronia na respiração, sinal da GANGORRA, onde o tórax e a barriga mostram falta de sincronia durante a respiração. Demonstrando grande esforço por parte da criança de tentar fazer mais ar entrar nos pulmões
  • Chiado. Um “assobio” ou “som musical” que parece sair do peito da criança  quando ela respira. Isso pode indicar que as passagens de ar estão estreitas, tornando mais difícil a respiração
  • As mudanças de cor. A cor azulada vista ao redor da boca ou nas unhas pode ocorrer quando uma pessoa não está bem oxigenada. A cor da pele nessas condições pode apresentar palidez também
  • Suor. Com o aumento da frequência da respiração pode ocorrer sudorese na cabeça, mas, a pele continuará fria

Assim, deixo aqui meu alerta aos pais. Assim que identificarem esses sintomas na criança (não precisa ser todos eles juntos), busque ajuda médica imediatamente. Toda detecção precoce leva também a uma resolução precoce.

Raquel Vasques Escobar

Fisioterapeuta pós graduada em Fisioterapia Respiratória e Pneumologia pela Universidade Federal de São Paulo e Consultora materno infantil para medidas preventivas.

Leia mais:

Como amenizar os sintomas de resfriado no bebê

2 comentários

  1. Elis

    Linda a Raquel! Cuidou do meu Rafa quando ele teve bronquiolite!

  2. Debora

    Olá! Minha pequena esta com o peitinho chiando e com tosse, o que pode ser Doutora? Obrigada e estou amando seus posts.

Deixe seu comentário