Maternidade: 20 situações nas quais você pagou ou ainda vai pagar a língua

Se tem uma coisa que a gente faz quando vira mãe é pagar a língua. Aquele monte de coisas que a gente jurou nunca – nunquinha!!!! – fazer, acaba se tornando parte da nossa realidade. Se não tudo, pelo menos algumas coisas. Se não sempre, pelo menos de vez em quando.

Sim, porque por mais que a gente queira fazer tudo certo, ser a mãe perfeita, tem uma hora que a vamos jogar a toalha, vamos chegar no nosso limite e aí, a gente faz o que dá (quem nunca???).

Veja abaixo as situações em que nós, mães, mais costumamos pagar a língua. Aposto que você irá se identificar com várias.

crianca

Photo Credit: mamaloco via Compfight cc

Meu filho não fará birra em público: Ah! Essa é clássica. Quem nunca viu uma criança fazendo birra e aí jurou “Meu filho nunca fará isso. Ele será bem educado!”. E aí, o que acontece? O filho da gente nasce e faz igual. Ou até pior!

Meu filho vai ser educado e cumprimentar todo mundo: Claro que imaginamos nossos pequenos muito bem educados, lindos, gentis e simpáticos. Mas aí eles tem uma personalidade do cão e, por mais que você diga e repita “Tem que cumprimentar o tio”, “Diga bom dia!”, nada adianta! Ele fecha a cara e nem um sorriso dá.

Meu filho não irá me desobedecer: A gente acha que educar filho é tarefa fácil. Que é só dizer o que pode e não ser feito que eles irão seguir as regras direitinho. Aahahahahah! Faça me rir! Crianças também tem personalidade forte e só fazem o que realmente querem fazer. E aí, o que nos resta? Utilizar muita psicologia e convencê-los de que eles querem fazer aquilo que a gente quer que eles façam.

Meu filho não vai mexer nas coisas na casa dos outros: É ou não é coisa que tira a gente do sério aquela criança que, na casa dos outros, mexe em tudo, tira tudo do lugar e não para um segundo? Quem nunca se irritou com isso? Só que aí chegam os nossos filhos e eles resolvem fazer exatamente isso que tanto nos irritava antes.

Meu filho não irá dormir na minha cama: Sim, tem pais que juram de pés juntos que o filhote irá dormir sempre no seu bercinho porque isso é o ideal a se fazer. Mas aí o bebê não dorme, ou acorda mil vezes à noite, ou chora a madrugada toda e só o que acalma a criaturinha é ficar bem grudadinho ao corpinho da mãe. Moral da história? A criança vai parar sim na cama dos pais. Sem nenhum peso na consciência.

Meu filho vai comer tudo direitinho e, se não quiser, vai ficar sem comer até a próxima refeição: Sim, é isso que nos ensinam a fazer. Só que aí a criança está há dias sem comer direito, com uma carinha abatida, perdendo peso. O que é que a gente faz? Oferece qualquer coisa para ela se alimentar. Sobreviver nessa hora é a prioridade.

Nunca vou fazer coisas descabidas para fazer meu filho dormir: Ahahahah! Essa é outra clássica. A gente jura que não irá embalar por horas, não irá dar voltas e voltas de carrinho, não irá sair para passear de carro para fazer o pequeno dormir. Mas aí, ele precisa dormir, a gente precisa dormir, e qualquer coisa que ajude será bem vinda.

Meu filho não vai ver TV nem brincar com celulares e smartphones: Mais uma coisa que a gente jura de pés juntos. Até a primeira vez que precisar nos virar nos 30 para fazer o almoço, limpar a casa, terminar aquele trabalho que está pendente.

Meu filho não irá comer porcarias nunca: É óbvio que ninguém quer dar porcarias para o filho, mas quem nunca se rendeu a algo não tão saudável num momento de desespero? (sei que tem gente que não, mas muita gente já sim!). Típico quando os pequenos estão doentes e se negam a comer qualquer coisa!

Meu filho não irá comer na frente da TV: Isso até o dia que a gente precisar fazer o pequeno comer correndo porque tem um compromisso e não pode, de jeito nenhum, chegar atrasada. Aí a gente recorre a tudo.

Nunca vou oferecer um doce (ou outra coisa que o meu filho queira muito) para convencê-lo a fazer algo: O clássico pirulito no dia de vacina. Quem nunca? (Lembrando que até 2 anos não deve ser oferecido doces para crianças).

Nunca vou deixar meu filho horas na frente da TV só para conseguir terminar algo: Nesse momento, Leo está vendo um filme para eu conseguir escrever esse post. Quem nunca?

Nunca vou assustar meu filho só para convencê-lo a fazer algo: Ahahaha! Duvido que você nunca tenha mostrado uma foto de dente podre ou de alguém desdentado só para convencer seu filho a escovar os dentes. Duvido!!!

Meu filho não vai usar chupeta: A gente sabe dos malefícios da chupeta e jura que nunca irá oferecer para o filho. Mas aí o pequeno faz o peito da gente de chupeta, ou começa a chupar o dedo, ou chora sem parar dia e noite… E aí nos vemos dando a tal chupeta para ter um pouco de paz.

Nunca vou desejar ficar longe dos meus filhos: Sim. Você vai desejar isso. Nem que seja cinco minutos para fazer as necessidades sozinha no banheiro.

Meu filho não me vencerá na insistência: Até ter filhos, você não imagina do que eles são capazes!!! Eles são incansáveis. E vão te vencer na insistência uma vez ou outra.

Eu não irei nunca fazer as coisas de qualquer jeito: A gente tem certeza de que irá fazer tudo certinho, irá ser impecável na criação e cuidados com os filhos. Mas aí, quando vê, está colocando para dormir sem escovar os dentes, passa um lencinho umedecido no pé em vez de dar banho, faz vistas grossas para a bagunça que eles deixaram no quarto. E não sendo a regra, não há problema algum nisso.

Meu filho nunca irá me tirar do sério: A gente jura que vai resolver tudo através do diálogo, não irá gritar nunca, jamais irá perder a paciência. Santa ilusão.

Eu nunca vou falar um palavrão na frente do meu filho: Essa aqui tem tudo a ver com aquela anterior “Meu filho nunca irá me tirar do sério”.

Eu vou sempre dar o exemplo: Sim, a gente sempre dá o exemplo. Mas nem sempre ele é bom. kkkkkk!

Enfim, a verdade é que a  gente sempre tenta o nosso melhor, mas somos humanas e tem horas que a gente faz o que dá. Quem nunca?

 

 

17 comentários

  1. Stella

    Oi Shi
    Adorei essa matéria!!!!!
    Tudo isso é bem verdade mesmo.Bjo.

    1. Macetes de Mãe

      Oi, Stella!
      Que bom que gostou :)
      Bjss

  2. Patrice

    Olha acho que paguei a lingua por quase todos esses itens. Principalmente o de mexer nas coisas dos outros. Detestava quando ia criança lá em casa e mexia nas minhas coisas e os pais não faziam nada. Hoje meu filho faz igual e eu entendo porque os pais não faziam nada hahahaha

  3. Odi

    São tantas, mas a q eu mais pago lingua é que eu sempre disse q ela dormiria no berço no quarto dela, acontece q os avós e pai não me deixaram coloca-la no outro quarto de inicio, ai ficou no meu quarto, mas não na minha cama, mas chegou um momento em q eu precisava desesperadamente dormir e ela foi pra minha cama e ficou la por algum tempo, resultado, hj com quase 9 meses ela não está na minha cama, mas tbm não está no bercinho dela, ela tem uma caminha do ladinho da minha… no final a necessidade fala mais alto rs

  4. Tatiana Cali

    E viva a célebre frase: “Ser mãe é a arte de pagar com a língua”… Kkkkkkk.
    Bjs,
    Tati

  5. Carla Marques

    Identifico-me com praticamente todos os pontos exceto com os que estão relacionados com doces.
    Na verdade eu não era muito de dizer “O meu filho nunca…” porque é muito difícil saber o que faríamos numa determinada situação antes de passar por ela. Não sou muito de julgar.
    Mas, também é verdade que na minha mente sempre pensei que nunca faria determinadas coisas que depois me vi a fazer.
    Coloco a minha filha a ver desenhos animados para poder fazer algumas coisas, já a coloquei na nossa cama, já perdi a paciência mais vezes do que gostaria e já disse palavrões na frente dela. Mas, em relação aos doces e às palmadas ainda não cedi. Digo ainda não porque não sei o amanhã e talvez aconteça dar-lhe um doce ou uma palmada num momento ou noutro mas, para já, mantenho as minhas convicções firmes.
    Em relação aos doces, tem sido muito difícil manter a firmeza quando todos à minha volta parecem querer “obrigar-me” a dar doces à minha filha. Gostaria muito de ver este tema debatido aqui.
    Entretanto deixo a minha opinião e experiência descrita de uma forma mais extensa aqui: http://www.vinilepurpurina.com/2016/03/22/outra-vez-o-acucar/

  6. Alessandra

    hahaha… ótimo!!! Adorei!! Na gravidez, falei e/ou pensei em metade das coisas que você citou… e já fiz praticamente tudo!!! hihihi

  7. Thais Coelho

    Adorei! Ainda estou grávida, mas já falei várias destas coisas, fiquei até com medo agora, haha

    Beijão

  8. Tatiana Martinez

    Nossa, morro de medo disso acontecer! Rs
    Já falei algumas dessas coisas, mas vendo amigas que tiveram bebês, vejo que estava errada em muitas maneiras de pensar sobre a maternidade.
    Beijinhos

  9. Luana

    Nós que temos tantos papéis para desempenhar ao mesmo tempo precisamos agir como verdadeiras equilibristas e, as vezes alguma coisa precisa de uma “ajudinha” para não cair. Sinto que ser mãe, profissional, estudante e ainda esposa parecem demandar muito mais do que 24 horas para dar a devida atenção a tudo, mas vou atuando em dois ou três papeis ao mesmo tempo, estudando na condução para o trabalho, trabalhando meio período home office para ficar na companhia da minha filha o máximo possível e acompanhar o desenvolvimento dela, cuidando da casa nos momentos que ela dorme e buscando fazer passeios em família ou alguns só com o marido para não ficar tristinho. Realmente muito do que planejamos sai completamente diferente pois os filhos tem suas próprias personalidades e impressões de suas vivências. Eu sofria com algumas coisas fora da bolha que tinha projetado para ela mas vi que essas coisas que acontecem fazem parte.

  10. Graziela Silva

    Minha mãe sempre insistiu para não olharmos torto para a forma como outras pessoas educavam seus filhos, porque pagar língua era a coisa mais certa na vida de mãe/pai. Essa lição tem me ajudado a não projetar demais; a dizer menos ‘isso nunca’ e mais ‘vamos tentar evitar’.

  11. Tabata

    Kkkk Keven Gabriel tem 3 aninhos já fiz td isso tirando mexer nas coisas dos outros (antes de sair de casa converso com ele) e chupar dedo ou chupeta (eu chupei dedo qdo eu criança e passei minha adolescência com aparelho machucando minha boca então cuidei para não acontecer a mesma coisa com meu filho e meu marido chupou chupeta fomos muito fortes nesta face)

  12. Lourdes Maciel

    É incrível como mordemos a nossa língua quando o assunto é filho. kkkkk

  13. Luana

    Poxa, existe todo um renascer de conceitos e conscientização vc me manda um “fazer o peito de chupeta”???? A chupeta é feita de peito e não o contrário!!!!! Nada contra quem oferece chupeta, e o papel dela é substituir o peito, mas isso q vc escreveu doeu!!!! Aliás esse blog é legal mas tem hora q me dá raiva.

  14. Aline Szabó

    Eu incluiria mais uma que ja paguei a lingua: Meu filho não vai ter frescura para dormir, vai dormir no meio do barulho! Meu bebe odeia barulho e acorda com qualquer som diferente! Paguei a lingua de grandão!

  15. Bianca Maya

    Ameiiii….me identifiquei muito! Kkkkkk

  16. Christiane V.carvalho

    Tenho três, mas com as gêmeas q pago minha língua bonitooo.
    Só por Deus.
    Mas , não desisto de conversar e mostrar o certo.( Sempre).
    😉

Deixe seu comentário