Muito mais que diversão – os benefícios do livre brincar para as crianças

Quando imaginamos uma criança brincando, é natural que venha automaticamente à nossa mente a ideia de diversão. Só que brincar vai muito além da pura e simples diversão. O brincar, e principalmente o livre brincar (brincadeiras não dirigidas pelos pais, mas criadas pelas crianças), tem uma influência direta e importantíssima sobre o aprendizado de uma criança. Uma criança que tem liberdade para brincar e para explorar a brincadeira da forma que se sente mais à vontade, acaba por desenvolver uma série de habilidades, sobre as quais eu vou falar agora.

Uma pesquisa realizada por OMO, com mais de 12 mil pais de crianças de 5 a 12 anos de 10 países diferentes (1000 pais só no Brasil), mostrou que 98% dos pais Brasileiros acreditam que brincar faz sim com que as crianças se tornem adultos melhores.

IMG_0908

Imagem de arquivo pessoal. Sua reprodução não está autorizada.

A pesquisa mostrou, ainda, que os pais sabem que crianças que brincam livremente desenvolvem o pensamento criativo e a expressão de ideias, ou seja, tornam-se mais criativas e tem mais facilidade de expor suas ideias e opiniões. Essas crianças também desenvolvem melhor aptidões sociais e empatia, ou seja, tem uma maior facilidade de se relacionar com o outro e de se colocar no lugar do outro. Coordenação e habilidades motoras são outras duas habilidades desenvolvidas pelas crianças que brincam, ou duvida que subir em árvore, escalar cadeiras e mesas, pular de muros não fazem com que a criança desenvolva uma inteligência corporal? Habilidade para resolução de problemas também vem no pacote de habilidades das crianças que brincam, isso porque, durante a brincadeira, elas simulam situações desafiadoras e, através da imaginação, solucionam esses problemas. Isso é um treinamento para os desafios da vida real! Saber compartilhar e revezar também são habilidades essenciais para se brincar com outras crianças, assim, são outras duas características que as crianças que brincam bastante acabam desenvolvendo.  Brincar também ativa a memória da criança e melhora a sua concentração e, por fim, desenvolve a força física e a resistência, isso porque crianças que brincam – correm, pulam, sobem, descem –  estão, na verdade, se exercitando e treinando seu corpo.

A verdade é que, analisando de uma forma um pouco mais científica, brincar desenvolve o córtex (responsável por funções complexas do cérebro como memória, atenção, consciência, linguagem, percepção e pensamento), desenvolve a amigdala cerebral (responsável pelas reações emocionais e pela aprendizagem de conteúdo emocionalmente relevante) e desenvolve as conexões cerebrais das crianças. Ou seja, quanto mais a criança brinca, mais ela se desenvolve intelectualmente (e não só se diverte e trabalha as habilidades motoras, como se poderia supor).

E para ilustrar isso, vou contar para uma vocês uma história bastante interessante. A Finlândia, aquele longínquo país nórdico, é um dos países que sempre ocupa as primeiras posições no ranking do PISA (Programa de Avaliação Internacional de Alunos). E sabem ao que se deve isso? A uma política pública de educação que instaurou, em todas as escolas públicas do país, a regra de que dentro de cada 1h que a criança passa na escolar, 45 minutos serão dedicados ao estudo e 15min serão dedicados ao brincar (25% do tempo!!! É muita coisa!). Essa iniciativa simples elevou o desempenho dos alunos finlandeses pelo simples fato de que brincar estimula o aprendizado e desenvolve a inteligência das crianças. Simples assim!

Porém, uma questão importante é: ao longo do tempo, nós, adultos, perdemos a naturalidade do brincar. Nós não temos mais a inocência, a imaginação e a criatividade das crianças e, assim, brincar se torna, muitas vezes, um desafio: Brincar de quê? Onde? Como?   

Por acreditar que brincar é tão importante e também para ajudar os pais que querem brincar com seus filhos, mas já não sabem mais exatamente como, OMO lançou esta semana o Movimento intitulado “#LivreParaDescobrir” através do qual realizará uma série de iniciativas que promoverão o livre brincar entre as famílias brasileiras.

Uma das iniciativas que eu achei mais bacanas é o site www.SeSujarFazBem.com.br,  uma central de conteúdos que trata sobre a importância do livre  brincar e que trará também o “Mapa do Brincar”, um espaço onde é possível encontrar diversas opções de brincadeiras para fazer em diferentes lugares – na praia, no parque, em casa, no carro, na cozinha… – além de dicas de espaços e eventos de brincadeiras (uma parceria com o portal Catraquinha).

Além disso, através do movimento #LivreParaDescobrir, OMO patrocinará uma edição do evento Slow Kids, que promoverá diversas brincadeiras ao ar livre, durante a Semana Mundial do Brincar (O Slow Kids é um evento gratuito realizado em áreas verdes, que oferece oficinas e momentos de brincar livre estimulando o tempo em família e respeitando o tempo da criança). Ainda, no segundo semestre, OMO promoverá também o “Dia de Aula fora da Sala” aqui no Brasil. O “Dia de Aula fora da Sala” trata-se de uma iniciativa global realizada em parceria com o Project Dirt para incentivar escolas a oferecerem um dia de aula fora das salas e ajudar a conscientizar educadores e pais sobre a importância do brincar.

E você, ainda tem dúvidas de que a brincadeira pode mudar o futuro do seu filho? Se você entende a importância do livre brincar, acesse já o site www.SeSujarFazBem.com.br e confira inúmeras ideias de como se divertir na companhia dos seus filhos.

Eu amei a iniciativa de OMO e, por aqui, as brincadeiras farão cada vez mais parte da nossa vida.

Confira aqui mais informações sobre o movimento #LivreParaDescobrir.

publi-incentivo

 

 

Deixe seu comentário