H1N1 em gestantes – quais os riscos para a mãe e para o feto?

Minha cunhada está grávida e pegou H1N1. Assim que ela descobriu que estava com o vírus, me contatou para ver se eu sabia quais eram os riscos para ela e para o bebê. Eu, infelizmente, não tinha muita informação e respeito e, na hora, achei que esse seria um ótimo tópico para ser abordado aqui no blog.

Assim, entrei em contato com a Fernanda Feire, que escreve o site Seu Pediatra, que sempre colabora com questões de saúde aqui para o Macetes de Mãe, e pedi que ela abordasse o assunto, de forma simples e clara, para disseminarmos a informação entre o maior número possível de pessoas.

E assim está aqui esse post, com todas as informações que você precisa saber sobre H1N1 em gestantes e, principalmente, esclarecendo quais os riscos dessa gripe para a mamãe e o bebê.

h1n1 em gestantes

Photo Credit: Simon Laroche_8 via Compfight cc

O vírus H1N1 nas gestantes

Por Dra. Fernanda Freire – Pediatra em São Paulo e autora do seupediatra.com. Clique aqui para acompanhar a página no Facebook.

Depois que começou a epidemia de Zika, nenhuma gestante teve mais sossego. O tempo toda há preocupação com a infecção e suas possíveis consequências para o feto. Para piorar, entramos em uma época de epidemia da gripe, com força total do vírus H1N1, e muitas gestantes ficaram angustiadas e com dúvidas sobre a infecção e sobre a vacina. Assim, vou tentar esclarecer aqui esse assunto. Espero que essas informações ajudem a tranquilizar as gestantes.

Por que as gestante devem se vacinar?

Foi visto que as mulheres grávidas tem uma chance maior de apresentar um forma mais grave da gripe, com maior chance de precisar de internação e maior chance de morte pelas complicações. Por isso, as gestantes entram como grupo de risco e recebem a vacina gratuitamente pelo SUS.

A vacina aplicada durante a gestação ajuda a proteger também o bebê até os 6 meses de vida, pois os anticorpos passam para ele.

Por isso, muito importante: gestantes devem tomar a vacina contra a gripe!

A vacina da gripe é segura para as gestantes?

A vacina da gripe é principal maneira de se prevenir a doença e se mostrou eficaz e segura para as gestantes. A vacina já foi usada em milhões de gestantes ao longo dos anos e não foi visto nenhum dano para a gestante nem para o bebê.

A vacina da gripe não contém vírus vivos e por isso não provoca a doença. Os efeitos adversos mais comuns da vacina são leves, e podem ser febre, dor no corpo, náusea, dor de cabeça e vermelhidão no local da injeção. Normalmente duram de 1 a 2 dias.

Qual o risco da infecção pelo H1N1 nas gestantes?

As mulheres passam por muitas mudanças na gestação. Acredita-se que o aumento da gravidade dos casos nas gestantes esteja relacionado a essas mudanças fisiológicas. Como, por exemplo, o aumento da frequência cardíaca e do consumo de oxigênio e a diminuição da capacidade pulmonar.  O sistema imunológico, que é o sistema de defesa, também muda, e tem mais dificuldade para combater a infecção.

Além das complicações da gripe, como pneumonia e insuficiência respiratória, as gestante que pegam gripe tem maior risco de apresentar ameaça de parto prematuro e mesmo de ter o bebê antes do tempo certo.

Quais os riscos para o feto? O vírus ataca o feto também?

Quando as mães pegam a forma grave da doença, o bebê tem maior chance de ser nascer prematuro e também de ser pequeno para a idade gestacional (peso abaixo do esperado).

Não tem estudos mostrando ação direta do vírus no feto, como no caso do Zika. Mas a febre, provocada tanto pela gripe, como por outras infecções no início da gestação, pode aumentar o risco de malformações congênitas. Por isso, as grávidas são orientadas a tratar os sintomas assim que eles começam e por isso é tão importante elas se medicarem contra a febre com medicamentos indicados pelo seu médico.

Como se trata a gripe? A gestante pode usar o remédio?

O tratamento nos casos de suspeita da infecção é feito com o Oseltamivir (ou Tamiflu, como também é conhecido), que deve ser iniciado nas primeiras 48 horas da infecção para que tenha melhor resultado. Mesmo que tenham passado as 48 horas pode ser benéfico para as grávidas iniciar o tratamento. Converse com seu obstetra.

Na pandemia de H1N1 em 2009 o CDC (Centro de controle de Doenças dos EUA) recomendou o tratamento de todas as gestantes com suspeita de gripe, e estudos posteriores não mostraram efeitos adversos nas gestantes nem nos fetos. No entanto, a droga ainda é classificada como categoria C para as gestantes, o que indica que ela só deve ser usada se os benefícios superarem os riscos, pois ainda não temos estudos suficientes. Portanto, use somente sob orientação do seu médico.

Infelizmente, a vacina não protege 100% das pessoas, por isso, ainda que você tenha sido vacinada, se você apresentar os sintomas da gripe, procure imediatamente seu médico.

Dra. Fernanda Freire

Pediatra em São Paulo e autora do seupediatra.com. Clique aqui para acompanhar a página no Facebook.

 

Referências:

http://www.cdc.gov/flu/protect/vaccine/pregnant.htm

New England Journal of Medicine Perspective, “2009 H1N1 Influenza and Pregnancy — 5 Years Later”

Deixe seu comentário