Revelação do século: Mulheres precisam dormir mais que os homens

Com certeza, você ouviu muito a seguinte frase, durante a gestação: “aproveita para dormir agora, porque depois…”. Por mais que você tenha um bebê tranquilo, nos primeiros anos das crianças, é muito difícil que a mãe durma o mesmo número de horas que estava acostumada a ter antes da maternidade. Porque elas acordam no meio da noite com alguma necessidade, ficam doentes, ou simplesmente querem a mãe. Isso na melhor das hipóteses, porque se você for premiada com o “bebê Telesena”, que acorda de hora em hora, então, a vida pode ser enlouquecedora.

Sono Mulheres

Photo Credit: Juanedc via Compfight cc

Quem me acompanha há tempos, sabe que aqui em casa as coisas nunca foram muito fáceis. Leo deu muito trabalho à noite até 1 ano de idade e Caê, que já vai fazer 1 ano e 4 meses, segue acordando várias vezes na madrugada. No meu snapchat (“macetesdemae) já cheguei a mostrar, certa vez, a saga da minha madrugada, com Caê super acordado e Leo fazendo xixi na cama. Um caos!

Ou seja, eu super me enquadro na turminha das mães que tem noites “do cão”. E, se não bastasse isso, nós mães que não dormimos, ainda temos que encarar, no dia seguinte, o marido, os filhos, o chefe e a sociedade não entendendo o nosso mau humor e questionando a falta do sorriso estampado no rosto às sete da matina.

Se você também está cansada de explicar quão difícil foi sua noite, as poucas horas de sono decente e ainda receber de volta olhares de incompreensão, dá só uma olhadinha no que eu vou te contar. Não costumo falar muito de pesquisas e dados científicos, mas estes valem muito a pena, vocês vão concordar comigo no final.

Seu/meu mau humor agora está respaldado pela ciência (viu maridão!!!!). Pesquisadores da Universidade de Duke, nos EUA, concluíram que as mulheres precisam dormir mais que os homens. O estudo afirma que se nós não dormirmos o suficiente, no dia seguinte acordaremos mais irritadas do que os homens que dormiram o mesmo tanto de horas que nós. Para chegar a esse dado, foram estudados 210 homens e mulheres, que não tinham nenhum problema de sono. E o resultado atestou que o sono de má qualidade pode trazer mais problemas para a mulheres que para os homens. E os problemas não são bobinhos, não. A mulher que dorme pouco pode apresentar danos psicológicos, além de poder desenvolver problemas no coração, diabetes tipo 2 e depressão.

E as pesquisas não param por aí. O neurocientista Jim Horne, especialista em estudos do sono e ex-diretor do Centro de Pesquisa do Sono da Universidade Loughborough, também constatou em suas pesquisas que as mulheres precisam de 20 minutos a mais na cama, que os homens. O motivo? Nosso cérebro trabalha mais e, portanto, precisa de mais tempo para se recuperar (viu marido, por isso que, de manhã, é você que tem que levantar antes e cuidar dos meninos! kkk!).

Aquele papo de que o sono é reparador, não é fala de vó. É a pura verdade! Uma das funções do sono é justamente proporcionar que o cérebro possa ser reparado da longa jornada do dia. Segundo o estudo de Horne, a ala feminina tem uma tendência de ser multitarefa – se for mãe, então, melhor nem contabilizar quantos pratos equilibramos! – o que demanda muito do cérebro, por isso a nossa necessidade de sono é maior. A privação de sono, nas mulheres aumenta a raiva, hostilidade e depressão, porém, o mesmo não acontece com frequência na ala masculina. Ou seja, os efeitos de dormir pouco são devastadores para a saúde física e mental das mulheres.

Claro que se o homem desempenha todas essas funções tanto quanto as mulheres, queimando seu cérebro para dar conta de trabalho, filho e casa, a sua necessidade de sono também será maior. Mas olha que boa notícia podemos dar aos parceiros: se as tarefas forem bem divididas e ambos assumirem suas funções na família, afinal os filhos são dos dois, todo mundo vai poder dormir melhor e o necessário para ter uma saúde plena.

4 comentários

  1. Eva

    Meu filho tem 50 dias e procuro manter uma rotina de dar banho a noite e coloca-lo no berço por volta das 22:00 h. Porém ele acorda perto da meia noite, 03:00 e perto das ,05:30. Estou muito cansada, mas procuro levantar com ele em torno das 09:00 h nesses dias frios. Minha rotina se torna distinta a cada semana, pois tenho 2 enteados ao qual o pai ( meu esposo) tem guarda compartilhada e mora conosco uma semana sim é outra não.

  2. Geisiane

    Matéria mais que perfeita!!! Tenho 2 empregos, ( professora na rede municipal PEB I e professora de natação, após às aulas vespertinas da prefeitura. De manhã dou reforço e cumpro HTP) acordo às 6h, levo filho na escola, entro às 8h e chego em casa às 18h30. Às vezes bem mal humorada por sinal, nem eu entendo o motivo do meu mal humor. A noite, meu filho de 4 anos às vezes chora dormindo, conversa, uma loucura, acabo antenada a noite toda, à ponto de sonhar que estou atrasada por que não consigo acordar…
    Bem, apesar de tudo, meu filho é minha vida, mas se eu for pôr em dia meu sono atrasado, acho que entro em coma, kkkkkkkkkk. Bjs e parabéns pela matéria.

  3. Karina

    E olha que dormimos bem menos! Eles não acordam prontos para reagir na madrugada, não percebem facilmente um movimento do bebê (sono pesadinho o deles!) e ainda querem acordar mais tarde um pouco qdo ajudaram de noite! 🙄 Rsrs

  4. Fernanda

    Meu filho tem 1 ano e 3 meses, acorda a noite inteeeeiraaaa.
    É enlouquecedor!
    Ainda mama no peito, mas, muitas vezes não quer mamar…. Acorda porque sente minha falta, outras vezes porque está com dor.
    Uma loucura.

Deixe seu comentário