Os principais desafios da mulher no primeiro ano do bebê

Há algumas semanas, bati um papo com a Dra. Carolina Ambrogini, ginecologista, sexóloga e colunista da revista Crescer, sobre a vida da mãe durante o primeiro ano do filho. Esse bate papo aconteceu ao vivo, na fanpage do Macetes de Mãe, e a conversa trouxe insights que acredito que vale a pena compartilhar aqui com vocês.

No geral, identificamos dois grandes desafios para a mulher no primeiro ano de vida do bebê. Um deles diz respeito ao cuidado com nós mesmas e o outro ao cuidado com o relacionamento a dois, que, normalmente, fica bastante abalado nesse período (vamos ser sinceras!).

desafios mulher primeiro ano bebe

https://www.flickr.com/photos/64063416@N05/25111608765/

A grande maioria de nós, e eu me enquadro nessa maioria, sente um desejo enorme de voltar a se cuidar após o nascimento do bebê, mas acaba postergando isso porque, primeiro, esse sentimento gera culpa – afinal, como é que estamos pensando em nós mesmas com um bebê fofo demandando cuidados, né? –  e depois porque, muitas vezes, simplesmente não dá tempo!

Para resolver essas duas questões, a Dra. Carolina deu dicas interessantíssimas. E é sobre elas que vou falar agora.

A mulher que se sente culpada por dedicar alguns minutos do dia para fazer aquilo que lhe faz bem tem que ter em mente que, quanto melhor ela estiver, melhor ficará o bebê. Sim, bebês com mães felizes e relaxadas são, também, mais felizes e relaxados. Então, nesse sentido, se você não tem coragem de voltar a se cuidar por você mesma, volte a se cuidar pelo seu filho. Eu fiz isso: voltei a cuidar de mim e percebo como isso fez a diferença no comportamento e até na saúde dos meus filhos (conto um pouco mais sobre isso aqui)

Já quando a questão é a falta de tempo, a dica que a Dra. Carolina nos dá é criar uma agenda ou uma planilha de horários e aceitar a ajuda de outras pessoas. Uma dica bem simples e prática, mas que ela garante que dá certo e eu, particularmente, posso atestar que dá mesmo. Quando a gente tem alguém que pode cuidar do bebê, nem que seja por uma ou duas horinhas por semana, cabe a nós definir como aproveitar esse tempo livre e aí, em vez de nos preocuparmos em fazer mercado, arrumar a casa ou resolver problemas, a ordem é incluir na rotina alguma coisa que nos dê prazer: fazer exercícios, almoçar com uma amiga, ir no cabeleireiro. Esse tipo de atitude, tão simples, faz toda a diferença. E a gente começa assim, com uma coisinha aqui e uma coisinha ali e, quando vemos, estamos ampliando esse tempo que dedicamos a nós mesmas e curtindo, cada vez mais, fazer isso, pois percebemos que voltamos a nos encontrar.

Bom, o outro ponto que discutimos bastante no nosso bate papo foi a questão da vida a dois. Do quanto a intimidade do casal fica comprometida depois da chegada dos filhos. Deixamos de ser homem e mulher e passamos a ser pai e mãe e aí, a grande dificuldade é: como recuperar a intimidade, a conexão e o romance?

Para mim, as duas coisas que mais conectam um casal são diálogo e sexo. Sem isso, é natural que a gente se distancie. Assim, a minha dica pessoal para que a vida a dois seja retomada é começarmos a dialogar e, quando a conexão do diálogo  crescer, partir para o sexo (sim, vamos confessar que, após a chegada de um bebê, esse tipo de intimidade fica deixada meio de lado).

E eu sei que, muitas vezes, falta ânimo e vontade para transar. A gente está cansada, passou a noite em claro, correu o dia todo, o corpo não está na melhor forma (na verdade está na pior da vida) e a cabeça parece que vai pirar. Se você estiver amamentando, o hormônio da prolactina pode colocar ainda mais um empecilho para o sexo: o ressecamento vaginal. Esse problema pode ser contornado com lubrificante a curto prazo, mas piorar com o uso desse tipo de produto a longo prazo. Então, a opção é usar um hidratante vaginal, como o Vagidrat, que não precisa ser aplicado no “ato”, pois funciona por 72h e ainda serve de tratamento.

Enfim, na minha opinião, acho que vale a pena a gente lutar para se livrar da culpa de querer voltar a ser mulher, se organizar para fazer sobrar um tempinho para fazer o que gosta e se cuidar e, também, investir no diálogo e nos momentos de prazer a dois, para que a conexão do casal seja retomada.

Agora, trago aqui o vídeo completo do bate papo que tive com a Dra. Carolina.  Essas questões que apresentei aqui estão bem melhor colocadas e explicadas nesse vídeo e garanto que vale a pena ser assistido.

Assistir Livestream.

Bom, espero que essas reflexões sirvam para trazer ainda mais alegria e realização para a essa nova mulher que nasceu depois da chegada de um filho.

publi-incentivo

Deixe seu comentário