Amamentar com silicone – é possível?

Vez ou outra a gente se depara com uma notícia de que uma famosa ou até mesmo uma amiga nossa não conseguiu amamentar por causa da prótese de silicone. E é então que muitas mulheres entram em desespero.

Você, assim como eu, deve conhecer várias pessoas que aumentaram ou diminuíram a mama e estão super felizes. E é isso mesmo, temos que cuidar do nosso corpo para nos sentir mais bonitas e de bem com a gente mesma. Mas… saber que isso pode interferir na amamentação dá muito medo e às vezes até culpa, porém descobri que não é bem isso (segundo os médicos, é claro). Então, vamos entender um pouco mais sobre isso.

amamentar com silicone

Photo Credit: David Leo Veksler via Compfight cc

Antes da cirurgia:

Primeiro é importante lembrar que sempre que vamos cuidar da saúde (e a prótese de silicone não é uma questão apenas estética) devemos procurar cirurgiões especializados para garantir que o sonho não vire um pesadelo. É nessa hora que vale a indicação da amiga, da prima e da vizinha. De alguém que já fez e aprova o profissional. E se você tiver em dúvida se está com um médico qualificado e respeitado dá para confirmar se ele é cadastrado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (já é uma garantia enorme).

E antes da operação não é hora de ter vergonha, então converse abertamente com o seu cirurgião e fale do seu desejo de engravidar e deixe bem claro que quer amamentar (mesmo que você não saiba quando isso vai acontecer).

Diferentes técnicas:

E quem já colocou silicone ou está pensando no assunto deve ter lido que existem várias técnicas para inserir a prótese. É isso mesmo, os médicos falam em cirurgias que colocam o silicone abaixo do músculo ou acima dele e também de lugares diferentes para inserir essa prótese, como colocar pela dobra do seio (que é na parte de baixo da mama), pela axila ou pela aréola (quem decide por essas técnicas é o próprio cirurgião, já que o corpo de cada mulher é diferente e tem os seus limites).

A boa notícia é que os médicos garantem que se feita da maneira correta, em qualquer um desses tipos de técnicas dá para amamentar.

Mas acredito que vale uma conversa a mais sobre a prótese que é colocada pela aréola. A gente sabe que a região é bem sensível e ali ficam nervos que tem relação com a produção de leite, então a amamentação pode sim ser bem mais complicada.

Sobre a prótese:

Ah e cuidado com o futuro tamanho das mamas. Algumas mulheres querem colocar o silicone para terem os seios bem fartos, mas se a prótese for muito grande para o seu porte físico ai sim ela pode levar a compressão dos chamados alvéolos e ductos mamários, que são os lugares que produzem e transportam o leite. Então realmente considere a orientação médica.

Quanto à prótese, fiquem tranquilas, os médicos garantem que ela não influencia em nada no gosto do leite materno, até porque o silicone fica abaixo da glândula mamária e não tem nenhum contato com o leite.

E se por acaso você já colocou a prótese e está pensando em engravidar a orientação dos cirurgiões é esperar pelo menos quatro meses. Esse é um tempo legal para o seu corpo se adaptar a mudança do silicone.

E não se engane, assim como o seio da mulher que não tem silicone, a que tem vai mudar depois de amamentar. A pele fica mais elástica, mas a prótese em si não sofre qualquer dano.

Na hora de amamentar:

Ah, e na hora de amamentar não existe nenhuma posição diferente para dar o peito por causa do silicone, não. A forma mais confortável para você e para o bebê é a ideal.

Para finalizar acho que é importante os pais aprenderem tudo que puderem sobre a amamentação e tirarem todas as dúvidas com o médico. E se não der certo na primeira vez, tente novamente, amamentar realmente não é tão simples assim (e nem sempre a culpa é do silicone), mas se tudo der certo, vale muito a pena.

Deixe seu comentário