Tempo seco requer cuidados especiais com as crianças

Ultimamente o tempo anda seco, muito seco. Bom, pelo menos aqui em São Paulo. E se nós já sentimos o desconforto causado por essa condição climática, imagine as crianças! Essas sofrem pra valer (e aqui em casa, com dois menininhos com o aparelho respiratório bem sensível, o negócio anda feio!)

Só para ter uma idéia, a Organização Mundial da Saúde (OMS) fala que a umidade ideal é de 60%, mas nós adultos conseguimos nos adaptar bem com até 40%, já os pequenos começam a ter problemas quando a umidade chega a 50%.

cuidados com as crianças no tempo seco

Photo Credit: doranyiro via Compfight cc

Por isso, devemos ficar atentas neles quanto à questão da hidratação, de problemas respiratórios (bem comum por aqui!), nos olhos e na mudança da rotina do intestino.

Infelizmente se tornam sintomas comuns nesses dias: tosse, coceira no nariz (e até sangramentos, não se assuste), espirros, falta de ar e garganta seca, além do olho vermelho, pele seca e ressecamento do côco, pois o organismo, quando sofre com a falta de água, tende a usar a água que seria do intestino.

E para lidar com tudo isso, não tem muita escolha, é preciso adotar novos hábitos, fáceis e até simples, que vão ajudar os pequenos (e a gente também) a passar por esses dias com mais tranquilidade:

1 – Ofereça a cada hora um copo pequeno de água para as crianças. Sucos naturais e frutas também valem, assim dá para garantir a hidratação de dentro para fora.

2 – Lave o nariz deles com soro fisiológico (pode fazer isso várias vezes ao dia. Estou fazendo direto por aqui).

3 – Use colírio ou soro fisiológico se a criança estiver com o olho seco e coçando (no caso do colírio peça orientação médica para o mais adequado).

4 – Mantenha a pele do seu filho sempre hidratada, com cremes indicados para a idade dele.

5 – Passeios ao ar livre com brincadeiras só estão liberados se for antes das 10h e depois das 16h. Mas se o noticiário avisar que a umidade está abaixo de 30% é melhor adiar a voltinha (isso porque, com a baixa umidade, o ar acaba se tornando mais poluído e prejudicial à saúde).

6 – Mantenha o ambiente umidificado e nada de ar condicionado. Nesse caso, se você não tiver umidificador vale aquelas dicas da vovó de colocar toalhas molhadas na janela, porta e cabeceira do berço. Deixar uma bacia com água no quarto da criança também é legal (desde que seja longe do alcance dela).

E quando procurar um médico?

Em algumas situações realmente não tem jeito, é preciso agendar uma consulta com o pediatra. Esses sintomas de alerta são tosse com febre e falta de ar. Devido às vias aéreas ficarem muito ressecadas elas levam à crises de alergia como a asma. O médico deve ainda ser consultado se o olho, mesmo com soro fisiológico, ficar irritado por mais de três dias.

Deixe seu comentário